Orlando Tickets Online
 

Voltei - Relato da minha viagem!

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais recente para a mais antiga
 
Índice  
Bruna Cisotto
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 09/12/2012
 
 
16/05/2014 – Islands of adventure
postado por: Bruna Cisotto

 mensagem postada em 30/12/2014 - 11:12:17hs
 

Como já havíamos feito todas as atrações que queríamos nesse parque na primeira vez que estivemos lá, de manhã aproveitamos pra ir na Burlington, meu marido queria uma jaqueta de couro, e como não sabíamos ao certo onde encontrar arriscamos essa loja.
Ai o arrependimento bateu, usamos bastante roupas sociais e essa loja tem uma variedade incrível, se soubéssemos disso antes teríamos ido logo nos primeiros dias nela, a essa altura nosso dinheiro já era escasso e o espaço nas malas mais escasso ainda.
Compramos algumas coisas, e te digo, se vc procura casacos, sobre-tudo e roupas sociais vá a Burlington e seja muito feliz, os preços são excelentes.
Agora a tal da jaqueta de couro, não conseguimos encontrar, se alguém souber um lugar bom e com bom preço em Orlando pra recomendar e puder me falar, estamos precisando. Kkkkkk
Demos mais uma passada no Walmart, pq passar no Walmart é rotina quando se está em Orlando né gente? Mais nesse dia em especial, descobri que ir ao Walmart com tempo pra olhar as prateleiras é muito interessante, até então, sempre tínhamos ido com pressa, ou cansados demais, foi nesse dia que pela primeira vez na viagem conseguimos olhar as coisas com mais calma, e descobrir um mundo de possibilidades.
Fomos pro parque no período da tarde, e estava lotado.
O que no primeiro dia estava tranquilo, dessa vez foi o contrario, de novo como no dia do Busch Gardens, eram muitas excursões de escola, ai tive uma pequena ideia do que é aquelas estruturas de filas cheias de gente, isso pq nem estavam cheias, estavam no máximo ate a metade, e aquela molecada zuando, gritando, aquele calor e a fila que não andava. Nesse dia não aguentamos muito tempo no parque, só passamos com mais calma pela Toon Lagoon pra tirar umas fotos, fizemos a Dragon Chalenge, Hulk e o show do Simbad e ralamos peito.
Fim de festa + cansaço + velhice precoce fazem isso com as pessoas.






Passamos pelo Hard Rock ali na City Walk, pra dar uma espiada como era e tirar algumas fotos e partimos pra hotel.


Arrumamos um pouco das malas, ajeitando o que não iriamos mais usar. Jantamos nossos congelados e fomos buscar um pedaço de torta na Cheesecake Factory.
Misericórdia aquela torta é um pecado de tão boa, que delicia, não podíamos ir embora dos EUA sem experimentar aquela torta, as expectativas eram altas e foram totalmente alcançadas.


O que eu aprendi nesse dia:

- Na próxima viagem vou primeiro na Burlington, a variedade de bolsas e roupas era muito maior que na Ross, não sei se os turistas conhecem menos, ou se o estoque é reposto mais rapidamente.
- Na próxima viagem vou antes na Cheesecake Factory, pra dar tempo de comer mais vezes durante a viagem. A torta de lá, ficou no meu top 10 de doces favoritos.
- Perceber que estamos envelhecendo não é fácil, estamos quase nos 30, a paciência com adolescentes em massa está acabando, alta temp. em Orlando pra gente realmente não iria funcionar.

Bruna Cisotto
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 09/12/2012
 
 
17/05/2014 – Aquatica, Downtown, Planet Hollywood
postado por: Bruna Cisotto

 mensagem postada em 30/12/2014 - 12:12:59hs
 

Era uma sábado de sol e calor, e descobrimos o que os moradores de Orlando fazem, eles vão ao clube, no caso o Aquatica, havia muita fila pra entrar no parque e muita gente chegando a pé tbm. Demoramos bastante pra conseguir entrar e estacionar.
Acho que muito se deve ao fato de ter inaugurado naquela semana uns toboáguas novos, lá em cima eles tinham uma cabine com tipo um alçapão, que era aberto quando quem ia descer se posicionava. (eu não fui, apenas observei, então nem imagino qual seja a sensação)
Depois disso até que foi tranquilo o dia, o agito estava mesmo na entrada, acho que dentro do parque as pessoas dispersam.

