Alfândega - Relatos

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 

O objetivo do presente tópico é o de servir de espaço para que possamos postar - relatos - sobre as nossas experiências com a alfândega (exclusivamente). Peço que questionamentos sobre a "cota de isenção" sejam reservados para o seu tópico específico - Alfândega - Cota de Isenção.

leia essas informações
 
Índice  
 
 
Alfândega retorno

 mensagem postada em 15/08/2011 - 03:08:13hs
 
 

Me tirem um dúvida que tenho: É possível passar pela alfândega no dembarque de volta com itens no bolsos? Tipo processador ou algum eletrônico pequeno, de modo que esses itens passem despercebidos pela cota? A pessoa passa por algum tipo de detector de metais ou pode ser revistada?

 


 
Iphone passa ou não passa???

 mensagem postada em 14/08/2011 - 11:08:15hs
 
 

Gostaria de tirar uma dúvida aqui neste tópico, um pouco mais específico... No tópico de compras para homens tem diversas informações que dão conta de que trazer o Iphone 4 com um chip brasileiro, talvez o colocando no bolso da calça, ou na mochila de mão não implicaria em inclusão dele na cota de USD 500. Gostaria de saber qual a informação real? Posso ou não trazê-lo no bolso com o famoso chip da tim? Ou tenho mesmo que declarar, de qualquer forma, sob pena de pagar a tal multa?

 


 
Marcia

 mensagem postada em 14/08/2011 - 09:08:43hs
 
 

Artigos pessoais, de higiene, etc, eles não criam problemas não. A não ser que seja algo absurdo, que possa vir a caracterizar compra para fins de revenda, eles não vão dar nem bola. O negócio deles é eletrônicos.

Camisas, calças, bermudas, calçados, roupas íntimas, enfim, vestuário em geral, pode ir a forra

 


 
Marcia

 mensagem postada em 14/08/2011 - 03:08:30hs
 
 

Sim, Marcia, todos vocês tem direito a $500,00 de cota, cada um. O que não pode é somar as cotas. Exemplo: você compra um notebook de $600,00 e não pagar imposto pois junto com seu marido você teria direito a $1000,00 de cota. Isso não vale pois a cota é individual. Portanto, na volta, se programe e separe as compras de forma que fique definido o que é de cada um para, no caso de vocês serem parados e terem as malas revistadas, não sejam surpreendidos.

 


 
Alfandega Rio

 mensagem postada em 14/08/2011 - 10:08:44hs
 
 

Uma amiga, que chegou na quinta feira, me disse que eles estao passando as malas, de todos, no raio x e se encontram eletronicos, abrem as malas e fazem vc pagar o imposto e a multa, se vc tiver excedido a cota. Vale lembrar que objetos que custem mais de 500 dolares tem que pagar imposto,porque nao existe mais a cota de familia!

 


 
Alfândega Brasília

 mensagem postada em 13/08/2011 - 10:08:51hs
 
 

Voltei de Orlando pela Copa, no última dia 10, chegando às 02h40 da madrugada. A fila estava super tranquila, tinha apenas nosso voo na hora. Eqto fazia minhas compras no freeshop fiquei observando o único fiscal perguntando se as pessoas estavam portando animal, comida, produto proibido e etc., e as direcionando diretamente para a saída, todas não estavam declarando nada. Eu havia trazido alguns poucos perfumes, cremes, relogios e oculos nas minhas malas, alem das roupas e cremes que comprei para mim la. Na minha bagagem de mao, tinha alguns eletronicos que totalizavam uns 600 dolares, que já preferi declarar e preencher ainda no aviao. Percebi que valia muito a pena descer do aviao, verificar como estava a fila e a fiscalização, e conforme o movimento, preencher o formulário, pagando um impostinho... hehe... pois o risco é quase zero de Raio-X nesse caso. E o único Raio-X que teve lá foi de uma encomenda que veio no avião, umas duas bagagens gigantescas. O restante que estava com suas duas malinhas, foram direto pra fora, sem stress... Detalhe, o voo da copa, com escala no Panamá, traz pessoas de vários lugares, EuA, Caribe e etc.

