Califórnia

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
Res: Nova aventura de dois seniores na Califórnia

 mensagem postada em 20/09/2016 - 01:09:01hs
 
 

Estou adorando ler sobre sua viagem, fiquei muito interessada em fazer esse roteiro. Tenho muito interesse em saber os detalhes do roteiro completo.
(mensagem de conceição yaginuma)


Olá Conceição

Fiquei feliz porque você está lendo e gostando dos meus relatos. Às vezes quem escreve fica sem saber se está valendo a pena postá-los, se estão interessando aos colegas do VPO.
Nesse tópico eu só posso colocar a parte referente à Califórnia. Se você quiser, coloca seu e-mail no Relatos e Bate-papo. Assim que eu acabar a parte referente à Califórnia, eu vou escrever os demais, e posso passar para você. Sempre, desde a minha primeira viagem a Orlando, em 1988, eu escrevo os relatos das nossas viagens. Esse caderno é meu tesouro.
Se você tiver pressa, posso passar o material que eu preparei antes da viagem.

Abs,
Maria Teresa


 


 
Nova aventura de dois seniores na Califórnia

 mensagem postada em 19/09/2016 - 08:09:00hs
 
 

Olá amigos do VPO

Dia 10 de agosto: Redding e Mt. Shasta, antes de seguir viagem

Na reserva, o hotel dizia que fornecia café da manhã. Na verdade, ele tinha um convênio com um restaurante, o Lumberjack’s, onde os hóspedes tinham direito a um voucher de $8,00 cada, se não me engano. O restaurante é uma graça, tipicamente americano, com a garçonete servindo mais café a toda hora com a jarra da cafeteira na mão, cena de vários filmes. Só havia famílias americanas por lá e o cardápio era típico de um breakfast americano. Eu optei por uma omelete de queijo e presunto, deliciosa. Meu marido preferiu ovos com bacon e torradas. Pagamos a diferença e saímos satisfeitos com a experiência.

Perto do hotel temos o Shasta Lake, maior represa do complexo de Shasta Dam, o maior reservatório artificial da Califórnia. Para sua construção, 5 cidades foram cobertas. Como iríamos ao Lake Tahoe, infinitamente mais bonito, não paramos para conhecê-lo.
Perto também tem a cidade de Shasta, a apenas 8 km de Redding, que teve grande importância durante a Corrida do Ouro e hoje é uma pitoresca cidade fantasma, tombada e restaurada. Pensamos um pouco e decidimos não parar. Depois fiquei com pena, mas já era.
Agora em Mt. Shasta City, que fica 60 milhas ao N de Redding pela I-5N, fiz questão de parar, para ver o Mt. Shasta, vulcão com 4322m de altitude e pico permanentemente coberto de neve. Coloquei no GPS o endereço do Mt. Shasta Visitor Center (300 Pine Street, Mt. Shasta City), onde estacionamos para tirar fotos. Dá para ter uma boa visão do vulcão nesse ponto. Era uma das inúmeras coisas que eu queria ver na viagem.

A partir daí seguimos em direção a Vancouver, no Canadá. Paramos em Eugene (1 noite), Seattle (3 noites) e chegamos a Vancouver (4 noites). Voltamos parando em Portland (2 noites) e Medford (1 noite), até chegarmos a Sacramento, já na Califórnia, no dia 21 de agosto. Vimos paisagens incríveis, tivemos ótimos momentos, valeu muito a pena.

Abs,
Maria Teresa


 


 
Nova aventura de dois seniores na Califórnia

 mensagem postada em 19/09/2016 - 08:09:21hs
 
 

Olá amigos do VPO


Dia 9 de agosto: Redding, CA

Essa foi a primeira cidade escolhida para pararmos na viagem de ida. A distância entre S. Francisco e Redding é de aproximadamente 350 km. A cidade não tem muitas opções de hospedagem, então ficamos no Travelodge.

Uma dica: sempre que escolho um hotel, entro no street view e dou uma olhada nas cercanias. Também procuro ver o que tem perto, em termos de alimentação, supermercado, rede de farmácia, etc. Também já levo os endereços de algum shopping e de lojas que possam nos interessar. Isso facilita muito durante a permanência em qualquer cidade e otimiza o tempo. Como exemplo, tive um estiramento muscular em Seattle e, enquanto eu aplicava gelo no quarto do hotel, meu marido foi rapidinho numa Rite Aid que eu já sabia que ficava perto. Também chegávamos de um passeio longo e facilmente escolhíamos onde comer ou comprar alguma coisa.

