Voltei - Relato da minha viagem!

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais recente para a mais antiga
 
Índice  
 
 
A Viagem - parte II

 mensagem postada em 16/11/2007 - 12:11:04hs
 
 

Pessoal, me desculpem muitíssimo a demora para postar a continuação do meu relato, é que fiquei sem internet e portanto, fica difícil assim né?! Mas vamos lá, para saber do que se trata esta segunda parte, você vai ter que ler a primeira, encontra aí no site, demora mas vc acha...
Bom,embarcamos e tínhamos mais três horas de vôo até Orlando e aí não demos sorte, uma senhora um tanto quando rechonchuda sentou com a gente, mas o pior não foi isso. O pior foi um executivo latino que ligou o laptop e deu de colocar um maldito CD de funk latino para ouvir, e mesmo com os fones, da primeira classe até à cozinha todo mundo ouvia aquela música infeliz. Cara, durante três horas isso, quase um suplício. Mas, o mais engraçado, ou trágico, é que o -- palavra censurada -- conseguiu dormir com aquela b...... de música tocando na orelha e só parou quando a aeromoça acordou ele para apertar os cintos que a gente tava descendo!
Pessoal, Orlando de cima é lindo, ainda mais na hora que eu cheguei, perto das três da tarde. O sol bate nos laguinhos e aí vc vê como SP é feia de cima, cheia de favelas, fazer o quê? Dá desgosto, mas não dá para morar em Orlando, né?
Bom, quando a gente desembarca, meio que ninguém sabe para onde ir, então segue o fluxo até que você vai chegar na IMIGRAÇÃO. O que ocorre é que existem trilhares de guichês, porém o povo se concentra nos que ficam meio e você não vai ser burro de ficar em outra fila né?! Então, cara, vai logo pros guichês das pontas que ficam vazios e o cara fica lá gritando: Here, here!!! Ao chegar, faça cara de paisagem, como se vc estivesse acostumado com aquilo tudo. Ele vai perguntar se vc está ali à passeio ou a negócios e eu repondi que tinha ido ver o Mickey! Depois ele pergunta quanto tempo vai ficar, tira foto da sua cara, scaneia a sua digital e, GOOD VACATIONS!
Saindo do guichê tem uma esteira onde, possivelmente, sua mala estará rodando lá, como as minhas estavam. Caso vc não saiba, veja se alguém que estava no mesmo avião não está em algum lugar pegando as malas, aí vc se localiza.
Cuidado, pq o povo é um pouco paranóico e corre atrás das malas, te empurra, então não seja bobo. Meu marido meteu a mala na canela de um cara que me empurrou para pegar a mala dele. Folgado! Bem feito. Quase me derrubou, pq não queria esperar a mala chegar até ele.
Depois vc entra em outra fila, um outro tio te faz perguntas e vc vai embora, seguindo o fluxo. Aí vc dá de cara com um lugar onde vc coloca as malas e aí vc vai encontrar com elas Deus sabe onde, porém é só para quem tem mais de uma mala, como eu tinha uma e meu marido outra, a gente pôde carregá-las pelo aeroporto.
Aí vc continua indo atrás dos outros e saí onde tem umas lojas e o pessoal manda você pegar um trenzinho para ir do outro lado do aeroporto, prá vc ir embora. Bom neste ponto já tinha me perdido, pois como queria achar o Disney Magical Express, até entender onde era, demorou um pouco. Ou seja, se vc estiver hospedado nos hotéis da Disney e não alugar carro, o busão da Disney te leva e te busca. Após vc descer do trenzinho, pegue o elevador até o primeiro andar, que é onde estão os balcões das locadoras de veículos, o último é o da Disney, onde vc apresenta a reserva do hotel e eles te encaminham para o ônibus certo.

 


 
A viagem - parte III Final

 mensagem postada em 16/11/2007 - 14:11:22hs
 
 

