Maio 13, 2010 @ 12:00 am

19 - Dicas para Mickeyros de Primeira Viagem - Animal Kingdom - Parte 1

 
 

Vi, não estou achando lugar para aterrissar! Só tem florestas lá embaixo! Vamos ter que procurar uma clareira! Que tal lá na frente?
Ih... não dá! Lá tá cheio de animais! É uma savana!

 

Então... parece que só tem um jeito Cris, vamos ter que saltar com nossos pára-quedas mágicos de orelhas de Mickey! Chama a Sininho para jogar pozinho de pirlimpimpim e deixar o avião flutuando!


Ok Vi! Tudo pronto, ela já estava a postos!  O avião já está em modo de flutuação encantada! Podemos começar o desembarque com segurança...
Então Mickeyros, todos a postos com seus pára-quedas orelhudos? Podem saltar sem medo, a queda será segura e suave, e como num passe de mágica vocês estarão no chão!


Afinal estamos na Disney...


Estamos no...  Animal Kingdom!

 

Este parque, assim como todos os outros do Complexo, tem sua temática própria, ele é voltado para a natureza, para os animais, tanto do passado como do presente, e para os mistérios das terras distantes ...

 

O ambiente é exuberante. Na maior parte do tempo passeamos por caminhos em meio a bosques e matas. Lá, você vai se sentir um verdadeiro Mickeyro Explorador, ou ainda um Mickeyro das Selvas!

 

O Animal Kingdom foi inaugurado no dia 1º de maio de 1998 e é o maior parque de todo o Complexo Disney. Só para vocês terem uma idéia, ele é duas vezes maior do que o Epcot e cinco vezes maior do que o Magic Kingdom.

 

Porém nem toda a sua área é acessível para visitação, esse espaço todo é necessário para abrigar os seus quase 2.000 animais, de cerca de 250 diferentes espécies.  

 

A vegetação também é abundante e diversificada, são mais de 4 milhões de árvores, arbustos e flores nativas de todos os continentes.

 

Você já imaginou Mickeyro, essa natureza toda, envolta pela magia da Disney? É de encher os olhos!!!    

 

Então vamos às atrações!

 

Ôps...

 

Vi, você está ouvindo batidas de tambores ao longe?
tum...tum...tumtum... tum...
Tô Cris.... parece uma mensagem... Pega nosso dicionário tamborês-português!
tum tum... tum, tum tum... tumtum....
É uma mensagem sim Vi!!
Diz o seguinte:... se ... você... quiser... saber tum tum ..detalhes de... tudo ... o que... o parque...tem... tum tum tum.... consulte.... tum tum... as páginas.... tum tum... fixas... do ... tum tum... VPO!!

 

Muito bem.

 

Assim como o Magic Kingdom, o Animal Kingdom também se divide em áreas, são sete: “Oasis”, “Camp Minnie – Mickey”, “Discovery Island”, “Africa”, “Dinoland USA”, “Ásia” e “Rafiki’s Plane Watch”.

 

A entrada se dá por uma bela região conhecida como “Oásis”. Lá você vai percorrer caminhos através de uma exuberante mata, com aves, lagos, pequenos animais, plantas, flores, e é nesse clima de “Mickeyro das Selvas”, sentindo a energia da natureza, que você vai passar boa parte do seu dia no parque.

 

No “Oásis” não tem nenhuma atração propriamente dita, é apenas uma área de transição, onde você vai poder se desligar aos poucos do mundo atual, deixar para trás toda civilização e entrar de corpo e alma no coração de uma maravilhosa natureza pronta para ser desvendada por você!

 

Nesta área é comum encontrar cast members segurando pequenos animais, para que possamos conhecer mais de perto algumas espécies selvagens.

 

No coração do Animal Kingdom está a “Discovery Island”.

 

Dessa ilha saem pontes que ligam a todas as demais áreas, exceto o “Rafiki’s Planet Watch”. Além disso, é lá nessa ilha que está o símbolo do parque.

 

Mickeyros, a Disney sabe escolher seus símbolos como ninguém: o encantador “Castelo da Cinderela” no Magic Kingdom, a imponente “Spaceship Earth” no Epcot, o mágico “Sorcerer Hat” (Chapéu de Feiticeiro do Mickey) no Hollywood Studios, e no Animal Kingdom ... a  exuberante “Tree of Life”, ou Árvore da Vida!

