Nevada - Las Vegas

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
Continuando

 mensagem postada em 23/09/2008 - 11:09:42hs
 
 

Bom, pessoal, continuando o relato, então...

8 de setembro (segunda-feira)

Nesse dia tomamos nosso tradicional cafezinho no Starbucks do hotel e descobrimos que havia também um fruit cup (porque frutinha de manhã já estava fazendo falta no café). Passeamos pelo shopping, fizemos mais algumas apostas e partimos à caça dos outlets, pois hoje era dia de compras! Tínhamos endereço de 2 deles (o Premium e o Las Vegas Outlet Center), mas não estávamos com GPS... então pedimos informação em uma Walgreens fora da Strip. A senhora nos deu umas direções meio exóticas, fomos parar na estrada e quando vimos estávamos na direção a Los Angeles... daí bateu a preocupação e pegamos o primeiro retorno que achamos. Pedimos novamente informação, agora em uma 7eleven e percebemos que de alguma maneira havíamos feito toda a volta por fora da cidade e fomos parar lá em downtown. Aliás, a maioria desses locais, como 7eleven e Walgreens que são afastados do centro e da Boulevard, estão meio caidinhos. Deu a impressão que LV é uma cidade com muitos problemas sociais, porque o que vimos de mendigos e gente pedindo dinheiro na rua (especialmente fora dos pontos turísticos) impressiona mais do que em outras cidades... pelo menos as que já fui lá.
Downtown é bem bonitinho, mas parece que parou no tempo... acho que com o crescimento da Strip aqueles cassinos não vão durar muito mais tempo (não sei, é só uma impressão). Combinamos de voltar outro dia à noite pra ver o show de luzes na Fremont Street, mas não deu tempo (como havia escrito antes, fica na lista de ‘Razões para voltar a LV’). E a gente, sem saber que o Premium estava ali pertinho voltou todo o caminho (agora pela Strip e não pela estrada) a fim de encontrar o Las Vegas Outlet Center. No caminho, já bem perto, entramos uma direita errada e sem querer achamos o Town Square.... shopping aberto MARAVILHOSO! É super lindinho, com lojas maravilhosas e completas da Guess, Victoria, Apple, etc... nunca gostava das lojas da Puma nos outlets, mas a do Town Square (que não é outlet) é muito boa! Tem cada tênis lindo! Além disso, tem restaurantes legais, uma livraria da Borders bem completa, não tem tumulto e é muito bonito!
Após algumas horas de andança, fomos, então, ao Las Vegas Outlet Center, que é fechado e não tão bonito quanto o Premium, mas nele achei até mais coisa... tem que ir! Juntando as várias horas de comprar, percebemos que já era hora do nosso show – Jubilee, no cassino Bally’s. É um show super tradicional de LV que ocorre há muitos anos e que vale a pena ver pelo menos uma vez na vida, pois mostra bem a filosofia (pelo menos inicial) de Vegas... é uma mistura de cabaré com efeitos especiais. Fiquei indignada no início, pois pensei que só ficaria aparecendo mulher no show, mas depois tudo muda e fica bem democrático. O show é meio datado, mas ainda tem uns efeitos bem impressionantes... claro que se você for ver na mesma viagem ‘O’ do Cirque e Jubilee dá pra notar bem a diferença de idade de cada show.
Depois que saímos do show, ficamos um pouco no cassino do Bally’s e seguimos para o Paris. O caminho com lojas e restaurantes é muito lindo e recria a cidade francesa... enquanto andava por tudo isso não pude deixar de lembrar do Epcot.
Lá no Paris, decidimos jantar em um restaurante chamado ‘Le Provençal’, super lindinho e aconchegante. De entrada, sempre aquele pãozinho com azeite de oliva e vinagre balsâmico pra começar bem... e como prato principal pedimos pizza, que não estava ótima (também, que idéia pedir pizza em restaurante francês!), mas só o ambiente já valia a janta. Ah, detalhe: alguns dos garçons cantam músicas em inglês e em francês... o nosso garçom era um dos cantores e minha prima se ‘apaixonou’ pelo cara... que dúvida, já no final da janta falei para ele que ela gostaria de algo cantado especialmente para ela, ao que ele topou. Quando a gente jurava que ele iria continuar circulando no restaurante cantando outra música, ele se ajoelhou do lado dela e cantou ‘La vie en rose’ no pé do ouvido. Nossa... esse momento gerou altas gargalhadas e fotos!
Depois da jantinha, seguimos para o cassino do Paris e eu fiquei de boca aberta com a beleza dele. Alguns (como o do Bellagio) são mais chiques, mas o do Paris é o mais original e estiloso que fui! Muito show! Além disso, era muito animado... com bandinha tocando Barry White, Coldplay e tudo mais. Aliás, algumas músicas sempre nos lembram de viagens específicas. As que mais ficaram na minha lembrança relativas a essa viagem (não por motivos especiais, mas por lembrar delas tocando em alguns momentos que me dava conta da sorte em estar lá) foram as seguintes:
Coldplay – Viva la Vida
Estelle feat Kanye West – American Boy
Aerosmith – Janie’s got a gun

Ficamos lá bastante tempo, mas infelizmente não deu para subir na torre Eiffel (mais um ponto pra listinha da próxima viagem!) e depois seguimos para o nosso hotel.

 


 
 
No pavilhão da Itália (Epcot), note como os tijolos do campanário que ficam embaixo são muito maiores do que aqueles que ficam no alto (diminuem progressivamente), mais um exemplo da utilização da "perspectiva forçada".