Voltei - Relato da minha viagem!

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais recente para a mais antiga
 
Índice  
 
 
Sergio

 mensagem postada em 20/04/2007 - 20:04:49hs
 
 


mais uma vez parabéns, seus relatos tem uma riqueza de detalhes que nos fazem viajar junto com vc! realmente a florida tem uma atmosfera mágica que nos deixa reflexivo, é um verdadeiro encontro com nossa infância! (ñ é a toa que saímos de lá nos organizando para retornarmos o mais breve heim!?)

 


 
3º DIA – 07/04/2007 – UNIVERSAL e IOA.

 mensagem postada em 20/04/2007 - 23:04:50hs
 
 

Acordamos relativamente cedo e partimos para a Universal com a intenção de fazer os dois parques em um só dia.

Antes uma paradinha no Walgreens para mais umas comprinhas de suporte. Walgreens tem por todo lado, mas na I-D tem um bem pertinho do Quality Inn Plaza. Para quem não conhece, vale a pena parar. Uns dizem que é uma farmácia, mas para mim é como um mercado/mercearia/conveniência. Você acha de tudo lá (e remédio é o que menos tem) e tem uns preços bons, com algumas marcas famosas e outras desconhecidas. Tem uns potes de castanhas de cajú e uns mistos que são vendidos a 2 por US$ 5. É uma delícia com cerveja! E as sopas Campbell... hummm... a New England, pra esquentar no microondas do hotel, baratinho $3. Pringles, shampoo, etc. etc... O Felipe comprou uma lanterna (não sei pra que, mas ele adora lanternas) parecida com aquelas que polícia usa nas viaturas. Pagou US$ 8 e vem com bateria, carregador de tomada e de carro. Pronto morremos com mais US$ 55 doletas.

Fomos dalí para a Universal e no estacionamento notamos um movimento um tanto alto de carros mas ficamos na esperança de que era só na guarita para pagar. Foi só esperança mesmo. Os parques estavam lotados.

Caminhada do estacionamento para a entrada dos parques já é uma aventura. Looongeeeee. E é uma novidade também. As crianças ainda não tinham visto aquelas esteiras horizontais que são comuns nos grandes aeroportos dos EUA e outros lugares (aquilo é o cumulo do comodismo americano, mas que é bom, é). Acharam o máximo, fizeram a festa.

Estava um pouco frio, avistei um Cinnabon e a boca encheu de água, mas eles queriam algo quente. Passamos na Starbucks da parte superior (que só depois percebemos que na verdade o lugar era o City Walk). Hot Chocolate, Vanila Frapuccino... humm e, não resisti... Cinnabon... aqueles Cinamon Rolls deliciosos. Comprei um para as crianças e a Silene experimentarem. Não preciso dizer que tive que comprar outro. Aonde tem igual aqueles aqui no Brasil?? Não existe né.

Ainda meio “bêbados” com a beleza do local fomos caminhando com a multidão sem perceber que estávamos entrando no IOA. Nem observamos aquela torre enorme na entrada. E eu me perguntando como chegava nos parques... hahaha. Iniciamos pela direita (acho que erramos aí). Entramos na atração do Cat in the Hat, mas quando a Si leu a descrição do guia da Folha a Camila surtou. Disse que não ia ali de jeito nenhum. Tivemos que sair da fila. Começamos a caminhar em direção à parte final do parque, tentar pegar as atrações mais vazias. Foi a nossa sorte. Conseguimos fazer algumas. A atração Fúria de Poseidon foi a primeira. Gostamos. Já deu pra ter a noção dos “shows tecnológicos” que nos aguardavam. Apesar de a atração ter um inglês um tanto difícil (uma linguagem que não é do dia-a-dia), deu para entender. Saímos dalí e avistamos a Dueling Dragoons. A Silene foi comigo. Adorou! As crianças não quiseram ir e o Felipe ficou com a Camila, cuidando dela. Usamos os radinhos pela primeira vez e já percebemos que eles eram indispensáveis. Depois consegui convencer a Camila a ir a uma montanha russa (a Flying Unicorn). Ela amou. Queria repetir, mas havíamos combinado de não repetirmos atrações enquanto não terminássemos os parques.

DICA: Comprem um walk-talk. Eu paguei US$ 26 num modelo da Uniden (GMR1038-2CK 22 Channel 10 Mile range GMR radio) que vem com base carregadora e dois rádios. Foi de enorme valia em toda a viagem e agora está servindo de brinquedo para as crianças.

Continuamos dando a volta no parque e paramos para lanchar na atração do Popeye (na Toon Lagoon). Sanduíches de novo. Percebemos que essa seria realmente a nossa comida nos próximos dias. Aquela área do Popeye nos fez recordar ótimos momentos de infância. Não fomos na atração do barco porque não queríamos nos molhar. Estávamos traumatizados do SeaWorld e fazia um certo frio.

Chegamos na área dos super-heróis e vimos o primeiro (que eu não lembro o nome) mas a Camila correu pegar autógrafo e tirar fotos. Logo em seguida, Capitão América. Caramba!!! Igualzinho. Depoi seguiu o Pica-Pau e outros. Nessa hora eu e a Si tb já estávamos totalmente no clima, pedindo fotos junto com os personagens. Pareciamos crianças. Quatro crianças. Vimos a atração do Homem-Aranha. Fila de mais de uma hora! No way... Combinamos que não iríamos ficar em filas maiores que uma hora. E que ninguém ia “emburrar” se não desse para ir em algum brinquedo. A gente queria era andar, curtir tudo que pudéssemos ver. Se desse para entrar numa atração, ótimo. Se não desse, tudo bem. Estar alí já era a diversão em si. E nada da montanha do Hulk, Doctor Doom’s Fearfall... todos com mais de uma hora de fila.

Maldito Spring Break. Parque lotado (eu acho né... não tínhamos referência do que era um parque lotado lá). Decidimos ir para a Universal. Só aí que percebi como era a entrada dos parques.... hahaha. E onde era o CityWalk e o Hard Rock... Eu estava bêbado mesmo. Caramba, quando vi aquele globo da Universal... corremos pra tirar fotos.

Estava um pouco mais vazio. Entramos direto na atração do Shrek 4-D. Incrível. Amazing! E adivinha quem estava na saída do brinquedo? O próprio, com a Fiona. E dá-lhe fotos e autógrafos (linda a Fiona). Conseguimos fazer várias atrações na Universal (Twister, Earthquake, Jaws, E.T.). Adorei o parque, o clima. É imperdível. Saímos da Universal na intenção de voltar para o Islands e tentei entrar no Hard Rock para ver, mas era impossível. LOTADO.

Comecei a ler os Map Guides com mais atenção e percebi que, além do maldito Spring Break, estava acontecendo, até 14/04, o festival “Mardi Gras – Let the Music Move You” e naquele dia havia um show do Daughtry. Ou seja, parte do público com certeza estava alí para assistir ao show, que rolaria no CityWalk.

No Islands, as filas estavam ainda maiores. Decidimos ir embora e repetir os parques em outro dia. Saindo do IOA avistamos uma Turkey Wagon e finalmente a Si pode experimentar aquelas Turkey Leg. Compramos uma só para experimentar e dividimos em quatro. Faltou. Comeríamos mais depois. Passamos pelo CityWalk um conjunto fazia cover do U2. Muito legal, mas decidimos ir ao WalMart relaxar um pouco. :-)

No caminho de volta para o estacionamento nos divertimos muito andando nas esteiras na contra-mão e dançando feito bobos. Todo mundo olhando e não entendendo nada.

Na estrada percebemos que até o som do carro era automático. Ele aumentava e diminuia conforme a velocidade. O Felipe achava o máximo. E eu também. Nunca tive um som assim nos meus carros. Hehehe.

No WalMart já começamos a encher as malas que foram daqui vazias.... Compramos mais duas mochilas para levar aos parques, pois uma só que tínhamos era insuficiente, pequena. E ainda outras porcariadas (inclusive catchup Heinz), abridor de latas, carregador de pilhas, e por aí vai. Adoro fazer supermercado nos EUA. Eles têm umas coisas que a gente não vê no Brasil mesmo, ou que são muito, mas muito mais baratos.

Jantamos MC Donald’s e planejamos ir ao Animal Kingdom e MGM no dia seguinte, o domingo . Chegamos no hotel depois das 23h, daquele jeito de novo. Desmaiamos.