 

Você avista essa árvore de longe, pois ela é gigantesca e muito especial! Por si só já é um espetáculo incrível para ser explorado, pois, em seu tronco, galhos e raízes, estão esculpidas imagens de mais de 300 animais!

 

A gente não cansa de olhar, quanto mais você se concentra nos detalhes desta gigantesca obra de arte, mais animais escondidos você descobre. É simplesmente inacreditável!

 

Mickeyro pode abusar das fotos por ali, pois certamente você vai amar ter essa recordação.

 

Depois de explorar todos os caminhos ao redor dessa imensa árvore, você vai descobrir que também há vida embaixo dela... pois existe uma atração que vai te pegar de jeito, chamada...

 

It´s Tough To Be a Bug!

 

Você vai entrar no interior da base da árvore, e vai se sentir como se estivesse ingressando numa grande caverna, escurinha e aconchegante, que fica mais especial ainda com o barulhinho gostoso dos grilhinhos cantando...

 

Você vai aguardar ali, até que as portas se abram para poder passar para outra caverna, na verdade uma sala de cinema.

 

Munido de óculos especiais muito diferentes que você vai pegar logo na entrada, você vai assistir a um filme 3D que é super bacana, pois além dos efeitos tridimensionais da tela há efeitos reais surpreendentes. Você vai assistir uma estória muito engraçadinha com personagens do desenho Vida de Inseto, como a formiga Flik e o gafanhoto Hopper.

 

Mickeyro pode ter certeza que depois de assistir a esse filme, você vai ver os insetos de um outro jeito, com olhos de carinho. Pode apostar que você vai se apaixonar por estes bichinhos tão “esquisitos”...

 

Vai sentir muita ternura por eles, mesmo quando se comportarem de uma maneira ... vamos dizer.... pouco educada, quando, por exemplo, um grande besouro vira seu imenso bumbum pra platéia e .... sem a menor cerimônia solta um belo e fedido....pum !!

 

O pior é que tem gente que ainda se aproveita deste momento nada glamoroso e põe a culpa no pobre besouro indefeso!    

 

Gente vocês vão amar essa atração! Mas cuidado... pois alguns “insetinhos” passam por entre as cadeiras da platéia! O susto é inevitável, mas rende boas risadas!!

 

OK, dali da “Discovery Island” você pode pegar uma ponte e conhecer o “Camp Minni-Mickey”, onde você vai entrar numa área muito bonita, com direito até a um riacho, e vai encontrar estátuas dos amiguinhos muito queridos, como o Mickey, e sua amada Minnie, o Pateta, o Donald e seus sobrinhos.

 

Mas fique tranqüilo, pois o próprio Mickey e sua querida Minnie aparecem lá em carne e osso para que você possa dar aqueeele abraço gostoso ou simplesmente tirar uma foto para guardar no seu baú de tesouros especiais, aqueles do fundo do coração, sabe?

É nessa área que está o encantador show Festival of The Lion King, baseado no desenho o “Rei Leão”.

 

Gente, esse show combina atores reais com os personagens do famoso desenho, como o pequeno leãozinho Simba e seus amigos Pumba, o javali, e Timão, o suricato, dentre tantos outros. Tudo num grandioso estilo Broadway, com muita música, dança, cores e acrobacias. É muito legal!

 

Escolha o seu lugar com cuidado, pois os artistas interagem com a platéia, e tem muito Mickeyro que não gosta de “pagar este mico”.

 

E já que estamos falando no Rei Leão, separamos um vídeo bárbaro em que o Elton John canta a música tema, Circle of Life. O clip mistura cenas dele tocando e cantando, com cenas do desenho, e ainda mostra os atores que deram vozes a alguns dos personagens. Preparem-se, pois é de arrepiar! Aumentem o som!

 

Muito bem, continuando nossa jornada vamos pegar outra ponte e conhecer... a selvagem “África”...


Você nem vai acreditar, mas entrando nessa terra você vai se sentir na África mesmo, aquela que você conhece de filmes e fotografias.

 

E o que a África tem de mais famoso? Os safáris, é claro! Chic hein, Mickeyro? Você fazendo safári na África, sem precisar sair de Orlando!

 

E aqui a satisfação é garantida, pode ter certeza que neste safári você vai conseguir avistar as mais importantes espécies de animais africanos e com total segurança.

