Voltei - Relato da minha viagem!

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
Res: Mês menos ruim

 mensagem postada em 28/03/2016 - 03:03:34hs
 
 

Olá!

Viajei nos últimos três anos com a minha filha que hoje tem cinco anos. Sempre viajamos entre final de janeiro e começo de fevereiro. Eu gosto bastante dessa data. Os parques não estão vazios, mas não estão lotados como em julho. E gosto também da temperatura...As vezes o friozinho pega, mas nada insuportável...a maioria dos dias pude até usar bermudas. Outro ponto interessante é que também não costuma chover muito nesse período!
Espero te -la ajudado!!!

 


 
Dia 03 – Disney Holywood Studios (parte 2)

 mensagem postada em 28/03/2016 - 02:03:52hs
 
 

Na saída o grupo se separou e junto com minha esposa e filho fui conhecer a exposição do Star Wars no Launch Bay. Assistimos ao filme dos bastidores do Episódio VII e meu filho acabou dormindo no meu colo. Não vimos mais coisas uma vez que já estava na hora da nossa reserva no Mama Melrose's onde conseguimos fizemos o pacote que dá direito à entrada na área VIP do Fastasmic.

É importante ressaltar que só consegue o ingresso VIP quem fizer a reserva para o Fantasmic Dinner Package. Não adianta comer por lá e solicitar o ingresso que não vai conseguir. O restaurante é maravilhoso, comemos muito bem e novamente quase não demos conta da sobremesa.

Continuando, fomos duas vezes com o meu filho no Star Tours (mais uma atração em que ele se divertiu bastante) e logo após tentamos encarar novamente o Toy Story mas infelizmente nessa hora o tempo de espera estava em 120 minutos. Seguimos para a entrada do Fantasmic, que a essa hora o tamanho da fila para entrar já estava grande.

Conseguimos ficar em uma posição central com excelente vista e em minutos o anfiteatro estava lotado. O show é realmente imperdível e apesar do frio que fazia, gostamos bastante da apresentação. No fim, esperamos o público dispersar e fomos embora para o hotel, mas antes ficamos um pouco no estacionamento para ver os fogos de encerramento do parque.

Atrações Visitadas:
• Tower of Terror (2x) – FP e Rider Switch
• Rock'n Roller Coaster (2x) - Rider Switch
• Toy Story Mania! – FP
• The Great Movie Ride
• Star Tours (x2) – FP

Lições Aprendidas:
- Como não custa repetir, solicitar o rider switch sempre que se estiver com criança pequena e ela não puder entrar na atração. Ótima maneira de maximizar os FPs.
- Se estiver pretendendo realizar alguma refeição “table” no parque, tentar reservar o pacote que dá direito ao acesso a área VIP para o Fantasmic!
- Os restaurantes são bem concorridos, procurar realizar a reserva assim que estiver disponível no site da Disney.
- A área do Fantasmic é aberta e venta muito. É sempre bom levar um agasalho para se proteger.
- A Rock'n Roller Coaster possui “Single Rider” onde o tempo de espera pode ser igual e menor do que do de um FP.

Quilômetros Caminhados: 12,87

Próximo relato: Epcot Center

 


 
Dia 03 – Disney Holywood Studios (Parte 1)

 mensagem postada em 28/03/2016 - 02:03:33hs
 
 

Ainda estava frio mas não tanto quanto nos outros dias. Fomos tomar café e rumamos para o parque que fica bem próximo ao hotel. A idéia aqui era chegar cedo para tentar pegar a Rock'n Roller Coaster ainda vazia, uma vez que selecionamos o FP para o Toy Story.

Na chegada, aproveitamos para tirar bastantes fotos logo na avenida da entrada. Então rumamos para a primeira atração do FP, Tower of Terror. Uma vez que meu filho não tinha a altura suficiente para entrar fizemos o mesmo esquema do que no MK e solicitei o Rider Switch, permitindo ir duas vezes na atração.

Em seguida, aguardamos a área da Rock'n Roller Coaster abrir e novamente solicitamos o Rider Switch, mas dessa vez encaramos a fila normal. Na saída, hora de passear com meu filho pelo parque enquanto não chegava o horário da próxima atração.

Continuando, fomos para o Toy Story que era o próximo FP agendado. Definitivamente é a atração mais concorrida do parque, onde a fila pode chegar a bater 2 horas. Por conta disso, não conseguimos repetir a atração, mas será mais um motivo para voltarmos no futuro. Na saída, aproveitamos a fila pequena e fomos no The Great Movie Ride, que pode não ser nada radical tem algumas cenas de cinema interessantes e dá para descansar um pouco.


