Enquete - Qual seu maior mico?

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
Res: Res: Mico Federal!!!!

 mensagem postada em 03/06/2013 - 15:06:47hs
 
 

Bom, meu marido e eu fomos a Orlando em agosto do ano passado. Era a minha segunda vez e a primeira dele. Chegamos em Orlando, pegamos o carro na Alamo e bora pra estrada.

Ocorre que meu marido resolveu ligar o rádio do carro e saiu apertando todos os botões que estavam a sua frente e nada do rádio ligar.

Daí ele viu que no retrovisor tinha alguns botões também e resolveu apertá-los, eis que de repente o sinal de discagem emana dentro do carro e uma voz surge perguntando o que estava ocorrendo dentro do carro.

Oi????Como assim???Não ligamos pra ninguém???E meu marido começou a se desculpar dizendo que tinha apertado sem querer o danado do botão. Aí a moça disse ok e desligou...mas de repente a ligação retorna e aí não conseguíamos desligar e a moça um pouquinho mais impaciente perguntou: "alguma emergência no carro, Sr.?" E meu marido respondeu: "Não..só não consigo desligar!" E ela disse "ok...pode deixar que eu finalizo a ligação por aqui, mas não há nenhuma emergência no carro, ok?" E meu marido respondeu que estava tudo ok.

Só então descobrimos que o botão que o meu marido apertou tinha uma cruz vermelha como símbolo e que fazia a ligação diretamente para a emergência.

Resumo da história não tocamos em nenhum outro botão o resto da viagem...mas depois rimos muito dessa história, pois ficamos com medo de uma viatura abordar nosso carro, mas no fim deu tudo certo. (mensagem de Carolina Spinetti)


Lendo seu relato, quase cai da cadeira de lembrar, passei exatamente pela mesma situação....hilário!!! King Kong Monstro!!! (mensagem de Fábio Souza)


Realmente Fábio, foi um King Kong. E agora fiquei mais tranquila por saber que não fui a única a passar por essa situação...rsrsrsrsrs

 


 
 
A água que é lançada nos visitantes que observam a queda do Splash Mountain não é proveniente realmente do impacto da queda do bote na água, mas sim de canhões propositalmente instalados.