quarta-feira, outubro 21, 2020

Resultados da pesquisa para 'Maria Teresa comfort inn'

Fórum Fóruns Pesquisa Resultados da pesquisa para 'Maria Teresa comfort inn'

Visualizando 4 resultados - 1 de 4 (de 4 do total)
  • Autor
    Resultados da pesquisa
  • #54008

    Em resposta a: Comfort International Dr

    0

    Olá reginable,

    Obrigado pela participação!

    Em atenção a sua mensagem eu fiz uma pesquisa na página principal do fórum utilizando os seguintes parâmetros “Maria Teresa Comfort Inn” (link) e dentre os resultados obtive o seguinte relato:
    Viajando com os netos – cont. dos primeiros dias

    Provavelmente seja o que procura pois nele constam informações sobre o Comfort Suites Universal Studios Area.

    Se me permite outra dica, nas respostas, se você clicar no nome do usuário será redirecionada para uma página com o perfil e onde também você poderá ver todos os tópicos e respostas criados por aquele determinado usuário.

    Um forte abraço!
    Luiz Carlos ºoº

    #39461
    0

    20/01/18 – Chegada a Orlando

    Desta vez fizemos voo direto Rio/Orlando. Maravilha!
    Chegamos pontualmente e fomos para a Imigração. Uma funcionária nos encaminhou para uma sala com diversos tótens de auto-atendimento e depois fomos para uma fila bem menor que a outra. Não sei bem qual o critério que usaram para essa seleção, mas foi muito bom. Nós passamos juntos, embora eu não more na mesma casa deles. Vimos uma família na nossa frente ser encaminhada para a terrível salinha da Imigração.
    Na hora de pegar as malas na esteira a da minha neta não aparecia, até que uma funcionária veio nos perguntar se não era uma que estava fora da esteira, do outro lado, sozinha. Talvez alguém tenha tirado da esteira e quando viu que não era a própria, colocou no canto da parede. Aff! A funcionária percebeu que a mala dela tinha o mesmo sapo verde “cheguei” da mala do irmão. Essas etiquetas de identificação devem ser grandes e bem coloridas. Na volta não perdi a minha mala por causa disso.
    Fomos para a Alamo e como tínhamos feito o check-in online ainda no Brasil não precisamos ir ao balcão. Além de ser rápido, ninguém fica tentando nos empurrar mais alguma coisa.
    De cara vimos um Toyota RAV 4 XLE novinho, lindo, enorme. Peguei as chaves e falei para eles procurarem com calma outro carro, mas eles voltaram quase no mesmo instante. Todos escolheram o mesmo. Foi amor à primeira vista.

    Fomos então para o hotel. Em todas as viagens com os netos ficamos no Comfort Suites da Major Blvd e ele foi sempre perfeito. Sabe aquela história “em time que está ganhando não se muda”? Pois é, eu mudei.
    O vovô e eu quando viajamos costumamos ficar nos Comfort Suites ou nos Best Western Plus ou Premier e sempre ficamos satisfeitos, principalmente pelo tamanho dos quartos e pelo café da manhã. São hotéis seguros e confortáveis. Boa relação custoxbenefício.
    Dessa vez fiz reserva no Best Western Plus Universal Inn, na Vineland Road. Gostei da localização. A Vineland Rd é paralela à Major Blvd, bem próxima aos parques da Universal, e o estacionamento fica atrás da Walgreens da Kirkman, do Burger King, da Starbucks e da Millers Ale House.
    De cara fiquei super decepcionada com o tamanho do quarto, ainda mais que éramos 4 pessoas. Nada a ver com o tipo de quarto que eu esperava e estava acostumada, com uma saleta antes do quarto propriamente dito. O pior é que o hotel estava lotado, não havia outra opção. Entretanto essa decepção no primeiro dia não se compara com a decepção que nos esperava no final.