 


 
Res: Mês menos ruim

 mensagem postada em 28/03/2016 - 10:03:55hs
 
 

Olá Fernanda, estive em Orlando em janeiro de 2013, tive sorte, foi um ano que fez pouco frio, os parques com filas pequenas ou quase sem filas. Lembro-me de ir na Manta, no SW, várias vezes seguidas, fila zero, e em outras atrações, tanto nos parques da Disney, como nos da Universal. Em 2015, fui em julho. Horrível, parques cheios, muitas filas, e a cidade fica lotada de turistas estrangeiros e dos próprios americanos, os americanos invadem Orlando. Objetivamente, eu recomendo ir em janeiro.

 


 
Mês menos ruim

 mensagem postada em 28/03/2016 - 09:03:40hs
 
 

Olá pessoal.

Nunca vou em mês de férias por causa da lotação. Gosto de abril e maio, mas desse vez irei com crianças e não dá para faltar tanto tempo de aula. Qual o mês menos ruim, Janeiro ou Julho ? Sei que em Janeiro faz um pouco de frio e Julho um calor terrível. Mas o que me importa é a lotação dos parques.
Se alguém puder me ajudar, agradeço.

 


 
CONHECENDO SAINT AUGUSTINE, FL

 mensagem postada em 17/03/2016 - 04:03:13hs
 
 

Pessoal, quem aqui já foi até Saint Augustine na Florida?

Se você ainda não foi, vá! Ela é a primeira cidade dos Estados Unidos e é super linda.

Ela fica a 2 horas de Orlando e vale muito a pena conhecer, mesmo que seja um bate e volta (o ideal é passar pelo menos uma noite).

Principalmente se você já foi alguma vez pra Orlando e quer conhecer um lugar diferente, sem abrir mão dos parques.

O city tour é muito legal, as ruas são lindas, tem lojinhas para todos os gostos, restaurantes ótimos, doces maravilhosos, museus e atrações históricas bem bacanas e ainda tem um Premium Outlet beeeem mais vazio que os de Orlando e que normalmente tem mais opções de produtos.

Se você tinha dúvida, ela acabou. Se você não conhecia, chegou a hora de conhecer.

E não. Não estou ganhando nada da prefeitura de Saint Augustine ou algo do tipo... kkkkk... É que a gente curtiu muito mesmo!!

Espero que gostem do vídeo.

Abraços a todos!

 


 
Dia 02 – Compras em Winter Garden

 mensagem postada em 17/03/2016 - 11:03:05hs
 
 

Como o dia seria inteiro destinado a compras, nos demos o luxo de acordar um pouco mais tarde para recuperarmos as forças. Decidimos ir até Winter Garden Village para pegar uma Ross e Marshalls mais vazias. Levamos aproximadamente 30 minutos em uma estrada muito boa (em Orlando, qual estrada não é?) e com um pedágio. De manhã cedo ainda estava bem frio mas a temperatura foi melhorando conforme passavam as horas. Ao chegarmos em Winter Garden, já podíamos circular sem os casacos.

Nesse centro comercial, as lojas são espalhadas em "ilhas" ou "quarteirões", com o estacionamento ao redor delas, sendo possível estacionar em frente de cada uma.

Garimpando bastante era possível encontrar algumas coisas baratas, mas a cotação do dólar pouco acima dos 4 Reais acabou não sendo muito atrativo fazer as compras. Não sei se foi preguiça minha de procurar, mas quase não vi nada de vestuário masculino. Para as mulheres havia mais opções. Acabamos levando só que valia muito a pena ou então itens que não encontraríamos no Brasil.

Fomos na Ross, Marshalls (quase duas horas nessas aí), depois nos separamos onde as mulheres foram comprar cosméticos e nós rapazes fomos na Sports Authority olhar as coisas. Depois de passear por outras lojas, lanchamos na Uno Pizzeria e Grill que foi uma experiência muito agradável. Não conhecia o lugar (existem algumas espalhadas por Orlando) mas gostamos bastante. Ótimo atendimento e excelente relação custo-benefício.

Antes de voltarmos para Orlando, ainda demos uma passada na Play City para comprar alguns enfeites para o aniversário do meu filho.
Já bem no final do dia, rumamos para a International Dr pois o grupo da minha cunhada iria ao outlet e nós tentaríamos a sorte no Camilas, pois até então o Gustavo não tinha comido nada além de Pringles. E para fechar com chave de ouro, deu tempo de uma passada rápida no Wallmart e depois, cama!

