Orlando Tickets Online
 

Relatos - Minha primeira viagem para Orlando - FL

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
Mell
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 08/10/2014
 
 
Res: 1993 - Relato gigante - Parte III
postado por: Mell

 mensagem postada em 01/08/2017 - 15:08:48hs
 

Olá Klebson,

Muito obrigada por seu relato. Essas memórias não tem preço!!!! Nossa primeira viagem foi em 95, tinha cinco anos e não lembro de muitas coisas, mas nós temos a famosa foto da Splash Mountain (num porta retrato temático), ainda tenho o meu pateta de pelúcia comprado no Magic Kingdom e fotos com muitas, mas muitas pessoas de pochete!!!! kkkkkkkk

Abraço da Mell

Klebson
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 09/03/2010
 
 
Res: 1993 - Relato gigante - Parte III
postado por: Klebson

 mensagem postada em 27/07/2017 - 16:07:08hs
 

Oi Sheyla, que bom que você gostou do relato. Todo dia eu vinha no site verificar se alguém tinha pelo menos comentado hehehe.

Engraçado que você elogiou minha memória, enquanto que eu sou famoso por ser esquecido! Acho que eu esqueço algumas coisas para poder lembrar bem de outras hehehe. Mas eu não escrevi tudo de uma vez. Eu escrevia num documento, ia lembrando alguns detalhes, pesquisando no Google o nome de algumas coisas, e enfim postei tudo de uma vez quando terminei de escrever. Levou um tempo.

Sobre o Everglades, eu lembro que o lobby era todo preto: chão preto, móveis pretos, e já não estava tão chique como você viu em 1988, mas não era ruim, era apenas comum.

Ah, eu tenho sim fotos da viagem. Deve ter umas 30 fotos no total, já que normalmente todos levavam uma câmera com um filme de no máximo 36 poses, mas algumas sempre queimavam. Eu até estou pensando em procurar onde estão essas fotos e digitalizar. Eu acho que tiramos mais fotos em Miami do que em Orlando. Eu não me preocupada com isso na época, mas hoje em dia eu tiro muita foto em viagens. Tanto que eu fiz um blog para cada uma das minhas últimas 3 viagens, com fotos, vídeos e relatos. Só não posso divulgar aqui (pelo menos eu acho).

No mais, o que faltou eu relatar é que as filas nos parques eram enormes, mesmo tanto tempo atrás, e todas com aqueles ventiladores espirrando água. Acho que isso não mudou :P

Sheyla Montella
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 10/08/2010
 
 
Res: 1993 - Relato gigante - Parte III
postado por: Sheyla Montella

 mensagem postada em 27/07/2017 - 12:07:37hs
 

Klebson! Adorei seu relato!
Fiquei impressionada em como você se recorda das coisas! Que memória!
Pena você não ter fotos da viagem! E como assim você resolveu voltar 3 dias antes por causa da escola?! rsrsrsrs #chocada

Seu relato me fez recordas a minha primeira viagem para os EUA que foi com meu avô e meus tios. Fomos a NY (3 dias), Miami (5 dias) e Orlando (1 dia. Foi bate e vota e suuuuper cansativo). Foi em 1988 e ficamos, assim como você, no Everglades, em Miami. Ainda era um excelente hotel e lembro de ter ficado deslumbrada! Achei chique demaaaais! rsrsrsrs
Quando voltei em 1997, em minha Lua de Mel, disse ao marido para ficarmos nele, que era um hotel lindo, com café da manhã maravilhoso...olha, foi bem decepcionante. Tava velhinho e decadente, mas a localização ainda era excelente!

Voltando a 1988: O Everglades era bem na frente do Bayside mesmo e fomos todas as noite lá. Achei lindo aquele lugar. Cheinho de luzes e lojinhas. Lembro que tinha um prédio em Miami que mudava de cor. Cada noite era uma e eu impressionada com aquilo!

Lembro demais da General Discount!! Minha mãe havia me dado uns dolares e eu gastei tudo ali. Comprei tudo cor de rosa que tinha na loja, para enfeitar meu quarto! (dinheiro na mão de criança...).

No dia de irmos a Orlando, saímos beeem cedinho de Miami. Chegamos ao Magic Kingdom e estava lotaaado! Era domingo de Páscoa e conseguimos ir em apenas um brinquedo, lá na Adventureland. Era um papagaio contando piadas. Eu entendia só um pouquinho de ingles, mas achei o lugar tão mágico. Os outros brinquedos tinham filas gigantescas e não podíamos ficar...acho que por isso, depois dessa viagem, sempre tive o sonho de retornar a Orlando.

