Voltei - Relato da minha viagem!

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
5º. DIA – 09/04/2007 – Reprise Universal e Epcot

 mensagem postada em 22/04/2007 - 11:04:13hs
 
 

Cada dia era mais difícil acordar cedo, se não fosse a energia do lugar eu e as crianças não teríamos saído da cama. A gente deitava e parece que no minuto seguinte o despertador já tocava. Era sempre a Si que acordava antes e me tirava da cama. Deixávamos as crianças dormindo até que quase tudo estivesse arrumado para sairmos. De novo tomamos café no quarto.

Decidimos voltar à Universal e ao IOA para tentarmos fazer as atrações que não tínhamos feito ainda. As 09:00h já estávamos na Starbucks do CityWalk novamente, complementando o café do quarto com um belo muffin, brownie, hot chocolate, frapuccino.... humm... que delícia a Starbucks. Quando será que vão abrir uma em Campinas hein?

Nesse dia tinha menos gente nos parques, mas mesmo assim ficamos na vontade. Fomos primeiro na Universal e fizemos o Jimmy Neutron, que a Camila queria ter feito no primeiro dia e não deu, e a montanha-russa da Múmia. Foi rapidinho. Quase nenhuma fila, nos empolgamos. Ambos muito bons, mas todos nós fomos unânimes em relação à Múmia como a melhor atração da Universal. Imperdível. Ao final da viagem a Camila viria a escolher a Múmia como a sua atração preferida.

Partimos para o IOA, mas antes entramos no Hard Rock para uma rápida olhadinha e algumas fotos. Infelizmente as filas estavam grandes. No mínimo 60 minutos de espera para o Homem Aranha, Hulk e o elevador. Podíamos ter comprado um passe Express, mas não achei que valeria a pena. Estava custando US$ 40 por pessoa. Resolvemos ir embora para o Epcot e talvez voltar somente no IOA no último dia. Porém passamos antes na loja do Spider-Man e demos uma camiseta para o Felipe, já que a Camila tinha ganho a do HSM no dia anterior. Esqueci de registrar que no primeiro dia a Si comprou artigos de Natal lá no Citywalk. É, tem uma loja com artigos de Natal em pleno mês de abril, a bons preços. Compramos uns gorrinhos difíceis de achar no Brasil. Vamos usar no Natal deste ano para dar sorte de voltarmos rapidinho.

Rumamos para o Epcot e, as 13:21h, cruzamos pela primeira vez por baixo daquele arco “Walt Disney World – Where Dreams Come True”, com o Mickey de um lado e a Minie de outro. E tira foto de dentro do carro, todos pensando: “caramba, estamos na Disney mesmo!!”. As vezes o Felipe e a Camila falavam que ainda não acreditavam que estavam lá e que pareciam estar sonhando. Engraçado essa sensação e a frase “where dreams come true”. Tudo a ver!!

Cinco minutos depois avistávamos aquela bola enorme do Epcot. Comentei com eles que quando criança eu sempre que a via na TV ficava imaginando o que havia dentro daquela bola, a “Spaceship Earth”. Em pouco tempo eu saberia. Tiramos várias fotos com a bola.

Entramos no parque e infelizmente logo começamos a nos decepcionar. O Fast Pass estava esgotado para o Soarin e para o Test Track, praticamente as duas únicas atrações que realmente queríamos ir. Filas de mais de 90 minutos! Parque entupido de gente. Eu não queria aceitar que era só por causa do Spring Break. Perguntei para dois funcionários e eles disseram que no final de semana tinha estado mais cheio ainda. Parece que todo mundo tinha decidido ir para lá. Pela primeira vez nos irritamos. Foi engraçado, os quatro sentiram a mesma coisa. Desanimamos geral. Parque chato, concluímos. E na hora decidimos. Se tivéssemos que cortar um parque, seria este. Aquela parte dos países não teve a menor graça. Não fizemos nem a metade. Acho que ficamos tão desanimados que o parque chegou a ficar feio. A Camila queria muito ir na França e acabamos passando batido. Decidimos comer e sair dalí e irmos às compras para distrairmos um pouco. A Si comeu a sua primeira Turkey Leg inteirinha enquanto eu e as crianças prefiremos sanduíches. Decidimos que jantaríamos em algum lugar diferente.