 


 
4 dia - Seaworld

 mensagem postada em 21/04/2007 - 22:04:38hs
 
 

4.Dia - SeaWorld

Eu estava relendo meus relatos, e nossa,, qt erro.. ahha.. desculpem, além de não ser o meu forte, estou escrevendo sempre tarde da noite e com a luz apagada ( haha, tem q dar uma desculpa pra não pegar tão mal neh ).... Aliás uma pequena correção, esse é o quarto dia de parque, quinto dia na terra mágica !

Bom, a programação para o dia era SeaWorld até as 16:00 e NBA a noite... masss...

Um domingo lindo, ensolarado desde bem cedo, sem nenhuma nuvem no céu, perfeito !!! O que mais eu poderia querer ??
Acordamos sem pressa, café da manhã no Hotel, perdemos algum tempo na Internet falando com família e amigos, postando fotos, etc...
No caminho para o SeaWorld vi que a polícia estava controlando o tráfego para que o tremzinho do SeaWorld levasse as pessoas do estacionamento ao parque. É o estacionamento do lado do parque já estava cheio e estacionamos do outro lado da rua.

O SeaWorld é um parque diferente dos outros, não sei explicar direito,,, fiquei com a sensação de tudo mais claro,,, tudo azul... até as pessoas usam roupas mais claras,,, quase todo mundo nos tons de verde e azul claro....... hahha.. acho que é besteira, mas até agente inconscientemente estava assim....

Bom sou suspeito pra falar, já declarei aqui nossa paixão por animais, então SeaWorld pra nós foi o MÁXIMO.... mesmo não tendo ido a Atlantis,,, nem a Kraken..O parque é lindo, logo na entrada os flamingos dando aquele colorido...

Chegamos umas 11:00 no parque, pegamos o mapa na entrada e logo que percebi que tinha BlueHorizons começando em 15 minutos saí empurrando o carrinho do Nata e puxando a Raquel para lá,,, corremos muito.. e quando estávamos quase na porta da atração vi a funcionária colocar a corrente e fechar a entrada.... corri mais um pouco, tentei um chaveco, mas não colou, perdemos a apresentação.

Depois de recuperar o fôlego, vamos nós analisar os horários de todos os Shows. Não queríamos perder Believe, BlueHorizons e Cyclade&SeaMore.... mas entravamos em conflito alguns horários porque precisávamos sair as 16:00 para o NBA.... e tinha Believe começando em 30 minutos mas era do outro lado do parque e já estavamos sem folego naquele calor,,, fiquei com medo de correr e ter outra decepção.
Decidimos não estressar naquele momento, caminhar pelo parque, e ir em direção ao Cyclade&Seamore que começaria em 1 hora e 20 minutos.
Opinião : Bom muita gente diz que da pra fazer SeaWorld em meio dia,,,, na minha opinião, um dia inteiro é pouco pra fazer tudo com calma

Fomos andando até o tanque das arraias, sem muita pretensão... e surpresa... que lindo!!!... É maravilhoso aquilo,,, esqueci de tudo, me debrucei no tanque para ficar passando a mão nas arraias,, o Natan gargalhava, com algum medo no começo, mas depois se jogando para passar a mão nelas,,,, ficamos um tempão ali... é lindo demais,,, e a garça que fica ali só filando os peixinhos... demais.....
Quando percebemos,,, era hora de correr denovo para ver Cyclade&Seamore.... e lá vamos nós,, já meio molhados de ficar alí brincando com as arraias,,, mas ficou a vontade de voltar no tanque para brincar mais....

Cyclade & SeaMore é um show de comédia, claro que comédia bobinha, mas que faz rir.... que já começa com um pirata palhaço que fica antes do show fazendo comédia muda, zoando as pessoas que estão entrando para assistir o show.... o público cai na risada enquanto ele fica tirando o sarro de todo mundo que entra pela parte de baixo do estádio, comédia muda sem a barreira do idioma, fez todos rirem....
O texto do show em si é bobinho, mas a inteligência e graça dos leões marinhos, focas ee da lontra que apronta o show todo vale a pena.... demais a cumplicidade da menina que apresenta o show com os bichos, parecem que se falam no olhar....
Gostamos muito do show, demos boas risadas,,, e deu pra relaxar da correria....

Saímos do Show e ainda tínhamos muito pra ver, e pouco tempo para fazer tudo.... Não seria possível fazer Believe, BlueHorizons, ver os Golfinhos, ver os Pinguins os tubarões, as tartarugas o Urso Polar,o peixe-boi, voltar ao tanque das arraias,,, almoçar,,, e ainda sair 16:00 para o NBA..... Então tínhamos que tomar uma decisão...apesar de querer muito ir ao jogo do NBA, eu sabia que iria curtir sozinho,, e claro meu corpo também já estava bastante cansado.... então a decisão foi, relaxar, aproveitar ao máximo o SeaWorld e abrir mão do jogo NBA..... Claro que não foi uma decisão fácil, eu queria ir ao jogo,,, mas era o mais prudente naquele momento,, e não me arrependi, pois curtimos muiito SeaWorld....

Ok decisão tomada,,, vamos almoçar e programar o restante do dia com calma... Comemos Baby Back Ribs suculendo ao molho barbecue, batata frita... hehe.. muiito bom... adoro barbecue essas costelinhas... compramos uma promoção infantil para o Natan que vinha frango frito e batata frita dentro de uma Baleia de plástico... a comida não é de criança.. frango apimentado pra criança .. pode ??,,,, mass.. O Natan adorou a grande baleia de pástico que foi companheira em todos os banhos....

Depois do almoço, fomos até o Dolphins Cove ver os golfinhos, exploramos o UnderWater view antes,,, e lindo demais.. depois subimos,,, e fiquei no dilema de encarar a fila para gastar U$ 6,00 em peixes para os golfinhos... o problema nem era os 6 paus em si ( também claro ).. mas sim a grande fila, para comprar peixes, e a venda só abriria em meia hora.... bom decidi investir melhor os 6 paus e comprei uma BudWeiser pra mim ... haha... mto bom... trincando de gelada,,, e uma linda garrafa vermelha que guardei como souvenir...
Nem por isso deixamos de passar a mão nos golfinhos, ficamos ná área onde pode-se passar a mão neles mesmo sem comprar nada, e depois de um tempo, eles vêm,,, foi mágico... lindos demais... várias fotos,,, filmagem... a Raquel se emocionou, deitou no murinho e mais um pouco estava la dentro...
Saímos da área dos golfinhos felizes,,, e também bastante molhados porque deitamos no muro para ficar brincando por muito tempo.... de lá para Believe... sem pressa, uma hora antes do show começar, em direção ao estádio....
No caminho, as tartarugas,,, bommmm sem palavras... o local delas é bem feito, ambientação perfeita.... não é um tanque de tartarugas,, é um lugar bonitos para elas... como merecem....

BELIEVE: Mesmo chegando bem cedo, tipo uns 40 minutos antes do show, o estádio já estava bastante cheio... na verdade eu não mencionei ainda, mas o parque estava bastante cheio... abençoado Spring Break !!!....
Fomos entrando,, e como não tinha muitos lugares livres, nos separamos para procurar lugar... a Raquel viu um lugar lá embaixo na 3. fileira e foi correndo..... OK.. ela não sabia o siginificado de "SOAK AREA", eu mesmo sabendo que iria encharcar, não liguei.
Quando sentei ao lado da Raquel ela me disse,,,, "Estranho, tem um monte de gente sem sapatos, e de biquini por aqui.." hahaha..
Bom, estávamos ali para nos divertir, então quem está na SOAK AREA é pra se molhar.... tirei o tênis, a meia,,, guardamos na mala,... pegamos um saco ZIP que sempre temos na mala para guardar a câmera,,, toalha tinha também, porque quem sai com criança par parque sempre leva mesmo... então... tudo bemmm...
Bommm,,, Believe é emocionante, não vou tentar descrever as emoções aqui porque não tenho esse dom, mas posso dizer que fiquei tocado desde o começo de Believe, uma emoção tomou conta de mim mesmo....
E aih chegou a hora de chamar a Shamu.... da até um medo,,,, começa uma coreografia, com um som de batidas,,, e SHAMUUU,, SHAMUUUU.... o Natan entrou no clima e chamava a Baleia...misturando as palavras ( chamo,, Shamu....) hahah... e la vem a Shamu...
Imponente,,, enorme,, linda,,, deu um medo, porque vi várias pessoas correndo para parte de cima, então caiu a ficha que iria ensopar de verdade... A primeira batida de água não nos acertou, mas assutou,,, e aih veio a segunda,,, e UAUUU>>>> Muuiita água, gelada e salgada,,,,
A Raquel ao invés de proteger o Natan com a toalha, teve uma reação de medo e puxou a toalha na hora para se esconder... o resultado foi que o Natan abriu o berreiro.. hahaaha... subimos as escadas com ele,,, mas rindo,, ensopados,,, descalços, não enxergando nada com os óculos molhados,, e rindo muito, mesmo com o pequeno chorando.... logo o Natan entrou no clima e deu risadas também,,,
Ahhh... filmei tudo com a câmera dentro do saquinho ZIP, claro que tem o plástico na frente, mas transmite a emoção do momento, e é demais rever esse momento....
Assistimos o resto do Show da parte de cima, o que foi bom para a filmagem e para as fotos,,, lindas fotos, e uma filmagem de dar inveja... show que tenho orgulho de mostar pra todo mundo, dizendo eu estava lá....
No final do Show eu estava realizado... acho que Believe, assim como MainStreet com Castelo ao fundo fazem cair a ficha de sonho realizado,, talvez a água gelada na cabeça ( haha... )..