Alugamos um armário pequeno, guardamos nossa mochila e fomos aproveitar.
Primeiro fomos ver os golfinhos que tem nesse parque, como são lindos, parecem uma miniatura de orca, e passamos um bom tempo observando eles.






Em resumo passamos o resto do dia na piscina de ondas, no rio de corredeiras e numa piscina que vão duas pessoas numa boia e que passa por um aquário, estávamos muito cansados pra ficar subindo as escadas que vão para os toboáguas então optamos pelo ócio. E como é bom um dia de ócio no meio da maratona de andar muito.
Esperamos dar o horário da apresentação dos golfinhos, mas quem disse que os bonitos queriam se apresentar? Segundo a funcionaria do parque, essa raça de golfinho é muito hiperativa e eles tem dificuldades de concentração, assim é muito difícil treina-los, eles só fazem o que eles querem a hora que querem, e nesse dia eles não estavam a fim de fazer nada. Mas tudo bem, só vê-los já foi incrível.
Saímos do parque, fomos até o hotel tomar um banho, e partimos pra Mall At Milenia, porque meu marido queria comprar um óculos de sol, por fim, acabou comprando dois, pq na compra de um o segundo tinha 50% de desconto e a promoção se tornou irresistível para ele.

Bruna Cisotto
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 09/12/2012
 
 
17/05/2014 – Aquatica, Downtown, Planet Hollywood 2
postado por: Bruna Cisotto

 mensagem postada em 30/12/2014 - 12:12:40hs
 

Saindo dali, fomos pra Downtown Disney, aproveitamos pra entrar em todas as lojas, que ainda não havíamos conseguido ver, e como aquelas lojas são bonitas... Esse era o ultimo dia que iriamos lá, então aproveitamos bem, começou a bater uma tristeza, uma saudade antecipada terrível já olhava pra tudo pensando em quanto tempo demoraria pra ver tudo aquilo novamente.




Tínhamos reserva no Planet Hollywood para o jantar, esperamos dar nosso horário e nos apresentamos no guichê, e tudo parece muito confuso, muita gente falando com vc ao mesmo tempo, parece uma bagunça, mas não é, tudo dá certo e em poucos minutos estávamos sentados na nossa mesa, que restaurante incrível, é tanta informação num mesmo espaço e tantas coisas que a gente já viu em filmes, que acho impossível ver tudo lá dentro em uma só visita. Pedimos hambúrguer não me lembro qual, estava muito bom, mas o destaque ficou para as batatas fritas, que delicia, foram eleitas por nós como as melhores que comemos na viagem.




E assim acabou mais um dia em Orlando, o penúltimo da viagem, o ultimo no complexo Disney, e como não é fácil lidar com a dor de ir embora de lá.
O que aprendi nesse dia:
- Sempre colocar na câmera a prova d’água aquelas boias que servem pra que a câmera não afunde se soltar do braço, tinha a tal da boia mas esqueci no Hotel, e não é que a câmera escapou do braço? E justo num lugar que tinha muitas corredeiras, foi desespero total pra pegar.
- Até quem não é grande fã pira na loja de lego, tem coisas muito legais, melhor reservar um dinheiro pra gastar lá.
- Passar pela ultima vez pelo portal da Disney, causa tristeza na mesma proporção que passar pela primeira vez causa alegria e emoção.

Bruna Cisotto
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 09/12/2012
 
 
18/05/2014 – Universal o dia derradeiro
postado por: Bruna Cisotto

 mensagem postada em 30/12/2014 - 12:12:58hs
 

No roteiro original esse dia seria compras/livre, mas por conta das chuvas nos primeiros dias precisamos jogar esse parque pro final da viagem.
Chegamos cedo no parque e fizemos o Exterminador do futuro, Simpsons, Man in Black e Mumia.

Nesse dia percebi o quanto a percepção de uma atração muda dependendo do lugar que vc está sentado. No primeiro dia desse parque achamos a ride dos Simpsons sensacional, nesse dia não, e percebemos que era por conta da posição do nosso carrinho na tela, no primeiro dia não havíamos visto o fim da tela, nem os carrinhos perto, nesse dia vimos e ai perdeu um pouco aquela coisa do sensacional, depois fomos 2 vezes seguidas na Mumia, na primeira fomos na ultima fileira, e tinha uma menininha brasileira do meu lado de uns 8 anos e ela chorava tanto, eu e o pai dela falávamos pra ela calma já vai acabar, ai no fim o pai falou, não entendi pq ela chorou tanto ontem a gente já veio nessa ride, ai ela disse mas ontem não estava tão ruim, logo em seguida entramos de novo na atração e fomos na segunda fileira, e eu entendi a menininha realmente no meio a sensação é bem mais leve do que lá atrás.

