Orlando Tickets Online
 

Voltei - Relato da minha viagem!

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais recente para a mais antiga
 
Índice  
Pedro Padilha
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 17/01/2014
 
 
17º dia (15 de junho) Universal Studios e Islands of Adventure
postado por: Pedro Padilha

 mensagem postada em 29/01/2015 - 11:01:03hs
 




Invertemos a ordem dos parques. No Universal Studios, finalmente conseguimos ir na atração do Meu Malvado Favorito. Gostei, mas tive que ficar na primeira fila (que não se mexe) com a Ana Luísa, o Miguel e a Mariana.



Depois fomos à Múmia e ao MIB. Ana Luísa fez amizade com uma família mexicana e ganhou colar de pérolas (falsas, é claro) de presente!

Almoçamos em Springfield. São vários restaurantes diferentes dentro do mesmo lugar. Gostei do frango assado que comi. Gleice foi a única que não gostou da comida que escolheu.


Seguimos para o Islands of Aventure e fomos direto à montanha russa do Hulk. Havia umas nuvens negras e estávamos receosos de que fechassem a montanha russa de novo.
Quando estávamos na fila começou a chover e fiquei esperando anunciarem que a atração estava fechada…
Anunciaram que, devido à chuva, quem quisesse desistir da primeira fila e trocar de lugar! O quê?! Nós iríamos na montanha russa do Hulk na chuva?!!!!
Fomos na segunda fila e foi impressionante! Quando fomos lançados, o céu estava coberto por nuvens negras e a chuva batia com força nos nossos rostos! A sensação de velocidade era ainda maior do que o normal. Não conseguíamos parar de rir quando saímos de lá.


Quando a chuva passou já estávamos na fila da Dragon Challenge.

Era o dia que reservamos para as atrações molhadas.
Primeiro fomos ao Jurassic Park. Confesso que esperava mais. Parece que barco fez somente parte do trajeto. Não teve o carro quase caindo em cima de nós, por exemplo. Parece que estavam fazendo algum tipo de manutenção. Poderia ser pior se fechassem toda a atração. Achei a queda muito mais assustadora do lado de fora. Não sei explicar o porquê. Talvez não devêssemos ter ido primeiro nas montanhas russas.
A barca do Popeye e do Brutus é muito boa. Melhor do que a Kali. Não esperava isso. Foi outra surpresa positiva. Em 2011 esse foi um dos brinquedos que deixamos de lado porque a Gleice não queria se molhar.
Finalmente, Ripsaw Falls. A fila estava razoável (uns quarenta minutos). Acho que foi a mais longa que enfrentamos no Islands of Adventure em 2014. Só perdeu para a fila dos Minions no Universal Studios.
O barquinho é incrivelmente apertado. Não sei como os gordinhos conseguem entrar. Primeira Amanda e Mariana foram juntas e depois fui com o Diogo. Gleice resolveu ficar do lado de fora. Tinha água demais para ela! A queda é muito rápida e molha muito. Todos gostamos muito. É uma Splash Mountain mais radical.

Finalmente voltamos à parte do Dr. Seuss!

Pedro Padilha
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 17/01/2014
 
 
18º dia (16 de junho) Wet’n’Wild e Premium Outlet International Road
postado por: Pedro Padilha

 mensagem postada em 29/01/2015 - 11:01:43hs
 

Como o Wet’n’Wild fica a metros do The Point Orlando Resort, fomos a pé. Tinha ido lá em 1998 mas não quis em 2011. Acho que estava certo.
As atrações são boas, mas estava cheio demais para o meu gosto. O parque estava com uma promoção em que você comprava um ingresso para usar todos os dias durante o verão. A maior parte das pessoas pareciam moradores locais, e não turistas. Mas era muita gente! As piscinas estavam lotadas e as filas muito grandes. Os armários eram minúsculos! Almoçamos num restaurante all-you-can-eat e a comida estava até boa, apesar de ser do tipo fast food.
Para piorar, por volta das duas da tarde uma tempestade começou a se aproximar e anunciaram que o parque iria fechar mais cedo por causa disso. No fim das contas nem choveu tanto assim. Muito frustrados, voltamos ao hotel, tomamos banho e fomos ao Premium Outlet da International Drive. Deixamos The Mall at Millenia de fora nesta viagem. Depois passamos pelo Walmart para reabastecer a despensa.
Por incrível que pareça, não tiramos fotos neste dia!