O ponto alto foi a reserva que meu avô tinha feito para almoçarmos no Palácio de Cristal. Pense numa pessoa maravilhada! Pensou? Multiplica! Achei lindo demais. Lembro bem do lugar, mas não faço ideia do que comemos e se tinham personagens...acho que não. Como lembrança desse dia comprei um boné que era a cara da Margarida.

No mais, me recordo de carros diferentões que não existiam no Brasil, dos copos imensos de refrigerante e de muitas luzes.

Recordar é viver, né?!
Abraço,

Sheyla

Klebson
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 09/03/2010
 
 
1993 - Relato gigante - Parte III
postado por: Klebson

 mensagem postada em 25/07/2017 - 08:07:34hs
 


Após o final da convenção, eu e meus pais fomos a vários parques com o grupo do Brasil. Fomos ao Typhoon Lagoon, que era legal, com cara de rústico, mas não lembro muito desse dia. Também fomos ao Magic Kingdom, claro. Até hoje temos a foto na queda da Splash Mountain. Eu lembro que eu fiquei impressionado com o Carousel of Progress, eu contava pra todo mundo que os bonecos se mexiam e falavam como gente de verdade. Fui na Tomorrowland Speedway com meu pai. E o que mais gostei disparado foi a Haunted Mansion, pois quase tudo lá me impressionou. Lembro que compramos uma Minnie para minha irmã, que ela tem até hoje. De noite, o espetáculo noturno naquela época era chamado de Spectromagic. Fomos também ao Universal Studios, onde eu lembro bem de ter ido na atração do King Kong (Kongfrontation), no Earthquake, no De Volta Para o Futuro (a fila demorou quase 3 horas), no The Funtastic World of Hanna-Barbera (minha mãe amou esse), também tirei foto com meu pai no carro dos Flintstones; e também fomos no show dos animais (Animal Actors On Location). Um dia fomos ao Kennedy Space Center, de onde lembro bem de muito calor e uma fila muito grande para pegar o ônibus e ir para a estação de observação. Vimos um filme 3D que tinha mais qualidade que os filmes de hoje, vimos também uma simulação de lançamento de foguete que mesmo naquela época era muito fraquinha. Lá eu comprei uma caneta que tinha um visor com água e um foguete dentro, que fez sucesso na escola quando voltei. Fomos também ao Sea World, e vimos todas as atrações possíveis, pois naquela época não tinha montanha russa, então era só seguir de uma apresentação para outra e no final tinha uma apresentação com lanchas e jet skis sensacional (International Ski Spectacular), que hoje não existe mais. Nós compramos uma Shamu de pelúcia que minha irmã tem na até hoje. Também fomos ao Epcot (que era chamado de Epcot Center), e fomos primeiro no Spaceship Earth (dentro daquela bola), e eu achei bem entediante. E então seguimos pra área Wonders of Life Pavilion, onde eu brinquei numas máquinas que você assistia um desenho e adicionava os sons apertando uns botões, mas não ficamos muito pouco tempo por lá, porque uma das mulheres passou mal no brinquedo Body Wars (já eu achei sensacional), e dois amigos meus também passaram mal brincando numas bicicletas ergométricas (Wonder Cycles). Acho que no máximo a gente entrou no pavilhão do Canadá e vimos um filme no Circle-Vision 360 (eu fiquei impressionado), mas então todo mundo decidiu ir embora junto por causa do pessoal que passou mal.

Acho que no último dia em Orlando, nós fomos num restaurante brasileiro. E perto dele tinha o que hoje temos em todo shopping brasileiro: um game station, onde você joga e ganha fichas pra trocar por prêmios. Claro, que você gasta o dinheiro inteiro e não troca por nada. Não existia aquilo no Brasil, a máquinas de jogar basquete era pra deixar a gente louco, porque naquela época todos gostavam de ver os jogos do Chicago Bulls com Michael Jordan no auge antes de se aposentar. Eu lembro que troquei minhas fichas por uma bolinha emborrachada que pulava bem alto, eu dei essa bolinha ao meu gato quando voltei ao Brasil e ele destruiu em poucos dias mordendo.