Depois disso entramos na fila da Rockit e depois de uns 20 minutos de fila a atração parou, sem previsão de volta.
Fomos então nos Minions pra dar um tempo e ver se ela voltava a funcionar.
Meu marido saiu dos Minions mau, ele não havia tomado o Dramim dele, e disse que não estava bem. Não queria mais nada. Bom a Rockit nada de voltar, já havíamos feito as atrações que mais gostamos, o jeito era ir embora, ai lembrei que queríamos experimentar a rosquinha dos Simpsons e fiquei insistindo com meu marido pra irmos até a área dos Simpsons comprar, ele meio que não queria mas foi, no meio do caminho quem encontramos o Doc Brown, quem leu os meus relatos deve lembrar que meu marido é fã do de volta para o futuro, (lá na Universal é complicado encontrar os personagens, percebi que era mais questão de sorte) nem acreditei quando o encontramos, ai meu marido foi lá bater um papo com ele e tirar uma foto, parece que ele até melhorou do mal estar dos Minions.



Depois do encontro, seguimos nosso caminho até as rosquinhas, e na volta encontramos o Homer, fomos tirar foto com ele e foi hilário, ele pegou a rosquinha da minha mão e saiu correndo com ela, não queria devolver de jeito nenhum, ai a foto saiu desse jeito.

Cheirando a rosquinha....

Abraçando a Rosquinha....

Fugindo com a Rosquinha...

Ele só devolveu a rosquinha pq passou um funcionário do parque, com o que parecia ser um barril de chopp, e ele resolveu segui-lo, foi bem engraçado.
E fomos pro hotel, cansados, felizes e tristes ao mesmo tempo, nosso ultimo dia de parque em Orlando havia chegado ao fim.
Tomamos um banho e fomos jantar no Wendys, que particularmente não gostamos.
Terminamos de arrumar as malas e dormimos.
O que eu aprendi nesse dia:
- Vá mais de uma vez na mesma atração, a sensação muda, dependo sua localização durante a brincadeira.
- Sempre que houver a chance vá na atração que vc gostou, se não tiver fila e vc gostou, saia e vá de novo, só fomos uma vez na rockit no primeiro dia contando que tínhamos mais um dia nesse parque e por fim não conseguimos ir de novo nela.
- A rosquinha dos Simpsons é muito boa, não é a toa que o Homer é louco por ela.

Gilson Marcondes
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 04/12/2012
 
 
Malena - considerações
postado por: Gilson Marcondes

 mensagem postada em 30/12/2014 - 12:12:50hs
 

Achei que so eu tinha ficado frustrado com o churros sem recheio... Ele eh enorme, compramos emocionados e, ao morder, cade o recheio? Sem graca total!
Eu e minha nova somos igual a voces, eu so havia visto os ultimos harry potter com ela no cinema, depois que comecamos a namorar... Na ultima x que fomos, em 2013, eu nao tinha visto os outros, entao fiquei meio perdido. Dessa x, fizemos a maratona HP e vimos todos, alguns mais de uma x!

Bruna Cisotto
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 09/12/2012
 
 
19/05/2014 – O sonho acabou, um dia triste
postado por: Bruna Cisotto

 mensagem postada em 30/12/2014 - 12:12:23hs
 

Alegria de pobre dura pouco, a nossa durou 20 dias, esse era o dia que eu mais evitava pensar durante o planejamento, o dia de vir embora.