Lições Aprendidas:
- Se tiver um dia mais folgado, vale a pena planejar as suas compras em um centro mais afastado. É muito mais vazio e tranquilo.
- Mesmo em Orlando é preciso pesquisar preços. Comprei uma bomba de encher pneu por 15 dólares sendo que a mesma custava 10 no Wallmart.

Quilômetros Caminhados: 7,07 Km

Próximo relato: Disney Hollywood Studios

 


 
Dia 01 – Magic Kingdom (Parte 2)

 mensagem postada em 15/03/2016 - 09:03:03hs
 
 

Durante o Celebrate the Magic, tive um pequeno contratempo pois o meu filho ficou com vontade de ir ao banheiro. O problema é que o local onde estávamos (na praça, perto da estátua) estava bastante cheio e de difícil locomoção. Ele consegui controlar a vontade até chegarmos ao banheiro mas voltar para perto do grupo foi impossível. Assisti ao resto do show somente com ele e quando deu uma brecha, ao término do Wishes, consegui me reencontrar com o grupo.

Como meu filho estava bastante cansado, decidimos nos separar e voltei com minha esposa para o hotel. Essa foi a pior parte do dia, pois grande parte do público também estaca saindo junto conosco. Pegamos o monorail de volta ao estacionamento e fomos para o nosso merecido descanso.

Atrações Visitadas:
- Dumbo
- The Barnstormer
- Mad Tea Party
- Big Thunder Mountain (x2) – FP

Lições Aprendidas:
- É muito cansativo visitar um parque grande no dia seguinte à chegada de viagem, ainda mais se tiver pouco tempo para descansar. Da próxima vez, vou preferir deixar o dia para compras.
- Nos dias de muito frio, vale muito a pena levar um pequeno cobertor (igual ao fornecido nos voos) para agasalhar as crianças. Fiz muito uso dele com o meu filho.
- Mesmo já conhecendo o Magic Kingdom (na viagem anterior fomos duas vezes), um dia é muito pouco para aproveitar.
- O Be our Guest é muito concorrido. É importante tentar reservar tão logo fique disponível e caso o grupo seja grande, uma boa estratégia é tentar dividir a reserva em grupos menores.
- Mesmo tendo o Dinning Plan é cobrado gorjeta nos restaurantes “table”.
- Se quiser ótimas fotos e recordações, adquira o Memory Maker. Além de conseguir fotos em pontos estratégicos, é possível obter vídeos e fotos dentro de algumas atrações.
- Caso tenha alguma criança no grupo que não possa entrar em alguma determinada atração, fazer o uso do Rider Switch. Ótima maneira de maximizar os Fast Pass.
- Se for assistir ao show de encerramento e não quiser pegar tumulto da saída, fique posicionado próximo ao início do parque.

Quilômetros Caminhados: 11,96 Km

Próximo relato: Compras...

 


 
Dia 01 – Magic Kingdom (Parte 1)

 mensagem postada em 15/03/2016 - 09:03:51hs
 
 

No nosso primeiro dia de Disney fez um frio horroroso. Não dava para ficar descoberto pois ventava bastante, aumentando muito o desconforto. Por conta do cansaço do dia anterior, acabamos acordando mais tarde do que o previsto, o que acarretou na perda de horário dos dois primeiros FPs.

Seguimos de carro e do estacionamento pegamos o barco que leva à entrada do parque (o monorail estava fechado). Como minha sobrinha tinha o Bibbidi Bobbidi Boutique agendado para às 12:00, nos separamos e ficamos passeando pela Main Street, observando os detalhes, tirando fotos com o Memory Maker e apreciando o pequeno desfile de personagens. Uma coisa que observei nesse dia é que o parque estava muito cheio. Mesmo com o feriado na véspera, imaginava que o parque estaria mais vazio, ainda mais se tratando de uma terça-feira.

Como o próximo FP seria somente às 14:00, aproveitamos para nos divertir com meu filho no Dumbo, The Barnstormer e Mad Tea Party. Ele adorou todas as atrações, sempre pedindo para repetir. Por causa do cansaço acabou dormindo logo em seguida e acabou não aproveitando a Big Thunder Mountain.

Aqui conseguimos maximizar os nossos FP da seguinte forma: Fui com minha esposa no início da fila e mostrei que meu filho não iria na atração pois estava dormindo, então eles me deram um "crachá" que deveria ser entregue para o funcionário que ficaria na segunda verificação do FP. Nesse momento, ele trocava o meu "crachá" por um tíquete que era um novo FP para a mesma atração, a ser utilizado no mesmo dia em qualquer horário por até 3 pessoas, sendo que você só utiliza somente uma vez e sendo assim, todos precisam estar juntos. Dessa forma, conseguimos ir na atração duas vezes pelo FP.