Era fim de julho, e minhas aulas estavam prestes a começar. Se eu ficasse no passeio até o fim, eu perderia uns 3 dias de aula. E eu, preocupado, fiz meus pais desistirem do fim do passeio e voltar antes. Nem sei como eles resolveram isso, provavelmente pagaram multa, perderam algum passeio, etc. Até hoje tenho raiva de mim mesmo por isso hehe. De volta a Miami, fomos atrás do Super Nintendo. que tinha que pegar colorido no Brasil. Durante as buscas, descobri que era só falar o nome PAL-M. Miami era o centro das compras na época. Eu e meu pai saímos a pé pelas ruas de Miami, procurando o vídeo-game com PAL-M, e eu lembro que o que achamos tinha uma etiqueta PAL-M laranja bem grande e chamativa. Até hoje eu sei o preço: U$140. Outra novidade pra mim era poder apertar o botão no sinal de trânsito para poder atravessar a rua. Depois disso, com o Super Nintendo numa sacola (eu vim segurando praticamente o tempo inteiro), e se eu fiz mais algo na viagem eu não lembro porque o tesouro já estava nas mãos hehehe.

Klebson
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 09/03/2010
 
 
1993 - Relato gigante - Parte II
postado por: Klebson

 mensagem postada em 25/07/2017 - 08:07:46hs
 

Como falei, o hotel fica localizado ao lado do Centro de Convenções, então eu creio que todos os gideões de todos os países ficaram hospedados nesse hotel, inclusive os brasileiros de outros estados do Brasil. Então durante uma semana, eu ficava sempre junto de outros brasileiros no fliperama. Eu lembro de um de Campina Grande/PB, um de Maceió/AL e um de Brasília/DF.

Para ir para o Centro de Convenções, bastava atravessar uma rua, e todos ficávamos impressionados com os americanos parando para dar passagem, mesmo que não houvesse faixa de pedestres. Os filhos dos gideões tinham uma programação diferente das dos adultos, e nós éramos separados por idade. Talvez eu ainda tenha guardado o livreto mostrando as salas que nos dividiram e os nomes dos casais cuidadores. Na minha idade/sala eu fiquei num grupo que me acompanhou por todas as atividades e passeios: o menino de Alagoas, um americano, um japonês e um colombiano. Lembro que uma noite tivemos um jantar de gala, onde ficamos em mesas redondas, e cada mesa tinha uma tigela de suco cor de rosa, igual aos filmes. Sempre lembro que em todas as atividades, o japonês (que não entendia nada de inglês) me perguntava quando achava que já era pra ir embora: “Go home?”. Não tenho nenhuma foto com eles, e ninguém tirou foto do grupo, faz falta hoje não ter nenhuma lembrança registrada.

No Centro de Convenções, nós fazíamos algumas atividades, e participávamos de algumas brincadeiras. Em um dos dias nós visitamos o Wet‘n Wild. Outro dia, visitamos um centro de patinação, onde eu me senti num filme, com aquelas músicas, iluminação, dezenas de adolescentes e jovens patinando.
Dois fatos engraçados dessa viagem é que um dia eu saí pra almoçar com meus pais, e meu pai queria que eu pedisse a comida pra gastar meu inglês, mas eu não falei uma palavra sequer. Então meu pai queria comer frango e então imitou um para o garçom. Outro fato é que nós fomos um dia comer na Pizza Hut (que não existia em João Pessoa), e nós não entendemos bem o cardápio e pedimos pasta (macarrão/espaguete), e saímos sem comer pizza de lá.

Continua...

Klebson
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 09/03/2010
 
 
1993 - relato gigante - parte 1
postado por: Klebson

 mensagem postada em 25/07/2017 - 08:07:06hs
 

Demorei muito pra escrever aqui, mas segue meu relato. É gigante, mas deve ter alguém que goste de ler relatos como eu...

A minha primeira vez na Flórida foi em Julho de 1993. Meus pais fazem parte de Os Gideões Internacionais e a convenção internacional naquele ano foi em Orlando. Então fomos eu, meu pai e minha mãe, junto com alguns casais pertencentes aos Gideões de João Pessoa/PB e seus filhos.
Nós moramos em João Pessoa, mas o voo saiu de Recife. Ainda era de madrugada quando saímos para um local de onde um micro-ônibus nos levaria pra Recife. Eu ainda lembro que estava bem frio e que chovia muito em Recife. Hora de colocar a pochete e começar a viagem. O voo foi na Transbrasil, que provavelmente fez uma escala no Rio de Janeiro.