Voltando a Redding, a cidade é muito agradável, muito arborizada, cortada pelo rio Sacramento e com excelente comércio. Fica na região de Sacramento Valley, no N da Califórnia. Bastante quente no verão.
Primeiro fomos conhecer a principal atração da cidade: a Sundial Bridge at Turtle Bay (840 Sundial Bridge Drive, Redding). Trata-se de uma ponte de pedestres em Turtle Bay, sobre o rio Sacramento, perto do centro da cidade. Seu piso é formado por placas de vidro. É uma obra do arquiteto espanhol Santiago Calatrava. É um relógio de sol, o mais alto do mundo. É legal atravessar de dia e voltar de noite, para ver a iluminação. Rimos muito porque tinha alguns meninos da idade do nosso neto caçando Pokemon por lá. Tem muitas trilhas ao redor do rio.
Junto fica o Turtle Bay Exploration Park & Museum.

Demos uma pausa para almoçar no Denny’s, muito bom por sinal.

Por último, fomos na Hilltop Drive, onde entramos na Ross (nº 2651), no KMart (nº 2685), na TJMaxx (nº 1160) e na Best Buy (nº 1010).

Abs,
Maria Teresa

 


 
Res: Maria Teresa,

 mensagem postada em 15/09/2016 - 11:09:48hs
 
 

Que viagem linda ! Como você descobre tantos lugares legais para conhecer?
Sempre fico insegura em desbravar lugares desconhecidos, principalmente porque o marido não ajuda, ele dirige, mas quer o resto bem "bem mastigadinho"
(mensagem de Sandra Martins)



Olá Sandra

Tudo bem?
Fiquei muito feliz em saber que você vai com o netinho a Orlando. Sei que você há tempos deseja isso. Vou torcer para ser uma viagem maravilhosa e vai ser.

Eu gosto muito de planejar as nossas viagens, já meu marido cuida dos detalhes técnicos. Nessa viagem ele foi em tudo de surpresa e gostou de tudo, graças a Deus.
Gosto principalmente de organizar road trips. Transformei muitas conexões em pontos de partida. Kkkk

Fiquei muito contente em saber que você está lendo e gostando.

Abs,
Maria Teresa



 


 
Maria Teresa,

 mensagem postada em 15/09/2016 - 11:09:21hs
 
 

Que viagem linda ! Como você descobre tantos lugares legais para conhecer?
Sempre fico insegura em desbravar lugares desconhecidos, principalmente porque o marido não ajuda, ele dirige, mas quer o resto bem "bem mastigadinho"

 


 
Nova aventura de dois seniores na Califórnia

 mensagem postada em 14/09/2016 - 09:09:13hs
 
 

Olá amigos do VPO

Dia 8 de agosto: S. Francisco

Novamente tomamos o café da manhã bem cedo. A diferença de 4h no fuso horário facilita muito. Estava bem frio.
Estacionamos na estação do Bart de Millbrae ($3 pelo dia todo), última estação da linha vermelha. Descemos na Powell Station e compramos o Muni Passport para um dia, por $20, que dá direito ao cable car, street car e ônibus Muni, no quiosque na calçada. Não valeu a pena para nós, andamos muito a pé e pouco usamos ônibus.

Queríamos ver novamente a Lombard Street, ainda mais agora que estava florida, então pegamos o bondinho da linha Powell-Hyde, que vai para a Ghirardelli Square, perto do Fisherman’s Wharf, passando no topo da Lombard. Descemos a rua pela escadinha lateral, curtimos um pouco e tornamos a subir para pegar novamente o bondinho até o ponto final. Fomos na Ghirardelli, claro. Meu marido tomou um chocolate quente, ainda estava bem frio. Eu não poderia perder a chance de tomar o sorvete Vanila Pecan de lá, com frio e tudo. Ainda compramos um saco de chocolates. Maravilha!

Fomos a pé até o Fisherman’s Wharf, pertinho. Seguimos andando, parando em alguns lugares, até chegar no quiosque da Blue&Gold Bay Cruise. Tínhamos comprado pela Internet os tíquetes para o tour Escape from de Rock Cruises. Deu um problema com as nossas reservas, mas depois de um bom tempo, foi solucionado. Só que acabamos perdendo o das 11:30. Teríamos que fazer o das 15h. O frio já estava se transformando num calor carioca.