Saímos do Believe encharcados, e tinha BlueHorizons começando em 40 minutos,,, então.... lá vamos nós...

BlueHorizons é imperdível, os golfinhos legal demais a habilidade dos treinadores com os golfinhos... e o bicho é mto inteligente... mto lindo,,, um show de encher os olhos,,, e as aves no meio do show ??... razante na cabeça do público, se não me abaixo acho que tinha acertado uma... mas legal ver como são bem treinadas.... gostamos muito do show, e acho que valeu a correria....

Depois de BlueHorizons tinhamos terminado os shows que queriamos ver, então faltavam as outras atrações do parque que não tinham hora marcada..... SeaWorld tem que fazer com calma por causa disso,, tem muitos shows com hora marcada, tem que chegar com 30 minutos de antecedencia, o show dura 30 minutos, e você não sai do estádio em menos de 10 minutos do final do show,,, então fica corrido pra fazer tudo...

Aproveitamos o final da tarde e do dia visitando todas as atrações de bichos que queríamos: SharkEncounter ( legal demais ), Pinguim Encounter onde ficamos um tempão indo e voltando na esteira pra ver denovo.... e ver o Natan imitar o Happy Feet dançar... Wild Artic que é bem legal e rende ótimas fotos... peixe-boi que é lindo e parece que se expressa colocando as tapando os olhos.. enfim.. nos esbaldamos com os animais....
Não ficamos para o Mistify, queríamos descançar para o dia seguinte que seria Epcot, e sabia que seria cansativo...

Saímos do parque, com gosto de quero mais claro, mas tendo passado talvez o melhor dia em Orlando... todos foram bons, mas SeaWorld foi excepcional...

Peguei lanche no Burger King e fomos para o Hotel, pois queríamos lavar algumas roupas....Pra variar o Natan desmaiou no caminho...

No Hotel fui perguntar de como funcionava para lavar roupas... bom, sei que não entendi direito o que o cara que me atendeu falava, ele disse que eu precisava de "tokens" e falou rápido não entendi quanto custava ,e ele meio sem vontade de explicar e atender,,, saquei U$5,00 e pedi em tokens,,,, bom ele veio com a mão cheia de moedinhas amarelas e me deu... A Raquel caiu na risada, e tirou o maior barato de mim,, achei q tinha feito errado, que tinha comprado muitos tokens.. haha.. ela ficou tirando o maior barato, e eu com cara de bobo com mão cheia de moedas...... Fomos para o quarto comer os lanches, separar as roupas para lavar,,, mas depois de tirar os tênis,, e dar uma relaxada não deu coragem de descer pra lavar roupas, então foi banho,, e desmaiamos !!!

PS: Só antecipando, as moedinhas deu certinho para lavar e secar uma máquina de roupas, e uma mini-caixa de sabão... então o mico foi só de achar que tinha comprado muito,,,,

Afff... pra variar escrevi muito.. estou precisando de poder de sintese...

Dia Seguinte: Epcot

Abraços,

 


 
4º. DIA – 08/04/2007 – Animal Kingdom e MGM

 mensagem postada em 21/04/2007 - 23:04:16hs
 
 

A intenção era acordar bem cedo para chegarmos ao AK assim que ele abrisse. Não deu. Estávamos mesmo cansados. Assim que acordamos, enquanto a Si tomava banho eu organizava um pouco a bagunça do quarto, das mochilas, separava o dinheiro, essas coisas. Depois eu ia pro branho e ela cuidava das roupas para levar aos parques, afinal já sabíamos que sairíamos cedo e não voltaríamos ao hotel antes das 23h. Tomamos café no quarto com o que compramos nos mercados. Leites, cereais, cookies.

E lá fomos nós para o AK. Primeiro parque da Disney, estávamos ansiosos. Ainda não havíamos ido nem próximo à direção do complexo. Quando você vai avistando as placas indicando as saídas da I-4 para os parques vai confirmando aquela impressão de gigantismo. Aquilo é tão imenso que não existe uma saída só. São várias.

As 10:32h cruzamos o portal de estacionamento do AK. Maldito spring break de novo. O parque já estava lotando. Não dava pra ir a pé do estacionamento à entrada do parque!!! Depois viemos a perceber que em todos os parques era assim. Usamos o “traim” da Disney. Aquele frio!! Entramos no parque já o achando lindo e demos de frente com aquela árvore gigante, linda! Quem foi que fez aquilo hein??? E ela é de “faz de conta”.

Corremos para a atração do “It’s Tough to be a Bug” que estava com menos de 20 min. de espera, olhando para aquela árvore incrível. Rimos muito no brinquedo. Adoramos. É sem um dúvida um dos melhores do gênero. Eles chamam de 3-D mas é na verdade um 4-D. Eu e o Felipe achamos que a qualidade supera o Shrek 4-D da Universal. Mas lá em Orlando é difícil aceitar que algumas coisas são melhores que outras.

Saímos dali e corremos para pegar um fast pass para a Expedition Everest. Decepção. O brinquedo parou por problemas técnicos e o fast pass também fechou. Tiramos fotos na frente só pra não ficar tão vazio e voltamos para assistir ao show do Rei Leão.

Quando era pequeno, o Felipe era vidrado no Rei Leão. Assistia à fita (época do video-cassete ainda) duzentas vezes por dia. Achamos que ele ia gostar do show. Dito e feito. Não só ele, mas todos nós, saímos impressionados. Imperdível para quem gosta do filme... A gente sai cantando as músicas. Saímos dalí e demos de cara com o Pateta, o Mickey e a Minie. Corremos para a fila do Pateta e dá-lhe autógrafos e fotos. Não deixei a Si e a Camila irem tirar fotos com o Mickey e a Minie pois as filas estavam grandes. Me arrependi depois. Lá, quando você vê um personagem tem que pegar ele na hora. Eles são caracterizados de acordo com o parque e depois você não os encontra mais. A Camila encontrou o Stitch também. Foi muito legal porque ela é apaixonada por ele.

Fomos para a Dinoland e almoçamos no Restaurantosaurus. Para variar é um MC Donald’s, mas bem diferente. Tem um menu pequeno e você que termina de montar o lanche. Eles te dão o pão com o hamburguer e o queijo e você vai colocar tomate, alface, picles, molhos, etc. Bem curioso. Lógico que tiramos fotos. E só dava a gente dividindo o refrigerante. Não sei como o pessoal consegue pegar aqueles copos de coca enormes e cada um beber o seu inteiro... Acho que é isso que deixa a maioria do povo gordo daquele jeito. Na saída compramos o picolé do Mickey. Dá-lhe foto!

Andamos mais um pouco pela Dinoland e decidimos trocar para o MGM. Apesar de termos adorado o AK, percebemos que não iríamos conseguir fazê-lo inteiro. Tínhamos ainda que encontrar algum lugar para comprar um agasalho para a Camila pois o dela tinha sujado no dia anterior além de ela estar sentindo bastante frio. Ela e a Silene são friolentas demais pô!!!

Chegamos no MGM já era 16:45h. E “traim” de novo. Não dá pra estacionar perto da entrada! Pra resumir a estória, adoramos o parque! É pequeno e fizemos bastante atrações, mas faltou a montanha do Aerosmith que eu queria tanto ir. Filas de mais de 60 minutos e fast pass para muito tarde (eu deveria ter pego um). A Si e a Cacá foram ver o show da Bela e a Fera enquanto eu e o Felipe fomos andar pelo parque e fazer outras atrações. No caminho vimos a turma do High School Musical e pensamos: “a Camila não vai se perdoar de ter perdido”. Fomos no simulador do Star Wars. Bonzinho.

