Visto

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
*******VISTO CONCEDIDO*******

 mensagem postada em 21/08/2007 - 11:08:48hs
 
 

Vou relatar minha entrevista de visto q aconteceu ontem (20/08/2007), aqui em São Paulo.
Eu e meu marido estavamos agendados às 11:00hs. Chegamos ao consulado às 10:30. Realmente só pode entrar quem está no horario. Se vc chegar muito mais cedo, vai ficar esperando do lado de fora, debaixo de sol ou chuva.
Bem, passamos pelo portão de entrada e logo ficamos em outra fila: para a funcionaria checar se as taxas estavam pagas. Após isto, finalmente entramos no consulado. Logo de cara, vc tem q deixar o celular com os guardas, e passar pelo detector de metais. Finalmente chegamos no setor de visto.
Lá é dividido basicamente em tres grupos:
1º pré-entrevista
2º digitais
3º entrevista
Fomos para a pré-entrevista, onde um funcionário do consulado ía checando se os papéis estavam devidamente preenchidos, grampeando a foto e a taxa do Citibank no formulário. Então, ganhamos a senha de atendimento.
Mais um pouco de fila e fomos para a pré-entrevista.
O entrevistador nem olhou na nossa cara. Perguntor qual o nosso trabalho. Explicamos. Ele perguntou p/ meu marido se ele nunca tinha ído aos EUA. Ele disse q não. Aí ele viu q eu já tive um visto americano. Disse à ele q fui à Disney em 1995. Ele ficou com os nossos documentos e disse p/ aguardarmos p/ recolher as digiatis.
Mais fila.
Fomos então chamados p/ recolher as digitais.
Depois deste processo é que começa a maratona de espera pela entrevista. Três horas depois, fomos chamados.
Quem nos atendeu foi um americano, falando um português bem arrastado, difícil de entender.
Chegamos ao guichê e ele pediu os passaportes e formulários. Ele leu os formulários e nem perguntou para onde iríamos.
Em seguida já perguntou p/ meu marido: Vc trabalha com quê? Meu marido explicou q nós administramos 02 lanchonetes. Ele pediu para ver os contratos das lanchonetes. LEU OS DOIS CONTRATOS INTEIROS. Então, ele perguntou se nós tínhamos outros documentos p/ conprovar vínculos com o Brasil. Demos o documento do carro e perguntamos se ele queria a escritura da casa, mas ele quis só o documento do carro. LEU O DOCUMENTO. Então, ele perguntou se eu trabalhava, e meu marido disse que eu trabalhava junto com ele, administrando as lanchonetes. Então o homem pergunta se temos filhos. Meu marido disse que temos um filho de 1 ano e 8 meses, mas q ele não ía na viagem, pois vamos fazer uma segunda lua-de-mel. O consul ficou calado, olhando os documentos, digitou alguma coisa no computador e, finalmente disse: VISTO CONCEDIDO.
Bem, depois dessa pressão, eu saí de lá chorando! Mas chorando de alívio!!!
Eu queria deixar registrado aqui o q eu vi ontem: havia todo tipo de gente p/ pedir visto: negócios, trabalho, turismo, lua-de-mel, motivos de saúde... Não vi nenhuma pessoa tendo o visto negado. Todo mundo saía feliz das entrevista e ía direto p/ o sedex. Porém, todas as entrevistas - SEM EXCESSÃO - estavam bem demoradas, pois os consuls estavam pedindo diversas documentações. Eu vi famílias, com filhos, índo viajar à turismo, mostrando muitos documentos.
Não era um ou outro consul q cismava e pedia documentos. Todos estavam pedindo e lendo a documentação do povo, porém eu nãi vi ninguém sair de lá sem passar antes no sedex.
Pelo menos é melhor eles pedirem documentos e nos concederem o visto do que simplesmente olhar p/ cara da pessoa e dizer um "sim" ou "não" sem fundamento.

APÓS 5 HORAS DENTRO DO CONSULADO, SAÍ DE LÁ E FUI DIRETO PARA A AGENCIA DE TURISMO, PARA PROGRAMAR MINHA VIAGEM!

 


 
 
Originalmente havia sido concebida uma montanha-russa para o pavilhão japonês (Epcot), cujo exterior representaria o Monte Fuji. Contudo, o projeto não foi levado a frente por conta de falta de verba e porque o patrocinador - Kodak - não gostaria de que o nome Fuji estivesse de alguma forma vinculado ao pavilhão.