Setembro 11, 2009 @ 12:00 am

5 - Dicas para os Mickeyros de primeira viagem - Dirigir em Orlando

 
 
Agora que você já alugou seu carro, é muito importante que você, motorista Mickeyro, saiba como efetivamente funciona o trânsito em Orlando, então aqui vão algumas dicas de...

Como dirigir em Orlando

Após cumprir as formalidades locais para o aluguel de veículos, está na hora de você pegar a estrada.

Dirigir em Orlando não é nada complicado, os motoristas costumam ser educados, os limites de velocidade são obedecidos, quase ninguém costura, fura a fila ou fica buzinando enlouquecido, as regras são respeitadas, a cidade é muito bem sinalizada, e tudo funciona bem.

Saiba, por exemplo, que, diferentemente daqui, lá as motos utilizam o espaço de um carro, e nunca andam entre as faixas.

Importante: todo o sistema viário de Orlando tem orientação com base nos pontos cardeais: North (Norte), South (Sul), East (Leste) e West (Oeste).

Assim, por exemplo:

Você está na rodovia I-4 West, significa que você está na I-4 (Interstate 4) sentido Oeste.

Se tiver que voltar pela mesma I-4 você tem que pegar o sentido Leste (East). As placas ao longo da estrada estarão sinalizando o sentido (West ou East).

Portanto, preste atenção ao sentido quando buscar um endereço ou digitá-lo no GPS.

De maneira geral tudo é bem sinalizado e os cruzamentos das vias importantes costumam ser bastante amplos, o que de início pode causar algum receio ao motorista menos experiente, mas fique tranqüilo, pois nestes grandes cruzamentos os semáforos são por fases, isto é, todos terão sua vez.

Atenção: na maioria dos cruzamentos, fique atento aos sinais brancos pintados nas pistas (setas de direção), pois há pistas específicas para quem vai virar à esquerda, outras para quem vai virar à direita, e outras para aqueles que vão seguir em frente. Não se preocupe porque tudo é muito visível.

Diferentemente do Brasil, em especial São Paulo, lá você pode fazer conversões à esquerda em praticamente todas as ruas, com ou sem semáforo, (se o semáforo estiver vermelho pare e aguarde o verde).

Por outro lado, muitas vezes você pode virar à direita mesmo com o farol fechado, contudo, se num cruzamento, houver a plaquinha branca “No Turn”, você não poderá dobrar à direita com o sinal vermelho, pare e espere o verde.

Detalhe importante: em alguns semáforos de cruzamentos, a entrada à esquerda mostra um farol apagado, isso significa que ele está fechado para você, espere aparecer o verde para por o carro em movimento.

Já nos cruzamentos sem semáforo prevalece a ordem de chegada, preste atenção: o que chegou primeiro passa em primeiro, se você for o segundo aí será a sua vez.

Assim, se ao chegar num cruzamento sem semáforo, já existirem carros parados esperando no local para atravessar, todos eles estarão a sua frente, portanto, aguarde a sua vez, pois os que forem chegando depois irão parar e esperar você cruzar.

Num cruzamento que tiver o sinal STOP voltado pra você, significa que é para parar sim, e não para dar uma reduzida da velocidade e seguir, é prá parar mesmo, OK?

Sinalize sempre, use muito pisca-pisca, e evite “costurar” no trânsito, pois eles não têm esse mau hábito e isso causa estranheza para todos, inclusive, aos policiais.

Não dirija entre as faixas, ou seja, duas rodas dentro de uma faixa e as outras duas dentro de outra, isso pode lhe render uma multa ou, no mínimo, um buzinaço.

Diferente do que acontece no Brasil, lá a ultrapassagem de um veículo é feita pela esquerda (como aqui) e também pela direita, portanto fique esperto com isso.

Respeite os limites de velocidade, lembrando que a unidade de medida nos Estados Unidos é milhas por hora e não quilômetros por hora, (uma milha é igual a 1.6 quilômetros).

Quando aparece nas placas das vias 55 mph, significa que o limite de velocidade é de quase 100 km/ph, portanto cuidado!

E não tem desculpa, eles multam mesmo! Não adianta dar uma de “sou turista, não sabia”, o popular “João sem braço”.

Detalhe: Os velocímetros dos carros mostram a velocidade sempre em milhas/hora, sendo que na maioria das vezes também mostram a medida km/hora em números menores.

