Alfândega - Relatos

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais recente para a mais antiga
 

O objetivo do presente tópico é o de servir de espaço para que possamos postar - relatos - sobre as nossas experiências com a alfândega (exclusivamente). Peço que questionamentos sobre a "cota de isenção" sejam reservados para o seu tópico específico - Alfândega - Cota de Isenção.

leia essas informações
 
Índice  
 
 
Brasília

 mensagem postada em 24/06/2011 - 10:06:08hs
 
 

Meyse, eu viajei com minha esposa e filha de dois anos, por isso estava com tantas malas.
Ricardo, não pude ver se as roupas que foram tributadas estavam com etiquetas. Só sei que eles mandaram a mulher abrir todas as malas e reviraram tudo.

 


 
Limites da alfândega

 mensagem postada em 27/06/2011 - 02:06:02hs
 
 

Pessoal, estamos com a seguinte dúvida, eu e minha esposa estamos pensando em "renovar o armário" então iremos trazer uma média de 3 malas cada sem contar a bagagem de mão (já sabemos que iremos pagar excesso de bagagem), pois bem a dúvida é sobre a quantidade de "coisas" que podemos trazer, referente a roupas, cremes, perfumes e cosméticos em geral (minha esposa é consumista rs), pois estamos lendo os relatos e nos assustando, alem destes produtos iremos trazer eletrônicos que irão exceder a cota. Teremos problemas com relação a declarar as roupas, mesmo tirando as etiquetas? e com relação aos cosméticos?

Agradecemos.

 


 
Irlan e Carol

 mensagem postada em 27/06/2011 - 03:06:52hs
 
 

Acho que na alfândega o fator sorte é o preponderante. E nele incluo o humor do agente da Receita Federal, a maquina de raio-x estar funcionando ou não e também a quantidade de voos internacionais que chegaram naquele dia/hora.

Mas algumas coisas também devem ser ponderadas, para depois não reclamar injustamente da má sorte. Por exemplo, já vi pessoas que ficaram 1 semana nos EUA chegando ao Brasil com 3 ou 4 malas só de roupas, tênis e cosméticos. Por mais que se retire todas as etiquetas e que tudo seja para uso pessoal, não é possível achar que o agente da Receita acreditará que tudo foi comprado no Brasil. Nestes casos, fica na cara que até as roupas serão taxadas.

Portanto, fica a dica: pondere sempre a quantidade de bagagem. Todavia, mesmo pagando o imposto e até mesmo a multa, a maioria das coisas ainda saem mais baratas do que compradas por aqui.

Abs e boa sorte a todos nós nas alfândegas!!

 


 
Obrigado Thiago Teixeira

 mensagem postada em 27/06/2011 - 04:06:37hs
 
 

Obrigado por sanar as dúvidas, creio que como passaremos 15 dias lá, este numero alto de roupas e cosméticos não acarretara tanto, porém estou receoso como é feita a taxação, se é pelo valor da nota ou no "achismo" do agente. E se o numero não for excessivo, ele pode devido ao mau humor querer taxar? Como argumento em relação a isto? o agente age na forma de " O QUE ELE FALAR É LEI"?

Mais uma vez obrigado

 


 
Irlan e Carol

 mensagem postada em 28/06/2011 - 10:06:37hs
 
 

Irlan e Carol,

A subjetividade do agente é um ponto bem complicado nesse processo de alfandega. Sugiro que vocês guardem todas as notas de tudo que comprarem.

Como já falei em posts anteriores, vale muito a pena, é claro, dependendo da bagagem e do que vocês comprarem, entrar na fila do bens a declarar e sem muita cerimônia já ir abrindo as malas e conversando com os fiscais.

Tem gente que passa uma semana e trás, por pessoa, 3 malas. Como é possível ???? Quer dizer, possível é lógico que é, mas fica bem complicado de passar tranquilo.

Abraços.

Luciano Abreu

 


 
Luciano

 mensagem postada em 28/06/2011 - 11:06:06hs
 
 

Obrigado Luciano, iremos trazer essa média de malas e tentar conversar com o agente, mais creio que com uma boa conversa acho muito difícil ele taxar roupas, mesmo por que além de eu passar na fila do declarar por conta dos eletrônicos o amigos aqui do fórum já disseram que eles não se preocupam muito com roupas e sim com os eletrônicos em geral. Mais obrigado pela ajuda ja foi de grande utilidade.

Abrs

 


 
DÚVIDA

 mensagem postada em 29/06/2011 - 03:06:03hs
 
 

E aí pessoal, tudo certo??