    Como não havia possibilidade de fazer check-in antecipado, deixamos as malas na recepção e fomos tomar as providências do primeiro dia. A primeira coisa foi testar os chips dos celulares que compramos com antecedência ainda no Brasil, um para mim e outro para a minha filha. Perfeitos! O uso de dois celulares nos dá maior liberdade e otimiza o tempo. Também já saímos daqui com os endereços no GPS, para facilitar a nossa vida.
    Saímos primeiro a pé para tirarmos as tradicionais fotos do carro e para lanchar no Burger King, que era a prioridade número 1 do neto, qualquer que fosse a hora da chegada.
    Pegamos o carro e fomos na Target e no Walmart para abastecermos o frigobar e a despensa, comprar produtos de higiene, refrigerantes, capas para os parques, entre outras coisas que eu já tinha posto na lista de compras (verdade, eu faço sempre previamente uma lista de compras do primeiro dia). Ainda deu tempo de darmos um pulo na ROSS.
    De volta ao hotel, desarrumamos as malas e organizamos tudo no quarto. Que falta da saleta dos outros hotéis!!! Era muita mala e muita gente para aquele espaço.

    Até o próximo.
    Abs,
    Maria Teresa

    0

    (continuação)

    A conexão no Panamá foi muito rápida. Tivemos 48 minutos para percorrer uma grande distância entre os gates de desembarque e de embarque, mas deu tudo certo. Aconselho a todos passarem batido pelo primeiro banheiro após o desembarque, porque enche muito. Perto do gate de embarque os banheiros são muito mais vazios.
    No voo para Orlando serviram outro café-da-manhã e novamente a Copa foi pontual e sua equipe 100%.
    A Imigração em Orlando foi tranquila. Ficamos todos no mesmo guichê, apesar de não morarmos juntos. Antes, durante a fila, fiquei passando hidratante nas mãos o tempo todo, para evitar problemas com as minhas benditas digitais. Aprendi isso aqui no Detran ao renovar a carteira de motorista e com a minha nora, que chegou uma vez a ser encaminhada à temida salinha para poder confirmar a sua identificação, já que ela tem o mesmo problema. O fiscal ainda falou para ela usar um hidratante, mas como ela não tinha, não teve jeito.
    Dessa vez usamos o totem da Alamo. Foi super tranquilo e nos poupou da fila e da pressão dos funcionários no balcão. Maravilha!
    Eu fui com a Simone pegar um táxi, que era na verdade um van enorme, para o hotel, levando as malas grandes. Meu marido foi com as crianças escolher o nosso carro. Eles decidiram por um Sonata prateado. Gosto de sedan porque a mala é fechada, não deixando nada à mostra. Com isso evitamos andar quase 3 semanas com um carro enorme, sem necessidade.
    Nós duas chegamos primeiro ao Comfort Suites Universal Studios Area, na Major Blvd. Minha filha ficou espantada porque todo mundo da recepção me reconheceu, bem como a senhora que trabalha no salão do café-da-manhã. Ela até brincou perguntando o que aprontamos para todos se lembrarem de nós. Já é a quarta vez nesse hotel e graças a Deus, somos sempre muito bem-vindos. Mostrei o hotel para a Simone e depois de algum tempo o nosso trio chegou, todos estavam radiantes, só com as malas de mão. Nos acomodados em 2 quartos vizinhos, cada um com uma saleta e muito espaço para circulação.
    Saímos para as compras mais urgentes: a Walgreens da Kirkman pertinho do hotel e o Florida Mall para irmos na T-Mobile (comprar os 3 chips para nos comunicarmos) e na Crocs. Minha neta preferiu uma sapatilha dessa vez, linda! Não machucou em nenhum momento e ficou mais bonita, porque ela é magrinha e alta e a Crocs tradicional não fica muito bem. Sabem como a Minnie fica com o “sapatinho” dela? Pois é…Meu neto não abre mão da tradicional, mas nele fica bem, tem o pé mais gordinho. Aqui ele usa para a natação, aulas de inglês, dentista, etc. Tirar a Crocs do pé para ele é um sacrifício. Eu levei a minha, marinho-branca-vermelha, que aqui não uso de jeito nenhum, mas lá é uma beleza. Conforto total e muito fácil de secar depois das atrações que molham. Meu marido disse para eu usar por aqui porque nós não vamos mais. Minha neta disse para eu não esquentar porque o vovô quando chega sempre diz isso. Já guardei na parte de cima do armário. Lanchamos no shopping. Passamos no Walmart da John Young para algumas compras mais urgentes. Deixamos a maior parte para o dia seguinte, na Target.
    Voltamos para o hotel para descansarmos um pouco e depois saímos para jantar. As crianças queriam ir no Vittorio’s, mas estava lotado. Escolheram então o Camilla’s. Minha filha não conhecia nenhum dos dois, assim como nós antes de viajarmos com os netos.