Ao sairmos do Epcot resolvemos entrar na Spaceship Earth pois não havia fila. Gostei bastante da atração, apesar de ter ouvido críticas ruins de outras pessoas. Acho que quando foi criada deve ter sido uma sensação do momento. Percebe-se que é bem velhinha, mas é muito charmosa. Passamos por uma lojinha de fotos, a Epcot Camera Center, seguindo uma dica do fórum, onde compramos um álbun de fotos lindo, com 2007 na capa e o Mickey, Minie, Pateta e Donald. US$ 20. Tem espaço para guardar CDs/DVDs e na capa um espaço para colocar uma foto pouco acima do “2007”. Alí na hora escolhemos que a foto que ilustraria a capa seria a do painel do show da Shamu com as inscrições “BELIEVE”. Ficou lindo!

Saimos do Epcot e fomos ao Premium. Após algumas comprinhas já estávamos felizes de novo. Compramos roupas e a Si comprou shampoos e cremes de cabelo. Nos divertimos no shopping com o radinho e com as brincadeiras que fazíamos ao entrar e sair das lojas. A gente morria de rir porque falávamos bobagens em português e percebemos que o lugar é lotado de brasileiros. Foi hilário.

Voltamos ao Epcot para assistirmos ao “IllumiNations – Reflections on Earth”. Ao chegarmos fomos tentar ver o Soarin, mas sem chance. Filas enormes. Entramos no “Living with the Land” e deu pra descansar um pouco. Interessante para quem curte ciência e preservação do meio-ambiente. Gostamos. Passamos por uma lojinha e a Si comprou um Mickey Fantasmic para ela e um pirulito do Mickey para o dia seguinte que estávamos pensando em ir no Magic Kingdom.

Saímos e fomos para a Showcase Plaza. Pegamos um lugar ótimo para ver o show. Quando todas as luzes do parque se apagaram para o show começar já imaginei o espetáculo que seria. Dito e feito. De novo, ficamos bestas. Que show lindo! Só aquele show valeu a entrada no parque e pagou o dia todo, e o arrependimento anterior passou. Pelo IllumiNations o Epcot é imperdível. Saímos do parque daquele jeito anestesiado de novo e eu e o Felipe várias vezes comentávamos: “eles são bons mesmo hein!!”.

Resolvi levá-los para jantar no Denny’s, que eu já conhecia das outras vezes que havia estado Miami. Eu sabia que eles iam gostar. Pedi um T-bone steak com legumes cozidos e um arroz pilaf com ervas que estava delicioso, algo próximo da nossa comida brasileira. A Si não quis jantar e pediu só a sobremesa (a hot fudge brownie, que depois repetimos). Felipe comeu o double cheeseburger e no final sentenciou: o melhor lanche que ele já havia comido, batia o BK. E a Camila foi de chicken fingers com honey moustard de novo. Ela só comia isso em qualquer lugar que íamos. Comemos muito. Valor da conta: US$ 51 com taxas e tip. Eles adoraram o Denny’s.

Voltamos para o hotel no mesmo estado das noites anteriores. Acabados, com dores no corpo todo e os pés doendo como nunca. Íamos lavar roupas, mas desistimos. Olhamos para as camas e: DESMAIAMOS!

 


 
4º. DIA – 08/04/2007 – Animal Kingdom e MGM

 mensagem postada em 21/04/2007 - 11:04:16hs
 
 

A intenção era acordar bem cedo para chegarmos ao AK assim que ele abrisse. Não deu. Estávamos mesmo cansados. Assim que acordamos, enquanto a Si tomava banho eu organizava um pouco a bagunça do quarto, das mochilas, separava o dinheiro, essas coisas. Depois eu ia pro branho e ela cuidava das roupas para levar aos parques, afinal já sabíamos que sairíamos cedo e não voltaríamos ao hotel antes das 23h. Tomamos café no quarto com o que compramos nos mercados. Leites, cereais, cookies.

E lá fomos nós para o AK. Primeiro parque da Disney, estávamos ansiosos. Ainda não havíamos ido nem próximo à direção do complexo. Quando você vai avistando as placas indicando as saídas da I-4 para os parques vai confirmando aquela impressão de gigantismo. Aquilo é tão imenso que não existe uma saída só. São várias.

As 10:32h cruzamos o portal de estacionamento do AK. Maldito spring break de novo. O parque já estava lotando. Não dava pra ir a pé do estacionamento à entrada do parque!!! Depois viemos a perceber que em todos os parques era assim. Usamos o “traim” da Disney. Aquele frio!! Entramos no parque já o achando lindo e demos de frente com aquela árvore gigante, linda! Quem foi que fez aquilo hein??? E ela é de “faz de conta”.

