Voltei - Relato da minha viagem!

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais recente para a mais antiga
 
Índice  
 
 
Coconut shrimp

 mensagem postada em 21/11/2014 - 22:11:51hs
 
 

Eu gostei... provei no Undershark do Seaworld e no Joes Crab... do Bubba não provei, mas se for parecido vou gostar também!
É camarão empanado com um molho de côco, agridoce... eu gostei... provaria o do Bubba.

Gente, gosto é uma coisa muito pessoal mesmo rs! EU AMO! Tanto que fui no Bubba novamente na viagem e repeti o pedido. Acho super crocante, delicioso. E não sou fã de misturar doce com salgado, mas acho que - nesse caso - o coco faz toda a diferença!


Eu comi um parecido no outback e detesteeeeei tambem! ahhahaahha


Eu já pedi esse coconut shrimp para NUNCA MAIS...kkkk

Eu detestei e meu marido que não é de frescura para comida, tb não curtiu. Nós demos boas risadas comendo, pq ele fez cara feia na primeira mordida e eu nem consegui engolir! rs rs rs


(mensagem de Patrícia Parra)



(mensagem de Priscilla Martins)



(mensagem de Juliana Isidoro)


É verdade! Também acho. É que quando você escreveu, eu lembrei dessa passagem, foi em 2011 e até hj quando entramos no Bubba, já falamos um para o outro: "QUALQUER COISA, MENOS AQUELE COCONUT.."...kkkkk

Eu não sou de misturar muito as coisas, acho que deve ser isso!
(mensagem de Patrícia Parra)


 


 
Relatos? Elena, Thiago, Gabriela, Felipe, cadê vcs?

 mensagem postada em 22/11/2014 - 18:11:48hs
 
 

Elena e Thiago, cadê vcs, queremos mais relatos. Contem mais da parte do Harry Potter, pleaaasseeee.
Gabriela, já acabaram os seus? Queremos saber mais de Luiza nos parques.
Felipe, e os vídeos dos 3 malas? Estamos acompanhando as aventuras do Seginho Groisman, Com Certeza! rs

Galera, desanima não, rs

 


 
Renata Martinez

 mensagem postada em 23/11/2014 - 10:11:25hs
 
 

Olá Renata, lendo seus relatos,aliás maravilhosos,vi que por conta da infecção do seu marido vc teve que acionar o seguro saúde, e pelo que relatou vc gostou do atendimento, será que podia me dizer que seguro contratou? Acho que pelas regras do site não pode dizer aqui, então vou deixar meu e-mail no recados para vc me passar, pode ser?
Obrigada!!!!!

 


 
1º Dia: Saída de Brasília e chegada em Miami

 mensagem postada em 23/11/2014 - 14:11:15hs
 
 