Já no busão da Disney, eles colocam um clipezinho pra vc ver e aí já começa a entrar no clima. Quando vai chegando perto de entrar no WDW Resorts, o motorista, felizão, já avisa que tamo chegando. Aí, meu amigo, se vc for fraquinho, já começa a chorar antes mesmo de chegar, afinal é muita expectativa e é muito emocionante também.
Ao chegar no Pop Century, fomos fazer o ckeck-in e aí veio um problema: como meu “ingrês” não é a oitava maravilha do mundo, a moça pediu o cartão de crédito e perguntou sobre check-out Express, e eu disse YES sem nem saber o que era: ele pegam seu cartão e já vão debitando tudo no cartão, no dia de ir embora eles colocam uma carta na porta do quarto dizendo que vc não tem débitos e que pode ir embora direto sem passar pelo check-out. Legal, né? Não, não é legal, afinal vc não fica sabendo quanto gastou, pois nem nota fiscal eles te dão, quando vc chega no Brasil, ta lá na fatura do cartão e nem se lembra do que era, se ta direito, qual é o gasto. Entendeu? Então se alguém mencionar check-out Express diga NO e vai lá conferir se ta tudo certo na hora de vir embora. Os caras cobraram 187,00 dólares por 14 minutos de ligação para o Brasil (é isso mesmo, não tá errado não!). Tive que ligar para minha agência de viagens no Brasil, tendo vista sérios problemas que tive com eles, e paguei esta baba. Se liga, nos hotéis da Disney, o minuto de ligação custa U$ 13,00 meu amigo, não é brincadeira não. Então vai outra dica: assim que vc chegar no aeroporto, já faça a primeira ligação nos telefones públicos, não precisa nem comprar cartão. Prometo que com U$ 2,00 vc faz ligação internacional e fala por 10 minutos com a parentada no Brasil. Mas este telefone, especificamente, só tem no aeroporto, nos parques da Universal e no City Walk. Fiz três ligações que não custaram nem U$ 4,00, sendo que numa delas falei por sete minutos com a minha mãe por U$ 1,25. Não tô brincando não! As instruções são fáceis, por isso não se preocupe que dá tudo certo, basta ter no bolso, moedas de U$ 0,25.
Aí, feito o check-in vc recebe o cartão que é a chave do quarto do hotel, cada pessoa tem o seu, porque ele funciona como cartão de crédito e também como a entrada nos parques Disney, assim vc não precisa ficar andando com aquele monte de tickets, entendeu? Coloca o bichinho na catraca e manda ver.
Fomos para o quarto e é legalzinho, nada de mais, ar, direção, vidro...Ops, ar condicionado, duas camas de casal, tv, banheiro e secador de cabelos, é isso aí mulherada! Ta achando que é legal né! Deixa eu te contar uma coisa: antes de viajar fiz escova progressiva no cabelo, achando que ia pagar de gatinha na Disney de cabelo liso. Só que a porcaria da água de Orlando tem mais sal que no mar, shampoo e sabonete não fazem nem espuma, sacou? Ou seja, minha escova foi por água abaixo, literalmente, e eu voltei com o cabelo de vassoura piaçava, entendeu? Portanto, minha amiga, não faça esta besteira que é dinheiro perdido. Deixa de vaidade, mete um rabo de cavalo nesse pixaim e deixa pra fazer a escova quando vc voltar!
Bom, tudo certo, eram umas 17hs resolvemos ir para o Downtown Disney. Pegamos o busunga no hotel (aliás, muito bom o sistema de transporte da Disney, os ônibus são bons e passam a cada 15 ou 20 minutos e funcionam até meia-noite) e chegamos no Downtown. Muito lindo, já na entrada do Marketplace, à esquerda tem a loja de enfeites de Natal. Fofa, é aí que começa a coçar a mão pra comprar. Gente, tudo é lindo, maravilhoso, deslumbrante, MADE IN CHINA e ....caríssimo! Se vc ta achando que vai montar sua árvore de natal lá, querida, tá enganada, fia! Deixa pra comprar na 25 de março. Os enfeites, bolas e tudo o mais, custam, no mínimo, U$ 15,00. Se vc é gente normal feito eu ($$$$), compra uma boberinha só pra não dizer que não comprou nada e coloca num lugar especial e bem visível da sua árvore, já satisfaz....!!!
Passeamos, entramos na maioria das lojas até que encontrei a “Tudo por menos de 10 Dólares”. Se vc também ta pensando que é tipo, um outlet da Disney, se enganou de novo! Na realidade, é uma loja que os caras colocam as coisas que custam menos de 10 dólares, sacou? Vc vai encontrar os mesmos produtos em outras lojas da Disney, mas lá fica parecendo que é pechincha. Coisa pra gringo ver. No máximo, tem uns Mickeys vestidos de astronauta (astronauta?!!) que custa uns 10 dólares. Dá pra trazer de presente pra sobrinhada, afinal não deixa de ser Mickey, de pelúcia, da Disney e feito na China!
Continuamos andando, é muito legal viu, vc se sente, sei lá, numa praia, é fofo demais, aí vi aquela bola reluzindo: Planet Holywood (tá faltando uma letra, tá não?). Pensei: “legal, vou comer um hamburgão no planet, encher a pança e ir dormir”. Olha, o lugar é muito bonito, vale à pena conhecer, mas comer... Gastei U$ 50,00 (com gorjeta) em um hambúrguer com fritas e uma costela suína, que mais parecia a costela de um dinossauro de tão grande que era. Resultado, o pão tava seco, a carne tava seca e a costela esturricada. Horrível, não consegui dar três mordidas no meu lanche. Gastei 50 pratas pra nada. Não sei se foi azar meu, mas se não foi, ce já ta sabendo como é.
Já eram quase 23hs e a gente tava cansado, fomos para o ponto pegar o busão e cama, afinal amanhã tem o Magic Kingdom!!!


 


 
Magic Kingdom - 15/10

 mensagem postada em 16/11/2007 - 17:11:04hs
 
 

Valeu Elisa! Obrigado!

Bom, vamo lá que eu tô empolgadona hoje! Afinal, é dia de Magic Kingdom!!!!

Acordamos às 07hs e fomos tomar café da manhã no restaurante do hotel. É aí que começou meu tormento. A comida nos EUA é muito ruim, cara, é ruim demais. O churrasco grego com suco no saco vendido no centro de SP é melhor que a comida de lá. Sério.
Apesar de ter vários balcões com comidas diferentes, nada agrada. Aí, sem saber, peguei um “suquim” de laranja (a única coisa mais razoável junto com a banana) e fui ao balcão pedir um prato de panquecas. Legal, o tio colocou quatro panquecas, três fatias de bacon em cima e, o pior, um hambúrguer (a carne) do lado. Juro, é de virar o estômago de qualquer um. Não sei vocês, mas quando a gente acorda, o estômago fica um pouco enjoado, então como a gente aqui come um pãozinho com manteiga e café com leite, na hora que a gente vê carne de manhã, dá um troço que não dá pra imaginar.
Tirei o bacon e a carne e tentei comer as panquecas com aquele xarope de milho. A panqueca não é ruim, é que a carne...
Meu marido, então, que é mais enjoado que eu para comida (multiplique isso à décima), só comia sucrilhos com chocolate quente. Às vezes comia banana, tentou pedir um ovo mexido um dia, mas também não engoliu e assim foi todo o tempo.
Quando chegamos compramos uma caneca que custa U$ 13,00 (com impostos) e que vc enche com chocolate quente ou refrigerante o quanto quiser. Tudo bem que no final da estadia, o copo (que é um souvenir) fica com um cheiro misturado de leite com coca-cola. Afinal vc fica toda hora lavando a porcaria do copo. Compramos uma só para nós dois, não por economia, mas eu não conseguia tomar o chocolate quente pela manhã, só tomava suco de laranja. Aliás, foram 11 dias tomando suco de laranja. O problema do copo é que vc tem que carregar do quarto para o restaurante, e não é raro vc esquecer a porcaria no quarto e ter que atravessar tudo para buscar o bendito (isso atrasa o dia que é uma beleza). Acho um pouco inviável, mas tudo bem.
Café tomado, vamos para o Magic Kingdom cedo, porque tinha que pegar os ingressos no Guest Relations (de acordo com a minha “querida” agência de viagens). Pegamos o busão às 8hs e dá-lhe “Welcome aboard” (nunca mais vou esquecer a voz do tio que falava isso e narrava as coisas no ônibus da Disney) e umas 08:20 estávamos atravessando os mágicos portões (estacionamento U$ 11,00 para quem vai usar) do reino encantado. Olha é emocionante, quando o ônibus parou e nós descemos, é de gritar, pois é muito linda a paisagem, a entrada e ver o Grand Floridian do outro lado do lago tb é muito lindo.
Como só abria à 9hs, e já tinha muita gente, fui para o Guest Relations e apresentei o voucher da agência para retirar o pacote de ingressos Disney. Pessoal, fiquei 40 minutos lá em pé e o cara telefonando para tudo quanto é lugar para saber onde estava escrito que eu tinha direito aos ingressos que havia pago quatro meses antes. Eu tava em pé lá quando chegou a patota do Mickey para dar as boas vindas, é um pré-show antes de abrir o parque. Naquela hora comecei a chorar, porque eu tava perdendo tudo aquilo parada no guichê e tendo que me explicar para poder ter direito a ter direitos. Entendeu o drama? No fim, falei com uma moça brasileira de uma operadora de turismo americana que havia comprado meus ingressos, e ela disse que eu teria que discutir no hotel, porque no meu cartão, que é a chave do quarto, deveria estar meu pacote de ingressos. Resumindo, o cara ficou com dó da gente e me deu dois ingressos e enfim, nós conseguimos adentrar aos portões.
Nossa, a Main Street é linda demais, que visual, tudo bem certinho, limpinho, bonitinho e lá fomos nós tirando fotos e encaminhando para o Castelo da Cinderela. Lá tiramos várias fotos, inclusive o Photopass, o tio tira a foto e te dá um cartão com um número. Quando cheguei no Brasil, entrei no site e vi minhas fotos, me assustei pois a foto custa a bagatela de U$ 12,95 (s/ taxas) cada, caso vc faça a encomenda. Bom, como o tio fez a gentileza de tirar uma foto nossa em frente ao castelo com a minha máquina, foto igual a que eu deveria comprar, fiquei com a minha mesmo e economizei meus dólares.
Em frente ao castelo, resolvi fazer o que fiz na minha última e primeira viagem à Disney, fui para a esquerda sentido Adventureland. Para vc que nunca foi, quando pega o mapa para fazer o roteiro, ainda no Brasil, vc pensa é que tudo longe pra caramba, meu, não é, os brinquedos são uns do lado dos outros (mais ou menos), mas o importante é seguir uma ordem.
Assim, como ainda era cedo e o parque não estava muito cheio, fui para a primeira atração Jungle Cruise. Acho que fiquei uns dez minutos na fila, mas ir em dois é muito bom, sempre sobra lugar e eles ficam procurando alguém para preencher e às vezes se vc grita TWO, vc passa na frente de um montão de gente! Se liga!
Bom, a moça que levou a gente era muito engraçada, uma loirinha com cabelo chanel, falava mais que a boca e muito rápido, não entendi quase nada, mas foi legal. Continua do mesmo jeito que era antes (13 anos atrás), mas vale à pena.
De lá, seguindo o caminho, fomos para o Piratas do Caribe. Não tinha ninguém, entramos direto. A atração melhorou muito com a entrada do Johnny Depp, os cenários estão mais legais, bonito de se ver. Após passamos para a Frontierland, veja que tentei fazer os brinquedos que considero os mais legais e se sobrasse tempo, fazer o restante. Lá fomos para a Splash Mountain, e nesse dia o sol tava à pino, muito lindo, então, ir na Splash assim é só alegria. Também não demoramos nada, chegamos e já entramos e o pior: na fila da frente! Tá muito boa esta atração, é bem engraçada, tem várias caidinhas até chegar na caidona, que não molha muito até, mas o problema é que quando vc faz a curva, outro carrinho vem descendo e aí é que vc se molha...hehehe. Não percam por nada, é muita diversão!
Na Frontierland, só considero boas a Splash Mountain e a Big Thunder e esta estava fechada para reformas.
