SeaWorld & Busch Gardens Conservation Fund celebra novos projetos apoiados no Brasil

por 23 jul 2019Busch Gardens, Notícias, SeaWorld

Ampa investiu no Programa de Reintrodução dos Peixes-Bois da Amazônia; Ipram recebe primeiro pinguim resgatado em 2019; Gremar faz ação em praia no litoral de São Paulo

São Paulo, 22 de julho de 2019 – Dando continuidade aos esforços de ampliar a preservação de espécies e habitats no mundo todo, o SeaWorld & Busch Gardens Conservation Fund conclui mais uma etapa de doação para organizações brasileiras que compartilham dos mesmos propósitos. As doações fazem parte do programa “Curtir & Preservar”, que foi criado exclusivamente para dar suporte diretamente aos projetos brasileiros de preservação da vida selvagem.

O “Curtir & Preservar” é um programa de arrecadação de fundos diretamente relacionado à venda de produtos extras dos parques temáticos dos SeaWorld Parks & Entertainment no mercado brasileiro. Para cada compra de produtos opcionais ao ingresso, como planos de refeição, corta filas e tours, será doado U$2 para o “Curtir & Preservar”. Todo o montante arrecado é destinado 100% para ajudar projetos brasileiros que apoiam a preservação de espécies na vida selvagem.

Em junho, três relevantes organizações puderam dar sequência a seus projetos graças ao recebimento do recurso do Curtir & Preservar. Com projetos muito bem elaborados e aprofundados em cada um de seus segmentos, o GREMAR (Guarujá – SP), o IPRAM (Cariacica – ES) e o AMPA – (Manaus – AM) são os novos paceiros do Fundo no Brasil.

No GREMAR, o recurso chegou em um bom momento, já que na primeira semana de junho foi celebrado a Semana do Meio Ambiente e o Dia Mundial dos Oceanos e a instituição preparou algo realmente especial: uma exposição inédita e itinerante, “Gremar pelos Oceanos”. Além da mostra, a ocasião foi marcada pelo “Xô Bituca”, com a montagem de uma escultura com as bitucas recolhidas; e ainda jogos educativos e exposições temáticas. Com o mote “Nossa praia não é cinzero”, a ação mobilizou principalmente as crianças que ajudaram na montagem da escultura e aprenderam mais sobre a importância de preservarmos o meio ambiente. “Além do resgate e reabilitação dos animais marinhos e silvestres debilitados que o Instituto realiza, as ações de educação ambiental do Gremar visam sensibilizar o público quanto aos impactos que o meio ambiente sofre e o que cada um de nós pode fazer para mudar essa realidade” diz a coordenadora técnica do Instituto GREMAR, Andrea Maranho.

A exposição Gremar pelos Oceanos será itinerante e ainda percorrerá outras praias e regiões, expandindo ainda mais esse alerta.

No IPRAM, a maior parte do recurso recebido do SeaWorld & Busch Gardens Conservation Fund (via programa Curtir & Preservar), está sendo utilizada para uma reformaimportante no recinto para aves voadoras. O antigo recinto foi construído em 2013, pouco tempo após a fundação do IPRAM. Neste novo projeto, a área de 35 metros quadrados, que era apenas subdividida em dois recintos bastante amplos, está sendo transformada em quatro novos recintos com tamanho ideal para reabilitação das aves aquáticas maisrecebidas pelo IPRAM, como trinta-réis, fragatas, gaivotas, garças e atobás, por exemplo. Todos estes recintos terão entradas independentes e contarão com reformas no telhado e piso, instalação de telas anti-mosquitos e colocação de tapetes macios de borracha. Além disso, três dos quatro recintos contarãouma piscina de concreto com diferentes níveis de profundidades. Estas reformas certamente melhorarão e muito o bem-estar dos animais, diminuindo a possibilidade de doenças secundárias devido ao período em cativeiro. “Além da reforma, utilizaremos os recursos do SeaWorld & Busch Gardens Conservation Fund para compra de alimentos, medicamentos e suplementos vitamínicos, que serão críticos para a continuidade das atividades de reabilitação dos animais marinhos resgatados”, afirmou a coordenadora de Medicina e Reabilitaçãodo IPRAM, Renata Hurtado.

Na AMPA, o investimento está sendo destinado para reforço do já existente Programa de Reintrodução dos Peixes-Bois da Amazônia. Por conta da caça ilegal e captura acidental em redes de pesca, filhotes órfãos de peixe-boi da Amazônia são resgatados e reabilitados para posterior reintrodução na natureza. O retorno desses animais é feito com forte envolvimento das comunidades ribeirinhas no processo de proteção e monitoramento, aliado a coleta de informações ecológicas e sensibilização ambiental feita pelo AMPA. Esse conjunto de ações tem sido fundamental para subsidiar estratégias de manejo e conservação dessa espécie endêmica e ameaçada em longo prazo.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MacroBaby VIP
Booking.com


%d blogueiros gostam disto: