Do you speak English?

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
Res: ´Pânico

 mensagem postada em 30/07/2013 - 04:07:03hs
 
 


Patricia, me identifico muitooo com o seu desabafo.

Leio em ingles, entendo o ingles, mas para falar é mais complicado!

Dá para se virar, mas não é muito fácil, vamos combinar.

É muito facil falar ingles aqui, mas lá, a história muda.

Beijos

 


 
´Pânico

 mensagem postada em 30/07/2013 - 04:07:26hs
 
 

É amigos VPOenses...vai chegando a viiagem e começa a me dar um baita PÂNICO.

Posso desabafar com vcs, pois vcs me entenderão...rs

Como já disse antes, sei falar inglês e me viro bem. Meu forte é a leitura, o que é pouco utilizado durante as viagens.

Minha conversação é meio bizarra. Eu compreendo o que a pessoa diz mas nao consigo formular uma frase mto bem elaborada.

E vcs sabem quando eu me dou conta disso? No momento que estamos desembarcando, rumo à imigração (olha que beleza...rs).

Pois é, quando estamos na fila, fico pensando: "que bom, agora terei que "desenrolar" meu inglês, por mim e pelo marido, que SENSACIONAL", e já começa a me dar tremedeira e frio na barriga.

Desta vez, desembarcaremos primeiro em NY e ficaremos 3 dias e meio. Graças a meu bom deus, encontraremos 1 amiga brasileira que é residente, ela fala inglês mto bem, e então estou um pouco menos apreensiva.

Quando alguns colegas vêm ao fórum dizer que não falam NADA de inglês e se isso pode ser um problema, eu prefiro não responder, pois é subjetivo. Do meu ponto de vista, pode ser um problemão. Ás vezes me pego tentando me fazer entender a todo custo (e olha que eu falo inglês), mas é BEM diferente quando vc está lá.

Da mesma forma que temos nossas gírias aqui, eles tem as gírias lá tb. E convenhamos, ning. é obrigado a entender gíria, mas fazer o que?

Bom, é só um desabafo mesmo. Outro dia liguei no hotel que reservei em NY para perguntar se aceitam encomendas de hóspedes.

PELOAMORDEDEUSSS...eu me enrolei inteira. Foi tão ridículo, tão ridículo...vcs nem imaginam.

A mulher falava HIPER rápido e eu tive que perguntar 3x o que ela havia dito.

Eu fico imaginando quem não fala nada e quem não entende nadinha...

Nem vou prometer entrar em curso de inglês após a viagem, pois eu sempre acabo "deixando para lá".

 


 
Res: 50 ou 15?

 mensagem postada em 18/07/2013 - 09:07:58hs
 
 

Ai que vergonha, M-E-U D-E-U-S-D-O-C-É-U!!!!!!!!

KKKKK


fui abastecer o carro, ai entrei no posto e falei para o rapaz do caixa: "fifty", please. E entreguei uma nota de cinquenta dólares.

Ele me devolveu o troco: US$35 .Ai eu falei: "FIFTY no "FIFTEEN"!

Notei que o rapaz ñ era americano, ele tinha cara de latino, mas não sei dizer qual era sua nacionalidade. E ele começou a ficar meio irritado, pq eu estava falando do troco..rs, dai eu peguei uma caneta no balcão e pedi um papel e escrevi: US$50. Dai ele pediu desculpas e disse que eu estava falando FIFTEEEEEEENNNNNNNNN...kkkkk

Gente, que comédia. Só não sei se eu que estava com uma pronuncia ruim ou ele que entendeu errado.

(mensagem de Patrícia Parra)


Minha esposa num restaurante em NY queria pedir um guardanapo e ao invés de napkin ela disse kidnapping que significa rapto! Nossa a cara de espanto da moça que estava trabalhando lá foi muito engraçada! Acho que ela não entendeu bem, pois ela era latina e não falava bem português. Fiquei a viagem toda botando pilha nela que ela podia ser denunciada pra polícia e etc...
rsssss

Abs

 


 
50 ou 15?

 mensagem postada em 18/07/2013 - 09:07:55hs
 
 

Ai que vergonha, M-E-U D-E-U-S-D-O-C-É-U!!!!!!!!

KKKKK


fui abastecer o carro, ai entrei no posto e falei para o rapaz do caixa: "fifty", please. E entreguei uma nota de cinquenta dólares.

Ele me devolveu o troco: US$35 .Ai eu falei: "FIFTY no "FIFTEEN"!