Daí, fomos para a Haunted Mansion na Liberty Square. Cara, que bacana! Muito legal do início, quando vc fica numa salinha e aparece o cara enforcado até o fim, a atração em si, que tem muita coisa diferente de 13 anos atrás (Pudera!). Neste local só esta atração é boa, então fomos para o Fantasyland. Aqui, pra quem tem criança é ótimo, para os adultos, acho que só o Mickey´s Phillarmagic agrada, além do cenário. Fomos no Peter´s Pan Flight e confesso que me decepcionei um pouco. Muitos colocam esta atração como imperdível, mas não achei tão boa assim. É bonitinha, assim como a Snow White´s Scary, que peguei uma fila de 20 minutos e não gostei tanto assim. Mas tem que ir pra saber como é.
Então fomos no Mickey´s Phillarmagic! Quer chorar? Então é aqui mesmo, minha filha. Aqui ninguém vai achar que vc é a maior tontona, pq todo mundo fica abestado! Olha é um 3D lindo de morrer, ele pode não ser o melhor, mas com certeza é o mais emocionante! As crianças ficam encantadas e eu também fiquei. Chorei vendo a coletânea de filmes Disney e o Pato Donald, esse é demais, show de bola!
Depois resolvemos encher o bucho que já era meio-dia. Pra dizer a verdade, eu tava tão besta com tanta informação, que não procurei lugar bom para comer. Assim, resolvemos comer um hot-dog com fritas, regados a um balde de coca-cola, numa janelinha que fica perto do brinquedo do Puff. Gente, vou te falar, coca-cola lá é água, mas nós não temos tanta necessidade de coca quanto os americanos, então compre sempre a “regular” coke, porque são 500 ml de refri e já tá bom demais. Se vc escolher o outro, vem um balde de refri e aí, meu amigo, cê vai passar o resto do dia no banheiro...
A refeição custou a bagatela de U$ 16,00. Veja bem, acho um absurdo, afinal é um hot-dog simples (pô, aqui vem um dog com batata palha, purê, vinagrete, milho, ervilha, cabelo, pedaço de unha, etc... e custa só R$ 1,50). Lá não vem nada, só aquela salsicha sem cor, meio rosa, meio verde, fritas gordurosas e um refri e se vc pensar R$ 32,00 é caríssimo de se pagar para duas pessoas, né não?
Veja só, era meio-dia e eu já tinha feito sete atrações. O parque tava meio cheio, mas outubro é uma boa época para ir, o tempo é bom e as filas são pequenas.
De lá seguimos para Toontown Fair, afinal vir onde o Mickey mora e não dar uma passada na casa dele é até ofensa!
Aí sim, tava lotado, tinha mais carrinho de bebê estacionado do que no shopping em feriado chuvoso. Criança para tudo que é lado. Pra vc ter uma idéia, não entrei na casa da Minnie porque tinha fila pra fora. Já a casa do Mickey tava vazia, afinal ele tava reformando a casa, coisa e tal, a cozinha tava um pouco bagunçada, o pessoal preferiu a casa da Minnie que é mais arrumadinha.
Ok, fotos e tudo mais, seguimos para Tomorrowland. Acho que este pedaço do Magic Kingdom, por ser futurista, tá meio passado! O futuro chegou e as coisas precisam de um lay-out novo, na minha opinião. Parece o desenho dos Jets, sabe como é, há 30 anos atrás, muita coisa é do futuro, mas se vc assiste hoje, fica meio ultrapassado. Porém, não perde seu encanto e lá fomos nós para a Space Mountain. Nessa, a fila foi de 25 a 30 minutos, tanto que na saída, pegamos um fastpass (o primeiro do dia e já era 14hs). Atração fantástica da Disney é essa Space Mountain. Como o ride é no escuro, vc fica embaralhado de “tentar” ver. Muito bom. Vá e repita!
De lá, fomos para o Stich, que é engraçadinho, mas também esperava um pouco mais. O filha da mãe apronta de montão e achei muito assustador para crianças. O problema é que tudo na Disney fica perdoável, e apesar de terem atrações não muito boas, vc ama mesmo assim! Alguém me entende?
Depois fomos para o Buzz Ligthyear e atiramos de montão nos alienígenas, mas eu sou muito ruim, acho que meu score foi de 24.000, uma droga! Lá comprei pó U$ 20,00 um tênis do Buzz para meu filho, uma graça!
Resolvemos então voltar à Splash Mountain e lá pegamos uma fila de 30 minutos, mas repetir este brinquedo e a Space Mountain é obrigação.
Saindo de lá, fomos para a Space de novo e por fim, fomos para a Main Street fazer comprinhas. Lá comemos as maravilhosas pipocas (comia todo dia) com coca-cola e passamos em todas as lojinhas, mas na Emporium pude gastar meu dinheirinho. Comprei vários imãs de geladeira e outras besteiras. O problema é que vc compra pouco e gasta uma fábula! Mas vocês não sabem o que ocorreu: comprei um cortado de pizza que na ponta tem o corpo do Mickey. Lindo, acho que foi U$ 7,00. Quando chegamos em SP, pedi pizza e toda orgulhosa cortei a danada com o cortador novo. Você acredita que eu deixei o infeliz dentro da caixa de pizza e sem perceber, joguei a caixa fora com o cortador dentro?! É possível isso? Quase chorei de raiva de mim mesma, sou um anta mesmo. Agora vou ter que voltar lá para comprar, né?
Bom, após as compras, fomos achar lugar na Main para ver a Spectromagic. Ela começa às 20hs, mas o povo já começa a se engalfinhar por lugares às 18hs. Ficamos atrás de um jovem casal de brasileiros, e até então, tava tudo ok. Quando foi chegando lá pelas 19:30, o pessoal que não ficou lá sentado esperando, que de todo jeito, ficar na frente de quem ta lá duas horas esperando. E o pior, muito brasileiro quer chegar atrasado e sentar na janela. Olha, quase teve briga, mas enfim, conseguimos assistir a parada, que é ESPETACULAR. Tirem fotos e gravem, pois é lindo de morrer. Quando passou a parada, fomos logo atrás do cordão e paramos na alameda que vai para a Tomorrowland para ver os fogos.
Ficamos lá uns 40 minutos até começar, aí vc vê quanto o parque está lotado. Até a Sininho faz um vôo do Castelo até outro ponto do parque e o show começa. Bom, não tenho palavras para descrever, só vendo mesmo para saber. É SUPER! Emociona pra caramba e chorei de novo.
Terminado fomos embora, afinal já eram quase 21:30. Depois tem Typhoon Lagoon e Disney Quest! Tchau!
