Thiago Acquaviva
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 06/03/2013
 
 
Res: H2O (16/set) 19 - Vida marinha e seus espetáculos (parte2)
postado por: Thiago Acquaviva

 mensagem postada em 29/01/2015 - 11:01:58hs
 

Thiago,
Sensacional a experiencia com os golfinhos, nao? E inclua sim a visita ao DC, pois apesar da admissao ser cara, com mais 20 dólares é possivel ter 14 dias de visitas ilimitadas ao BG, SW e aquatica


(mensagem de Jé e Rick)


Nossa, eu não sabia disso :O
Achei que era o valor do combo SW+BG e + o do DC!
Olha que gafe para um veterano pesquisador e admirador da cidade de Orlando! rs Mas foi bom saber, vou na próxima com certeza, até porque é a exigência #1 do Lucas já! rs

Obrigado, Jé pela dica!

Ricardo Batista
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 07/01/2014
 
 
Res: Relatos
postado por: Ricardo Batista

 mensagem postada em 29/01/2015 - 12:01:14hs
 

Opa pode por mais uma familia aí.

Me identifiquei com os glutões...rsss

Abrs.


É isso mesmo...vamos todos, vamos juntos!!!
abs


Jé e Rick..........ainda da tempo para mais uma família nessa caravana......?

(mensagem de Fabio1981)


Fabio,

Que tá organizando a caravana é o Claudio, mas como ele mesmo disse: quanto mais gnt boa e crianças, melhor!!!

Bem vindo!!!

(mensagem de Jé e Rick)



(mensagem de Claudio H.F.)


Jé e Rick
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 16/07/2012
 
 
RELATO 22 - BLIZZARD BEACH: IMPRESSÕES INICIAIS
postado por: Jé e Rick

 mensagem postada em 29/01/2015 - 12:01:15hs
 

Dia 6 – Blizzard Beach
(20/10/2014 – Segunda-feira)


Depois de termos visitado 2 parques temáticos, decidimos visitar um parque aquático para descansarmos, e o escolhido foi o Disney’s Blizzard Beach.
Acordamos um pouco mais tarde, tomamos café e seguimos para o parque. Chegamos lá no horário de sua abertura, às 10h. Tudo estava muito tranquilo.



A primeira coisa era guardar a mochila. Havia lockers pequenos e grandes, escolhemos o grande e mesmo assim a nossa mochila entrou com bastante dificuldade.
Ao contrário do DC, aqui os lockers são pagos, o valor era $15, mas quando devolvíamos a chave recebíamos $5 de volta. Também havia a opção de trocar esse valor por um souvenir do parque, mas no dia da nossa visita esse souvenir era uma bolsa muito feia!



Com nossos objetos mais valiosos guardados, seguimos para as espreguiçadeiras. Escolhemos as nossas em uma área com sombra e ao lado de um quiosque onde poderíamos pegar comida depois. Todo o parque estava bem vazio, por isso era muito fácil encontrar espreguiçadeiras em lugares bons! Deixamos nossos chinelos e toalhas, e fomos curtir o parque.

Como já disse, a ideia era relaxar. Tínhamos essa opção, era só ficarmos na piscina, nas espreguiçadeiras ou boiando na correnteza. E é claro que não fizemos nada disso!!!



Havia muitas atrações super bacanas e radicais! Decidimos por fazer TODAS. E essa opção cansa, cansa muito, mas é recompensador. As atrações consistem basicamente em toboaguas e escorregadores, de todos os tipos, individuais, duplas, grupos, enfim, pra todos os gostos.

É obvio que todas essas atrações ficam bem lá no alto, nos obrigando a subir diversos lances de escada. E é exatamente aí que descobrimos que parques aquáticos podem não ser tão relaxantes, mas são muito divertidos.

Como sou sedentária, devo dizer que sofri um pouquinho ao subir tantas escadas, mas depois que curtíamos a atração e gostávamos, não pensávamos duas vezes e já subíamos tudo de novo para repeti-la.