Tomamos café, e fomos pro aeroporto. Não conseguíamos carregar sozinhos nossas malas e um carregador nos ajudou. Chegamos as 11:00, mas teríamos que esperar até as 13:00 pra despachar as malas, ficamos lá sentados esperando e observando o desespero alheio, as pessoas desmanchando malas no meio do aeroporto, remanejando as coisas, pra conseguir chegar no peso permitido. Que desespero só de ver. Mal sabíamos o que ia acontecer com a gente.
Quando pudemos despachamos a bagagem, almoçamos, e fomos passar pelo RX, RX com o qual fiquei cismada, coisa estranha essa de ter que levantar as mão para cima pra maquina passar em volta da gente, gostei não.
Depois ficamos lá um tempão com as malas de mão esperando a hora do embarque, e eu cismada com as malas de mão, falei pro meu marido vamos colocar ali naquela grade de metal pra ver se está ok, e ele, não precisa ta td certo. Só que não né, na hora que começou o embarque falaram pra gente que nossas malas não iam caber no bagageiro que íamos ter que despachar, imaginem o desespero, cheio de coisas de valor nas malas, mas meu marido muito sagaz já tinha uma mochila na mala de mão e falou, vou despachar nada, vamos colocar as coisas na mochila, e ai no meio do aeroporto com todo mundo do nosso voo olhando, agora era a nossa vez de remanejar coisas, até as malas de mão caberem no tal do quadrado de metal. Por fim deu certo, fomos salvos pela mochila dele, mas o corre corre foi grande.
Esse voo de Orlando pra Miami foi lotado, e acho que na verdade as malas até cabiam no bagageiro, mas como não haviam bagageiros suficientes pra todo mundo a bordo, a cia estava louca pra dar um fim em algumas malas de mão, e as nossas como estavam um pouco mais gordinhas, foram alvos tá tentativa de despacho, não deu certo. Kkkkkkkk
Descemos em Miami e esperamos lá mais um tanto até a hora de embarcarmos pro Brasil, lá nem havia o tal do quadrado de metal, que a mala tinha de caber dentro, aproveitamos pra arrumar a bagunça da mochila salvadora, e esperamos, a todo momento era anunciado que o voo estaria lotado e quem quisesse despachar a bagagem de mão poderia fazer isso. Claro que ninguém quer fazer isso né gente? É até engraçado pra ir nem tinha bagagem nos bagageiros, na volta vira um salve-se quem puder, uma loucura, um tal de bagageiro não fechar, de não ter espaço kkkkkkk, todo mundo quer trazer os EUA na mala.
Passado o embarque, e a bagunça de onde colocarei minhas malas, o voo foi tranquilo, dessa vez viajamos de madrugada e conseguimos tirar uns cochilos durante a noite.
Chegando nesse pais tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza, o caos estava instalado em Guarulhos, saímos do avião e paramos, havia uma fila gigante, que não andava e que nós não tínhamos ideia pra onde ia e porque estava parada. Depois de uma boa hora sem informação descobrimos que era pra passar na imigração, olhando de cima da escada rolante, que estava parada, só se via gente, saguão lotado, nenhum funcionário pra orientar, brasileiros revoltados tirando fotos pra postar nas redes sociais #imaginanacopa, os estrangeiros que estavam chegando, com cara de horrorizados, uma verdadeira –palavra censurada-, e depois de quase duas horas no meio dessa bagunça, o pior é ter que ver a cara de poucos amigos do oficial de imigração te olhando de cima a baixo, como se vc quisesse mesmo entrar ilegalmente nesse lugar ótimo que é o Brasil, como se vc estivesse vindo pra cá porque fosse a melhor opção, a vontade de chorar nesse momento já estava praticamente incontrolável, se pudesse pegava o primeiro avião e voltava pros EUA dessa vez pra ficar.
Quando chegamos pra pegar a bagagem nem na esteira estava mais, os funcionários do aeroporto já haviam colocado no chão (pra vcs terem ideia da demora), pelo menos nossas malas não haviam sido abertas pelo TSA, meu marido foi no Free Shop e eu fique esperando do lado de fora. Saindo dali passamos pelo nada a declarar, como toda aquela gente que estava na fila da imigração, só havia um fiscal sentado com cara de quem comeu e não gostou, que nem o nosso bom dia respondeu. E assim acabaram-se nossas aventuras.

O que aprendi nesse dia:

- Sempre guarde um dinheiro trocado pra dar pro carregador de malas do aeroporto (só tínhamos notas de $20,00)
- Verifique se sua mala de mão cabe no quadrado de metal, se não couber, de um jeito nela antes da hora de embarcar.
- Voltar é ruim demais, mais voltar e ter que encarar policiais federais, dos quais quem paga os salários somos nós, se achando semi-deuses é de chorar.