 


 
Mais fotos e Videos

 mensagem postada em 18/11/2007 - 14:11:42hs
 
 

Continuando seguem mais fotos e videos da viagem:

FOTOS

Universal Studios Florida
http://andrejbr.multiply.com/photos/album/62


Sea World
http://andrejbr.multiply.com/photos/album/61

Downtown Disney & Universal City Walk
http://andrejbr.multiply.com/photos/album/60

Orlando
http://andrejbr.multiply.com/photos/album/58

VIDEOS

Sea World - Wild Artic
http://andrejbr.multiply.com/video/item/26

Sea World - Peixe-boi (é isso?)
http://andrejbr.multiply.com/video/item/27

EPCOT - Dança
http://andrejbr.multiply.com/video/item/25

EPCOT - Dança 2
http://andrejbr.multiply.com/video/item/28

Animal Kingdon - Apresentação
http://andrejbr.multiply.com/video/item/24


Ai que saudade... gente, sério... agora que já se passaram quase 2 meses que eu voltei, nossa está batendo uma saudade...rs

 


 
16/10 - Typhoon Lagoon e Disney Quest

 mensagem postada em 21/11/2007 - 17:11:51hs
 
 

Vamos lá que é dia de brigar...
Acordamos às 07hs, tomamos nosso café da manhã e seguimos para a recepção do hotel, pois conforme já disse no relato anterior, tive problemas com os ingressos da Disney. Lá chegando, apresentei o voucher dado pela agência de viagens de Sampa e falei que o meu pacote de ingressos deveria estar na chave do quarto (que é um cartão). Aí foi uma hora em pé (é isso mesmo!) na recepção, ligando para tudo quanto é lugar, falando com um monte de gente, passando fax e tudo que tinha direito. O que aconteceu: meu “maravilhoso” agente de viagens fez duas reservas em meu nome em dois hotéis diferentes, uma no Swan e outra no Pop Century, porém os ingressos estavam cadastrados no Swan, para onde sequer imaginei me hospedar e no Pop Century não havia nada.
Imagina só! Até descobrir isso, tiveram que ligar pro Papa! Bom, conseguidos os ingressos e como já tava meio perdido o dia (eram 10hs), resolvi testar o cartão no Typhoon Lagoon e para lá nós fomos.
Chegamos lá, aquela musiquinha tipo “você está no Caribe”, tudo bonitinho e aí vc tem que alugar um armário, que custa U$ 5,00, mas vc tem que dar U$ 10,00 e depois que vc entrega a chave, eles devolvem U$ 5,00.
Bom, não precisa dizer que, onde ficam os armários vira a maior farofa da Praia Grande, porque todo mundo dá de tirar a roupa lá fora mesmo para não perder tempo. O saco é que não dá para ficar carregando máquina, chinelo, canga, etc, porque fica muito longe dos brinquedos, então mesmo que vc ache uma esteira para sentar, alguém tem que ficar olhando as coisas (é Disney, mas não dá para facilitar, né?). Como só estávamos eu e o meu marido, deixamos os chinelos numa esteira e fomos andar pelo parque. Aí fomos nos tobogãs (todos), agora não sei os nomes, mas já digo que não sou muito fã de parque aquático. Neste parque achei todos os tobogãs muito fraquinhos e acho que o mais legal é a prainha artificial, que a cada três minutos vem uma onda enorme, faz um p... barulho e todo mundo começa a gritar! É engraçado de ver! Pra quem for depois, acho que a melhor opção é ir no Blizzard Beach ou no Wet´n Wild, que parecem ser mais radicais. Ah, e a comida? Sem opção de restaurante, umas duas lanchonetes com a já famosa ribs, que depois de comer duas vezes, cê enjoa que não quer nem saber mais disso por um ano!
Aqui, não há muito o que falar, tanto que ficamos lá por umas duas horas e meia e resolvemos voltar para o hotel, afinal tinha que ligar para a agência de viagens em Sampa para ver como ficaria meu ingresso do Cirque du Soleil, que até aquele momento, não havia sido entregue.
Chegamos no hotel, fiz a famosa ligação de U$ 187,00 e tiramos um cochilo. Lá pelas 17hs resolvemos ir ao Downtown para ir no Disney Quest, que é um parque de diversões de fliperamas e afins (tudo para agradar o maridão). Entramos, tudo certo com o ingresso e lá tem três andares, em cada andar tem tudo quanto é tipo de fliperama de todos os temas: lutas marciais, boxe, futebol, corrida de carros, o que vc imaginar, tem. Um p.... saco pra mulher! Até tentei jogar um pouco, mas tenho a coordenação motora de uma preguiça com dor de barriga e aí já viu, né? Perdia tudo, não conseguia passar nenhuma fase! Chega enjoar, porque vc paga a entrada (no meu caso o tíquete “more fun”) e joga a vontade, o quanto vc quiser. Se seu marido ou filho forem viciados em jogos de vídeo-game, finja que este lugar não existe, se perguntarem o que é diga que é um shopping gigante de coisas de cozinha que eles não vão querer entrar!
A única coisa mais interessante para mim, é um brinquedo que vc monta a sua montanha-russa virtual e depois vc anda nela num carrinho que simula os movimentos que vc criou. Só que já te falo, é a pior montanha-russa que vc vai (tirando a Gwazi) em Orlando, porque a gente se empolga na hora de montar a bicha e vai colocando tudo o que é fisicamente impossível de acontecer, entendeu? Na hora que chega no simulador, tudo tem que ficar de fora (moeda, boné, colar, etc...), porque o negócio gira de acordo com o que vc quis, é uma b....! Fiquei super enjoada, minha cabeça começou a doer, acho que é porque os movimentos são mais lentos do que a montanha-russa comum. Então, não se empolgue, pô! Fica na sua, que vc se dá bem....
Bom, descemos ao primeiro andar e quase na saída tem um jogo que é dentro de um jipe, o qual tem uma tela gigante e parece que vc tá dentro do jogo. O problema é que só tem quatro desses e o povo entra e pensa que comprou o jipe com o ingresso, porque não tem Cristo que tire a galera de lá depois que entra. A porcaria é que o jogo nunca dá game over, porque vc sempre pode continuar, aí o resto fica chupando dedo. Só para ter uma idéia, ficamos meia hora em pé em um dos carros, esperando a vez, isto porque já tinha outras pessoas esperando nos outros carros, e nada da gente brincar. Fomos embora, porque, tive a impressão, que a galera ia dormir dentro do jipe, mas não ia desistir de jogar! Tô mentindo?
Saímos de lá eram umas 20:30h, demos umas voltas no Downtown, comemos uma pizza de uma barraquinha (não precisa nem falar da pizza, né?) e bora pro hotel dormir, que amanhã tem Epcot! Bjs.

