Entrevista com Marcelo Coimbra Osório - Cast Member da Disney

 
Novembro 27, 2009 @ 12:00 am
  por Vivian e Cris
 
 
 

Entrevista com Marcelo Coimbra Osório - Cast Member da Disney

Eles fazem parte da alma da Disney, estão por todos os parques, nos recebendo sorrindo no início de um novo dia de aventura.

 

Estão espalhados por todos os caminhos fazendo de tudo para que nossa visita seja realmente mágica e espetacular, afinal eles são os membros do elenco e nós os convidados.

 

Uau! Que festa!

 

E quando a noite vem são eles também que estarão na saída de cada parque acenando para nós com imensas luvas de Mickey. E lá se vai mais um dia...

 

Um dia que vai ficar para sempre registrado na memória e no coração... um dia especialmente feliz.

 

Temos a impressão que os cast members são escolhidos a dedo, e só entra quem tem um brilho muito especial.

 

A entrevista com o Marcelo só confirmou isso.

 

Antes de passarmos a ela, vamos contar um segredo, o Marcelo é filho do querido Oswaldo, um Mickeyro veterano que você certamente já encontrou pelos tópicos do fórum, e que gentilmente nos colocou em contato com ele.

Vamos lá?



MM - E aí Marcelo, como surgiu a vontade de ser cast member?

 

Marcelo - Vocês conhecem aquela frase “amor à primeira vista”? Bom, isso não acontece só entre pessoas. Foi assim que aconteceu comigo, e aposto que com muitos por aqui, desde a primeira vez que fui para Disney.

 

E dentre uma dessas vezes que fui para lá, vi brasileiros trabalhando para o camundongo mais famoso do mundo. E perguntei para essas pessoas como fazer para trabalhar na Disney também.

 

Depois que fiquei sabendo o quão “fácil” era e que estava ao meu alcance, tracei esse objetivo, “um dia ainda vou trabalhar aqui!”. Objetivo alcançado!



MM - Como é feita a seleção para cast member?

 

Marcelo - Bom, existem alguns tipos de programas para se trabalhar na Disney. Mas o mais comum, e de acesso a todos os universitários, é o International College Program. A seleção para esse programa é feita em duas fases. Na primeira, você deve participar de uma palestra organizada pela STB (empresa de intercâmbio que faz a seleção junto com a Disney) e após essa palestra informativa do programa, você pega uma senha para sua entrevista com a própria STB.

 

Passando nessa entrevista/fase, você é chamado para outra palestra e para uma nova entrevista com os recrutadores da Disney, que vêm para o Brasil somente para esse fim. Se você passar nessa segunda fase, é só correr pro abraço.



MM - Como é feita a designação de função e local de trabalho (parques e resorts)? Você pode escolher em qual lugar quer trabalhar?

 

Marcelo - Não, não podemos escolher onde queremos trabalhar. No entanto, durante a entrevista você pode mencionar onde gostaria de trabalhar. Mas isso não quer dizer que você irá para o referido local.

 

A sua “role” (papel ou função) é escolhida pela própria Disney, avaliando o perfil de cada candidato. Por exemplo: a minha role era Attractions & Operations que consistia em trabalhar nas atrações nos parques. Existem várias outras “roles”. Como Quick Service, que é trabalhar nos restaurantes. Ou então, Merchandising, que é trabalhar nas lojas que ficam dento dos parques, hotéis e/ou Downtown Disney.



MM - Depois de aprovado, é feito um treinamento na Disney? O que são as “traditions”? Fale um pouco sobre elas.

 

Marcelo - Quando você já está em Orlando, é feito o primeiro treinamento chamado Traditions. Esse treinamento é obrigatório para todos os funcionários da Disney, seja lá onde ele for trabalhar. Seja na linha de frente com contato direto com os Guests, ou atrás de uma mesa nos escritórios da companhia.

 

Traditions, como o próprio nome diz, conta as tradições da companhia Disney. É sobre toda a história de vida do Walter E. Disney como dono da The Walt Disney Co. e da empresa que ele criou.

 

Após o Traditions você é indicado aos treinamentos mais específicos da sua função.



MM - Qual foi o tema do seu treinamento?