Encontramos com as meninas e contamos do High School... A Camila quase chorou. Perguntei para um funcionário e em 15 minutos ia começar a último apresentação. Foi especial. Ela acontece na frente daquele chapéu gigante do parque. A Camila ficou no gargarejo e no final foi dançar junto com os atores. Ela não se aguentava depois! Demos uma camiseta oficial do HSM para ela.

Nos separamos novamente e eu fui com o Fe na Torre do Terror. Eu tinha um fast pass só pois ele e as meninas não queriam ir, mas eu o convenci, dizendo para ele que os amiguinhos da escola iam zoar com ele. Hahaha. Conversei com um funcionário e ele nos deixou entrar com apenas um fast pass. Adoramos o brinquedo. O Fe falou que faria de novo. Mas já estava na hora de irmos para o Fantasmic. Pelo radinho encontramos a Si e a Camila e entramos na arquibancada do show com quase uma hora de antecedência. Rapidamente o estádio lotou. E li que são quase 10 mil pessoas alí. Isso mesmo, 10 mil pessoas para assistir um show na Disney, num parque bem pequeno.

Quando o show começa você não sabe muito bem o que te espera, mas à medida que vai acontecendo é uma sequência de “oh, uh, ah” em coro. As pessoas não se contém e exclamam o tempo todo. É uma surpresa atrás da outra. Luz, cores, personagens, imagens, fogos, água e fogo convivendo harmoniosamente. Pura magia, puro encanto. O show termina e para sair do local vai uns 15 minutos, de tanta gente que tem.

A gente sai do parque meio que anestesiado, meio que sem noção de onde está. Um cansaço terrível, pés doendo, mas a cabeça comanda o movimento do corpo embalada pelas imagens frenéticas do dia todo. Ainda bem que o carro é automático. Chegamos no hotel depois das 23h. Desmaiamos.

 


 
5º. DIA – 09/04/2007 – Reprise Universal e Epcot

 mensagem postada em 22/04/2007 - 23:04:13hs
 
 

Cada dia era mais difícil acordar cedo, se não fosse a energia do lugar eu e as crianças não teríamos saído da cama. A gente deitava e parece que no minuto seguinte o despertador já tocava. Era sempre a Si que acordava antes e me tirava da cama. Deixávamos as crianças dormindo até que quase tudo estivesse arrumado para sairmos. De novo tomamos café no quarto.

Decidimos voltar à Universal e ao IOA para tentarmos fazer as atrações que não tínhamos feito ainda. As 09:00h já estávamos na Starbucks do CityWalk novamente, complementando o café do quarto com um belo muffin, brownie, hot chocolate, frapuccino.... humm... que delícia a Starbucks. Quando será que vão abrir uma em Campinas hein?

Nesse dia tinha menos gente nos parques, mas mesmo assim ficamos na vontade. Fomos primeiro na Universal e fizemos o Jimmy Neutron, que a Camila queria ter feito no primeiro dia e não deu, e a montanha-russa da Múmia. Foi rapidinho. Quase nenhuma fila, nos empolgamos. Ambos muito bons, mas todos nós fomos unânimes em relação à Múmia como a melhor atração da Universal. Imperdível. Ao final da viagem a Camila viria a escolher a Múmia como a sua atração preferida.

Partimos para o IOA, mas antes entramos no Hard Rock para uma rápida olhadinha e algumas fotos. Infelizmente as filas estavam grandes. No mínimo 60 minutos de espera para o Homem Aranha, Hulk e o elevador. Podíamos ter comprado um passe Express, mas não achei que valeria a pena. Estava custando US$ 40 por pessoa. Resolvemos ir embora para o Epcot e talvez voltar somente no IOA no último dia. Porém passamos antes na loja do Spider-Man e demos uma camiseta para o Felipe, já que a Camila tinha ganho a do HSM no dia anterior. Esqueci de registrar que no primeiro dia a Si comprou artigos de Natal lá no Citywalk. É, tem uma loja com artigos de Natal em pleno mês de abril, a bons preços. Compramos uns gorrinhos difíceis de achar no Brasil. Vamos usar no Natal deste ano para dar sorte de voltarmos rapidinho.

Rumamos para o Epcot e, as 13:21h, cruzamos pela primeira vez por baixo daquele arco “Walt Disney World – Where Dreams Come True”, com o Mickey de um lado e a Minie de outro. E tira foto de dentro do carro, todos pensando: “caramba, estamos na Disney mesmo!!”. As vezes o Felipe e a Camila falavam que ainda não acreditavam que estavam lá e que pareciam estar sonhando. Engraçado essa sensação e a frase “where dreams come true”. Tudo a ver!!

Cinco minutos depois avistávamos aquela bola enorme do Epcot. Comentei com eles que quando criança eu sempre que a via na TV ficava imaginando o que havia dentro daquela bola, a “Spaceship Earth”. Em pouco tempo eu saberia. Tiramos várias fotos com a bola.

Entramos no parque e infelizmente logo começamos a nos decepcionar. O Fast Pass estava esgotado para o Soarin e para o Test Track, praticamente as duas únicas atrações que realmente queríamos ir. Filas de mais de 90 minutos! Parque entupido de gente. Eu não queria aceitar que era só por causa do Spring Break. Perguntei para dois funcionários e eles disseram que no final de semana tinha estado mais cheio ainda. Parece que todo mundo tinha decidido ir para lá. Pela primeira vez nos irritamos. Foi engraçado, os quatro sentiram a mesma coisa. Desanimamos geral. Parque chato, concluímos. E na hora decidimos. Se tivéssemos que cortar um parque, seria este. Aquela parte dos países não teve a menor graça. Não fizemos nem a metade. Acho que ficamos tão desanimados que o parque chegou a ficar feio. A Camila queria muito ir na França e acabamos passando batido. Decidimos comer e sair dalí e irmos às compras para distrairmos um pouco. A Si comeu a sua primeira Turkey Leg inteirinha enquanto eu e as crianças prefiremos sanduíches. Decidimos que jantaríamos em algum lugar diferente.

Ao sairmos do Epcot resolvemos entrar na Spaceship Earth pois não havia fila. Gostei bastante da atração, apesar de ter ouvido críticas ruins de outras pessoas. Acho que quando foi criada deve ter sido uma sensação do momento. Percebe-se que é bem velhinha, mas é muito charmosa. Passamos por uma lojinha de fotos, a Epcot Camera Center, seguindo uma dica do fórum, onde compramos um álbun de fotos lindo, com 2007 na capa e o Mickey, Minie, Pateta e Donald. US$ 20. Tem espaço para guardar CDs/DVDs e na capa um espaço para colocar uma foto pouco acima do “2007”. Alí na hora escolhemos que a foto que ilustraria a capa seria a do painel do show da Shamu com as inscrições “BELIEVE”. Ficou lindo!

Saimos do Epcot e fomos ao Premium. Após algumas comprinhas já estávamos felizes de novo. Compramos roupas e a Si comprou shampoos e cremes de cabelo. Nos divertimos no shopping com o radinho e com as brincadeiras que fazíamos ao entrar e sair das lojas. A gente morria de rir porque falávamos bobagens em português e percebemos que o lugar é lotado de brasileiros. Foi hilário.

Voltamos ao Epcot para assistirmos ao “IllumiNations – Reflections on Earth”. Ao chegarmos fomos tentar ver o Soarin, mas sem chance. Filas enormes. Entramos no “Living with the Land” e deu pra descansar um pouco. Interessante para quem curte ciência e preservação do meio-ambiente. Gostamos. Passamos por uma lojinha e a Si comprou um Mickey Fantasmic para ela e um pirulito do Mickey para o dia seguinte que estávamos pensando em ir no Magic Kingdom.

Saímos e fomos para a Showcase Plaza. Pegamos um lugar ótimo para ver o show. Quando todas as luzes do parque se apagaram para o show começar já imaginei o espetáculo que seria. Dito e feito. De novo, ficamos bestas. Que show lindo! Só aquele show valeu a entrada no parque e pagou o dia todo, e o arrependimento anterior passou. Pelo IllumiNations o Epcot é imperdível. Saímos do parque daquele jeito anestesiado de novo e eu e o Felipe várias vezes comentávamos: “eles são bons mesmo hein!!”.