 


 
17/10 - Epcot

 mensagem postada em 23/11/2007 - 16:11:50hs
 
 

Vamos para o Epcot! Êêêêê!!!!
Acordamos cedo, como todos os dias, cafezinho booommm... e, pegar busunga pro Epcot! Acordei animadaça, todos os problemas resolvidos (até então), porém uma forte, inesperada e -- palavra censurada -- dor na lombar estava lá, me matando desde o Magic Kingdom. Se levantava doía, se agachava doía, se deitava doía, se sentava doía! Ou seja, uma múmia tinha mais mobilidade do que eu àquela altura do campeonato. Mas fazer o quê? Tava na Disney, pó! Não tinha dor, nem olho gordo que me parasse naquele momento. Isso “memo”, OLHO GORDO! Alguém aí acredita nisso? Porque eu acredito piamente, depois dessa viagem. Aconteceu tanta coisa errada, que só pode ter sido olho gordo. Sabe aquela parentada que fica assim: “Nossa, vc vai para os “estaduzunidossss”? Com aquele olho que vc já sente o arrepio, antes mesmo de embarcar, pois é...Vai me dizer que não aconteceu isso com você? Aquela vizinha chata, invejosa, aquela amiga da onça, os cunhados (esses são os piores, né?)! Tá bom, a parentada na sua vida é toda boazinha... Que lindo! Fia, só muda o endereço, porque é tudo igual. O povo não sabe nem o que é Disney, mas fica com raiva mesmo assim, porque é nos “estaduzunidossss”...Quero ver se alguém vai ter coragem de comentar e se juntar à mim! Bom, voltando ao que interessa, me perdoem o ódio expressado, não costuma ser assim (falou, então!), mas é que, realmente, vocês vão ver pelo meu relato, que nem tudo são flores...
Chegando lá, felizona, já vendo aquela bola maravilhosa (como é linda, não?), um monte de gente chegando de monorail, lindo, já começou a lotar e vamo pra fila, pq o povo de lá é doido por fila e o pior, são desesperados, muito mais do que a gente, parece que o mundo vai acabar, eles passam correndo na sua frente, pisa no seu pé, mas...
O parque abriu, a fila andou e chegou nossa vez de passar o cartão na catraca e adivinhem? O cartão não passou, pois estava dando inválido e tivemos que parar no Guest Relations, again, e falar com o atendente tudo de novo. E, de novo, ele nos deu dois tickets individuais e lá vamos nós adentrar ao parque.
Passadinha no Leave a Legacy para fotos, ultra legal! Se tiver grana sobrando, aconselho deixar a cara lá nas pedras.
Primeiro brinquedo Ellen´s DeGeneres Adventure no pavilhão do Universe of Energy. Cara, não tinha ninguém! Entramos e lá cabe muita gente, devia ter umas vinte pessoas. Olha, o troço é demorado, porque primeiro passa um filme com a Ellen sobre como a energia afeta a nossa vida (se vc entender tudo, parabéns, seu Inglês é fenomenal!). Aí, depois, vc entra em outro lugar, onde tem uma espécie de auditório, mas fica claro que o auditório é um carrinho, então vc sabe que vai se mover...Ela aparece de novo, piada vai, piada vem, o carrinho começa a andar e aí você vê o tititi, o tótótó (não vou contar tudo que fica sem graça pra quem nunca foi) e quando o carrinho estava voltando para a sala inicial, o que acontece? A porcaria quebra no meio do caminho! Ficamos 20 minutos lá sentados, olhando para o nada. Meu, quebra o clima, maior “goza fora”, porque “os tiozão” da manutenção vem arrumar o carrinho na sua frente, pô. Não falo que é olho gordo? Mas o pior é que no filme, ela participa de um concurso e justo na última pergunta, que ela ia responder e talvez ganhar o jogo, o carrinho quebrou! Foi hilário, até agora não sei se ela ganhou, perdeu, qual a resposta? Se vc sabe, pelo amor de Deus, me diga! Ficou aquela sensação de quando o último pedaço de chocolate cai no chão, sabe?
Bom, indo em frente, resolvemos ir ao Test Track, marcava 30 minutos de espera, fomos para a fila e aí: o brinquedo quebra e nós levamos mais de uma hora para andar no brinquedo. Diz aí se não é olho gordo?! Se convenceu?:
O Test Track, te digo sinceramente, só é bom na hora que o carrinho faz a corrida na pista, porque o resto...
Aí, meu marido já começou a ficar irritado. Dois brinquedos quebram, consecutivamente, na hora que a gente vai entrar, já não tinha comido direito, aí veio o mau humor. Fala sério? Mau humor na Disney, acho que só meu maridão conseguiu esta façanha!
De lá fomos para o Mission Space, filinha até que rápida e fiu no laranja, que tem o tal do spinning. Mas convenhamos, a atração é ótima, interativa, eu era a piloto, o meu marido foi o engenheiro de bordo (?). Não lembro, acho que é isso mesmo, mas não senti nada de spinning. Mas muito bom, vale muitíssimo à pena ir.
Daí resolvemos almoçar e é claro, fui para o Pavilhão The Land, onde ficam o Soarin e o restaurante Sunshine Seasons. A comida é barata, boa quantidade (aliás tudo lá é feito na régua de Itu, porque vai ter comida assim lá nos quintos...) e parece suculenta, mas é sem gosto, sem tempero, mas cara, pra mim, tudo bem. Não ligo muito, mas meu marido, ai que tormento, só reclamação... Fomos para o Soarin, tempo de espera: 60 minutos. Foi a maior fila que peguei lá. Mas a atração é muito boa, e na fila você fica jogando num telão junto com a galera. No começo vc fica um pouco envergonhado, mas depois ta lá você pulando com as mãos pra cima, tentando furar bolhas, subir balão, levantar morro (não tá entendendo nada, né?). Você vai saber quando tiver lá.
O cheirinho da laranja é supra sumo! Né galera? Lembra só! Lindíssimo o brinquedo, se der, repita.
Continua...