 

Marcelo - Os treinamentos não têm um tema propriamente dito.

 

Funciona assim: primeiro você tem o Traditions.

 

No dia seguinte, você tem o treinamento geral no parque/hotel no qual você vai trabalhar. No meu caso, por exemplo, a gente vai até o Magic Kingdom e aprende tudo sobre o parque. A história dele, curiosidades e etc.

 

No segundo dia, você tem o treinamento geral da área na qual você vai trabalhar. Eu por exemplo trabalhei na Tomorrowland. Então nesse dia aprendemos as attractions, restaurantes, lojas e banheiros que têm na T-Land.

 

No terceiro dia, começa o treinamento especifico para qual atração/loja/restaurante/etc. você vai trabalhar. A duração desse treinamento varia de acordo com a atração que você trabalha. Tem atrações que o treinamento é de quatro dias (meu caso). Outras atrações têm o treinamento maior, como na Tower of Terror. E assim vai.

 

Depois de ter sido feito todos os treinamentos, você tem uma prova teórica e prática. Se você passar nessas provas, ótimo, já está pronto para trabalhar normalmente. Se não, fará os treinamentos novamente. Mas é tranqüilo de passar.



MM - A Disney faz com que o ambiente de treinamento seja mágico como o dos parques?

 

Marcelo - Com certeza sim! A maioria dos treinamentos ocorre na Disney University (que fica atrás do Magic Kingdom). E dentro desse prédio têm fotos de personagens Disney, e do próprio Walt, espalhados por todos os lugares.



MM - Qual o condomínio você ficou?

 

Marcelo - A Disney, atualmente, tem quatro condomínios para vários tipos de programas com pessoas de vários países, inclusive americanos. São eles: Chatham Square, Vista Way, Patterson Court e The Commons. Todos eles ficam “perto” do Premium Outlet.

 

Quando eu fui, o Patterson Court ainda não havia sido inaugurado, porém existia outro condomínio chamado Treehouse Villas, que hoje foi reformado e voltará a ser um hotel para Guest. Mas mesmo assim, todos os condomínios estavam lotados. Daí a Disney alugou um prédio de um hotel que fica em frente ao Vista Way. O nome dele é Blue Heron Beach Resort. E eu acabei ficando nesse Blue Heron. Mas tenho amigos que ficaram no Vista, outros no Chatham, no Treehouse e assim vai.



MM - O fato do cast member ter que conhecer a infra-estrutura dos parques, de alguma forma afeta a magia?

 

Marcelo - Depende do que você considera que é “magia”. Você acha mesmo que a Tinkerbell voa do Castelo da Cinderela, ou que está presa a cabos? Saber como as coisas funcionam, para mim, não quebra a magia. Pelo contrário, saber dessas coisas é que cria a magia. A magia da eficiência, da tecnologia, da inteligência, da qualidade de atendimento, da qualidade empresarial, etc. Claro que eu não vou contar quantos Mickeys existem na Disney. Okay, eu conto. Existe só um Mickey (risos).



MM - Fala-se que a infra-estrutura é toda no subterrâneo dos parques. Você poderia descrever um pouco como é?

 

Marcelo - Túneis subterrâneos só têm no Magic Kingdom. Em todos os outros parques não existe essa infra-estrutura por debaixo dos nossos pés.

 

No Magic Kingdom esse túnel é, oficialmente, chamado de Utilidors. Mas ele é mais comumente chamado de “The Tunnel”. É um túnel com vários caminhos, escadas, rampas, armários, escritórios e etc. Fácil de se perder. Sempre via gente que não trabalhava no Magic Kingdom perdido lá dentro. Eu tinha que dar informações para Guests no parque e para Cast Members no Tunnel. (risos).

 

As pessoas glorificam muito ele sim. É magnífica a idéia de como ele foi concebido. Mas depois que você anda nele todo dia, é um simples túnel.

 

Porém, ainda recomendo as pessoas fazerem o tour “The Keys To The Kingdom”. Eu sempre esbarrava com esses grupos lá por baixo, e eles ficavam me olhando como se eu fosse de outro planeta: “ooooolha um Cast Member andando no Tunnel!” (risos). Mas quem fizer esse tour não vai esbarrar com nenhum personagem descansando ou comendo. Só comigo, uma pessoa de outro planeta (risos).