Resolvi levá-los para jantar no Denny’s, que eu já conhecia das outras vezes que havia estado Miami. Eu sabia que eles iam gostar. Pedi um T-bone steak com legumes cozidos e um arroz pilaf com ervas que estava delicioso, algo próximo da nossa comida brasileira. A Si não quis jantar e pediu só a sobremesa (a hot fudge brownie, que depois repetimos). Felipe comeu o double cheeseburger e no final sentenciou: o melhor lanche que ele já havia comido, batia o BK. E a Camila foi de chicken fingers com honey moustard de novo. Ela só comia isso em qualquer lugar que íamos. Comemos muito. Valor da conta: US$ 51 com taxas e tip. Eles adoraram o Denny’s.

Voltamos para o hotel no mesmo estado das noites anteriores. Acabados, com dores no corpo todo e os pés doendo como nunca. Íamos lavar roupas, mas desistimos. Olhamos para as camas e: DESMAIAMOS!

 


 
6º. DIA – 10/04/2007 – Busch Gardens e Compras.

 mensagem postada em 23/04/2007 - 22:04:29hs
 
 

Acordamos cedo, com a intenção de irmos ao Magic Kingdom (se bem que na noite anterior tínhamos dúvidas entre fazê-lo ou deixá-lo para o último dia). No canal do tempo havia previsão de chuva, além do tempo lá fora já não estar muito bonito. Decidimos então ir para o Busch Gardens. Como já tinha virado rotina, comemos alguma coisa no quarto e saímos em direção a Tampa.

Viagem tranquila, super fácil de chegar, muito bem sinalizado. Adorei dirigir até lá. Carro com piloto automático né, é outra coisa. A gente coloca no limite da velocidade e só vai curtindo o som e a estrada. Nenhum buraco, pista lisinha, lisinha. Acho que na Flórida não tem controle de velocidade por radar ou polícia. Não vi uma viatura ao longo do caminho e, apesar de a pista sinalizar 75 MPH eu ia ficando para trás, todo mundo me ultrapassando. Em alguns trechos não dei mole, mandei 90 MPH... Já estava cansado de só ser ultrapassado, pô. A Si e as crianças dormiram praticamente a viagem toda.

Paramos num MC Donald’s já perto do parque para reforçar o café. Eles ainda não tinham experimentado o Hash Browns... Amaram. Em compensação o café é terrível mesmo né. Nem colocando uns 15 potinhos daqueles de cream fica bom. Dá uma melhoradinha mas continua aquela coisa aguada. Café com leite igual o daqui??? Que saudades.

Chegamos no parque e no estacionamento já fiz a pergunta padrão: “how is the park like today?”, e desta vez a resposta foi mais motivante: “it is not too busy since we are expecting raining”. Hummm... é, tinha previsão de chuva mas até então estava tranquilo. Durou pouco.

Assim que passamos o ticket na entrada começou a chover. Parece que tava esperando a gente chegar no parque!!! Aproveitamos e compramos 2 capas de chuva amarelas do Busch Gardens por US$ 5.98 cada (mais baratas que na Universal ou na Disney) e também uma sombrinha verde, automática, com o nome do parque em toda ela. Bonita, por US$ 7.99.

Fomos caminhando em direção à Gwazi e enquanto nos preparávamos para pegar a fila, separando as coisas e guardando nos lockers, a chuva aumentou. Quando fomos entrar na fila o brinquedo parou. OK, OK. O parque não estava tão cheio, deixamos para voltar mais tarde e continuamos na caminhada. Paramos em um teatro para esperar a chuva passar, onde tem um show de aves (Wild Wings of Africa) e aproveitamos para assistir ao show.

Eu sai no meio do show pois a chuva tinha dado uma trégua e eu queria ir na Sheikra, que as crianças e a Si não iriam. Sorte minha. Cheguei na Sheikra e não tinha espera nenhuma. Fui. No meio do caminho me arrependi, mas não tinha mais como voltar. Começou a chover de novo, enquanto o carrinho subia. Eu peguei a 2ª. fileira. ADRENALINA pura, saí do brinquedo enlouquecido, arrependido, querendo ir de novo.... nem sei o que o sentia. Ia repetir mas estava esperando eles chegarem para me verem.

A chuva continuou e o brinquedinho fechou. De forma generalizada todas as atrações começaram a parar. Até mesmo as atrações que são em ambientes fechados iam parando de funcionar.Conseguimos ainda entrar no Pirates 4-D. Bem bacana, mas achamos os da Disney e da Universal melhores.

Ao sairmos do Piratas notamos que as pessoas se dirigiram para a saída do parque pois a chuva não dáva trégua. Resolvemos ir embora também e tentar parque em Orlando ou compras. Eu já estava feliz de ter feito a Sheikra, e deu para perceber que o parque é excelente e tem muitas atrações bacana. Pena não podemos ter feito. Já era umas 14h mais ou menos.

Antes de sair do parque passei no Guest Services e contei nossa estória e que não teríamos tempo para retornar ao parque. Fui muito bem atendido e ganhamos 4 ingressos para retornar na data que quisermos, em qualquer ano... Vai ver se isso acontece lá no Brasil.... difícil hein... Vão dizer que não têm culpa de São Pedro estar mandando chuva (apesar que o Hopi Hari e o Wet’n Wild têm “seguro contra chuva”).

Bom, ao final foi ótimo. E foi nessa hora que decidimos definitivamente que em Janeiro voltaríamos para Orlando. Teríamos que ter outras férias ali. Fomos para o estacionamento e na fila do “traim” encontramos uma família de brasileiros muito simpáticos e ficamos conversando sobre os parques, o Spring Break, filas, atrações, etc. Dois deles moravam em Fort Lauderdale e falaram que a atração do Homem Aranha era a melhor de todas.

Almoçamos na estrada. Burger King para variar e logo estávamos em Orlando. Chovendo também. Fomos direto para o Prime Outlet. Fizemos algumas comprinhas e depois fomos ao Flórida Mall pois eu queria jantar no Red Lobster que tinha visto lá.

Como a gente fica feliz quando tá fazendo compras né??!! Já viu gente de cara feia nos shoppings? Só quando não estão comprando ou quando estão trabalhando.

Fomos para o Red Lobster, jantamos deliciosamente bem, com direito finalmente a chops geladíssimos e cerveja. A conta ficou em US$ 74 com taxas e gorjeta. Preço bom pelo tanto que comemos, incluindo lagosta e patas de caranguejo (até do King comemos). A Camila ama patas de caranguejo. Se deixar ela come tudo e a gente fica só olhando. O Felipe passa. Comeu um filé qualquer. Todos adoraram. Tiramos a foto clássica segurando a lagosta viva no tanque deles e depois na frente do restaurante.

Voltamos para o Hotel, felizes da vida e torcendo para que no dia seguinte, praticamente o nosso último dia de parque em Orlando, fizesse um tempo lindo. Afinal iríamos finalmente conhecer o Magic Kingdom. Chegamos no quarto e, pra variar um pouco, DESMAIAMOS.

 


 
5 dia de parque - EPCOT ( 6. dia em Orlando )

 mensagem postada em 23/04/2007 - 23:04:39hs
 
 

5 dia de parque - EPCOT ( 6. dia em Orlando )


Acordamos meio sem pressa nesse dia, apesar de saber que o EPCOT é um parque grande....
Lavamos as roupas pela manhã, largamos lavando e fomos tomar café.... percebemos que os tokens que eu havia comprado não eram exagero, e deu certinho para lavar uma máquina de roupas.

Antes de ir ao EPCOT passamos do Premium Outlets para algumas compras. Aproveitei e comprei um tênis novo pra mim, pra ver se aliviava as dores que eu sentia nos pés ( eu piso torto, pois tenho pino na perna direita, e nesse 6 dia em Orlando eu não aguentava mais de dor nos pés )... A Rebook estava com promoção de comprar 2 pares e levar o terceiro na faixa,,, e ainda utilizamos o cupom de 20% que tinhamos imprimido...

Chegamos ao EPCOT por volta de meio-dia,,, parque extremamente LOTADO !!.. em plena Segunda-Feira...

Tiramos um monte de fotos em frente a bola prateada e fomos em direçÃo ao The Living Seas, com a intenção de entrar no Finding Nemo,,, mas a fila estava gigante, esse não tem Fast Pass e então combinamos de deixar para mais tarde... Verificamos fast-pass para Soarin e Test-Track,,, mas tudo esgotado...