Notei que o rapaz ñ era americano, ele tinha cara de latino, mas não sei dizer qual era sua nacionalidade. E ele começou a ficar meio irritado, pq eu estava falando do troco..rs, dai eu peguei uma caneta no balcão e pedi um papel e escrevi: US$50. Dai ele pediu desculpas e disse que eu estava falando FIFTEEEEEEENNNNNNNNN...kkkkk

Gente, que comédia. Só não sei se eu que estava com uma pronuncia ruim ou ele que entendeu errado.

 


 
Inglês fluente

 mensagem postada em 23/05/2013 - 10:05:27hs
 
 

Tb me identiquei! rsrs

Depois de anos na escola, fui estudar fora, em Toronto.
Impressionante como muda! A gente fica até mais simpático! Eu puxava assunto com os canadenses no metrô e pedia pra me corrigir se falasse errado...rsrs
Trabalhava com turismo, falando inglês 80% do meu dia...praticamente só falava português no escritório e em casa.
Desde que mudei de área, ainda falo, mas como a Ju, uso mais para leitura.

Acho que tem que usar o inglês, mesmo em Orlando! Faço questão de falar inglês! Ótima oportunidade para desinferrujar!
Vou voltar ás aulas de manutenção tbm! Sempre muito bom! (mensagem de Larissa Pereira de Araujo )


Vixe, eu sempre falo inglês lá.

Mas o interessante, como nossos colegas abaixo bem colocaram, é que os americanos cismam em querer falar espanhol e eu não entendo NADA. Pior é quando mistura o espanhol com o portugues: PRONTO. Não entendo nada mesmo.

Eu me esforço mto para falar tudo em inglês, mtas vezes esqueço uma palavra, e a pessoa acaba entendendo, pelo contexto da conversa, e me lembra como fala.

Ou, as vezes erro em uma pronuncia, e me corrigem e eu agradeço, pois a pronuncia daquela palavra não será mais esquecida.

E assim vai, entendo tudo nos parques, nas atrações. Assisti o Hall of Presidents sem o tradutor. Para o meu marido, eu peguei. Ele ficou meio constrangido no começo, aquele negócio é imenso e ainda por cima em uma cor bem discretinha: VERMELHA...hahahha

Mas logo ele viu outras pessoas usando e perdeu a vergonha tb. Dai ele ficava narrando as coisas para mim, e eu: " pára...eu to entendendo. Não precisa traduzir". hahahaha

Ele tinha ido na Haunted Mansion sem o tradutor e dps foi com ele, dai tudo começou a fazer sentido, rs rs rs... É que meu ouvido está tão acostumado, que para mim, é como se estivesse falando em portugues mesmo. Mas fico imaginando a dificuldade que deve ser para quem não entende nadica de nada mesmo...

 


 
Res: Res: Res: Res: Inglês fluente

 mensagem postada em 23/05/2013 - 10:05:29hs
 
 

Tb me identiquei! rsrs

Depois de anos na escola, fui estudar fora, em Toronto.
Impressionante como muda! A gente fica até mais simpático! Eu puxava assunto com os canadenses no metrô e pedia pra me corrigir se falasse errado...rsrs
Trabalhava com turismo, falando inglês 80% do meu dia...praticamente só falava português no escritório e em casa.
Desde que mudei de área, ainda falo, mas como a Ju, uso mais para leitura.

Acho que tem que usar o inglês, mesmo em Orlando! Faço questão de falar inglês! Ótima oportunidade para desinferrujar!
Vou voltar ás aulas de manutenção tbm! Sempre muito bom!

 


 
Res: Res: Res: Inglês fluente

 mensagem postada em 23/05/2013 - 10:05:03hs
 
 

Por isso que vi o on line - não aguento mais aula - chega! rsrsrsrs

Depois dá uma olhada, tem um esquema de aulas particulares, inclusive eles nem recomendam aulas em turmas pra quem já tem alguma fluência... - achei o preço bem interessante

 


 
Res: Res: Inglês fluente

 mensagem postada em 23/05/2013 - 10:05:05hs
 
 

Patrícia,

Identificação total! rsrsrs
Eu estudei inglês, morei fora, mas pela falta de uso tem horas que o vocabulário some da cabeça.

Estive essa semana mesmo dando uma olhada nesses cursos on line, fiz teste de nivelamento e estou pensando se volto ou não. Preciso do inglês no trabalho mas na maior parte do tempo somente na leitura.