1º Dia: 7/11 (Sexta-feira): Ida para Miami
O grande dia chegou. Embora fosse a nossa terceira viagem para a Terra da Magia, desta vez tinha um significado especial, já que iríamos fazer o enxoval do nosso baby. O nosso voo partia às 11:32 de Brasília. Acordamos cedinho, tomamos nosso café e partimos para o aeroporto.
Essa foi a primeira vez que fizemos uma viagem internacional pela TAM. Adorei a experiência e não quero outra vida. Sei que ao fazer uma vigem deste porte priorizamos o preço, mas planejando a sua viagem com antecedência dá para economizar. No nosso caso, voamos com milhas, o que tornou tudo mais econômico.
Voltando para o relato do voo. Comparado a America Airlines e Delta, na minha opinião, a TAM ganhou em disparado. Fomos muito bem atendidos no check-in. O voo saiu na hora correta. O espaço entre as poltronas era confortável. Toda a tripulação falava português e eles eram muito educados. Cada poltrona tinha a sua tela com o entretenimento. Na poltrona tinha um kit com manta, meia, pente, escova de dentes, pasta e caneta. Quanto a alimentação, comparada às outras companhias que já experimentei achei melhor, talvez só deixe à desejar no quesito quantidade.
O voo foi tranquilo, com poucas turbulências. Chegamos em Miami, por volta de 16:20 (horário de Miami) e fomos logo dirigidos à imigração. As filas estavam grandes. O rapaz pegou os nossos passaportes, conferiu e perguntou o motivo da viagem. Em seguida registramos os dedos na máquina e fomos liberados. Saindo desta área chegamos ao local para a retirada das malas, que já estavam fora da esteira. Passamos por outro controle onde entregamos o formulário.
Nos encontramos com a nossa família (tia e sogra) que tinham chegado um pouco antes do RJ. Porém, como nem tudo são flores, fomos surpreendidos com um problema. Minha sogra chamou uma amiga portuguesa para nos acompanhar na viagem. Pela sua condição não precisava de visto para ingressar nos EUA. Elas sairam do RJ e fizeram conexão em SP. Despacharam as malas e no momento de ingresssarem no avião rumo à Miami a atendente da TAM perguntou onde estava o comprovante da taxa de 14 dolláres, necessária no caso de quem não tinha visto. Taxa??? Alguém lembrou de verificar se precisava de algo??? Não! Conclusão: a portuguesa não pode embarcar. Ficou retida. Minha sogra e tia vieram preocupadas com ela, que tinha afirmado que ia desistir da viagem, embora tudo estivesse pago, inclusive o cruzeiro.
Quando chegamos em Miami ficamos sabendo desta confusão. Detalhe: do grupo todo, apenas o meu esposo falava inglês. Fomos então nos informar com a TAM se a portuguesa tinha conseguido embarcar em outro voo, até porque a minha sogra tinha retirado a mala dela na esteira (olha a fragilidade da segurança), porém a TAM se negava a dar informações, alegando privacidade. Tentamos ligar para o Brasil, em busca de informações, até porque no dia seguinte todos nós íriamos embarcar em um cruzeiro, inclusive a portuguesa. Não conseguimos contato. Perdemos muito tempo com isso. Desistimos e fomos alugar o carro.
Pegamos o metro e chegamos na Budget. Alugamos um Chevrolet Impala e demos graças a Deus, naquele momento, pela portuguesa não estar ali, pois o carro quase não comportou todas as malas (4 malas médias + 1 mala de mão). Em função disso, fomos direto para o nosso hotel (Ramada Miami Airport). Optamos por este hotel em função do preço, já que ficaríamos apenas uma noite. Pelas fotos tinha a impressão que o hotel não era muito seguro, mas não é verdade. O hotel tem uma recepção. Foi todo reformado. Quartos limpos. Bom café da manhã. Só deixando a desejar por não ter elevador, frigobar ou microondas, o que acho fundamental para quem vai ficar mais de um dia. No nosso caso, o hotel cumpriu bem o seu papel, pois só chegamos lá para dormir, mas subir as escadas com as malas quase vazias foi chatinho, imagina com elas cheias.
Fizemos o check-in, deixamos as malas no quarto e fomos ao Wall mart comprar itens básicos (shampoo e condicionador John Frieda= 5 dolláres cada um; creme hidratante Cetraphil= 10 dolláres o pote; entre outros itens como barbeador, espuma, protetor solar e água).
Saindo do Wall Mart fomos para a Best Buy que fica próxima ao Dophin Mall, porém não tinha a câmera que eu desejava. Minha Tia comprou controles para video game por 50 dolláres cada e retornamos para o shopping. Todos estavam com muita fome. Nos dirigimos para o Cheesecake Factory, mas a fila de espera era de 40 minutos. Não tínhamos condição de esperar. Resolvemos partir para o nosso socorro em Orlando: Pizza Hut. Após a refeição voltamos para o hotel.

 


 
Res: 1º Dia: Saída de Brasília e chegada em Miami

 mensagem postada em 23/11/2014 - 16:11:45hs
 
 