Bruna Cisotto
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 09/12/2012
 
 
Sobre o fim
postado por: Bruna Cisotto

 mensagem postada em 30/12/2014 - 12:12:03hs
 

Tive muitas lições todos os dias, mas no geral aprendi nessa viagem que:

- PRECISO fazer aulas de inglês.
- Orlando é tudo aquilo que o pessoal fala e um pouco mais, não é a toa que quem pode volta todos os anos.
- Toda a informação coletada antes da viagem ajuda muito.
- Ninguém em Orlando repara no que vc esta vestindo, vc pode sentar no chão se estiver cansado que ninguém vai reparar tbm, isso é libertador.
- A sensação de segurança que temos dentro dos parques e fora deles é incrível, não se vê nenhum tipo de pessoa mal encarada, ou mal intencionada, pra quem mora num pais em que se vive com medo da violência isso tbm é libertador .
- PRECISO voltar o quanto antes pra Orlando.

Bem gente é isso, aqui acabam meus relatos, espero que tenha ajudado alguém. Desculpem essa overdose nos últimos relatos, mas não queria desanimar e deixar de contar o fim da nossa viagem, então já postei tudo de uma vez.
Se alguém tiver alguma dúvida sobre o que eu contei aqui, e eu puder ajudar será um prazer. ....


Agora é focar na próxima, que por fim acabou ficando bem mais próxima do que esperávamos, em Março voltamos pra Terra da Magia, pra menos dias, com menos $$$$$, mas com a mesma empolgação, porque os sonhos não morrem nunca e sempre podem se realizar. Espero aprender tanto quanto aprendi na primeira viagem.

Até mais....

Carlos Eduardo Fo
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 12/12/2013
 
 
Res: Bruna Cisotto
postado por: Carlos Eduardo Fo

 mensagem postada em 30/12/2014 - 13:12:49hs
 

Bruna,
1) Mais uma vez, parabéns pelos relatos.
2) Ainda bem que seu marido encontrou o Doc Brown. Para nós, homens, que somos fãs de "De volta para o futuro", ver o DeLorean é quase igual a sensação das mulheres ao ver o castelo. No Cinematic Spectacular eu estava com a minha filha "montada" nas minhas costas (na corcunda, como se diz em Niterói) e quando passou a cena do filme em que Doc fala "Roads? Where we are going we don´t need roads" minha esposa falou para minha filha que eu ia chorar. Até hoje elas falam daquele show em que o papai quase chorou. Em tempo: "De volta para o futuro" me remete à adolescência, época inesquecível para mim com excelentes lembranças. Sem contar as outras cenas que aparecem...
3) No estacionamento do Universal Studios estavam todos os carros em uma longa fila única e a pista liberada ao lado estava vazia. Como estava acostumado ao padrão Disney, no qual eram duas filas com estacionamentos distintos, peguei a pista liberada e descobri que no final os funcionários juntavam todos os carros em uma única fila. Devo ter passado a impressão de brasileiro malandrão que fura a fila.
4) Quando fomos tirar a foto com Bart e Lisa, eu estava segurando um cachorro quente, que foi "furtado" pelo Bart. Ele só devolveu porque o cast member insistiu muito, rsrs.
Carlos Eduardo

Bruna Cisotto
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 09/12/2012
 
 
Res: Malena e Bruna
postado por: Bruna Cisotto

 mensagem postada em 30/12/2014 - 15:12:29hs
 

Olá Fabio, ficamos no Rosen inn internacional, n7600, na internacional drive. Achamos a localização excelente, não tivemos nenhum problema quanto a limpeza ou furtos no hotel, nossa experiência lá foi muito boa, tanto que voltaremos nesse mesmo hotel na nossa próxima viagem.

Thiagogalvano
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 07/10/2014
 
 
Res: Malena e Bruna
postado por: Thiagogalvano

 mensagem postada em 30/12/2014 - 16:12:04hs
 

Bruna,

Excelentes relatos! Obrigado por dividir sua experiência com a gente. Vou amanhã pra lá e é mto bom ter esses artifícios pra matar um pouco da ansiedade rs.

Assim como o Fabio tb procurei o nome do hotel de vcs e não tinha achado. Que bom saber que correu tudo bem no Rosen Inn 7600. Vou ficar nele durante parte da viagem.

 
Liberty Tree é o nome da árvore localizada na frente da atração The Hall of Presidents no parque Magic Kingdom e foi inspirada na original que ficava em Boston e serviu de ponto de encontro para os Filhos da Liberdade durante o período que antecedeu a Boston Tea Party (Festa do Chá de Boston). Nos seus galhos estão penduradas 13 lanternas representando as 13 colônias originais.