Alfândega - Relatos

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 

O objetivo do presente tópico é o de servir de espaço para que possamos postar - relatos - sobre as nossas experiências com a alfândega (exclusivamente). Peço que questionamentos sobre a "cota de isenção" sejam reservados para o seu tópico específico - Alfândega - Cota de Isenção.

leia essas informações
 
Índice  
 
 
REVISTA PESSOAL É POSSÍVEL SIM!!!

 mensagem postada em 17/06/2011 - 15:06:17hs
 
 




A respeito da possibilidade da revista pessoal, esta é possível sim. Segue a abaixo o artigo da instrução normativa 1.059 de 2 de agosto de 2010.


Art. 15. Havendo indício de ocultamento de bens junto ao corpo do viajante, a autoridade aduaneira poderá exigir que este se coloque fisicamente em condições que possibilitem a apuração dos fatos.

§ 1º A recusa em atender ao disposto no caput, sem motivo justificável, caracteriza embaraço à fiscalização e acarretará a revista pessoal do viajante, se necessário com o auxílio de força policial, e a aplicação da multa prevista na alínea ‘c’ do inciso IV do art. 107 do Decreto-lei no 37, de 1966, com a redação dada pelo art. 77 da Lei no 10.833, de 2003.

§ 2º Comprovada a ocultação de mercadorias, será aplicada a pena de perdimento prevista nos incisos III ou XVIII do art. 105 do Decreto-lei no 37, de 1966, conforme o caso.

Fonte: http://www.receita.fazenda.gov.br/Legislacao/Ins/2010/in10592010.htm

 


 
Alfândega Rio de Janeiro

 mensagem postada em 17/06/2011 - 15:06:02hs
 
 

Oi, passei pela alfândega do RJ ontem pela manha e todos ate a hora que eu passei estavam indo pro raio x. Meu marido já ia declarar o MacBook air eu e minha prima passamos depois dele com iPad 2 e netbook e mais um monte de cremes da VS e óculos e relógios, etc. A mulher na alfândega perguntou se o laptop era pequeno e falou que minha prima podia passar e ela tinha tb uma filmadora e para mim ela pediu pra ver a nota fiscal do iPad, mas o outro policial disse que eu podia sair e eu peguei minhas tralhas e dei no pe sem olhar pra trás. Resumindo, no RJ continua tudo uma bagunça. Abraços, Suelen (esposa do Edson).

 


 
Bruno Firenzi

 mensagem postada em 17/06/2011 - 09:06:03hs
 
 

Bruno, o maior problema que vejo nisso tudo é a questão da falta de clareza quanto aos critérios. Não há, ou pelo menos, aparentemente, nada que fale de forma objetiva quanto a taxar roupas, sapatos, etc. Na verdade, como o fiscal pode avaliar que as roupas são suficientes ou não para x dias de viagem ??? É tudo muito subjetivo !!!!

Tenho amigos que trabalham na receita federal e confesso que fico espantado com tamanha falta de critérios específicos em relação às taxações feitas.

Mas volto a repetir o que já disse aqui em vários outros momentos: o melhor de tudo é ser honesto efetivamente, pois aí as chances de dar tudo certo são maiores.

Abraços.

Luciano Abreu

Obs.: este espaço em si é para relatos. Pessoal que tem chegado dos EUA, por favor, deixem seus relatos aqui e as suas experiência para que todos possam debater o que está acontecendo nos aeroportos.

 


 
Brasília e Recife

 mensagem postada em 17/06/2011 - 09:06:21hs
 
 

Realmente, os boatos estão se confirmando!!
Recife e Brasília parecem ser de longe as alfândegas mais problemáticas.
Semana passada, uma conhecida minha disse que teve taxados na alfândega de Recife seus cremes, langeries, roupas e outros objetos ( todos que ela trazia mais de um) na sua volta de Orlando.
Não sei se é impressão minha, mas parece que depois que liberaram as máquinas digitais e outros produtos pessoais a fiscalização ficou bem mais pesada nos aeroportos!!

 


 
Revista Pessoal

 mensagem postada em 16/06/2011 - 21:06:06hs
 
 

Creio que a receita federal não possa ou não tenha "poder" para revistar as pessoas, afinal, não somos criminosos !!!!

Já basta os encargos absurdos que pagamos neste país !!!!

Abraços.

Luciano Abreu

 


 
revista-alfandega

 mensagem postada em 16/06/2011 - 21:06:44hs
 
 

ola

eu ja parei na alfandega em guarulhos

NAO ME REVISTARAM...
apenas as minhas coisas foram ao rx, incluindo compras do duty free, uma caixa e uma sacola, a policial falou TUDO NA ESTEIRA
e eu falei...duty free nao precisa ne

ela respondeu TUDO!

mas nao encostaram a mao em mim, e creio que nem façam isso viu

 


 
REVISTA PESSOAL

 mensagem postada em 16/06/2011 - 19:06:47hs
 
 

Ja perguntei aqui mas nao vi repostas.
Eu nunca fui parado no RX e sempre fui nada a declarar

Sei q minha bagagem de mao e malas passam pelo RX , mas NOSSAS roupas , sao revistadas?

Se tiver um aparelho no meu bolsa da calca, sou revistado?

Agradeco a quem puder opinar.

 


 
Silvia Mesquita

 mensagem postada em 16/06/2011 - 18:06:40hs
 
 

Prezada Silvia,

Roupas, sapatos, cremes, óculos, relógios, enfim, tudo que compramos pode sim entrar na cota dos 500 dólares. Porém, como muitos tem tido aqui neste fórum, isso depende, E QUASE EXCLUSIVAMENTE, da avaliação subjetiva de cada fiscal da receita federal.

Eu sempre passei na fila do bens a declarar justamente para evitar quaisquer problemas. O grande lance é: tem pessoas que, sozinhas, chegam com 3 ou 4 malas grandes e, sabe-se lá como, ainda tentam passar pelo nada a declarar.

Como já postei antes aqui, acredito que vale muito mais a pena ser honesto e sincero, falar dos eletrônicos logo de cara e dizer sim que comprou roupas, sapatos, etc. Com a questão da sinceridade, nunca tive maiores problemas na alfãndega.

Mas é claro que tudo vai depender do fiscal e o seu critério subjetivo de análise.

Grande abraço.

Luciano Abreu

 


 
Silvia

 mensagem postada em 16/06/2011 - 17:06:44hs
 
 

No site da receita federal está escrito que bens de uso pessoal estão isentos. Então, se as roupas estiverem sem etiquetas e forem do seu manequim, fica mais difícil eles encrencarem. Mas, de fato, a avaliação é subjetiva. Tem alguns relatos de pessoas que quando foram paradas tiveram que pagar imposto sobre cremes, roupas e tudo mais. Relógios, só um é considerado como pessoal, o resto entra na cota, assim como máquina fotográfica. Vale a pena olhar o site da Receita Federal para se informar melhor.

 


 
Silvia

 mensagem postada em 16/06/2011 - 15:06:51hs
 
 

Não de muito ouvidos para o que este pessoal te fala por telefone,eles fazem muito terrorismo,este negócio de que quem viaja não leva muita roupa é balela,vc por exemplo pode ser aqule tipo que gosta de trocar de roupa em cada foto e aí eles vão regular a quantidade que vc leva?

 


 
 
Os imagineiros da Disney utilizam com freqüência uma técnica de construção denominada "Forced Perspective" ("Perspectiva Forçada"). Todos os prédios de dois andares no Magic Kingdom foram construídos com a utilização desta técnica, em Main Street U.S.A., é possível notar que os prédios parecem ter 03 andares, quando na realidade tem apenas 02.