Caso você seja parado pelo policial, nunca desça do carro, mantenha as mãos no volante bem à vista e espere que ele solicite os documentos (normalmente a carteira de habilitação e os documentos de locação do carro). Só saia do carro se ele mandar. Seja respeitoso e educado, afinal você está de férias e não quer encrencas, não é?

Importante: segundo uma nova lei, aprovada em junho deste ano, os policiais poderão te mandar parar se você não estiver usando os cintos de segurança. Essa lei também intensificou a fiscalização sobre o consumo de álcool e o excesso de velocidade.

Mas você, motorista Mickeyro, que decidiu alugar um carro também precisa ter uma noção básica de como funcionam os...

Pedágios (Toll)

Assim como em diversas estradas brasileiras, também em Orlando você vai encontrar vias com pedágio (ou "toll" em inglês).

E também, como aqui, à medida que você for se aproximando do pedágio verá as placas indicando o valor a ser pago, que varia de toll para toll (costuma ser baratinho, em torno de 1,00 dólar).

Basicamente, são três os tipos de cabines que você poderá encontrar, sendo que em muitos casos não há cancelas:
- exact change - que só aceita o pagamento no valor exato em moedas, neste caso é só você jogá-las numa cesta (com formato de funil) no valor total do pedágio. São aceitas moedas de 5, 10 e 25 cents – as de 1 cent não.
- change and receipts – que é igual ao sistema aqui do Brasil, isto é, há um funcionário que efetua a cobrança. Neste caso, você pode pagar em notas ou moedas, e não precisa ser o valor exato, pois o funcionário lhe dará o troco. Pague com notas de até 20,00 dólares, não mais do que isso.
- e o chamado Sun Pass ou E-Pass, que é como o nosso “Sem Parar”, neste caso há faixas livres para o carro que tem o dispositivo automático para a cobrança.

Muito bem, estes são os tipos de cabines disponíveis, e os respectivos nomes estarão bem visíveis à distância. Fique sossegado.

Os pedágios das estradas costumam ter as faixas livres para os carros que tem o Sun Pass/E-Pass e as cabines com funcionários para dar troco (as cabines “change and receipts”). Fácil.

Observação: saindo do aeroporto de Orlando, no sentido da International Dr. existem dois pedágios com funcionários para dar o troco. Lembre-se de sair do Brasil com algumas notas de menor valor (tipo 1, 5, 10 ou 20 dólares).

A dica: quando pagar o pedágio para o funcionário na cabine, sempre verifique o troco, porque há casos em que eles se “enganam” e dão o troco errado. Fique esperto.

Já os pedágios dos acessos às estradas (ou rampas de acesso), contêm além das faixas Sun Pass/E-Pass, a cabine com cestinha para o troco exato (exact coins). Nesse caso, o motorista realmente tem que ter o troco exato, porque nestes locais não há funcionário para dar troco ou ajudar.

Agora, se você quiser tranqüilidade e não se importar em pagar um pouco mais por isso, saiba que algumas locadoras, como a Avis e a Alamo, por uma taxa de U$2,50 por dia ou de U$10,00 a semana, oferecem o tal dispositivo automático para passar pelo Sun Pass/E-Pass.

Além desse valor, serão cobrados os valores das tarifas dos pedágios pelos quais você passar (serão debitados em seu cartão de crédito).

Mas atenção: este serviço deve ser contratado separadamente, isto é não está incluso na locação normal.

Gostaríamos de finalizar estes tópicos, agradecendo ao nosso grande amigo Antonio Crescenti e também à querida Andréa, uma amiga que mora na cidade mágica de Orlando, pois ambos, gentilmente, esclareceram nossas dúvidas.

Estas são as dicas básicas para se dirigir em Orlando, sabemos são muitas informações para serem absorvidas, mas pode ficar sossegado que quando pegar o carro vai se sair bem, até porque você irá aprender observando o comportamento de outros motoristas.

Calma Mickeyro porque ainda não acabou! Pois, ainda há outras coisas importantes que você que optou pela locação, deve saber.

Então, aguardem o próximo artigo que continuaremos a falar sobre outras coisas interessantes para os motoristas e para aqueles que optaram por outros meios de transporte.

That's all folks!
publicado por
 

Vivian e Cris

Deixe um comentário

* não será publicado

Deixe o seu comentário (Facebook)