Corremos para a atração do “It’s Tough to be a Bug” que estava com menos de 20 min. de espera, olhando para aquela árvore incrível. Rimos muito no brinquedo. Adoramos. É sem um dúvida um dos melhores do gênero. Eles chamam de 3-D mas é na verdade um 4-D. Eu e o Felipe achamos que a qualidade supera o Shrek 4-D da Universal. Mas lá em Orlando é difícil aceitar que algumas coisas são melhores que outras.

Saímos dali e corremos para pegar um fast pass para a Expedition Everest. Decepção. O brinquedo parou por problemas técnicos e o fast pass também fechou. Tiramos fotos na frente só pra não ficar tão vazio e voltamos para assistir ao show do Rei Leão.

Quando era pequeno, o Felipe era vidrado no Rei Leão. Assistia à fita (época do video-cassete ainda) duzentas vezes por dia. Achamos que ele ia gostar do show. Dito e feito. Não só ele, mas todos nós, saímos impressionados. Imperdível para quem gosta do filme... A gente sai cantando as músicas. Saímos dalí e demos de cara com o Pateta, o Mickey e a Minie. Corremos para a fila do Pateta e dá-lhe autógrafos e fotos. Não deixei a Si e a Camila irem tirar fotos com o Mickey e a Minie pois as filas estavam grandes. Me arrependi depois. Lá, quando você vê um personagem tem que pegar ele na hora. Eles são caracterizados de acordo com o parque e depois você não os encontra mais. A Camila encontrou o Stitch também. Foi muito legal porque ela é apaixonada por ele.

Fomos para a Dinoland e almoçamos no Restaurantosaurus. Para variar é um MC Donald’s, mas bem diferente. Tem um menu pequeno e você que termina de montar o lanche. Eles te dão o pão com o hamburguer e o queijo e você vai colocar tomate, alface, picles, molhos, etc. Bem curioso. Lógico que tiramos fotos. E só dava a gente dividindo o refrigerante. Não sei como o pessoal consegue pegar aqueles copos de coca enormes e cada um beber o seu inteiro... Acho que é isso que deixa a maioria do povo gordo daquele jeito. Na saída compramos o picolé do Mickey. Dá-lhe foto!

Andamos mais um pouco pela Dinoland e decidimos trocar para o MGM. Apesar de termos adorado o AK, percebemos que não iríamos conseguir fazê-lo inteiro. Tínhamos ainda que encontrar algum lugar para comprar um agasalho para a Camila pois o dela tinha sujado no dia anterior além de ela estar sentindo bastante frio. Ela e a Silene são friolentas demais pô!!!

Chegamos no MGM já era 16:45h. E “traim” de novo. Não dá pra estacionar perto da entrada! Pra resumir a estória, adoramos o parque! É pequeno e fizemos bastante atrações, mas faltou a montanha do Aerosmith que eu queria tanto ir. Filas de mais de 60 minutos e fast pass para muito tarde (eu deveria ter pego um). A Si e a Cacá foram ver o show da Bela e a Fera enquanto eu e o Felipe fomos andar pelo parque e fazer outras atrações. No caminho vimos a turma do High School Musical e pensamos: “a Camila não vai se perdoar de ter perdido”. Fomos no simulador do Star Wars. Bonzinho.

Encontramos com as meninas e contamos do High School... A Camila quase chorou. Perguntei para um funcionário e em 15 minutos ia começar a último apresentação. Foi especial. Ela acontece na frente daquele chapéu gigante do parque. A Camila ficou no gargarejo e no final foi dançar junto com os atores. Ela não se aguentava depois! Demos uma camiseta oficial do HSM para ela.

Nos separamos novamente e eu fui com o Fe na Torre do Terror. Eu tinha um fast pass só pois ele e as meninas não queriam ir, mas eu o convenci, dizendo para ele que os amiguinhos da escola iam zoar com ele. Hahaha. Conversei com um funcionário e ele nos deixou entrar com apenas um fast pass. Adoramos o brinquedo. O Fe falou que faria de novo. Mas já estava na hora de irmos para o Fantasmic. Pelo radinho encontramos a Si e a Camila e entramos na arquibancada do show com quase uma hora de antecedência. Rapidamente o estádio lotou. E li que são quase 10 mil pessoas alí. Isso mesmo, 10 mil pessoas para assistir um show na Disney, num parque bem pequeno.

Quando o show começa você não sabe muito bem o que te espera, mas à medida que vai acontecendo é uma sequência de “oh, uh, ah” em coro. As pessoas não se contém e exclamam o tempo todo. É uma surpresa atrás da outra. Luz, cores, personagens, imagens, fogos, água e fogo convivendo harmoniosamente. Pura magia, puro encanto. O show termina e para sair do local vai uns 15 minutos, de tanta gente que tem.