O tema do Blizzard é muito interessante, pois a história é que ali havia uma estação de esqui que derreteu e virou um parque aquático, então tudo é branquinho como neve. Muito bonito!




Há muitos escorregadores e toboaguas, e todos são muito diferentes entre si, assim somos obrigados a experimentar todos.

Não vimos muitos brasileiros por aqui, ao contrário dos demais parques. Nesse parque reparamos pela primeira vez na quantidade de britânicos que há em Orlando. Há muitos britânicos e eles sempre eram muito amigáveis e acessíveis, ao contrário dos americanos, em minha opinião. Para quem não fala inglês deve ser meio difícil identificar quem é quem, acho que por isso que nunca ouvi falar dessa invasão britânica em Orlando.

Li em alguns blogs a importância de se comprar aquelas sapatilhas aquáticas para ir aos parques. Eu as teria comprado se tivesse o meu número no Walmart, mas como não tinha, deixei pra lá. Aqui não senti falta. O parque é extremamente arborizado, então, em outubro pelo menos, não havia trechos em que o chão estava quente. Quando íamos ao banheiro, pegávamos os nossos chinelos.



Como há muitas árvores espalhadas por todo o parque, nunca ficávamos muito expostos ao sol, a não ser quando estávamos deitados nas espreguiçadeiras ou nas piscinas. Como ficamos mais circulando pelas atrações, voltei pra casa tão branca quanto fui.

A maioria das meninas estava de biquíni ao invés de maio. Fui de biquíni e não tive problemas com as descidas dos toboaguas. O meu biquíni é super confortável e bem comportado, quase estilo calcinha da vovó, e por lá eu achei ele um escândalo, rs. Ou seja, nada de fio dental por aqui se não quiser atrair olhares de reprovação. E os homens estavam todos de bermudas longas, não havia ninguém de sunga por aqui.

Detalharei mais a nossa experiência no BB no próximo relato!

Até mais,

Jessica

Ricardo Batista
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 07/01/2014
 
 
Res: Relatos
postado por: Ricardo Batista

 mensagem postada em 29/01/2015 - 12:01:00hs
 

Claudio, sem querer abusar da sua boa vontade, eu deixei o meu e-mail no bate papo, pois queria que umas dicas sobre Old Town, achei bem legal o seu post e estou pensando em inclui-la na minha programação.

Valeu pela atenção!!!

Abrs.

Pedro Padilha
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 17/01/2014
 
 
19º dia (17 de junho) SeaWorld
postado por: Pedro Padilha

 mensagem postada em 29/01/2015 - 13:01:38hs
 

O “segundo” dia de SeaWorld foi muito melhor. Fizemos de conta que era o mesmo dia e ignoramos a Manta.





Fomos logo a Journey to Atlantis e Kraken. Essa é outra montanha russa de que gosto muito. Percebe-se de que gosto de quase todas! Fomos várias vezes seguidas. Até a Mariana tomou coragem e foi.





Fomos ao show das orcas. Diogo havia ficado frustrado em 2011 porque não teve companhia para ficar na splash zone e ser molhado pelas baleias. Dessa vez teve a companhia da Amanda e ficaram extasiados quando duas baleias deram um banho neles!
As crianças ficaram meio sem reação ao ver aqueles animais incríveis. Cheguei a achar não tinham gostado. Depois tive a certeza de que estava enganado na minha avaliação inicial.


Almoçamos no buffet de massas do Terrace Garden. Tinha lido críticas não muito favoráveis, mas gostamos das comidas.
Na verdade li críticas aos buffets em geral sob a alegação de que a comida é sem graça porque é feita em quantidade. Nossa experiência foi um pouco diferente. Comemos muita coisa boa e o buffet tira dos seus ombros aquela sensação de olhar para um outro prato e achar que deve estar mais gostoso do que o seu e que você poderia ter escolhido melhor. Se você não gostar do que provou, pegue outro prato e experimente outra coisa. Sem falar que quem tem filhos sabe como é frustrante quando chegam os pedidos, a criança mal coloca um pedaço de comida na boca e diz que não vai comer porque não gostou. Resumindo, recomendo para quem viaja com filhos pequenos. Até mesmo porque Miguel e Ana Luísa não pagavam porque tinham menos de 3 anos.
No fim da tarde, fomos ver as orcas novamente.