 


 
17/10 - Ainda Epcot - A Missão

 mensagem postada em 26/11/2007 - 16:11:17hs
 
 


Continuando...

Após ir ao Soarin, fomos para o Pavilhão Living The Seas para ver o Nemo, é claro. Brinquedo fofíssimo! Prá criança então, um dos melhores! Pai, põe no seu roteiro aí, porque é obrigatório. Depois vá dar uma volta nos aquários que tem no Pavilhão e ponha seu filho(a) dentro da boca do tubarão para uma foto ótima. Eles adoram! Tinha um que não saiu de dentro do tubarão, então eu tive que tirar a foto dele mesmo. Não sei quem é, mas não tinha jeito: ou a foto era com ele ou com ele!
De lá, nos encaminhamos para o “Honey, I Shrunk the Audience” e vou te falar, de todos os 3D que eu vi, este é o pior. Chato, chato... Acho que é porque eu já não gostava do filme e não gosto do ator principal, então não vi muita graça não. Depois passamos na Coca-cola para tomar um pouquinho dos refrigerantes que tem no mundo. Um dos melhores é o de Israel (acho que é de lá). Vale à pena conhecer. Mas não se empolga, pô! Vai na manha, pega um pouquinho só e se você gostar, encha o copo! Se for na empolgação, vai travar a língua, porque nem todo refri é bom, sacou?
Feitos os principais brinquedos desta parte e já que a Spaceship estava em “refurbishment”, fomo para o World Showcase e como da outra vez, comecei pelo México. Genten, o México é tudo de bom, né! É o mais lindo, o mais legal, parece que você está numa vila mexicana. Além do que é noite lá dentro. O artesanato é muito dez e você fica perdido sem saber o que comprar, já que não é muito caro (a maioria U$ 7,00). Fomos no Gran Fiesta Tour, que tá fofo. Você tem que ir!
“Dispois” chegamos na Noruega. Não tinha boas recordações deste país, porque quando eu fui em 94, eu e meu irmão (na época eu com 17 e ele com 15 anos) fomos impedidos de ir no Maelstron, nos tiraram da fila na hora de entrar no barquinho. Não sei porque até hoje, na época pedi explicação, mas meu Inglês era péssimo, portanto não tive alternativa senão sair de lá. Desta vez, não tinha escapatória, eu ia nesse Maelstron nem que eu enforcasse uma daquelas loirinhas... e fui!
Feito o passeio de barquinho, que é bonitinho, vc vai pra um auditório assistir um filme da Noruega. Se soubesse que era tão chato, teria feito o que o José Carlos falou, na hora de entrar, aproveitar a porta da saída que estava aberta e fugir de lá! Kákákáká!
Agora a lojinha deles, é um espetáculo. Linda e cara. Umas roupas de inverno super pesadas e bem feitas. Dá vontade de trazer, mas vc fica pensando “não faz tanto frio em São Paulo que justifique ter no armário uns casacos daqueles”. Mas se vc é moça “viajadoira” e está sempre na Europa, recomendo! Para não dizer que não gastei nada, comprei um chaveiro de 0,90 (mais feio que aqueles que vc ganha no final de ano na empresa!), um chocolate de 5,00 (papel azul) e uma mini estátua por 14,00. O chocolate é tudo de bom, comprem que não vão se arrepender. Ah, moças, lá tem o tal do perfume Laila (é isso?) que todo mundo gosta, um pouco caro, mas só tem lá.
O próximo é o pavilhão da China e se você tiver sorte vai encontrar uns chineses muito fofos que ficam fazendo acrobacias na entrada do pavilhão. Uma espécie de mini prévia do Cirque du Soleil! Rsrsrs.
China é lindo, vá ver o cinema 360° deles que é bem legal. Depois você vai dar na lojinha que nada mais é do que uma filial da 25 de março! Tem de tudo, porcelanas, roupas, bolsas, sapatos, perfumes, incensos, etc. Faça a festa, porque o precinho é bom! Aproveita pra comprar o presente da sogra e das cunhadas chatas. Você paga baratinho e fala que é da China mesmo, afinal tudo é feito lá! Elas vão ficar contentíssimas e vc vai gastar uns U$ 15,00 com todas elas!
Isso dá raiva. Pensa só, você dá o presente pra pessoa, aí ela faz questão de ver a etiqueta e tudo da Disney é feito na China. Aí o pessoal tira um sarro: Nossa você foi para os States e os presentes são da 25 de março? Vai te catar!
Bom, continuando, vem a Alemanha e aí meu marido resolveu comprar uma cerveja irlandesa no carrinho da Irlanda. Custou a bagatela de U$ 7,00. É possível? Porém a atendente irlandesa era, praticamente, uma modelo, linda de olhos azuis que só faltava cegar. Aí eu entendi porque meu marido queria tanto tomar a bendita da cerveja de U$ 7,00!
Mas na Alemanha, que não tem nada pra fazer, existe uma mini cidade onde passa um trenzinho. Quando nós chegamos, tinha um rapaz (meio moça) que trabalhava lá, quase tendo um chilique: não era para menos, afinal uma lagartixa “suicidou” nos trilhos do trem, o trenzinho de mentira passou por cima dela e esmagou a coitada! Ela ficou grudada nas rodinhas do trem e o rapazote tava com nojo de tirar! Háháháháhá. Veja a situação, numa cidade em miniatura, o trem passa por cima da lagartixa e esmaga ela. Kákákáká! Num achou graça, beleza então. Te pego na saída...
Saindo de lá, vem a Itália. Lindo para tirar fotos, não tem nada pra fazer, apenas comprar e comer alguma coisa e fotos, muitas fotos. Continua....