Fomos então direto para a Coit Tower (1 Telegraph Hill Blvd). Não poderia deixar de ir dessa vez. Pegamos o ônibus 39, mas antes tomamos uma surra. Eu sabia que ele parava em frente ao Pier 39 na volta de lá, mas pensei que o ponto na ida era do outro lado. Atravessamos tudo e nada de vir o 39. No ponto em frente ao pier, ao contrário, passava um atrás do outro. Resolvemos perguntar ao motorista de outra linha e ele nos disse que o ponto era o mesmo, para ir e para voltar. Como adivinhar? Atravessamos tudo novamente e pegamos o bendito 39, que nos deixou lá em cima, na entrada da torre.
O ingresso custa $7, mas $5 para seniores. Temos que ter algumas vantagens, kkk.
Como tinha gente esperando para subir! A fila estava imensa, mas eu queria muito ver a paisagem de lá. Deveria ter comprado pela Internet. A fila é uma só. Depois de algum tempo na fila, chega-se ao guichê e compra-se os ingressos, sem sair da fila, e depois de muito tempo, conseguimos pegar o elevador. Querem saber? Valeu demais a pena. A vista é magnífica.
Viajar em alta temporada requer paciência e bom humor. Os murais do saguão retratam a época da Depressão e ajudam a distrair e passar o tempo.
Descemos pelo elevador, caindo numa lojinha. Tal e qual nos parques de Orlando. Pegamos novamente o ônibus 39 no alto da colina, descemos no Pier 39 e decidimos passar na Boudin Bakery para comer apenas uns croissants.

Fomos então fazer o tour. Leva 90 minutos, custa $29 para seniores, passa sob a Golden Gate e ao redor de Alcatraz, vai até a Bay Bridge e proporciona uma visão incrível de S. Francisco. O vento na embarcação amenizou o calor, até demais. Foi uma excelente ideia, outro passeio imperdível, principalmente num dia de sol no verão.

De volta, fomos novamente na Boudin Bakery, dessa vez para comer a Clam Chowder. É imperdível.

Em seguida, fomos andando a pé até o Pier 1. Loucura total! Não recomendo a ninguém. Ainda mais a seniores. kkk.
Pegamos o Bart na estação Embarcadero, na Market Street, descemos em Millbrae, onde pegamos o nosso carrinho e partimos para o hotel, porque no dia seguinte pegaríamos a estrada em direção ao Canadá.

Abs,
Maria Teresa

 


 
Res: Dicas para Ana Carla

 mensagem postada em 13/09/2016 - 09:09:21hs
 
 

oiiiii!!!!Super quero suas dicas!!! Já deixei meu e-mail no espaço adequado!!!
(mensagem de ana carla aviz alvarez)



Olá Ana Carla

Acabei de enviar o material para você. Espero que te ajude.

Uma excelente viagem.

Abs,
Maria Teresa


 


 
Foto da viagem

 mensagem postada em 13/09/2016 - 09:09:37hs
 
 



Visão do lindíssimo castelo da Vinícola Domaine Carneros by Taittinger


Obs: Não são boa em postar fotos, então precisei postar uma de cada vez. kkk

 


 
Nova aventura de dois seniores na Califórnia

 mensagem postada em 12/09/2016 - 09:09:14hs
 
 

Olá amigos do VPO

Dia 7 de agosto: tour de carro (continuação)


Partimos então para o terceiro ponto do roteiro: Napa Valley. Da outra vez não tivemos tempo de ir e assim que comecei a organizar a viagem, uma das primeiras ideias foi conhecer essa região de vinhos finos.
Tivemos a impressão que todo mundo teve a mesma ideia. A CA-29 estava super movimentada e começou a fazer muuuito calor. Adoro vinho, mas calor intenso e vinho não combinam para mim.
Antes de Napa, já paramos na Domaine Carneros by Taittinger (1240 Duhig Road, Napa), um castelo lindíssimo e super bem estruturado. É uma parada imperdível.
Não entramos em Napa, fomos subindo direto pela estrada até Santa Helena. Nosso objetivo era chegar à Vinícola V. Sattui (1111 White Lane, St Helena). É a mais antiga de Napa Valley, muito bem cuidada e florida. Tem estilo colonia italiana. O ponto forte é a Deli, tipo um mercado italiano, excelente. Lá os visitantes escolhem um vinho, pães, queijos e embutidos, ou então algo já pronto, compram um kit para picnic, com pratos, copos e talheres para 2 pessoas, e vão comer na grande área externa, com mesas embaixo das árvores. É muito típica e interessante. Na Deli tem degustação de vinhos também.
A maioria das vinícolas fecha cedo, em torno de 16h. Todas estão abertas à visitação, grátis. Já para fazer um tour ou uma degustação, cé preciso pagar uma taxa.
Eu pretendia dar uma parada na Hall (401 St Helena Hwy, St Helena), perto da V. Sattui, na Joseph Phelps (200 Taplin Rd, St Helena) e na Chateau Montelena (1420 Tubbs Ln, Calistoga), mas com o calor que estava fazendo e como queríamos conhecer Yountville e voltar a Sausalito, ficamos nas 2 primeiras mesmo.
Partimos então para Yountville, a 9 milhas de Napa. É uma cidadezinha bem pequena, muito linda, parece uma cidade cenográfica. Vale a pena conhecer. É tão pequena que não se perde muito tempo.
Passamos rapidinho por Napa e paramos no Premium (629 Factory Stores Dr, Napa). É bem menor que os de Orlando, mas é tranquilo. Comprei apenas uns tênis da Vans muito bonitos, para mim e para a neta. Tínhamos combinado não fazer muitas compras no caminho de ida para o Canadá.