1º Dia: 7/11 (Sexta-feira): Ida para Miami
O grande dia chegou. Embora fosse a nossa terceira viagem para a Terra da Magia, desta vez tinha um significado especial, já que iríamos fazer o enxoval do nosso baby. O nosso voo partia às 11:32 de Brasília. Acordamos cedinho, tomamos nosso café e partimos para o aeroporto.
Essa foi a primeira vez que fizemos uma viagem internacional pela TAM. Adorei a experiência e não quero outra vida. Sei que ao fazer uma vigem deste porte priorizamos o preço, mas planejando a sua viagem com antecedência dá para economizar. No nosso caso, voamos com milhas, o que tornou tudo mais econômico.
Voltando para o relato do voo. Comparado a America Airlines e Delta, na minha opinião, a TAM ganhou em disparado. Fomos muito bem atendidos no check-in. O voo saiu na hora correta. O espaço entre as poltronas era confortável. Toda a tripulação falava português e eles eram muito educados. Cada poltrona tinha a sua tela com o entretenimento. Na poltrona tinha um kit com manta, meia, pente, escova de dentes, pasta e caneta. Quanto a alimentação, comparada às outras companhias que já experimentei achei melhor, talvez só deixe à desejar no quesito quantidade.
O voo foi tranquilo, com poucas turbulências. Chegamos em Miami, por volta de 16:20 (horário de Miami) e fomos logo dirigidos à imigração. As filas estavam grandes. O rapaz pegou os nossos passaportes, conferiu e perguntou o motivo da viagem. Em seguida registramos os dedos na máquina e fomos liberados. Saindo desta área chegamos ao local para a retirada das malas, que já estavam fora da esteira. Passamos por outro controle onde entregamos o formulário.
Nos encontramos com a nossa família (tia e sogra) que tinham chegado um pouco antes do RJ. Porém, como nem tudo são flores, fomos surpreendidos com um problema. Minha sogra chamou uma amiga portuguesa para nos acompanhar na viagem. Pela sua condição não precisava de visto para ingressar nos EUA. Elas sairam do RJ e fizeram conexão em SP. Despacharam as malas e no momento de ingresssarem no avião rumo à Miami a atendente da TAM perguntou onde estava o comprovante da taxa de 14 dolláres, necessária no caso de quem não tinha visto. Taxa??? Alguém lembrou de verificar se precisava de algo??? Não! Conclusão: a portuguesa não pode embarcar. Ficou retida. Minha sogra e tia vieram preocupadas com ela, que tinha afirmado que ia desistir da viagem, embora tudo estivesse pago, inclusive o cruzeiro.
Quando chegamos em Miami ficamos sabendo desta confusão. Detalhe: do grupo todo, apenas o meu esposo falava inglês. Fomos então nos informar com a TAM se a portuguesa tinha conseguido embarcar em outro voo, até porque a minha sogra tinha retirado a mala dela na esteira (olha a fragilidade da segurança), porém a TAM se negava a dar informações, alegando privacidade. Tentamos ligar para o Brasil, em busca de informações, até porque no dia seguinte todos nós íriamos embarcar em um cruzeiro, inclusive a portuguesa. Não conseguimos contato. Perdemos muito tempo com isso. Desistimos e fomos alugar o carro.

(mensagem de TayaneRibei)


Tayaneribei, fiquei confuso! Ao mesmo tempo que elogia a TAM faz duras críticas quanto a segurança da empresa que vetou embarque de um passageiro porém não retirou sua mala do voo.

 


 
Res: Envio de fotos

 mensagem postada em 23/11/2014 - 18:11:39hs
 
 

Amigos, não estou conseguindo postar as fotos no meu relato. Alguém poderia me orientar em como fazer isso?
(mensagem de TayaneRibei)


Oi Tayane... você pode adicionar fotos através do fb, que as fotos devem estar em um álbum do seu perfil no fb. Depois você marca a foto desejada com o botão direito do mouse e copia a URL e em seguida cola aqui no seu relato...

Tem esse video oficial ensinando sobre fotos no VPO

https://www.youtube.com/watch?v=hvKvZge4QYE#sthash.5Y0y6s7s.dpuf

 


 
Res: 02 - Casa e compras (20/10)

 mensagem postada em 23/11/2014 - 18:11:39hs
 
 

Marina, por favor, eu estou vendo uma casa nesse condomínio por um site que não posso falar aqui pelas regras.

Posso deixar meu e-mail nos recados para eu tirar umas dúvidas e medos?

Muito Obrigado!

Finalmente os carros foram liberados. Fomos até a garagem, escolhemos o possante e seguimos rumo à imobiliária. Como chegamos domingo a noite, a imobiliária me orientou a ir até o escritório e, com um código passado por eles, retirar a documentação do aluguel em uma espécie de cofre que ficava do lado de fora.

Meu maior medo era chegar lá e não ter imobiliária e muito menos casa. Mas eu havia pesquisado bem e pego referências, claro! Ainda bem que deu tudo certo! Pegamos o envelope com o meu nome e lá estava a documentação e as senhas do portão do condomínio e da porta da casa. A única coisa é que teríamos que voltar lá no próximo dia até ao meio dia.


(mensagem de Marina Schmitt)


 


 
Res: 02 - Casa e compras (20/10)

 mensagem postada em 23/11/2014 - 18:11:48hs
 
 

Marina e Bruno, boa tarde!

Vocês poderiam me dar orientações sobre a locação de casas no Paradise Palms? Com quem vocês contrataram esse serviço?
Sempre nos hospedamos em hoteis mas dessa vez a turma é grande. Se puderem compartilhar os contatos ficaria muito agradecido.
Vou deixar meu email no bate-papo.

Obrigado.


Marina, por favor, eu estou vendo uma casa nesse condomínio por um site que não posso falar aqui pelas regras.

Posso deixar meu e-mail nos recados para eu tirar umas dúvidas e medos?

Muito Obrigado!