MM - Você disse que só no Magic Kingdom tem o “The Tunnel”, então como é a infra estrutura dos outros parques?

 

Marcelo - É normal, nada demais. Simplesmente tem os bastidores atrás das paredes e muros. Uma coisa diferente acontece no Animal Kingdom, que tem bicicletas para os Cast Members andarem devido aos bastidores serem muito grandes, aliás, o parque todo é grande.



MM - Qual a melhor e a pior coisa de ser um Cast Member?

 

Marcelo - A melhor? Pode ser as melhores? (risos). Bom, é ver sonhos entrando e saindo dos parques todos os dias, é fazer parte da magia, é ser colega de trabalho do Mickey, poder entrar de graça nos parques, etc.

 

A pior... acho que não há.



MM - Quais as vantagens que são oferecidas a um Cast Member?

 

Marcelo - Eu, como todo funcionário da Disney, tinha direito a:

  • entrar de graça nos parques;
  • entrar com mais três pessoas, durante seis dias, com direito a Park Hopper (de graça);
  • descontos de 20%, e 40% no final do ano, em merchandising nas lojas da Disney (ano passado o desconto de final de ano foi de 50%;
  • desconto de 20-60% nos hotéis Disney, dependendo da época da estadia e do hotel;
  • participar de palestras ministradas por diretores da Disney, sobre Liderança (por exemplo), e outros temas, na Disney University; e,
  • descontos em lojas fora da Disney como na Nike e em restaurantes como o Cici’s Pizza. Não eram grandes descontos, cerca de 10%, por aí.

 

Isso é o que eu me lembro. Já os funcionários efetivos, têm outras vantagens como: assistência médica, descontos em universidades, descontos em condomínios habitacionais que tem parceria com a Disney, etc.



MM - Você fez muitos amigos, e mantém essas amizades?

 

Marcelo - Sim, fiz amigos do mundo todo e até hoje mantenho contato. E claro, já fui visitar vários desses amigos em São Paulo, Fortaleza, Rio de Janeiro e outras cidades. Temos que aproveitar a estadia “grátis”, né!? (risos)



MM - Você já participou de alguma preparação ou dos bastidores de algum show ou parada? Como foi?

 

Marcelo - Eu trabalhei em paradas e shows, com controle de audiência, dando informações e etc., mas não na preparação ou nos bastidores. Porém, vi bastidores de vários shows e paradas. Só tenho uma coisa pra dizer: coitados dos artistas (risos).



MM - Você já passou por algum mico?

 

Marcelo - Mico? Eu acho que não. Mas um amigo meu passou. Ele era personagem, fazia o Tigrão. E um dia apareceu uma daquelas famílias com um milhão de filhos correndo, te abraçando e etc. Daí ele foi tirar foto com eles, mas devido à visão parcial por causa da fantasia ele não viu todos os membros dessa família. Então ele abriu os braços pra tirar a foto e acabou dando um tapa forte na boca de um dos filhos. (muitos risos), mas eles viram que foi sem querer e deu tudo certo!



MM - Qual o momento mais mágico que teve lidando com o público?

 

Marcelo - Um momento mágico que eu presenciei, não foi lidando com o público diretamente, mas acho interessante contar.

 

Um dia, tínhamos acabado de abrir o parque e eu estava na T-Land Bridge (aquela ponte que vai para a Tomorrowland) e vi uma menininha americana, fantasiada de Cinderella, sair correndo desde a entrada do parque até a frente do Castelo e gritar: “acorda Cinderella, eu vim tomar café da manhã com você!” (risos). Foi legal.

 

Como turista a gente não percebe muito, mas trabalhando lá dava para perceber a alegria e a felicidade das criancinhas por estarem na Disney. E mesmo no final do dia, elas ainda estão felizes, pulando e gritando (risos).

 

Era comum também ver crianças chorando ao final do dia. Eu perguntava por que elas choravam, e elas respondiam que era o último dia na Disney ou que já tinham que ir embora.