Em seguida fomos para nossa orgia culinária no Be our Guest, pois tínhamos reserva para as 16:00. O restaurante é maravilhoso, tanto pela decoração quanto pela comida, que foi muito bem servida. Quase não tivemos espaço para a sobremesa. É importante registrar que para grupos grandes (se não me engano, mesa com mais de 6 pessoas) a gorjeta já é automaticamente cobrada (15%). E você paga a gorjeta nos restaurantes “table” mesmo tendo o Dinning Plan.

Durante a refeição, a Fera passeava pelos 3 salões mas não parava para fotos. Somente na saída é que tinha um aposento reservado para isso, com uma pequena fila. Passamos bastante tempo no restaurante, aproveitando para fugir do frio e descansar as pernas. Saindo, rumamos direto para a Main Street para garantir um lugar para assistir a Electrical Parade e emendar com o Celebrate the Magic e Wishes.

Continua...

 


 
Dia 00 - Planejamento e Chegada a Orlando (Parte 2)

 mensagem postada em 15/03/2016 - 09:03:29hs
 
 

Retiramos nossas malas e fomos até o balcão da Álamo, que fica próximo ao estacionamento para alugarmos o carro. Preferimos conversar com o atendente pois tínhamos vontade de realizar upgrade de categoria, da mesma forma que na nossa primeira viagem onde trocamos a Santa Fé por um Buik Enclave pagando pouca diferença. Fomos na intensão de pegar novamente um Buik mas como eles não tinham dois disponíveis, acabamos pegando dois Infiniti QX80, um para cada família. Dessa vez saiu um pouco mais caro do que prevíamos, mas mesmo assim valeu a pena.

Apesar de consumir um pouco acima da média, adoramos o carro. Bastante espaço para as malas e muito confortável e luxuoso. Importante dizer que não tentaram empurrar nada do que não queríamos e nem tivemos cobranças não autorizadas. O único “senão” é o fato de termos pego uma grande fila, coisa de 30 minutos no total.

O procedimento de retirada foi muito simples. Apresentei o papel disponibilizado no balcão para a atendente que pegou as chaves e me encaminhou diretamente para o carro. Antes, peguei o assento para o meu filho (alugado junto com o carro). Depois de descobrir como o carro funcionava, passamos pela cancela e apresentamos a documentação solicitada (contrato + habilitação) e rumamos para o hotel.
Aqui tivemos um pequeno problema uma vez que o meu GPS não estava pegando o sinal do satélite e o integrado do carro não reconhecia o endereço que tínhamos do hotel. O resultado é que acabamos indo parar no DIsney Springs ao invés do nosso hotel. Então apelei para o aplicativo HERE do celular e conseguimos chegar dentro do complexo da Disney. Aí ficou fácil pois é tudo bem sinalizado e conseguimos chegar sem erro.

Na recepção do hotel, fizemos o check in e pegamos a nossa Disney Band. Escolhemos associar o nosso cartão de crédito a ela e dessa forma também poderíamos utilizá-la para as compras (que seria utilizado em último caso, por conta do IOF). Outra facilidade informada é que na data de saída, não precisaríamos passar no balcão para o checkout. Poderíamos sair direto.

Deixamos as malas no quarto e fomos para o Walmart. O problema é que já eram por volta das 22:00 (01:00 no Brasil) e estávamos todos cansados. Então nem perdemos muito tempo no supermercado. Compramos o básico e o carrinho de bebê para o meu filho, voltamos para o hotel para comermos alguma coisa e depois, cama.

Lições Aprendidas:
- Viajar durante o dia foi muito cansativo, pelo fato de precisar acordar muito cedo para chegar ao aeroporto e de eu não conseguir dormir durante o voo. Nas próximas viagens tentarei evitar repetir a experiência.
- Se levar GPS do Brasil, ligá-lo assim que sair do avião. Alguns demoram bastante tempo para sincronizar com o satélite.
- Coloque previamente todos os endereços importantes no GPS, principalmente o do Hotel.
- Se possível, estude a localização de cada ponto importante. Isso facilitou bastante a descoberta que estávamos no lugar errado e a procurar a área correta do hotel.
- Caso não queira perder tempo no balcão da Álamo, utilize os totens que ficam próximos ao balcão. Além de economizar tempo, há um risco menor de contratar algo que não queira.

Próximo relato: Magic Kingdom

 


 
 
No pavilhão americano (Epcot) você também encontra os famosos "utilidors" - consagrados no Magic Kingdom - e a sua construção deu-se em virtude da necessidade de espaço para armanezar as cenas áudio-animatrônicas da atração "The American Adventure" quando não estão sendo exibidas no palco.