 

Você pensou que iria ver os animais como num zoológico? Nada disso! O que é legal lá no Animal Kingdom é que os animais estão super à vontade e livres. A Disney procurou reproduzir o ambiente de cada espécie e fez um trabalho e tanto!

 

Aliás, a Disney costuma enfatizar em suas campanhas publicitárias, que o Animal Kingdom está longe de ser um simples zoológico. Para ilustrar melhor este fato, normalmente, quando vai falar sobre o parque ela utiliza a palavra “Nahtazu”, que se pronuncia “Not a Zoo”.

 

No Animal Kingdom também são realizados importantes trabalhos de preservação de algumas espécies animais ameaçadas de extinção. A Disney tem um fundo especial para esse objetivo, o “Disney Worldwide Conservation Fund”.

 

Para fazer esse safári você tem que embarcar no “Kilimanjaro Safaris”!

 

A bordo de um tipo de um caminhão aberto, você vai percorrer um longo caminho pelas savanas africanas...

 

Tudo é absolutamente perfeito, a vegetação típica, os Baobab, que são árvores peculiares da África, os animais selvagens, até a temperatura parece que sobe um pouquinho, a única diferença é que não tem perigo e mosquito algum! Ah... essa Disney consegue melhorar até a própria natureza!


Os animais mais dóceis ficam soltos e podemos passar bem pertinho deles. Aproveite e tire muitas fotos, mas lembre-se das placas na entrada da atração: não alimente os animais.

 

Uma vez neste safári minha mãe resolveu fazer amizade com uma simpática Ema, e, educadamente, apesar de saber da proibição, ofereceu pipoca a ela...
A “bichinha” que parecia tão dócil ficou maluca... perseguiu o nosso caminhão em alta velocidade feito louca. Eu não sabia que as emas corriam tanto assim...
Ela tentava “roubar”, a todo custo, o saco de pipocas da minha mãe, que por sua vez, gritava assustada... imaginem o “mico ecológico” que passamos...
Quando mudamos de território no safári foi um alívio... e minha mãe, depois dessa, resolveu não ignorar mais os avisos do parque... (Cris) 

 

Já os animais mais perigosos ficam situados em locais de fácil visualização, mas seus territórios são rodeados por valas, então Mickeyro pode ficar bem tranqüilinho, pois você estará muito bem protegido durante todo o percurso, afinal a Disney não iria colocar ninguém em risco.

 

Você poderá ver elefantes, crocodilos, garças, zebras, leões, rinocerontes, hipopótamos...

 

Falando em hipopótamo, cuidado com esse bicho, pois embora aparente docilidade, é um animal bravo que tem um hábito meio esquisito, não sabemos se é defesa ou pura mal criação mesmo.

 

De pé, ele começa a fazer o ... como dizer isso de forma educada... o .... o número 2,  ao mesmo tempo em que começa a abanar seu rabinho curto em alta velocidade! Sabem o que acontece, né? ... sobra nº 2 prá todos os lados!!

 

Mas que bichinho mais porcalhão hein Vi? Aquele velho ditado “jogar nº 2 no ventilador”, deve ter vindo daí...
Cris, na natureza tudo tem um motivo. Que tal a gente perguntar para o Tarzan, o porquê dos hipopótamos agirem assim?
...
Vi, acabei de falar com ele e sabe o que ele respondeu?
“ÃãããÃããÃ!!”
Eu sabia!! Que cara mais monótono... Então vamos atacar de Google mesmo que não tem erro Cris...
Olha só Vi, então é isso... não é por pura deselegância que eles agem assim. Essa é a maneira que os hipopótamos usam para marcar o seu território!!  

 

Mas voltando ao nosso safári, o passeio é delicioso, mas num determinado momento, ficamos sabendo que naquela savana, há caçadores maldosos que querem pegar elefantes para roubar o marfim de suas presas!

 

As coisas ficam mais emocionantes e nos embrenhamos por caminhos mais sacolejantes! Mas felizmente tudo acaba bem, pois o acampamento dos caçadores é descoberto e um lindo filhotinho de elefante é salvo! Ufa!

 

Depois de fazer esse safári, você vai poder continuar a explorar a vida animal africana, seguindo a pé pelo “Pangani Forest Exploration Trail.

 

Aqui há caminhos para serem percorridos e onde poderemos observar belos animais.