    Abs,
    Maria Teresa

    #22549
    0

    12 de março

    Nesse dia pegamos o caminho para San Diego, com 3 paradas previstas: Monterey, San Luis Obispo e Santa Bárbara. Duas paradas seriam suficientes, mas queríamos aproveitar bem as belezas do caminho e também conhecer um pouco cada uma dessas cidades.

    Sempre costumamos abastecer o carro antes de pegar estrada e lá não foi diferente. Colocamos Half Moon Bay no GPS e pegamos então a CA-92W, que nos levou de San Mateo para Half Moon Bay. Fomos direto para a costa para tirar fotos do Pacífico.
    Pegamos então a Cabrillo Highway (como a Highway 1 é chamada nessa área) para o Sul. Paramos primeiro em Pescadero e depois no Pindgeon Point Lighthouse, que apresenta a melhor vista desse trecho.É realmente uma parada imperdível. Lá funciona uma pousada, mas pode-se entrar até o farol para ver a vista. (210 Pindgeon Point Road, Pescadero, CA).
    Em alguns trechos a estrada passa paralela à costa, a cerca de 1 km, em outros passa junto do litoral, com falésias e dunas.

    Chegamos então em Santa Cruz. Lá pegamos o caminho para Natural Bridges State Beach, um trecho muito bem cuidado com casinhas à beira-mar, jardins entre a calçada e a areia, com banquinhos de madeira, como se fosse uma pracinha ao comprido. Me imaginei sentada lá num final de tarde, aguardando o por-do-sol. Acordei do sonho e seguimos até o farol para mais fotos. Adorei esse lugar, não sei explicar.

    De Santa Cruz a Monterey pegamos a US 101 e já perto da cidade a estrada volta a beirar o mar.
    Em Monterey ficamos no Comfort Inn Monterey by the Sea. Segue o padrão dos hotéis Inn, mas é muito bem cuidado, florido, com staff muito simpático. Fica quase em frente ao Del Monte Mall. A 5 km, em Sand City, tem uma Target, uma Ross e uma Marshalls, mas não chegamos a ir.

    Deixamos as malas no hotel e fomos logo ao Walmart de Marina. Meu marido vinha rastreando pela Internet onde seria possível achar o PS4 e constava que lá havia em estoque. Chegando lá não havia nenhum no lugar devido. Meu marido foi até o SAC de lá enquanto eu procurava um vendedor. Apareceu uma senhora que escaneou o código e se dirigiu ao depósito, sem falar nada. Meu marido veio com a notícia que já tinha acabado, mas decidi esperar pela vendedora. Eu estava rezando (mesmo!) quando ela voltou com 3!!!
    Ela ainda pediu desculpas pela demora! Eu quase lhe dei um abraço e 2 beijinhos de tanta felicidade. Meu neto estava aguardando o presente de aniversário desde o início de fevereiro e ele merece. Tadinho, disse por telefone que se a gente não achasse não faria mal, mas sabíamos que ele ia ficar muito feliz.

    Voltamos para o hotel e fomos no Del Monte Mall almoçar. Lá tem Macys, VS, etc. Tem também uma sorveteria muito boa lá, tomamos um sorvete divino de sobremesa.
    Fomos conhecer Monterey, finalmente. Primeiro fomos ao Fishermans Wharf. A marina de Monterey é imensa, deve ter mais barcos do que carros na cidade. Pegamos o caminho para o Aquário, que já estava fechado, e andamos pela Cannery Row e pela orla.Vimos leões-marinhos pegando sol. É fácil estacionar por lá, tem edifícios-garagem.
    Fomos dormir ansiosos pelo dia seguinte.

    Abs,
    Maria Teresa

Visualizando 4 resultados - 1 de 4 (de 4 do total)