Civilidade nos parques

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais recente para a mais antiga
 
Índice  
 
 
Minha tese...

 mensagem postada em 06/02/2010 - 02:02:57hs
 
 

Tenho uma tese que o trânsito do local reflete a atitude das pessoas na sociedade.

Infelizmente, aqui no nosso amado Brasil, a maioria das pessoas tentam levar vantagem em cima dos outros qdo o assunto é o trânsito (talvez fora dele tb!).

O trânsito traz a falsa idéia de que nosso carro é a continuidade de nossa casa, onde reinamos sozinhos e por tanto onde as atitudes são tomadas sem o verniz do que é socialmente aceito. Por isto, talvez muitos assumam risco de dirigir sem o devido respeito às leis.

Concordo que não somos os únicos que temos atitudes que denotam falta de educação, mas lamentávelmente muitos de nós assim de portam nas suas viagens ao exterior.

Tem um ditado popular que é muito simples, mas que muitos não seguem. "Não faça aos outros o que não gostaria que fizessem à vc". Por isto acho que cantar em uma fila, pode ser incomodo à outra pessoa e portanto deveria ser evitado, mas não chega ser falta de educação.

Ensino à meus filhos que se forem à um local não devem chamar atenção para si, pois nos dias atuais, aquele que tem educação naturalmente se sobressai.

Se tivermos uma atitude no trânsito de respeito aos outros motoristas, aqui na nossa terra, estaremos, com nosso exemplo, ensinando aos outros como se portar e no futuro seremos um país melhor.

Abraços Carlos

PS: se algum sociólogo ou antropólogo ler este meu devaneio, responda se isto tem algum fundamento. Obrigado

 


 
Civilidade?

 mensagem postada em 06/02/2010 - 02:02:36hs
 
 

O assunto já andou por aqui, apesar de não nesse tópico. Furar a fila, pegar uma mug para a família inteira ou guardar lugar na fila para mais 3 ou 4 pessoas são exemplos típicos de falta de civilidade, que, apesar de talvez mais freqüentes nos brasileiros, ocorrem com muita gente no mundo inteiro. Agora chegar numa loja e pedir um aparelho desbloqueado para poder jogar jogos piratas me parece uma coisa bem nossa, não acham? E o engraçado é que algumas pessoas que fazem isto acham que nem de perto é uma atitude tão grave quanto furar uma fila.

 


 
Maria e Carlos Capistrano

 mensagem postada em 06/02/2010 - 03:02:36hs
 
 

Concordo em número,gênero e gráu com tudo que vc
disse.
É claro que gente mal educada existe em qualquer
lugar do mundo,mas quando nos deparamos com um povo
mais bem educado, a gente percebe logo não é mesmo?
e acredito que eles também percebem rapidamente
quando são brasileiros. Podem dizer que somos um
país lindo, alegre, hospitaleiro etc mas ainda falta
uma certa conciencia de educação! também concordo
com eles quando dizem que parecemos um bando de
índios, até eu ir para lá e perceber a diferença de
comportamento enquanto sociedade eu não entendia
muito bem quando eles diziam isso do Brasil, mas
depois que voltei de lá, realmente hj entendo tal
expressão!
Acho que a tão chamada depressão pós Disney também
acontece por cairmos na realidade, voltamos para o o
nosso sempre amado Brasil, e continuamos na estaca
zero na educação!!!

Abs.

 


 
Concordo

 mensagem postada em 06/02/2010 - 03:02:39hs
 
 

Prezado Capistrano,

Concordo com seu post integralmente, e acredito que a competitividade imposta pelo "mercado", seja de trabalho, de conquistas, ou qualquer outro valor que a sociedade tanto se importa, faz com que os valores pessoais acabem sendo distorcidos, na minha opinião.

Tomara que um dia seja legal ser diferente não se drogando, sendo educado, sendo honesto, etc...

Saudações Tricolores

 


 
Carlos capistrano

 mensagem postada em 06/02/2010 - 03:02:31hs
 
 

Não sou Sociológa nem antropóloga, sou Biomédica e professora de bioética para alunos ( de 18 a 70 anos) de curso técnico (CEFET).

Considero certíssimos os seus argumentos na comparação do comportamento social com a prática da direção.

A lei de ouro que você citou "Não faça aos outros o que não gostaria que fizessem à vc". Já foi dita por Confúcio e Jesus Cristo, deveria ser seguida a todos os minutos da nossa vida. Não querendo generalizar a todos os seres humanos, mas infelizmente, nosso egoísmo não permite que visualizemos o próximo nas nossas atitudes. Baixe o vídeo "ilha das flores" na internet (20 minutos de filme), é muito bom, reflete sobre o comportamento humano.

"O homem é produto do meio".Mas ele sempre terá a oportunidade de mudar, basta utilizar a força de vontade e o livre arbitrío. O homem é determinado pelas condições em que vive, é responsável pelos seus atos, sendo livre para escolher. Pena que o conceito de liberdade, para alguns, ignora a coexistência em harmonia de todos os indivíduos.