Finalmente os carros foram liberados. Fomos até a garagem, escolhemos o possante e seguimos rumo à imobiliária. Como chegamos domingo a noite, a imobiliária me orientou a ir até o escritório e, com um código passado por eles, retirar a documentação do aluguel em uma espécie de cofre que ficava do lado de fora.

Meu maior medo era chegar lá e não ter imobiliária e muito menos casa. Mas eu havia pesquisado bem e pego referências, claro! Ainda bem que deu tudo certo! Pegamos o envelope com o meu nome e lá estava a documentação e as senhas do portão do condomínio e da porta da casa. A única coisa é que teríamos que voltar lá no próximo dia até ao meio dia.


(mensagem de Marina Schmitt)



(mensagem de Bruno Raphael Teles)


 


 
Res: 1º Dia: Saída de Brasília e chegada em Miami

 mensagem postada em 23/11/2014 - 20:11:40hs
 
 


1º Dia: 7/11 (Sexta-feira): Ida para Miami
O grande dia chegou. Embora fosse a nossa terceira viagem para a Terra da Magia, desta vez tinha um significado especial, já que iríamos fazer o enxoval do nosso baby. O nosso voo partia às 11:32 de Brasília. Acordamos cedinho, tomamos nosso café e partimos para o aeroporto.
Essa foi a primeira vez que fizemos uma viagem internacional pela TAM. Adorei a experiência e não quero outra vida. Sei que ao fazer uma vigem deste porte priorizamos o preço, mas planejando a sua viagem com antecedência dá para economizar. No nosso caso, voamos com milhas, o que tornou tudo mais econômico.
Voltando para o relato do voo. Comparado a America Airlines e Delta, na minha opinião, a TAM ganhou em disparado. Fomos muito bem atendidos no check-in. O voo saiu na hora correta. O espaço entre as poltronas era confortável. Toda a tripulação falava português e eles eram muito educados. Cada poltrona tinha a sua tela com o entretenimento. Na poltrona tinha um kit com manta, meia, pente, escova de dentes, pasta e caneta. Quanto a alimentação, comparada às outras companhias que já experimentei achei melhor, talvez só deixe à desejar no quesito quantidade.
O voo foi tranquilo, com poucas turbulências. Chegamos em Miami, por volta de 16:20 (horário de Miami) e fomos logo dirigidos à imigração. As filas estavam grandes. O rapaz pegou os nossos passaportes, conferiu e perguntou o motivo da viagem. Em seguida registramos os dedos na máquina e fomos liberados. Saindo desta área chegamos ao local para a retirada das malas, que já estavam fora da esteira. Passamos por outro controle onde entregamos o formulário.
Nos encontramos com a nossa família (tia e sogra) que tinham chegado um pouco antes do RJ. Porém, como nem tudo são flores, fomos surpreendidos com um problema. Minha sogra chamou uma amiga portuguesa para nos acompanhar na viagem. Pela sua condição não precisava de visto para ingressar nos EUA. Elas sairam do RJ e fizeram conexão em SP. Despacharam as malas e no momento de ingresssarem no avião rumo à Miami a atendente da TAM perguntou onde estava o comprovante da taxa de 14 dolláres, necessária no caso de quem não tinha visto. Taxa??? Alguém lembrou de verificar se precisava de algo??? Não! Conclusão: a portuguesa não pode embarcar. Ficou retida. Minha sogra e tia vieram preocupadas com ela, que tinha afirmado que ia desistir da viagem, embora tudo estivesse pago, inclusive o cruzeiro.
Quando chegamos em Miami ficamos sabendo desta confusão. Detalhe: do grupo todo, apenas o meu esposo falava inglês. Fomos então nos informar com a TAM se a portuguesa tinha conseguido embarcar em outro voo, até porque a minha sogra tinha retirado a mala dela na esteira (olha a fragilidade da segurança), porém a TAM se negava a dar informações, alegando privacidade. Tentamos ligar para o Brasil, em busca de informações, até porque no dia seguinte todos nós íriamos embarcar em um cruzeiro, inclusive a portuguesa. Não conseguimos contato. Perdemos muito tempo com isso. Desistimos e fomos alugar o carro.

(mensagem de TayaneRibei)


Tayaneribei, fiquei confuso! Ao mesmo tempo que elogia a TAM faz duras críticas quanto a segurança da empresa que vetou embarque de um passageiro porém não retirou sua mala do voo.
(mensagem de Mario Martins)


Oi, Mário!