 


 
Relato Alfândega Brasília

 mensagem postada em 09/08/2011 - 06:08:10hs
 
 

Chegamos 1/8 - pela Delta - via Atlanta. Fila muito longa na alfândega - tres voos chegando no mesmo horário - LAN, AA e DELTA. Pegamos a fila nada a declarar, vi que algumas pessoas estavam tendo que passar no raio-x - no nosso caso, o agente apenas perguntou se estávamos trazendo notebook, ipad, iphone, ipod, entre outros - resposta negativa; Pediu que mostrássemos a nota fiscal do HT da onkyo, para confirmar o valor que lhe passei. Após isso, nos orientou que seguíssemos à esquerda, isto é, para fora da zona de perigo (rss). O que posso dizer é que caso vc. venha a trazer produtos que somados ultrapassem a sua cota vale a pena declarar...evita-se qualquer constrangimento e o custo ainda é muito baixo. abraços,
Família Zaire

 


 
Brasília, sexta

 mensagem postada em 08/08/2011 - 09:08:13hs
 
 

Cheguei na madrugada de sexta, COPA vindo do Panamá ... 2 fiscais, traquilos, ninguem declarando... parece q eles tava fazendo questão de ninguem declarar ... todo mundo da fila do nada a declarar...

 


 
Alfândega RJ

 mensagem postada em 06/08/2011 - 02:08:59hs
 
 

Nossa, que diferença de quinta pra sexta! E quarta a noite o voo que eu estava da American deu overbooking e pediram de 8 a 9 voluntários pra voltar na quinta a noite (chegar aqui sexta de manhã) e receber um voucher de U$800, eu e minha tia nos voluntariamos (e mais algumas pessoas também, conseguiram todos os voluntários), já pensando que esse valor seria a próxima passagem pra Orlando. Mas aí um vôo da American Eagle, que tinha o restante dos passageiros desse voo, atrasou e não precisaram de voluntários, então colocaram a gente de volta no voo (recebemos voucher de 100 dolares só aí). Na hora eu (e todos os outros voluntários) ficamos bem tristes, todo mundo tava feliz de passar 1 dia a mais em NY com hotel e refeições pagas além do voucher, mas agora que fiquei sabendo disso to dando graças a Deus!

 


 
Alfândega - Ontem - RJ - O Globo

 mensagem postada em 06/08/2011 - 12:08:09hs
 
 

RIO - Passageiros que chegaram ao Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) na manhã de sexta-feira perderam até a metade do tempo de seus voos internacionais na alfândega do terminal. A insuficiência de funcionários da Receita Federal irritou cerca de 1.400 pessoas, que haviam enfrentado dez horas de viagem, com procedência dos Estados Unidos. A revolta não partiu apenas dos passageiros. Pelo menos mil parentes e amigos que aguardavam no saguão do aeroporto protestaram. Aos gritos de "vergonha", os manifestantes fizeram barulho batendo nos carrinhos de bagagens, nas paredes e em outros objetos.
Idoso que foi buscar neta aguardava há seis horas
Um grupo que voltava da Disney, com cerca de 150 crianças, teve que esperar por quase cinco horas na grande fila que se formou na área da alfândega. Algumas choravam por causa da demora e do desconforto, já que as cadeiras não eram suficientes para o grande número de passageiros.
- É um absurdo. Os dois funcionários da Receita pareciam que estavam fazendo operação padrão. A cada cinco passageiros, quatro deles tinham que mostrar toda a bagagem - disse a arquiteta Mariléa Miranda, de 38 anos, que voltava da Califórnia.
Os passageiros e seus familiares reclamaram principalmente da falta de informações da Infraero.
- Não há nenhuma organização de atendimento. Na fila, ninguém foi informado sobre nada a respeito do que está acontecendo - protestou o advogado Pedro Alves de Souza, de 43 anos, que chegou às 8h50m e às 13h15m ainda estava no aeroporto. - O aeroporto devia estar preparado para receber vários voos ao mesmo tempo, como ocorre em toda grande cidade do mundo. A Receita Federal está trabalhando como se estivesse em uma operação padrão, olhando bolsa por bolsa.
Um idoso contou que chegou ao aeroporto às 8h para receber a neta, que voltava do Havaí. Às14h30m ele continuava aguardando o desembarque:
- O avião chegou no horário, às 9h20m. Não interessa o número de voos. O aeroporto tem que estar preparado.
A assessoria de imprensa da Receita Federal informou que a confusão aconteceu por causa da chegada de sete voos ao mesmo tempo. Segundo a assessoria, não houve operação padrão e pelo menos cinco funcionários trabalhavam no setor. A Receita também argumentou que dezenas de passageiros trazem em média de cinco a quatro grandes malas de bagagens, o que dificulta o trabalho. Por meio da sua assessoria, a Infraero esclareceu que os problemas se concentraram na alfândega


 


 
 
No Magic Kingdom, você pode observar que no início da Main Street U.S.A. os lampiões são a gás e conforme você anda na direção do Castelo da Cinderela eles passam a ter lâmpadas elêtricas, com o objetivo de demonstrar o progresso.