Resolvemos parar na parte de observação. Não havia ninguém. Também pudera. Não havia nEMHuma baleia naquele tanque. Quando já íamos embora, surgiram três baleias! Foi outro dos momentos mágicos da viagem. As crianças ficaram entusiasmadas desta vez. Ficamos vários minutos sozinhos com aqueles animais magníficos até que deu a hora de vermos o show. Desta vez as crianças gritaram e pularam de emoção com o espetáculo.


Vimos os tubarões e as crianças gostaram bastante. Não fomos ver os pinguins porque a fila estava gigantesca e li que era muito frio lá dentro. Não queria arriscar que a Ana Luísa tivesse uma recaída.


Foi o dia do segundo jogo do Brasil. Não vimos. O motorista da van nos contou que havia sido um empate sem gols e sem graça. Não tínhamos perdido nada de mais.

Fernando C. M. Fernandes
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 21/04/2013
 
 
Res: Relatos
postado por: Fernando C. M. Fernandes

 mensagem postada em 29/01/2015 - 17:01:11hs
 

Oi Claudio...voce pode me mandar as dicas de Old Town tambem? Desde os relatos do ano passado fiquei com muita vontade de ir la e conhecer aquela casa mal assombrada que voce falou...
Vou deixar meu email no bate papo.
Um grande abraco e muito obrigado...

Email sobre Old Town enviado!
abs

Ei Claudio nem esquenta cara. Quanto mais informação melhor!!!
(mensagem de Ricardo Batista)



(mensagem de Claudio H.F.)


Mell
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 08/10/2014
 
 
15# O Futuro como poderia ser
postado por: Mell

 mensagem postada em 29/01/2015 - 18:01:58hs
 

Quinta era dia de visitar o Protótipo de Comunidade Experimental do Amanhã – vulgo EPCOT. Acordamos rotineiramente ás 7h, fomos tomar café e trouxemos margarina e cream cheese para o quarto. Almoço do dia: sandwish caseiro! (pão com queijo + Pringles à US$ 1,75 – economizamos uns bons obamas almoçando assim). Com as malas cheias de guloseimas saímos saltitantes de alegria rumo ao complexo Disney.
Fiquei com um medinho de passar na inspeção, porque minha mochila particularmente só tinha comida: sandwishes, batata, cookies, barras de cereal, chicletes, 2 garrafas de água e mais alguns pacotes coloridos de alguma porcaria bem gostosa. Mas não tive problemas. Carreguei novamente a família para tirar foto na entrada (tire foto de dia e de noite nos mesmos lugares, fica um efeito legal nos álbuns) e seguimos para a Spaceship Earth (a “bola”) gastar nosso primeiro fast-pass. Sempre achei um jeito didático de aprender história. (acho que na escola todos deveríamos fazer uma excursão no EPCOT com o professor de História!). Sem contar a perfeição dos animatronics e agora tem uma parte interativa para “planejar” seu futuro bem divertida no final.