O que eu fazia? Falava que se ela parasse de chorar e sorrisse eu daria um Mickey de pelúcia (ou perguntava o personagem favorito delas). Daí eu dava um voucher de $20 para a mãe comprar o tal bichinho em qualquer loja da Disney. Gesto simples, gasto financeiro mínimo para a Disney, mas com grande impacto.



MM - Qual a grande lição que você aprendeu trabalhando na Disney?

 

Marcelo - A maior lição? Que atrações, brinquedos, montanhas-russas, todo parque pode ter, em qualquer lugar do mundo. Mas a magia Disney somente pode ser criada pelos Disney Cast Members. E o segredo dessa Magia é bem simples: excelência e qualidade no atendimento e prestação de serviços. Algo tão fácil e simples, mas que muita empresa esquece.

 

Olha a Universal, comparando as atrações, muita gente prefere as da Universal. Também acho mais legais, com mais adrenalina. Agora compare o atendimento deles com o da Disney. Compare os lucros e a ocupação dos parques e hotéis. Preciso falar mais alguma coisa? (risos).



MM - Marcelo, nossa entrevista chegou ao fim... você gostaria de falar mais alguma coisa?

 

Para quem quiser saber mais sobre como é a vida de um Disney Cast Member, eu e um colega - Felipe Almeida, temos um blog chamado Cast Tips. O endereço é casttips.blogspot.com.

 

Para maiores informações sobre a seleção para o ICP, além do Cast Tips, tem o site da STB.

 

Foi um prazer dar essa entrevista e contar um pouco como é ser um Disney Cast Member.

 

Beijos para todos.

And Have a Magical Day!

See Ya Real Soon!



É isso pessoal! Marcelo gostamos muito mesmo de saber como é ser um cast member, e olha, foi muito bom você confirmar que há somente um Mickey, a gente já tinha certeza disso, afinal ele mora dentro do nosso coração, ali... bem do ladinho da Cinderela, da Branca de Neve, do Peter Pan, do Pluto...

 

Haja coração!

 

E há, viu?



 


Vivian e Cris
publicado por
 

Vivian e Cris


Outras Matérias

Dá para acreditar que a Disney irá encerrar a atração The Twilight Zone Tower of Terror do parque Disney California Adventure?

 

O Imagineiro Joe Rohde informou no blog oficial da Disney na data de 23 de julho de 2016 uma notícia que por certo agradou a todos os fãs do Universo Marvel, uma nova atração inspirada nos Guardiões da Galáxia ("Guardians of the Galaxy")...

 

A emoção da Família Galhano em visitar a Disney pela primeira vez

 

Orlando é uma cidade que inegavelmente se apresenta muito bem estruturada para receber os turistas. Todavia, ainda assim é necessário um pouco de planejamento, principalmente por aqueles estão viajando pela primeira vez ("marinheiros de primeira viagem") e que não optaram por excursão. A família do amigo Rodrigo Galhano teve a oportunidade de visitar a Terra da Magia pela primeira vez e,...

 

Você conhece o passeio Serengeti Safari do parque Busch Gardens? Gosta de girafas?

 

O Serengeti Safari muito possivelmente é um dos passeios guiados mais conhecidos e procurados por todos que visitam o parque Busch Gardens Tampa Bay. Para participar dessa experiência o visitante despende em média de US$ 29,00 a US$ 39,00 +...

 

Viajando para Orlando no Carnaval

 

O Carnaval é um dos feriados mais aguardados pela grande maioria dos brasileiros. Todavia, muitos ainda preferem visitar da Terra da Magia nessa época do ano ao invés de cair na folia aqui no Brasil. E sempre que começamos a planejar a nossa viagem para Orlando é muito importante considerar alguns fatores fundamentais, dentre eles, o clima e a lotação dos...

 

Burgergasm: uma explosão de prazer quando o assunto é junk food

 

Que a Flórida reúne os melhores parques que existem ninguém tem dúvida. Mas, a diversão também não tem limites quando o assunto é junk food. Com opções para todos os gostos e bolsos, os americanos fazem jus quando o assunto é um sem fim de gordurames. Evitada por uns e aclamada por outros, deixemos de lado a questão da boa...

 

Voltar