Nós chegamos em Miami e algo que me encantou na época era você percorrer tanto tempo usando as esteiras rolantes no aeroporto. Na imigração, não conseguimos entender as perguntas em inglês (eu estudava inglês na Cultura Inglesa mas só sabia o básico do básico), então o próprio agente começou a falar em espanhol. Ajudou bastante, mas ele fez uma pergunta que até hoje não sabemos o que era. Algo relacionado a "barros" ou algo parecido. Ele ficou chateado por não entendermos e desistiu da pergunta, logo depois nos liberou. Do aeroporto seguimos para o hotel.

O hotel era simples: Everglades. Foi construído em 1926 e então já era bem velhinho, apesar de já ter sido muito famoso e o mais alto da cidade (23 andares). Ele foi demolido em 2005, no mesmo local hoje existe o Vizcayne. O hotel ficava quase de frente ao Bayside, e de noite nós passeamos um pouco por lá. Lembro de várias lojas com souvenirs, e algumas lanchonetes. Acho que não mudou muito daquela época pra hoje.

Lá em Miami, eu só queria saber de comprar um Super Nintendo, mas meu pai queria comprar só na volta, no fim da viagem, para poder pesquisar mais. No dia seguinte o grupo foi fazer o city tour em Miami e eu lembro que visitamos Miami Beach e estava muito quente, e que nesse dia vi como os americanos amam gelo, e então alguém ensinou a dizer "no ice", e todo mundo do grupo pedia as bebidas assim hehehe. Passamos por um hotel que tinha uma pintura imitando um 3D, que era bem legal (o nome do hotel é Fontainebleau, mas a pintura foi destruída em 2002). Saindo da praia, passamos do lado de um navio de cruzeiro e era a primeira vez que eu vi um navio daquele porte, achei sensacional. E pra finalizar, visitamos uma loja chamada General Discount, onde vendia coisas bem baratas, tipo souvenirs. Lá eu comprei um bottom que até um dia desses eu tinha guardado (estava bem enferrujado) e um chiclete que vinha dentro de um tubo (como pasta de dente). Uma coisa bem interessante que vi foi um Macintosh com mouse, disponível numa loja para uso dos clientes. Aproveitei e usei um pouco. Parecia tão moderno na época...

Bem, então seguimos para Orlando! Ficamos no Hotel Clarion (que hoje tem outro nome: Rosen Centre Hotel) na International Drive, vizinho ao Centro de Convenções (Orange County Convention Center). O hotel tinha 6 elevadores e pra mim isso era a modernidade das modernidades. Mas o mais legal era que lá tinha um fliperama dentro do próprio hotel, tanto que nem dei bola pra piscina. Lá no fliperama eu lembro que tinha a máquina dos Simpsons, que podia jogar 4 pessoas ao mesmo tempo e era muito divertido. Eu cheguei a zerar com meus amigos, somente eu gastei 16 fichas. Cada ficha custava 1 quarter (U$ 0,25). Era preciso colocar as quarters numa máquina pra ela nos dar as fichas. Nessa hora eu tinha que gastar meu inglês pra trocar meu dinheiro por quarters na recepção do hotel. Nesse fliperama também tinha NBA JAM, Hard Drivin' e Mortal Kombat. Pra quem gosta de jogos, sabe a felicidade de poder jogar esses jogos, pois alguns eram lançamentos e outros ainda não existiam no Brasil.

Continua...

Alegguedes
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 11/01/2012
 
 
No site desde 2008! Minha primeira vez na Disney com as crianças!
postado por: Alegguedes

 mensagem postada em 17/06/2016 - 09:06:11hs
 

Oi pessoal bom dia! Apesar de constar minha inscrição em 2012 eu esqueci meu login e senha então na realidade estou no site desde 2008 que na época acho que ainda era considerado um blog, enfim procurei lá atrás nos relatos e vou copiar e colar o relato do primeiro dia vamos ver se consigo.
A minha primeira vez mesmo foi em 1996 em Lua de Mel mas não lembro mais da emoção que eu senti pois eram várias como casamento etc!
Mas quando eu fui com as minhas filhas e entrei no Magic Kingdom eu lembro que chorei de emoção e apesar do relato não descrever eu me emocionei em cada atração principalmente pelo fato de estar lá com as minhas filhas.
Nos fogos eu não chorei um pouco só não mas disfarcei!

Abçs

Alessandra Galastri Guedes

Membro


Sao Paulo - Sp

Inscrição: 11/04/2008

Postagens 60


Dia 10 de maio Magic Kingdom 1 cont.
adicionar aos favoritos
mensagem postada em 04/06/2008 - 03:06:00hs



Desculpem os erros na digitação.Vou por partes pois digitei um monte e perdi pois demorei tanto que o site me desconectou.