Seguimos para Sausalito, não podíamos deixar de ir. Conseguimos estacionar perto do ferry para S. Francisco. A cidade estava muito movimentada, era realmente alta temporada. Como tínhamos ido antes no mês de março, estranhamos tanta agitação. Havia uma fila imensa de ciclistas que tinham ido para Sausalito pela Golden Gate, esperando para voltar para S. Francisco de balsa. Curtimos o movimento, a vista e tomamos um sorvete delicioso. Não dava para comer como da outra vez o hamburguer na Hamburgueria ( 737 Bridgeway Ave). Era nossa intenção, ele é sem dúvida o melhor hamburguer que já comemos, mas tínhamos comido muito na V. Sattui e com o calor, o sorvete foi mais apropriado. Ainda mais que a sorveteria era refrigerada.

Pegamos a Golden Gate e fomos direto para o Tanforam, para irmos na Best Buy e na Sears. Compramos mais sorvetes para tomar no hotel.

Abs,
Maria Teresa


 


 
Nova aventura de dois seniores na Califórnia

 mensagem postada em 12/09/2016 - 09:09:04hs
 
 

Olá amigos do VPO

Dia 7 de agosto: tour de carro (primeira parte)

Tínhamos 2 dias em S. Francisco nesse início da viagem, um domingo e uma segunda feira. Planejei para o domingo um roteiro de carro e para a segunda um roteiro usando o transporte público de S. Francisco. Priorizei os lugares que não tínhamos ido da outra vez e a repetição dos imperdíveis, que queríamos voltar.
Aproveitando a diferença do fuso horário, fomos bem cedo tomar o café da manhã do hotel, excelente por sinal. Estava bem frio, nem parecia verão.
Pegamos a Bay Bridge, que não tínhamos atravessado na outra viagem. Ela é impressionante, muito comprida e larga e passa por uma ilha da baía de S. Francisco.

Do outro lado, chegamos a Oakland, primeira parada do nosso roteiro.
Fomos primeiro na Jack London Square, muito florida, à beira da baía, com lojas, muitos restaurantes e barcos de passeio. À noite deve ser muito animado por lá. Gostamos muito, é um lugar muito agradável.
Seguimos depois para o Mórmon Temple (4770 Lincoln Ave), para vermos a vista magnífica da Bay Area. Fica situado no alto de um monte na parte leste da cidade e a construção é impressionante. Entramos no centro de visitantes, com um salão envidraçado, onde a vista é imperdível.

De lá seguimos para Berkeley, bem pertinho.
Fomos direto para o campus da UCLA (101 Sproul Hall). O marco do campus é a Sather Tower ou Campanile, com 94m de altura. Vimos alguns prédios imponentes de lá com calma, era período de férias. Chamou a nossa atenção o fato das bicicletas estarem presas nos bicicletários com correntes e cadeados, o que é normal, mas também sem uma das rodas. A coisa por lá não está tão fácil assim. É preciso tirar a roda para evitar que sejam roubadas.
Passeamos pela Sproul Plaza e pela Telegraph Ave, com grande número de livrarias, cafeterias e lanchonetes. Entramos num estabelecimento que é lanchonete de dia e discoteca de noite e numa livraria, onde comprei uma garrafa Swell que foi nossa grande companheira. Apesar do calor intenso no Oregon, ela conservava a água bem gelada até o fim. Acabamos comprando mais 3 depois, para os netos levarem para a escola e a filha levar para a academia. Elas foram bem mais baratas que essa primeira. Tentamos sem sucesso entrar numa cafeteria. Estavam lotadas, com muita fila nas calçadas . Deve ser tradição local tomar café da manhã aos domingos numa cafeteria.

 


 
 
A água que é lançada nos visitantes que observam a queda do Splash Mountain não é proveniente realmente do impacto da queda do bote na água, mas sim de canhões propositalmente instalados.