O parque já estava bastante decorado para a primavera, com caras de Mickeys e personagens feitos com flores e folhagens por todos os lados,,, bem bonito.. e várias fotos legais... o mais impressionante é a Bela e a Fera feitos com flores e folhagens...
Fomos então para o The Land, e vimos um coisa engraçada,,, uma fila enorme para "The Circle of Life",,, mas Fast Pass disponível para começar em 10 minutos.... pegamos o Fast Pass,, caminhamos um pouco e ficamos admirando as fontes de água do Epcot,, algumas engraçadas que passam pingos de água de um lado para o outro... muito criativo...... e voltamos para entrar no the Circle of Life....

Bom,, o Natan e a Raquel dormiram durante o filme.... é um filme bonito,, com lindas imagens...ótimo texto...mas é um filme.... nada mais que isso...eu fiquei imaginando que quando acabasse o filme começaia o brinquedo de verdade hahaha.... 20 minutos jogados fora...
Depois de The Circle of Life, resolvemos dar uma olhada em Living with the Land... e mais uma vez a mesma coisa estranha... uma fila enorme... gigante mesmo... e FastPass disponível para 25 minutos.... Almoçamos antes do brinquedo no restaurante ali do lado da entrada do brinquedo, patrocinado pela Nestle e tem várias opções de comida saudável.... e então estava na hora do Living with the Land...
Living with the Land é um passeio de barco, por ambientes com plantações,,, peixes... agente gostou bastante,,, quem está procurando emoções, e shows espetaculares pode se decepcionar... eu gostei mesmo assim...


Na verdade Epcot é um parque mais chato que os outros mesmo, talvez por ser muito muito grande,,,

Bom tentamos ver como estava o Finding Nemo,, e como ainda estava com filas muuito grande, fomos fazer os países....

Lindas fotos em todos os países,,, chapéu no méxico.... cabine telefônica na ingraterra..., comemos Pretzels com cerveja na Alemanha e lindas fotos tbm... tentamos o brinquedo Malstorm na Noroega,, mas com fila de 90 minutos não dava, pegamos um FastPass, mas acabamos não voltando... então ficou só nas fotos mesmo....
Marrocos é o mais lindo de todos,,,, o lugar te faz acreditar que não está nos EUA,,, lindas fotos,,, paradas no KidSpot para o Natan brincar um pouco...
Nos países é isso,,, passamos correndo por EUA, pois não achamos graça,,, algumas fotos na França... e só... nos países é isso o que tem pra fazer... muitas fotos,, e se tiver com $$, comer de tudo em cada país....

Voltamos para os brinquedos e encaramos a fila do Finding Nemo, com fila bem menor.. mas mesmo assim uns 40 minutos de fila...
Finding Nemo - > Bom,,, eu achei um brinquedo bem bobinho,, com projeções do Nemo e amigos em um aquário real, o que até impressiona,,, O Natan gostou bastante,,, a música é legal e ele ria bastante... mas não sei se era cansaço meu, mas acho que não valeu a fila...

O que vale é na saída do brinquedo o ESPETACULAR aquário que tem lá....
Lindo demais o aquário desse lugar,, com paredes enormes que fazem você sentir que esta dentro da água... Uma tartaruga bem grande ficava passeando bem perto da gente... emocionante... o maior e mais lindo aquário que eu já vi... nem o do SeaWorld é tão bonito...
Ao lado tem uma sala com os peixes que são personagens do Nemo,,, mas os peixes de verdade,,, o Natan se divertiu....
Colado nessa atração tem o "Turtle Talk with Crush", que é uma animação muito bem feita e interativa, onde as crianças ficam conversando com a tartaruga do filme procurando Nemo, o Natan tem só 2 anos e meio, e não fala inlgês, mas se divertiu mesmo assim, porque a expressão do Crush é muuito legal...
E o Natan saiu do brinquedo com a frase "Hey Dude, totally" decorada,,, e repedindo direto.. achei o máximo... ele tinha aprendido alguma coisa em inglês,, e gíria !!! ahah

Ainda tiramos fotos com os tubarões no filme Nemo,,, e fomos para o SpaceShip Earth....

SpaceShip Earth ( a bola prateada ) traz aquela curiosidade na gente, "o que será que tem la dentro".... fomos com pouquissíma fila,,, bom por tratar-se de um brinquedo antigo, sem filas e matar a curiosidade de saber o que tem lá dentro valeu.... mas é um brinquedo simples,, sem grandes efeitos... mas bonito,, com conteúdo de enredo e cenários bem feitos...

Saindo de SpaceShipEarth fomos para Honey I shurunk the Audience,,, esse 3D é bem legal.... o Natan odiou e ficou com medo o filme todo,, talvez ainda com trauma do It's tough to be a Bug... mas eu adorei,,, mais um 3D de excepcional qualidade, com história,,, os ratinhos no começo do filme... e o cachorro no final dão o toque 4D da atração... muito bom...

Feito Honey I Shurunk the Audience agente tinha feito tudo o que tinhamos planejado para Epcot em termos de brinquedos,,, Já estava no final da tarde e o Natan precisando de alguma atenção especial,,, comida, troca de fraldas e um cochilo.... Aih a Raquel me liberou pra escolher um brinquedo enquando ela cuidava dele...
Dei uma olhada em Soarin e Test Track... impossível... fila de mais de 90 minutos,, ahh os fast-passes tinham acabado qd chegamos ao parque
Então fui para Mission Space,,, fila de 30 minutos, o que era razoável, a Raquel não queria deixar eu ir depois que disse que tinha já tinha morrido gente nesse brinquedo,,, mass deixou......
Bom,, não achei Mission Space tudo isso que falam,,, é legal sim por toda simulação que se faz, de forma séria,,, que quase te faz acreditar que você é um astronauta.... assusta ver o tamanho da cabine,,, parece pequeno demais,,, e faz-se um terrorismo antes da atração, de que pode ser forte demais e etc...
Acho que vai de pessoa pra pessoa,,, mesmo com todos os giros,, pressão na cabeça,,, e etc,, me saí bem dali,, sem grandes problemas,, mas também sem achar nada de mais...

Encontrei a Raquel e fomos correndo para assitir Illuminations... mais um lindo espetáculo proporcionado por Disney... como disse o Sérgio : "eles realmente sabem fazer isso..."
Tivemos um momento bem legal ao final de Illuminations... o Natan ficou emocionado, e nos abraçou muito, distribuindo muitos beijos,,,,, ele era pura felicidade, assim como nós....

Fomos direto para o Hotel, exaustos,,,,, e mesmo com tênis novo,,, os meus pés me matavam,,,
Cheguei no Hotel e me fiz caber na minuscula banheira com os pés pra cima e dormi ali mesmo,,,, o Natan chegou dormindo pra variar,,, a Raquel encostou na cama enquando eu tomava banho, e desmaiou também.... acordei depois de uns 40 minutos assutado, e com frio,,, a água esfriou... haha... acho que não é muito recomendável fazer isso....
Liguei a televisão no canal da Disney, e dormi ouvindo aquela apresentadora irritante apresentando os parques, tentando pegar alguma dica extra para MGM ( haha, quem já viu essa apresentadora que fica mostrando os parques num canal da Disney ? )

Dia seguinte: MGM

Abraços,

 


 
Prezado Sérgio,

 mensagem postada em 24/04/2007 - 10:04:35hs
 
 

Parabéns pelos relatos! Você transmite muito bem o sentimento de quem viveu Orlando! No próximo dia 28/04 embarco pela 12a. vez para a cidade do "entretenimento mundial". Queria, se me permite, duas considerações:
1) Spring Break: Esse período que você pegou é realmente terrível! Os parques ficam abarrotados e com isso, as atrações tornam-se impraticáveis (filas imensas e o fastpass acaba logo cedo). Já estive nessa época e posso tranquilamente compará-lo ao "reveillon", natal e férias de Julho.
2) EPCOT: Entendo que você teve, em razão do feriado, uma má impressão do parque. Veja como as percepções são distintas: eu jamais deixaria esse parque de lado, inclusive, se tivesse que escolher algum para não visitar, com certeza não seria esse. O EPCOT é maravilhoso! Jardins impecáveis, muita informação (realmente o inglês precisa estar bem afiado), tecnologia de ponta, culturas diversas dentro dos pavilhões dos países e atrações de ponta (Mission Space, Soarin e Test-Track). E pra fechar, como você mesmo descreveu, o sensacional "Illumination".
De qualquer forma, novamente, parabéns pela emoção nos seus relatos. Convite: volte outras vezes e veja o EPCOT com outros olhos! Tenho certeza que você e sua família não vão se arrepender. Abração,

 


 
7º. DIA – 11/04/2007 – MAGIC KINGDOM.

 mensagem postada em 24/04/2007 - 22:04:51hs
 
 

Este relato vai ficar gigante! Não tem como ser menor. E também não anotei toda a sequência que fizemos o parque, portanto a cronologia vai ficar prejudicada, mas vamos lá....