Almoçamos no Pinocchio´s umas pizzas americanas até que boas e jantamos no Starlight café sanduíche.
Os dois adultos e duas crianças com menu infantil custaram no total entre U$ 30 e U$ 40 por refeição.
Por isso o ideal é apenas uma refeição por dia fora o café da manhã se der , melhor ainda fora dos parques.No começo fizemos café da manhã , almoço e jantar por causa das crianças , depois elas se adaptaram e fizemos horários mais maleáveis.
Após o jantar repetimos vários brinquedos pois não tinha muita fila ou nenhuma fila na tomorrowland.
Um pouco antes das 21:00h fomos em direção ao palácio para a parada de luzes , maravilhosa.
Logo depis da parada , sentamos perto do castelo para aguardar os fogos.No sábado foi apenas um show ás 23:00h.`
É sentar no chão com sua família, relaxar, rever as fotos, bater um papo com alguém ao lado e curtir a espera.O melhor local para ver os fogos é na praça em frente ao castelo pois muito perto do castelo não dá para ver algumas coisas por inteiro pois os fogos são lançados por trás do castelo.
São 30 minutos de show com muita emoção até chorei um pouco por estar lá com minha família.
Terminado o show é uma onda humana.Podem esperar um pouco mas não adianta esperar muito se não é meia-noite e você ainda está la´.Os trens só fncionam até meia noite e meia.
Façam uma fila , coloquem as crianças no meio de vocês, andem devagar no ritmo da multidão com calma e sem stress.Eu ia na frente empurrando o carrinho com a mais nova, minha filha mais velha no meio e meu marido atrás.
Peguem o monorail e na hora do trenzinho cuidado


Responder Responder com Citação

agradecer

Colabore com a moderação:

Caso entenda que esta mensagem viola nossas regras: clique aqui
Tal comunicação será prestada anonimamente.
Endereço desta mensagem: Dia 10 de maio Magic Kingdom 1 cont. copiar

Alessandra Galastri Guedes

Membro



Sao Paulo - Sp

Inscrição: 11/04/2008

Postagens 60


Dia 10 de maio Magic Kingdom 1
adicionar aos favoritos
mensagem postada em 04/06/2008 - 03:06:18hs




Oi gente , vou resumir ao máximo tá, pois o melhor é estar lá.
Saímos do hotel na internacional , ás 7:30h , tomamos café no Sizzler, pegamos a I4 west sentido Tampa e seguimos as placas até o Magic Kingdom.
Chegando lá fotografamos a placa do estacionamento para não esquecer e pegamos o trenzinho.
Em seguida chegamos ao local para pegar o monorail ou o ferry boat , que é mais bonito, mas a ansiedade era grande fomos de monorail.
Chegando ao parque passamos na revista de bolsas.
meu marido levou uma mochila média com as bebidas e dois tubos de pringles.
Eu levei uma bolsa/mochila de prender na frente com filtro solar carteira bonés medicamentos (dramin e novalgina gotas)e boquinhos com caneta para os autógrafos dos personagens.
Esta bagagem foi básica para todos os dias dos parques.
O dinheiro ficou na carteira na bolsa, sem stress.
Meu marido levava os passaportes no bolso com botão ou zíper da bermuda mas sempre no corpo.Aquelas bolsinhas de cintura para por por baixo da roupa podem ficar um pouco nojentas com a trasnpiração, usei um dia e desisti..prefiram as de pano a marrom não é legal.
Passamos na revista e fomos.Vou citar as atrações mais legais mas o site da Disney é melhor para vocês consultarem.

Splash mountain, Space Mountain, Buzz lightear, Peter pan , Montanha russa do trnzinho, foguetinho que gira na tomorrowland, carrinhos, Pooh, enfim tudo demais.Não percam o 3D philarmagic é muito legal.
Usem seu ingresso para pegarem fast pass para as atrações pois evitam filas , mas tem que esperar 2 horas entre um fastpass e outro enquanto isso uam filinha não tem problema.