Então, estou com uma dúvida... pretendo comprar muito na viagem, inclusive eletrônicos, como notebook e tal... Eu sei que posso optar entre declarar ou não, e sei que se não declarar e me pegarem, tenho que declarar e pagar multa... então, tive a ideia de declarar parte dos eletrônicos e outra parte não, levando os 'a declarar' na mala de mão... só que me disseram que quando vou declarar tenho de abrir tudo, ou seja, eles decidem o que declarar... Queria que alguém que já tenha ido e declarado, ou então que tenha certeza da resposta, me responda se isso realmente acontece... senão terei que bolar outro plano... afinal o que faz valer a pena de comprar lá são os preços...


Abraço e boa viagem a todos,

Igor

 


 
p/Igor

 mensagem postada em 29/06/2011 - 04:06:08hs
 
 

Igor...cai na sua situação...Eu estava com 3 video games , um psp e quatro camera fotograficas...E trouxe um aparelho eletronico para um amigo que custou 848,00 dolares...Estava eu e minha esposa.
Fui direto para o declarar....pensando somente em declarar o do meu amigo...Porém qdo cheguei lá..o agente pediu pra declarar todos os eletronicos e abriu mala por mala...

Conclusões tremia nas bases...o que eu fiz na hora...PSP , foi direto para meu bolso..uma maquina ficou no meu pescoço e a outra no pescoço da minha esposa...porém tinha 2 dentro da mochila e os 3 games estavam na mala...declarei os 3 games pois não teve como, perguntou se eu estava com note...disse que sim..mas tinha comprado no Brasil...pediu nota e falei que não tinha..porém mostrei que o aparelho era "nacional" dai me taxou os $ 348,00 dolares que já sabia que fiz no meu nome e os 3 games coloquei na cota da minha esposa...passou pouca coisa...Deu 557,00 dolares, Um X-BOX + NITENDO WII e PS3, pagamos desses aparelhos 68 reais..se nao me enganos, ou seja valeu a pena o preço que paguei em 3 lá..e somente um aqui !!! Dai na mochila tinha as 2 outras camera que ao abrir todas as malas fez aquela confusção com roupas, cremes e tenis q passou despercebido...Detalhes trouxe 40 frascos de V.S, estava com 3 tenis sem uso e mtas roupas...mas retirei etiqueta e 3 oculos e bolsas da Guess, mas o fiscal nem falou nda...estava em horario de almoço e tinha chegado outro vôo estava uma confusão, pois ele estava atendendo 2 pessoas ao mesmo tempo...Em resumo penso, vá ao declarar...o q for pessoal coloca no bolso e declara o que é possivel..porém o que acho q eles vao mais atras e Notebook, IPAD e vídeo games.

Abraços...Ahh minha alfandega foi em Brasília.

 


 
Fator Sorte

 mensagem postada em 29/06/2011 - 05:06:30hs
 
 

Voltei em Março e tenho visto que a PF anda mais rigorosa na alfandega...Mas se tiverem coragem dá para arriscar, pois só o valor do Macbook Pro que paguei lá e pelo q é cobrado aqui já pagou a passagem de ida e volta...fora o restante...ipad, jogos, gps...
Eu fico na dúvida se faria de novo, mas a adrenalina e o alívio ao sair do aeroporto são fantásticos...rsrsrs

Ipod..relógio..tragam no bolso/pulso...e nunca esqueçam de trazer em mochilas tudo que for eletrônico e de valor...principalmente se passarem por Guarulhos.

 


 
Alfandêga Guarulhos - urgente

 mensagem postada em 30/06/2011 - 05:06:49hs
 
 

Olá a todos,
Preciso de ajuda para esclarecer algumas dúvidas que tenho. Estou retornando ao Brasil no dia 09/07 após 8 meses aqui, estou levando comigo 4 bagagens + a bagagem de mão. Tenho muitas roupas, acessórios, sapatos, cremes e maquiagem, mas minha maior duvida é com relação ao que comprei aqui para dar de presente: 15 oculos de marcas diferentes (baratos) e relógios, 7 perfumes que totalizando tudo talvez ultrapasse uns $ 100 dólares da cota. Levo tb um aparelho de pressão que precisei utilizar aqui. Devo declarar estes itens? Como eletronico, levo comigo meu laptop que trouxe do Brasil, o que faço com relação a ele?

Alguém pode me auxiliar, sou marinheira de quase primeira viagem...
Ob
rigada a todos...

 


 
 
O Marrocos foi o primeiro país a reconhecer os Estados Unidos como país independente. No seu pavilhão no Epcot, mais especificamente no restaurante Marrakesh você encontra numa parede (área de espera) uma réplica de uma carta trocada entre o sultão Mohammed III e o presidente George Washington.