Conseguimos acordar bem cedo e com muita expectativa para irmos ao Magic Kingdom. Corremos abrir a porta do quarto. Parecia que o dia estava lindo!
Lavamos roupas. Duas máquinas cheias. Gastamos US$ 10 para lavar e secar, com sabão incluído. Gastamos ainda mais US$ 2 para tentar secar os pares de tênis mas acho que é proibido. Por duas vezes que voltei para acompanhar a secadora ela estava parada e aberta. Acho que alguém passava alí e para ela quando escutava o barulho. Insisti mas os tênis não secaram. As crianças continuaram dormindo enquanto arrumávamos o quarto e esperávamos as roupas lavarem e secarem. Em pouco mais de uma hora é possível lavar e secar uma máquina cheia de roupas. Muito prático.

De novo tomamos café no quarto. Vestimos camisetas do Brasil que tínhamos comprado especialmente para esse dia. Eu com uma verde, o Felipe com uma amarela, a Si com uma azul – todas escrito “Brasil” na frente e a Camila com uma branca, com a bandeira do nosso país, sem nada escrito. Ficou lindo!!! Verde, Amarelo, Azul e Branco. Tem bandeira mais bonita que a nossa??? É ruim de ter hein.

Saímos relativamente cedo em direção ao MK e super-empolgados. Não havia uma nuvem no céu. Passamos de novo naquele arco da Disney – “Where Dreams Come True”. Aquilo fica na cabeça! Foi a mesma emoção do primeiro dia que passamos e acho que ainda com um gostinho maior de expectativa, ansiedade. E o portal do estacionamento do MK também é lindo. Nem perguntei como o parque estava. Desencanamos. Íamos finalmente ficar em apenas um parque até ele fechar. Era o único no nosso roteiro que tinha um dia só para ele. Levamos, roupas, sapatos, comida, etc. etc.. Três mochilas e uma sacola grande. Somos exagerados mesmo.. família buscapé.

Paramos na rua 11-15 do Pluto. Tiramos foto da placa só por precaução (e por recordação). Não havíamos nos perdido em nenhum estacionamento anterior. Bom, não preciso dizer de novo sobre o Spring Break. Quanta criança sem aula!!! Fila para pegar o “traim” do estacionamento. E aí uma surpresa. O “traim” não te deixa na entrada do parque, como os outros, mas sim no acesso para o ferryboat ou para o monorail. Não tem como ir a pé até a entrada do MK!. Optamos por ir de ferryboat uma vez que havia mais gente no monorail. E também já tínhamos andado no monorail do Epcot só por curiosidade (aqui cabe um PS.: eu esqueci de relatar no dia do Epcot... que pegamos o monorail só para andar mesmo. Fomos e voltamos... igual bobos).

Voltando para o MK.... O ferryboat é legal. Acho que muita gente não vai nele por medo da água. Havia uma névoa forte e praticamente não víamos à frente.

Finalmente chegamos. A gente vai descendo e sendo levado pela multidão. Não dá muito tempo de parar e ir apreciando. Parece que é uma loucura, uma histeria coletiva. Poucas vezes na minha vida caminhei no meio de tanta gente com o mesmo objetivo. Em Nova Iorque você caminha ao lado de multidões, mas sabe-se lá o que passa nas cabeças daquelas pessoas. Só que alí, no MK, dá quase para ler o pensamento. Todo mundo vai lá pra fazer a mesma coisa.

E então a gente chega na entrada do parque em sí. Passamos antes nos lockers para deixar parte da carga e no guest relations para pegar um Disney Pin de Happy Birthday para a Si (o aniversário dela foi em 19/03 e a viagem foi presente para ela também – ela também não sabia que eu havia comprado a viagem). No guest relations eu ainda disse que era nossa segunda lua-de-mel e ganhamos um Disney Pin de Happy Anniversary.

Aqui cabe outro PS: em todos os parques eu pedi pins de birthday. Um para a Si no AK, um para a Camila no Epcot e um para o Fe no MGM. O do MGM foi o mais legal. Além do Disney Pin a pessoa do guest relations digitou em um telefone viva-voz os números 335473 (correspondentes às letras do nome dele) e uma gravação de um cantor - que não sabemos quem era – cantou aquela musiquinha famosa “Happy birthday to you... happy birthday Felipe...”. Foi muito legal. Aí é aquela sucessão de Happy Birthday o dia todo nos parques. Até no dia que fomos ao mall e a Si esqueceu de tirar o Disney Pin na blusa e foi cumprimentada numa loja... que mico.

Bem, voltando à vaca fria. Após pegarmos os pins e guardarmos as coisas nos lockers demos de cara com o Tico e Teco de um lado e o Pluto de outro. Até eu parecia um besta que não sabia para que lado correr. Tiramos várias fotos com Tico e Teco primeiro (tem uma linda de nós 4, de camisetas do Brasil, com eles – foi postada na galeria do site). Pena que quando fomos até o Pluto ele já havia saído.

Ainda antes de entrar no parque propriamente dito, de novo a placa “Where Dreams Come True” no tunel que dá acesso à Main Street USA. Caramba, é isso pra todo lado! E isso não saia mais da minha cabeca... where dreams come true, where dreams come true.... Eles sabem mesmo vender a magia, fantasia e ilusão. Olhávamos cada detalhe das construções, roupas, etc. Parece irreal.

Finalmente pisamos na Main Street USA. Olhamos aquilo tudo e o dia ficava ainda mais lindo. Nenhuma nuvem no céu. Decidimos pegar o trem e irmos para o final do parque e fazermos a main street mais a tarde ou a noite. Foi uma ótima decisão.

Paramos na Fantasyland e corremos para a Big Thunder Mountain Railroad. Não líamos mais nenhuma descrição dos brinquedos para a Camila não surtar. Fomos os quatro. Adoramos. Foi o primeiro brinquedo que decidimos repetir, quebrando o que já havíamos combinado. Só que pegamos fast pass para voltar mais tarde. Por alí fizemos várias atrações... o Piratas do Caribe, a árvore da família Robinson... puxa vida... quando era criança eu assistia. E quem nunca quis ter uma casa na árvore??

Resolvemos ir na splash mountain, afinal é clássica né, mas ninguém queria se molhar.. hehe. Então antes voltamos de trem para os lockers para trocarmos de roupa. E aí uma constatação óbvia: a gente realmente perde tempo porque não segue várias dicas. Todas aquelas dicas de chegar no parque, pegar os mapas e horários das atrações e se planejar antes de entrar e etc., vão por água abaixo assim que a gente vê as catracas. Você não quer ficar parado um minuto lendo mapas. Já pega e vai andando. Vai lendo e tropeçando pelo caminho e entrando no primeiro lugar que der. Quer saber??? Tudo é válido! Regras são pra ser quebradas e dicas são iguais a presentes – você você usa se quiser, não é?

Saímos dos lockers e estava tendo uma parada na main street. E dá-lhe muuuuittas fotos. Acabou a bateria da câmera.... corre pra comprar pilhas. Fomos seguindo a parada, que no final dava na splash mountain. E finalmente fomos no brinquedo, não molhamos nada (também usamos as capas de chuva que estavam nas mochilas).

À medida que a gente ia nos brinquedos íamos ficando em êxtase com o lugar. Antes do almoço já tínhamos decretado: é realmente o melhor parque. É o espírito Disney, é uma sensação de ser criança. Eu não lembrava de nada... de trabalho, de dinheiro, de idade... nada! Parecíamos 4 crianças super amigas que compartilhavam tudo. Foi assim durante o dia todo. Brincamos no carrossel e rimos muito. Brincamos no “scared” aventuras da Branca de Neve que não assusta nem gatos... No Peter Pan, no Pooh, no Stitch... Enfim, todos. Eu diria que brincamos em exatamente todos os brinquedos do MK. Usamos bastante fast pass e até ganhamos fast pass de gringo que havia desistido. O dia era nosso e ninguém tirava!!!

Passamos pela Mickey’s Toontown Fair e a Si e as crianças entraram na casa e na tenda do Mickey, da Minie, tiraram fotos. Aquela fantasia!