No relato do segundo dia, vc entenderia o porque que elogio a TAM. A minha experiência com a empresa foi perfeita. Eu sai de Brasília com voo direto para Miami e não tivemos nenhum problema. A minha sogra, tia e a amiga delas portuguesa saíram do RJ, fizeram conexão em SP e só daí iriam para Miami.
O problema ocorreu com elas e, ao meu ver, o erro foi da portuguesa que não verificou com antecedência se havia alguma exigência para embarcar para os EUA. Seria o mesmo caso que, comprássemos uma passagem para os EUA e não tirássemos o visto. Não seria culpa da companhia sermos mandados de volta, né?
Entendo que a TAM errou ao não verificar o pagamento da taxa no RJ e ter deixado ela embarcar para SP e, por este erro, eles deram uma super assistência para ela. Assistência essa que eu iria relatar no 2 Dia de viagem. Eles pagaram a taxa; levaram ela para um hotel em SP; pagaram a refeição; buscaram ela no hotel e levaram para o aeroporto de SP; colocaram ela dentro do avião naquele lugar super espaçoso e quando ela chegou em Miami, colocaram ela dentro de um táxi que a deixou na porta do nosso hotel. No tocante a bagagem, não deu tempo para retirarem a bagagem do avião, já que já estava lá dentro e a proposta deles para ela era embarca-la no próximo voo que saia algumas horas mais tarde. No segundo dia, pela manhã, nos assustamos ao vê-la no hotel de manhã cedo. Ela mesma ficou surpresa com o atendimento da TAM, assim como nós. Ah... e quanto ao não esclarecimento pela TAM entendo que eles estavam certos, pois a portuguesa não tinha nenhum parentesco conosco.

 


 
2º Dia: 8/11 (Sábado): Ingresso no navio Norwegian Getaway

 mensagem postada em 23/11/2014 - 21:11:51hs
 
 

Acordamos cedo e fomos surpreendidos no café da manhã. Quem estava lá? A nossa amiga portuguesa que tinha ficado retida. Não levamos fé que ela teria coragem de vir sozinha sem falar uma palavra de inglês, mas a TAM deu uma assistência toda especial para ela. Assim que a minha sogra e tia embarcaram no voo de SP para Miami, eles pagaram a taxa necessária; levaram ela para um hotel em SP, onde ela teve direito a um jantar; mandaram um táxi buscá-la no hotel e levá-la ao aeroporto de SP; colocaram ela dentro do voo no assento espaçoso e pagaram o táxi dela do aeroporto de Miami para o nosso hotel.



Após a surpresa, fizemo check-out no hotel e partimos para a Best Buy na saga: máquina fotográfica. Conseguimos comprar a nossa CANON G16 (estou in love com a minha câmera) e partimos para o Dophin Mall, já que o embarque no navio iniciava a partir de 12:00.
Chegando ao shopping a primeira loja que visitamos foi a Ross Dress For Less onde as meninas fizeram a festa. Para vcs terem uma ideia o perfume Eternity da Calvin Ckein, de 100 ml (eua de parfum) estava custando 35 dolláres!!!!! Lembro que ano passado paguei 76 dolláres nesse mesmo perfume. Fiquei chocada, pois nunca imaginei encontrar perfumes deste tipo na Ross.
Aproveitei para comprar roupas de grávida na loja Motherhood Maternity Tomada. Vestidinhos por 20 dolláres e short e calça por 30. Dei uma passadinha na Carter’s para ter uma noção de preço e a loja estava com 50% de desconto.
Saímos de lá por volta de 12:30 e fomos entregar o carro no aeroporto. Pegamos um táxi até o porto que custou 25 dolláres. Fizemos o check-in para entrar no navio e começar a desbravar. Estávamos morrendo de fome, só para variar. Então, deixamos as malas no quarto de fomos direto para o buffet. Que coisa boa é comer, não é mesmo? Após a refeição subimos para o deck mais alto do navio para vermos ele partir de Miami, o que só aconteceu às 16:00.




Optamos por um quarto varanda que dava direito ao spa. Nos trocamos e fomos aproveitar um pouquinho. Chegamos a pegar no sono lá. Subimos para o nosso quarto a fim de nos arrumar para o jantar. O navio possuia 4 restaurantes que vc poderia comer sem custos, além dos diversos buffes espalhados pelo navio. Fomos em um desses restaurantes e tivemos um jantar todo especial com entrada, prato principal e sobremesa. Assim, acabou o nosso primeiro dia no cruzeiro.


 


 
 
Assim que você adentra ao Magic Kingdom perceba que o chão é avermelhado, trata-se de uma idéia de Walt Disney visando dar a impressão aos visitantes do Reino Mágico que um tapete vermelho está estendido para eles, mostrando a importância da sua presença.