Na minha concepção, não gosto de utilizar o comportamento de outros para me denominar "não-brasileira" no exterior. Tenho orgulho da minha pátria e sempre ensino para meus alunos que a opinião deve servir como aprendizado aos seus semelhantes, como forma de crescimento pessoal e não simplesmente como julgamento. Todos temos erros e qualidades e não podemos utilizar do direito imperfeito somente para diminuir aqueles que erram, ou para excluí-los, podemos sim colaborar com o crescimento através de nossa opinião, lembrando claro da lei de ouro, muito bem citada por você.

Meus parabens à sua postura de pai e parabens a todos aqui que prezam pelo bom comportamento. O bom exemplo que você demonstra para seus filhos, será espelho para perpetuar a mesma educação para futuras gerações.

 


 
Evelin, Alexandre e Márcia

 mensagem postada em 07/02/2010 - 06:02:01hs
 
 

Obrigado pelo elogio e parabéns tb à vcs por terem suas vidas pautadas em atitudes corretas e sempre valorizando a educação como o bem maior que podemos adquirir.

Acho que não devemos ter o "complexo de vira-latas", pois não somos, apenas nascemos em um país que ainda não dá o devido valor à educação. Mas este tópico criado pelo nosso Luiz Pantoja é importante para debatermos sobre isto.

Ano passado fui em um congresso na Dinamarca e aproveitei para conhecer tb a Suécia. Foi minha primeira experiência nos países escandinavos e fiquei maravilhado.... A distância deles para os americanos é abissal, muito maior do que percebemos ao viajar para os US. Mas nestes países eles cultuam o Ser em detrimento do Ter, cultuam o respeito ao seu próximo, respeito total às leis, respeito ao meio ambiente e não é à toa que sempre estão no topo da lista de IDH da ONU.

Mas tenho a impressão, até mesmo por estarmos discutindo este tema, que estamos numa ascendente, estamos evoluindo. Ainda falta muito para melhorarmos, mas fazendo nosso dever de casa, agindo de forma correta aqui dentro da nossa casa logo não teremos mais necessidade de nos envergonhar com as atitudes de outros brasileiros.

Um grande abraço, Carlos.

 


 
Tinha que ser brasileiro (Infelizmente)

 mensagem postada em 08/02/2010 - 12:02:39hs
 
 

Amigos, cheguei hoje de minha primeira viagem a Orlando. Talvez seja desnecessário dizer, mas adorei os parques, a cidade, o trânsito, a educação do povo, etc.

Apenas um fato isolado me chamou a atenção. Sexta feira seria meu último dia de parque, e fomos a Universal Studios.

Ao avistar o personagem do Hommer Simpson me dirigi à fila para tirar fotos. para minha surpresa quase fui atropelado por um menino de uns 10 ou 11 anos, loirinho, muito bonito. Apesar da aparência pensei comigo mesmo que americano não devia ser, pelo comportamento...

Quando seus pais chegaram começaram conversar e vi que eram brasileiros. Fiquei com vergonha por eles.

Quando minha familia se aproximou minha esposa puxou um assunto sem nexo, que respondi sem entender o porquê.

Após o final do episódio ela me explicou: quando ambas estavam próximas, A MÃE DO GAROTO O ORIENTOU: "CORRE LÁ E PASSA NA FRENTE DO MOÇO..."

Ou seja, o assunto sem nexo foi a forma sutil que ela encontrou de mostrar à conterrânea que havia sido compreendida.

Que vergonha!

Marcelo Ferreira.

 


 
marcelo

 mensagem postada em 05/07/2010 - 10:07:48hs
 
 

realmente é muito triste ver que existem pessoas assim, que deveriam aproveitar a saida do pais para ver os exemplos de comportamento de pais de primeiro mundo. realmente é uma pena.
mas valeu por dividir seu relato com agente marcelo

 


 
Marcelo

 mensagem postada em 06/07/2010 - 10:07:38hs
 
 

É o fim da picada né...rs...
Ainda mais em Orlando, essa bonita achar que não ia ter nenhum brasileiro por perto pra escutar ela ensinando essas coisas erradas pro filho dela... é bem coisa de gente caipira e sem educação.

Só lamento...
Juro que se fosse comigo, eu ia lá, dar um Oi pro menininho e explicar pra ele que o final da fila era ali atrás.... Eu sempre faço isso qdo vem alguém tentando furar fila...

 


 
Pessoal

 mensagem postada em 06/07/2010 - 10:07:50hs
 
 

Mas uma vez fui à Orlando e não ví brasileiro fazendo tudo isso, eu acho que é a época mesmo, nunca fui em alta temporada, agora eu fui no final de maio começo de junho e não presenciei nada. Que bom né?...rsrsrs

Abçs

Paula

 


 
 
O patriotismo de Walt sempre foi evidente em sua obra. Assim, no Magic Kingdom, existem inúmeras bandeiras asteadas nas lojas em Town Square e ao longo da Main Street U.S.A., mas elas foram impressas de maneira a - propositalmente - não terem o número correto de estrelas e listas, com o objetivo de assim não terem que ser retiradas toda noite, como é obrigatório para as bandeiras oficiais.