Não fizemos nenhuma reserva de jantares/almoços. Comíamos quando dava fome – ou coisas da mochila ou lanches em qualquer restaurante que víamos. Assistimos todas as paradas, incluindo a Spectro Magic. Linda! Vimos o wishes das 22:00h bem pertinho do Castle. O parque nesse dia fechava à meia-noite! Decidimos ficar até o finalzinho. No Wishes aquela emoção de novo... Os olhos cheios... e ouvindo o coro: “oh, uh, ah”. Eu e o Felipe repetindo o chavão: “é eles sabem mesmo fazer isso. São muito bons!!”.

O dia havia sido incrível. Céu limpo, sol, temperatura muito agradável. Era Orlando se despedindo de nós. Lembro que em diversas vezes durante o dia, silenciosamente agradeci a Deus por tudo aquilo que estavamos vivendo. Olhava para meus filhos e para a Silene e pensava como era bom estar com eles! Eles são especiais!

Depois do Wishes o tempo mudou e caiu uma chuva torrencial. Daquelas que lavam a alma. Andamos na chuva mesmo, com as capas. Foi delicioso. Com tanto cansaço parece que deu uma dose extra de energia. A Camila pulava sem parar. Ah... isso foi engraçado, em vários parques ela ficava pulando igual macaca e a gente falava: “Camila, pára! Você não cansa não”. Ela respondia lindamente, do alto dos seus 9 anos de idade: “Eu não consigo! Preciso pular, gastar minha energia, não consigo ficar parada aqui.. tô muito feliz”.. ou algo assim... Hilário para nós.

Ah, fizemos o Carossel do Progresso também. Tava vazio, e eu falei vamos entrar aqui também. Hummm, duvidoso. O Felipe dormiu. A Si e a Camila, coitadas, não entendiam nada do inglês. Eu até que gostei um pouquinho, mas o brinquedo deu defeito e uma das sequências teve que ser repetida. Nossa, foi dose. Depois que você entra, já era, não tem como sair. O propósito da atração até é válido, mas é muito “lerdo”.

Lá pelas 23h ainda tínhamos um fast pass para a Space Mountain, que ainda não tínhamos feito. Só que antes corremos para o “It’s a Small World”. Eu queria muito fazer pois todo mundo comenta. Putz.. é imperdível mesmo. Em princípio pode parecer bobinho (a Camila e o Felipe acharam meio sonso), mas para quem viveu “Domingo no Parque” do Silvio Santos e ia na Montanha Encantada do Playcenter em Sampa.... noosssaa.... eu e a Si cantávamos a versão em português bem alto. O pessoal ficava olhando. Saímos do brinquedo cantando o “Para ser feliz é preciso ter, esse céu azul, a imensidão...”. Em português a música fala exatamente o que acontecia com a gente naquele dia. Eu ria, mas queria chorar de emoção.
Dalí fomos correndo pelas ruas do parque, atravessando-o naquela chuva até chegar à Space Mountain. Era a última atração. O porque ia fechar. Fomos diretão com o fast pass. Adoramos o brinquedo. Perfeito para fechar a noite com a adrenalina a mil.

Passamos nos lockers e no pick up para pegarmos as compras. A Camila havia comprado um Stitch, e nós tínhamos comprado 4 pantufas que pensávamos que era do Pluto mas decidimos devolver porque não tinha nenhum sinal do Pluto e era US$ 22 cada uma. E lá nos EUA esse negócio de devolver as compras é coisa séria. Nada igual ao Brasil né. Mas vixe, que mico eu paguei!!! Depois de ter devolvido e ter o cartão estornado eu quis ser simpático resolvi dizer o motivo da devolução (que eles nem perguntam). Quando falei para a vendedora ela respondeu: é que são os pés do Mickey e não do Pluto... hahaha.

Saímos do parque... já passava da meia-noite. Aquela multidão. Fomos de monorail desta vez. Filas. Mais de 30 minutos até chegar no estacionamento. Nosso carro já estava praticamente sozinho lá. O único na fila que paramos. Looooonge. Mas estávamos felizes, tão felizes!

Chegamos no hotel a 01:30h. Eu ainda cantando o “it’s a small world”. Vc chega no quarto, olhas as camas.... Que banho que nada...

DESMAIAMOS!

 


 
8º. DIA – 12/04/2007 – A DESPEDIDA DE ORLANDO.

 mensagem postada em 25/04/2007 - 21:04:57hs
 
 


Pela primeira vez não colocamos relógio para despertar. Não precisávamos, havíamos sido brindados por Orlando já que tínhamos fechado o dia anterior com chave-de-ouro. Em nossa avaliação já podíamos ir embora. A “missão” estava cumprida.

Acordamos por volta as 8:00h e arrumamos as malas. Tomamos o último café no quarto. Sobrou pouca coisa do supermercado que havíamos feito. Praticamente só os sucrilhos pois aquelas caixas são gigantes! Colocamos na mala. Nosso vôo para Miami sairia só as 20:15h. Tínhamos tempo para fazer algum programa ainda em Orlando.

Na programação estava o Wet’n Wild, mas com a chuva da noite anterior a temperatura havia caído bastante e não dava para ir em Parque Aquático. Pensamos em todos os parques que tínhamos feito. Ficamos na dúvida entre retornar para o AK ou para o IOA. Decidimos pelo IOA para tentar fazer pelo menos o Homem-Aranha.

Fizemos o checkout as 11:00h e saímos do hotel em direção à Universal. Ainda na I-D resolvemos parar e almoçar no MC Donald’s dali. Ainda não tínhamos parado por alí. Um restaurante totalmente diferente dos demais. Tipicamente mexicano com vários pratos no menu, inclusive massas e sanduíches que eu nunca tinha visto em nenhum outro Mac. Uma grande área para as crianças brincarem com muitos jogos eletrônicos e playground. Vale a pena a visita. Almoçamos e fomos para a Universal.

Chegando no estacionamento da Universal resolvi conversar com o atendente e perguntei como estava o parque e se valeria a pena pagarmos os US$ 11 de estacionamento para ficar alí do meio-dia até as 16h. Ele foi muito simpático e disse que não gastaria isso pois o parques estavam bem cheios. Sugeriu que fôssemos a alguma atração pequena na cidade e me deu um ticket “exit only” do estacionamento – guardei de recordação também.

Voltamos para a I-D para caminhar um pouco por alí. Pensamos em entrar no Wonderworks, mas achamos caro. Fomos em algumas lojinhas por alí, tiramos algumas fotos e decidimos ir ao WalMart e Florida Mall comprar algumas lembranças para amigos/parentes e já nos preparando para o aeroporto. No Florida Mall entramos na Godiva, aquele chocolate maravilhoso né... gastamos um pouquinho ali. US$ 12 por 4 trufinhas e um frozen drink dark chocolate decadence. Nossa.. manjar dos deuses.

As 18:00h chegamos no aeroporto, devolvemos o carro e fizemos o check-in super rápido. Paramos na loja da Universal e comprei para mim uma camiseta e um boné. Eu era o único que ainda não tinha nenhum souvenir de lá e também sou filho de Deus né.

Fomos para o portão de embarque e o vôo estava atrasado. Nossa intenção era jantarmos no Red Lobster de Miami. Dançamos. Comemos qualquer lanche ali no aeroporto mesmo. Enquanto a Si foi ao banheiro com a Camila anunciaram pelo sistema de som que a segurança tinha entrado em alerta laranja. Sei lá o que isso significa, mas em menos de 5 minutos havia vários policiais próximos ao portão de embarque que estávamos. A Si já ficou com medo. Mas tudo correu bem.

Pela primeira vez consegui acessar a internet enquanto esperávamos o vôo e o primeiro site que entrei foi o viajando só pra postar uma msg.

O vôo atrasou pouco mais de uma hora e chegamos em Miami já passava das 22:00h. Pegamos o carro rapidinho na Hertz – um Chevrolet Impala vermelho reluzente, novinho. Lindo! Com GPS em português do Brasil. Apelidamos ela de Filó. Fomos direto para o hotel (o Crowne Plaza Airport da Le June Rd– US$ 99 a diária). Eu já sabia onde era o hotel, mas a Filó me ensinou um caminho ainda melhor. Achamos ela inteligente.

Entrada no hotel tranquila, e só para variar um pouco: DESMAIAMOS!

 


 
 
Na atração Haunted Mansion - mais especificamente no salão de baile - o órgão lá existente trata-se de uma réplica daquele utilizado no filme 20.000 Léguas Submarinas.