Depois fomos corajosamente encarar o desafio do Mission: Space. Era uma atração nova para todos nós, e eu estava ansiosa para conhecer por causa dos comentários e recomendações do VPO. Oliveirinha caçula e eu escolhemos sem pestanejar o lado laranja (+radical). Sr e Sra Oliveira, depois de darem uns passos no corredor verde, vieram correndo se juntar a nós. Família unida, sofre unida! Eu que amo física já estava deslumbrada com a atração e quando apareceu o McCoy (fã de StarTreck, série original) esta galgou alguns degraus no meu conceito. Daí você entrava na cabine minúscula e simplesmente simula o lançamento de um foguete. E é simplesmente fantástico! A força “propulsora” é tamanha que quando você tenta apertar os botões na tela quase não consegue empurrar o próprio dedo. Muito bom. Rivaliza apenas com o Soarin no quesito melhor atração.
Ao lado o TestTreck estava com 25 minutos de fila (tinha diminuído desde que o parque abrira) e como estávamos com tempo em nosso cronograma enfrentamos a fila. - Na entrada o moço me deu um crachá vermelho e pediu para entregar para o último cast member que eu passasse. Nossa levei um susto na hora e fiquei tentando lembrar o que é que eu tinha feito de errado! Para meu alívio descobrimos que é assim que eles calculam o tempo de espera da fila. - E depois que você entra os mino pira lá dentro! É uma atração patrocinada pela Chevrolet trazendo o que há de novo no mundo da pesquisa automobilística. Na fila vai se passando por protótipos que vão de carros miniatura a motores de propulsão a gás. Único fato que obscurece um pouco a memória da experiência foi uma família perto de nós que a mãe colocou aquelas sandálias de E.V.A. na pobre da criança. Quando ela tirou a sandália para ajeitar a correia fomos atingidos por uma nefasta névoa odor cheetos bola e ficamos cheirando gorgonzola por todos os 25 minutas da fila! (Em qualquer mercado, farmácia ou comércio eles vendem produtos, sray ou pó, para calçados. POR FAVOR, coloque no seu calçado para não quase matar as pessoas ao seu redor!!!)
Depois entramos numa sala e, aos pares, podemos montar nossos próprios veículos – virtualmente é claro. Iniciou-se uma ferrenha competição entre as Oliveiras Masters e Oliveiras juniors. O carro é elaborado levando em consideração a potência, capacidade, responsividade e eficiência. O possante desenvolvido pelo time junior foi uma enorme camionete 4x4 para rali, cheia de turbos (o céu é o limite então enfiamos bem o pé na jaca) e boa aerodinâmica. Verde Limão. (e olha que o tempo para escolhermos entre as 1001 opções de acessórios, cores e modelos é muito curto). Depois a gente vai testar e comparar os carros. Placar 3x1 para as orgulhosas Juniors, perdemos só para 80% de eficiência dos Masters.
Ah, na saída você pode comprar lembrancinhas da Chevrolet. Não sei porque o Sr Oliveira não quis comprar essa aí pra mim!

Mell
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 08/10/2014
 
 
15# O Futuro como poderia ser cont1
postado por: Mell

 mensagem postada em 29/01/2015 - 18:01:13hs
 

Então era hora de Soarin (fast-pass indispensável, sério você simplesmente não consegue entrar sem um, a fila estava quilométrica e olha que era um dia super tranquilo de baixa temporada). Se não fosse a fila, com certeza eu repetiria!!! Mas com certeza!!! É um baita (tipo 16 côvados de altura) simulador de asa delta. Você senta numa cadeirinha fica balançando os pezinhos enquanto voa para diversos lugares. Como a tela de projeção é côncava e você quase entra dentro dela, quando você olha para os lados também vê as paisagens. E sente o cheio da floresta e do pomar tornando a experiência ainda mais real.
A próxima atração era do Nemo, meio infantil, mas os holográficos dentro dos aquários são muito realísticos e os próprios aquários lindos.
No final há uns cenários muito criativos para tirar fotos. Eu amo o Figment – pronto, falei! Por isso arrastei, literalmente, a família a contragosto, para ver o dragaozinho espevitado. Éramos nós e um monte de crianças na fila. Tive meu momento nostalgia e passei o resto da tarde cantando “Imagination, Imagination...” (Se você viaja desacompanhado de crianças, pule essa parte ou vai padecer deste mesmo mal).Então já era hora do almoço e fizemos nosso pic-nic. O sr Oliveira comprou uns refrigerantes para acompanhar. Eu era a favor de comer e depois matar a sede com os refris da coca, mas a sra. Oliveira me olhou atravessado me mandando parar de ser tão mão-de-vaca. Não insisti mais depois do olhar atravessado. Então demos uma rápida passadinha no club cool da Coca-Cola para experimentar os exóticos sabores. O da Grécia foi eleito um dos melhores e o da Itália tem gosto de água tônica, pra quem gosta não é tão ruim assim!
Matada a sede, a família oliveira estava pronta para entrar no world showcase. Com passaportes a postos (não deixe de pegar o seu!) iniciamos nossa volta ao mundo em 510 minutos.

 
São gastos US$35.000 (trinta e cinco mil dólares) com fogos de artifício a cada noite com o show Illuminations.