 

Uma vez, estávamos andando por estes caminhos, quando chegamos na área dos gorilas. Um deles, assim que nos viu, veio correndo em nossa direção batendo as mãos fechadas no peito! Sabem aquele gesto que os gorilas fazem, não é?
Embora estivéssemos em lugar seguro, pois não há como você ter contato com os bichos, foi assustador, pois o barulho que aquelas batidas fazem é impressionante!! O bicho parecia ter um bumbo dentro de si, faria um sucesso enorme no Olodum!
O gorila estava louco e enfurecido! Gente, ele estava com a macaca!
Não! Vocês não entenderam! Ele literalmente estava com a “macaca”, isto é, com uma gorila !!
Acho que ele ficou danado da vida de a gente ter chegado naquela hora e visto cenas de gorilas explícitas! (Vivian)

 

Continuando a andar pela África, você vai poder embarcar num trem chamado “Wildlife Express” que te levará ao “Rafiki’s Planet Watch”!

 

É um trem muito gostosinho que percorre os bastidores do parque. O passeio é bem curtinho, mas vale à pena. Você vai poder ver onde ficam alguns animais quando são recolhidos para dormir, e onde recebem cuidados veterinários.

 

Chegando no “Rafiki’s Planet Watch” você terá coisas legais para ver, como um mini zoológico chamado “Affection Section”, onde poderá interagir com animais mansinhos, como ovelhas e cabras.

 

Poderá ainda, dentre outras coisas, conhecer laboratórios veterinários e, ainda, desvendar uma atração chamada “Song Of The Rainforest”, onde você entra numa pequena sala escura tratada acusticamente. Nela você vai poder ouvir os sons da floresta. É bem interessante.

 

Para retornar, você tem que embarcar no mesmo trem novamente, é tão bom... Piuíííí.....

 

Mas hora de deixar a “África” para trás e seguir rumo à exótica e misteriosa “Ásia”...

 

Só a Disney mesmo para nos proporcionar essa sensação de ir de um continente a outro tão fácil e rápido! Para o nosso querido tio Walt o mundo decididamente não tinha fronteiras!

 

Nesse caminho de transição entre os dois continentes é que costuma se apresentar a famosa DiVine...

 

Certa vez eu estava passeando por esta área, totalmente distraída, envolta por toda aquela beleza natural, quando me deparei com uma espécie de planta rara totalmente desconhecida para mim... parecia uma videira, mas...  
Fiquei olhando, olhando e de repente... ahhh... ela se mexeu!!!! Nossa, era uma “videira viva”, ou melhor, uma “estátua videira viva”!!!
Era uma bela contorcionista vestida de videira, simplesmente perfeita... ilustrava claramente o que já estamos cansados de saber, mas algumas pessoas ainda teimam em “fingir que não sabem”... que a natureza é realmente viva e merece todo nosso respeito. (Cris)    

 

Ficou curioso? Dá uma espiada neste vídeo e veja como ela é bonita e como se move com delicadeza:

 

Falando em África e Ásia...  Hora da pegadinha Cris!
Ih... lá vem besteira, pode mandar Vi...
Sabe qual é uma das diferenças entre o elefante da África e o da Ásia?
Ai, ai, ai... não sei Vi, qual é? Um mora na África e outro na Ásia?
Não! Tcham tchararam.... as orelhas!!! As do elefante africano são grandes e a do asiático pequenas!
Eu mereço.... Vi você tá fixada em orelhas!
Eu sei Cris, a culpa é daquele Mouse que tomou conta do meu coração...

 

Mas voltando ao assunto...

 

Conforme você for se aproximando da “Ásia”, você vai avistar uma imensa e imponente montanha com os picos nevados... que por acaso é a atração mais famosa do parque, o eletrizante “Expedition Everest”!

 

Cuidado... não se deixe levar tão facilmente pela visão de sua imponência,  pois nessa montanha vive uma criatura lendária...  que muitos pensavam que não existia... mas ela existe sim, e como existe... Estamos falando nada mais, nada menos do que o temível Yeti... o “Abominável Homem das Neves”...

 

Vi precisamos avisar os Mickeyros que ele é enorme!
É mesmo Cris! E muito, mas muuuito bravo! Pensando bem, eu estou morrendo de calor, acho que vou tomar um sorvete e te encontro depois...
Nã na ni na não... você não vai me abandonar aqui sozinha com o Yeti. Ele é muito assustador! Na saída a gente toma um sorvete juntas...
Tá bom eu vou... pelo menos esta atração não tem loopings...