Responder Responder com Citação

agradecer
- See more at: http://www.viajandoparaorlando.com/forum/exibir.php?pageNum_posts=2090&id=1480#sthash.4ikV6PwK.dpuf

Luiz Carlos Pantoja Filho
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 16/12/2004
 
 
A emoção da Família Galhano em visitar a Disney pela primeira vez
postado por: Luiz Carlos Pantoja Filho

 mensagem postada em 15/06/2016 - 13:06:42hs
 



Orlando é uma cidade que inegavelmente se apresenta muito bem estruturada para receber os turistas. Todavia, ainda assim é necessário um pouco de planejamento, principalmente por aqueles estão viajando pela primeira vez ("marinheiros de primeira viagem") e que não optaram por excursão.

A família do amigo Rodrigo Galhano teve a oportunidade de visitar a Terra da Magia pela primeira vez e, tendo viajado por conta, muito gentilmente concordou em responder algumas perguntas que eu passo a transcrever nessa matéria e que tenho certeza de grande valia para aqueles que planejam conhecer Orlando, vejamos: link.

Um forte abraço a todos,
Luiz Carlos ºoº

Hagara
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 17/10/2012
 
 
Res: Regina Azevedo
postado por: Hagara

 mensagem postada em 26/10/2014 - 20:10:13hs
 

Fico um pouco preocupada quando vejo posts de pessoas como este da Mônica, onde diz q para andar em Orlando É PRECISO ALUGAR CARRO.
Vou a Orlando numa média de 2x por ano e NUNCA ALUGUEI CARRO.
É barato? Sim, muito. Mas o q vc conhece da vida dos locais com carro? Nada.
As experiências q tive andando de ônibus não troco por nada. Já fui à todos os lugares q quis: altamonte, The Loop, Celebration, Centro, Winter Park, parques todos, shoppings... sempre de ônibus.
Já conheci brasileiros, cubanos, indianos, e já recebi a proposta de casamento de um americano em um PONTO DE ÔNIBUS.
Muito divertido e educativo.
Acho q tudo é ponto de vista, então dizer que não dá para fazer alguma coisa de ônibus é meio tendencioso.
Amo busão...
Nair Granato



Olá Regina!




Falando um pouco de hotel...
Sempre que vou para Orlando fico no Rosen Inn At Point na International Drive 9000,
é um excelente hotel só o café da manhã que você paga a parte no restaurante.
Mas no quarto tem uma mini cozinha, com microondas, frigobar, cafeteira, pia...
compro tudo o que gosto no supermercado e faço nosso café no próprio quarto, pois os cafés da manhã nos hotéis em Orlando são muito diferentes dos nossos!
O Rosen tem restaurante, loja de conveniencias, loja que vende ingressos para as atrações, onibus para os parques e fica muito bem localizado, na International Drive porém longe do burburinho!
No ano passado minha filha foi em excursão com amigas e ficou num hotel da Disney e me falou que é bacana ficar lá porque pode chegar mais cedo aos parques, fora isso ela diz que prefere ficar no Rosen Inn!!!!
Minha opinião: gosto de ficar na International Drive porque saio dos parques e gosto de ir ao shopping, ao supermercado, ao restaurante brasileiro almoçar (TEM QUE ALUGAR CARRO!!!!)
Agora...se você é daquelas que vai ficar o dia todo no parque, fazer suas refeições no parque e não pretende ficar batendo perna em shopping e mercado....não precisa alugar carro e fique num hotel da Disney! use o transporte deles e desfrute de todas as comodidades que o complexo te oferece.
Quanto ao ingles nao se preocupe, voce vai ver mais brasileiro do que americano em Orlando! E quanto ao transito tudo é muito bem sinalizado, eu nunca alugo GPS!
Divirta-se e já vá sabendo que você sempre vai querer voltar a esse lugar! é maravilhoso!
(mensagem de MONICA MACHADO)


Oi, Mônica!

Que coincidência, também sou de Niterói e também fiquei no Rosen Inn da International Drive e recomendo muito!

Eu gostei bastante do café da manhã de lá, menos do café em si, que é um "chafé".

E eu já estou planejando minha segunda viagem para Orlando! Antes de terminar a minha primeira, que foi em maio, eu já tinha certeza que queria voltar.
(mensagem de Rodrigo Galhano)


Franklin Rinaldo
 
Membro
 
 
 
Inscrição: 19/12/2013
 
 
Relato de minha viagem
postado por: Franklin Rinaldo

 mensagem postada em 25/07/2014 - 10:07:02hs
 

As imagens valem mais que mil palavras..






 
Assim que você adentra ao celeiro da atração The Barnstormer at Goofys Wiseacre Farm (Mickeys Toontown) observe a reação das galinhas quando o avião passa zunindo.