Abs (mensagem de JULIANA ROSA MOREIRA)


Depois que ficamos mais velhos, não temos mais paciência para encarar turma de inglês em escola.

Eu preciso de um prof. particular, já fui até ver. Mas o que falta mesmo é o tempo de ter aula.

 


 
Res: Inglês fluente

 mensagem postada em 23/05/2013 - 10:05:02hs
 
 

Patrícia,

Identificação total! rsrsrs
Eu estudei inglês, morei fora, mas pela falta de uso tem horas que o vocabulário some da cabeça.

Estive essa semana mesmo dando uma olhada nesses cursos on line, fiz teste de nivelamento e estou pensando se volto ou não. Preciso do inglês no trabalho mas na maior parte do tempo somente na leitura.

Abs

 


 
Inglês fluente

 mensagem postada em 23/05/2013 - 09:05:21hs
 
 

Eu sempre tive o sonho de conhecer os EUA, eu admiro mto a cultura deles, eu acho o inglês um dos idiomas mais bonitos que existem (em primeiro lugar eu acho o italiano).

Cresci assistindo a muitas séries no canal SONY e WARNER, sempre que dava, eu assistia sem legenda de manhã e a noite quando reprisava, eu assistia legendado, para fixar mais.

Meus pais não podiam pagar por um bom curso de inglês para mim. Meu irmão fazia inglês em uma ótima escola, mto conceituada, e ele não dava valor.

Eu pegava as lições de casa dele para fazer, e assim me aproximar mais do idioma que eu tanto admirava.

Depois de uns 3 anos nessa "vida"...rs, eu finalmente fui matriculada em uma escola de inglês (fraquinha) mas para mim já estava ÓTIMO. Eu tinha uns 12 anos na época. Fiz até o último nível e me "formei" em 1 ano e meio.

Quando comecei a trabalhar, tive contato com estrangeiros, pois eu trabalhava com embarque e desembarque de passageiros de cruzeiros marítimos, achava aquilo sensacional.

Logo depois que entrei na faculdade, quis me aperfeiçoar no idioma, matriculei-me novamente em uma escola de inglês, dessa vez em uma escola conceituada. Fiz um teste de colocaçao e já entrei em um dos últimos níveis.

Meu curso durou 1 ano e meio, meus professores eram nativos, não falam o português, e eu sempre muito interessada em aprender novas palavras, assistir filmes sem legenda, entre outras coisas.

Quando tive a oportunidade de sair do Brasil, fiquei com medo de não saber me comunicar lá fora.

Desci do avião e já na imigração, parecia que eu nunca havia assistido a uma aula sequer de inglês..hahahahaha

Me sentia como em um filme, mas sem a tecla SAP ligada. Sabe, naquele momento, percebi que eu não sabia NADA de inglês...hahahahhaa

Mas felizmente, pude concluir que naquele momento da Imigração, eu estava nervosa e emocionada por estar ali, e tudo fugiu da minha cabeça, mas os dias foram passando (e foram mtos...18 dias), e eu fui me comunicando com mais facilidade e sem pagar tanto mico ao conjugar os verbos e montar as frases.

Eu entendo praticamente tudo o que falam em inglês, o meu grande problema é a fluência para me expressar.

Muitas vezes ficava com vergonha de falar alguma besteira e por isso ficava quieta, não puxava muito assunto com vendedor de loja, garçom, etc.

Daí, da 2ª vez que fui, decidi que ia deixar a vergonha de lado, e botei a cara no mundo...literalmente. Já na imigração comecei a responder tudo sem gaguejar e sem pestanejar, respondi até pelo meu marido, que não sabe falar nem "good morning".

Bati mto papo com o cara da locadora de carro, vendedor de loja, garçom, a menina do hotel...meu marido só concordava com tudo o que eu falava, ria junto quando eu ria...rs

uma comédia.

Hoje eu sei que preciso de um professor particular, para praticar o que eu aprendi a anos atrás.

Costumo dizer que, para uma pessoa que não entende e não fala inglês, Orlando é fácil. O problema é se a pessoa tiver algum imprevisto e tiver que sair da rotina. Ai ferrou-se. Mas hoje em dia, com tantos recusrsos em celulares, para tradução etc...fica fácil viajar p/ o exterior.





 


 
 
Em respeito as crenças dos muçulmanos o pavilhão marroquino (Epcot) é o único que não é iluminado durante a execução do espetáculo noturno IllumiNations.