 

Mesmo sabendo da presença do Yeti, você não resistir (ou não te deixarem resistir...) e quiser explorar os mistérios e perigos dessa montanha... tudo bem... mas depois não diga que não avisamos....

 

Para essa aventura, você vai ter que pegar uma fila e andar por um longo caminho ao pé da montanha onde vai ver cenas e objetos bastante curiosos, como oferendas para acalmar a criatura da montanha, um acampamento–base para os exploradores que ousaram desafiar o Yeti... Curiosamente alguns não voltaram... Ué...

 

Em seguida, você vai embarcar num trenzinho antigo, que em outros tempos transportava a colheita de chá.

 

O trenzinho começa seu passeio tranqüilo, a paisagem é bem bonita... até que começa a subir a montanha... sobe... sobe... e quando percebemos estamos a uma altura inacreditável!

 

Podemos ver todo o parque lá embaixo! Mas tudo bem, tudo é aventura mesmo...

 

Mas ... de repente... o trenzinho pára, pois os trilhos estão interrompidos! Foram arrancados do chão e estão totalmente retorcidos... Algo está errado... alguma coisa muito estranha aconteceu ali,  impossível seguir em frente! E o único jeito é... voltar...  e voltar de ré!

 

Nosso trenzinho começa uma jornada veloz montanha adentro de costas, estamos totalmente no escuro! Corremos cada vez mais rápido, até que ele pára de repente.... e bem no alto à nossa frente aparece a imensa sombra do  terrível e enfurecido Yeti!

 

Não, agora não adianta ficar arrependido! O fato é que invadimos a montanha sagrada, e o jeito é dar o fora dali o mais rápido possível!

O trenzinho sai da montanha em disparada para mergulhar numa grande queda em curva muuuito emocionante!

 

Estamos a salvo? Não!! Os trilhos levaram nosso trenzinho de volta para dentro da montanha e a criatura está lá dentro!!

 

E mais uma vez nos defrontamos com ela, e dessa vez em “carne e osso”! Socorro!!

 

Mas felizmente, depois de passarmos esses apuros, conseguimos fugir e sair dali.... Vivos!! Intactos!! E incrivelmente felizes e loucos para experimentar tudo outra vez!!

 

Gente, essa atração é bárbara! Super emocionante e causa um medo gostoso! Porém, é necessário ter 1,13cm de altura para poder se aventurar na montanha do Yeti.

 

E já que estamos falando em medo, vou contar para vocês uma coisa que aprendi sem querer. Eu adoro filmes de terror, mas tem uns que dão tanto medo, que nem assistindo junto com meu marido eu fico tranqüila, quanto mais assistir sozinha.
Numa noite que estava só, eu estava vendo um filme com uma cena daquelas bem aterrorizantes, e fiquei tão apavorada que minha reação foi a de tirar o som da TV!

E... voilá! Imediatamente meu medo diminuiu mais da metade!
Coloquei o som de novo... apavorei! Tirei o som... tranqüilizei...
Pensei: ôpa... posso controlar meu medo?
Vamos de novo: coloquei o som, apavorei!!! Tirei o som, tranqüilizei... Êba.
Agora assisto qualquer filme, e se o medo pegar, aperto a tecla mudo!
Uma vez resolvi aplicar isso em Orlando, e minha primeira experiência, foi na então recém-inaugurada Expedition Everest... Estava muito ansiosa para experimentá-la, mas estava com o coração na mão...
Assim que sentei no carrinho, tapei os ouvidos com as mãos... e a medida que o trenzinho ia deslizando, percebi que não havia necessidade de me segurar na barra de proteção, mesmo quando pegamos velocidade, pois fiquei super estável! Achei o máximo, pois “tirando o som” dos rugidos do Yeti e do próprio atrito dos trilhos fiquei bem menos apavorada!
Só que apertei taaanto os ouvidos que saí da atração com a cabeça latejando!! Fiquei meio zonzinha durante uns bons minutos, mas depois passou, mas pude constatar que a técnica funciona! Yesss!!! Mas só façam isso em atrações que dê para ficar com as mãos livres ou, então, use um parzinho daqueles cones de silicone próprios para os ouvidos, no Walmart e no Walgreens tem de montão! (Vivian)


 

CONTINUA

publicado por
 

Vivian e Cris

Deixe um comentário

* não será publicado

Deixe o seu comentário (Facebook)