 


 
02/11 SEA WORLD / "MAGIC" Compras

 mensagem postada em 26/11/2007 - 20:11:15hs
 
 

Demorei, mas voltei!
Continuando depois de Epcot e MK no terceiro dia fomos ao Sea World.
Coloquei no meu roteiro Sea World e compras no mesmo dia porque achei que no maximo as 3h ficaria livre...Mas não foi bem assim.
Tenho uma filhinha, ”um doce de criança”, signo escorpião, me desculpem os escorpianos, mas que gênio indomável, ela com certeza vai trabalhar para o IBAMA, a própria defensora dos animais, super ecológica!
Chegamos às 9h estava abrindo, o estacionamento ainda estava bem vazio, na entrada quem revistou minha bolsa foi uma “senhorinha” brasileira uma graça, só que ela deu dicas demais.No meu roteiro coloquei os horários seguidos às 10h (clyde&seamore), 10:45(Pets Ahoy), 12h (Odyssea), Almoço, 1:30h(Believe), 2:30h(Blue Horizons) e missão cumprida, rumo as compras, ate parece, conseguimos cumprir o roteiro acima , mas meu bebezinho que ouviu todas as dicas daquela brasileira não esqueceu e quis conferir, meu marido também “ecológico” foi na dela, afinal coitadinha da criança, ela se encantou tanto com toda aquela natureza que analisou cada arvore, visitaram tudo, tubarões, tartarugas, arraias, lagos, jacaré, joaninhas, taturanas, minhoquinhas e tudo mais que vocês possam imaginar eu em alguns lugares até andava na frente, depois chamava os dois no radio e me encontrava, fiquei estressada, quase 6h o parque ia fechar consegui ir embora.Estava desesperada para ir as compras não consegui colocar no meu roteiro um dia só para compras, fizemos em dez dias, ou melhor, oito noites, sete parques e Cirque Du Soleil.
Saímos do parque, não sei se vocês se recordam meu marido foi campeão em se perder, conclusão cheguei no Florida Mall às 7h, parecia uma louca, criança cansada, meu marido quis comer, depois entramos na loja da Disney uma horinha perdida, ai meu marido ecológico caiu na real que estava em Orlando, começou a ver os preços dos óculos, calças, perfumes e surtou!Queria comprar tudo só que faltava uns vinte minutos para fechar, entramos na Abercrombie e só sai de lá quando apagaram as luzes.Fui embora frustrada, não comprei nada pra mim.
Se bem que toda essa correria de parques deixou meu marido sensibilizado, vou ate contar só para vocês do site o lado bom desta historia, como fui uma coitadinha, não trouxe quase nada, só presentes para os outros, meu marido esta me mandando de volta em fevereiro com meu bebe, preciso comprar muitas coisas da lista da Waldete.
Amanha continuo meu relato sobre o dia 03/11 tem Animal Kingdom, Bibbidi Bobbidi Boutique...Uma emoção para qualquer mãe e Cirque Du Soleil.
Beijos

 


 
Vouchers Disney e Universal

 mensagem postada em 26/11/2007 - 21:11:37hs
 
 

No pacote que comprei da agência de viagem (já inclui os ingressos da Disney e Bush Gardens), com os valchers da Disney, pegamos os ingressos na MGM que foi o primeiro parque que fomos. Pegamos uma fila com umas três pessoas na frente, foi rápido uns 20 minutos, e sem problema algum. Eles já nos deram os ingressos para os 6 dias, que usamos em todos os parques que fomos.

Já do Bush Gardens já nos deram os ingressos mesmo, só passamos eles pela catacra quando chegamos.

Os ingressos da Universal comprei pela internet. Vi alguém aqui falando que via as folhas de sulfite. É isso mesmo, comprei pela internet, imprimi aqui, sai um para cada pessoa com nome e código de barras, você imprime numa folha de sulfite.

É só chegar na island of Adventure ou MGM, e passar direto na catraca, onde eles lêem o código de barras. Só tomem cuidado para não molhar, principalmento no IOA que tem brinquedos que molham muito. Molhamos um pouco os nossos, sorte que não foi no código de barras.

Mas sabe o que fizemos para nos previnirmos, deixamos o e-mail com os ingressos no computador de uma amiga aqui no Brasil. Se perdessemos ou acontecesse algo com nossos ingressos, ligariamos para ela, ela passaria o e-mail para o hotel, ai era só imprimir e usar de novo. O engraçado é que logo no primeiro dia você cadastra suas digitais na catraca, acho que já teve algum engraçadinho que tentou passar os ingressos para outras pessoas. Ai com digital não tem jeitinho de brasileiro que dê jeito. Mas não era só para brasileiros a digital não, era para todos.

Veja bem, os meus ingressos valiam para 7 dias, usei 2 dias, se tivesse alguém que eu quisesse passar meus ingressos logo que fui embora, eles poderiam usar por mais 5 dias de graça? Não poderiam não pois os ingressos, estavam vinculados ás minhas digitais, e se não me engano nos parques da Disney também era assim, tinha dia que pediam para por nossos dedos, outros não... Muito legal esse sistema!

 


 
Conhecer Primeiro o Brasil

 mensagem postada em 26/11/2007 - 22:11:39hs
 
 

Essa história todo mundo já ouviu aqui pelo menos uma vez tenho certeza.

Que desculpa mais esfarrapada não é? Se perguntar para essa pessoa: Você ganhou uma viagem para o Nordeste ou Pantanal, ou para a Disney, o que você prefere, com certeza a resposta vai ser diferente, o Brasil vai ficar para trás.

Acho tão legal quando um amigo ou alguém da família vai fazer uma viagem (nacional ou internacional), fico bombardeando a pessoa de perguntas e faço questão de saber tudo depois, pois acho muito legal. Se conheço dou dicas, se não conheço quero pegar dicas, para ir algum dia.

Tem pessoas que são muito invejosas mesmo...Dá até dó!

 


 
 
Geralmente a Disney emprega a técnica conhecida como "perspectiva forçada" para fazer com que os edifícios pareçam maiores do que são realmente. Contudo, no pavilhão americano (Epcot), ocorreu o inverso, o prédio de 05 andares aparenta ter apenas 02, com o objetivo de manter o estilo da época colonial.