A gente sai do parque meio que anestesiado, meio que sem noção de onde está. Um cansaço terrível, pés doendo, mas a cabeça comanda o movimento do corpo embalada pelas imagens frenéticas do dia todo. Ainda bem que o carro é automático. Chegamos no hotel depois das 23h. Desmaiamos.

 


 
4 dia - Seaworld

 mensagem postada em 21/04/2007 - 10:04:38hs
 
 

4.Dia - SeaWorld

Eu estava relendo meus relatos, e nossa,, qt erro.. ahha.. desculpem, além de não ser o meu forte, estou escrevendo sempre tarde da noite e com a luz apagada ( haha, tem q dar uma desculpa pra não pegar tão mal neh ).... Aliás uma pequena correção, esse é o quarto dia de parque, quinto dia na terra mágica !

Bom, a programação para o dia era SeaWorld até as 16:00 e NBA a noite... masss...

Um domingo lindo, ensolarado desde bem cedo, sem nenhuma nuvem no céu, perfeito !!! O que mais eu poderia querer ??
Acordamos sem pressa, café da manhã no Hotel, perdemos algum tempo na Internet falando com família e amigos, postando fotos, etc...
No caminho para o SeaWorld vi que a polícia estava controlando o tráfego para que o tremzinho do SeaWorld levasse as pessoas do estacionamento ao parque. É o estacionamento do lado do parque já estava cheio e estacionamos do outro lado da rua.

O SeaWorld é um parque diferente dos outros, não sei explicar direito,,, fiquei com a sensação de tudo mais claro,,, tudo azul... até as pessoas usam roupas mais claras,,, quase todo mundo nos tons de verde e azul claro....... hahha.. acho que é besteira, mas até agente inconscientemente estava assim....

Bom sou suspeito pra falar, já declarei aqui nossa paixão por animais, então SeaWorld pra nós foi o MÁXIMO.... mesmo não tendo ido a Atlantis,,, nem a Kraken..O parque é lindo, logo na entrada os flamingos dando aquele colorido...

Chegamos umas 11:00 no parque, pegamos o mapa na entrada e logo que percebi que tinha BlueHorizons começando em 15 minutos saí empurrando o carrinho do Nata e puxando a Raquel para lá,,, corremos muito.. e quando estávamos quase na porta da atração vi a funcionária colocar a corrente e fechar a entrada.... corri mais um pouco, tentei um chaveco, mas não colou, perdemos a apresentação.

Depois de recuperar o fôlego, vamos nós analisar os horários de todos os Shows. Não queríamos perder Believe, BlueHorizons e Cyclade&SeaMore.... mas entravamos em conflito alguns horários porque precisávamos sair as 16:00 para o NBA.... e tinha Believe começando em 30 minutos mas era do outro lado do parque e já estavamos sem folego naquele calor,,, fiquei com medo de correr e ter outra decepção.
Decidimos não estressar naquele momento, caminhar pelo parque, e ir em direção ao Cyclade&Seamore que começaria em 1 hora e 20 minutos.
Opinião : Bom muita gente diz que da pra fazer SeaWorld em meio dia,,,, na minha opinião, um dia inteiro é pouco pra fazer tudo com calma

Fomos andando até o tanque das arraias, sem muita pretensão... e surpresa... que lindo!!!... É maravilhoso aquilo,,, esqueci de tudo, me debrucei no tanque para ficar passando a mão nas arraias,, o Natan gargalhava, com algum medo no começo, mas depois se jogando para passar a mão nelas,,,, ficamos um tempão ali... é lindo demais,,, e a garça que fica ali só filando os peixinhos... demais.....
Quando percebemos,,, era hora de correr denovo para ver Cyclade&Seamore.... e lá vamos nós,, já meio molhados de ficar alí brincando com as arraias,,, mas ficou a vontade de voltar no tanque para brincar mais....

Cyclade & SeaMore é um show de comédia, claro que comédia bobinha, mas que faz rir.... que já começa com um pirata palhaço que fica antes do show fazendo comédia muda, zoando as pessoas que estão entrando para assistir o show.... o público cai na risada enquanto ele fica tirando o sarro de todo mundo que entra pela parte de baixo do estádio, comédia muda sem a barreira do idioma, fez todos rirem....
O texto do show em si é bobinho, mas a inteligência e graça dos leões marinhos, focas ee da lontra que apronta o show todo vale a pena.... demais a cumplicidade da menina que apresenta o show com os bichos, parecem que se falam no olhar....
Gostamos muito do show, demos boas risadas,,, e deu pra relaxar da correria....

Saímos do Show e ainda tínhamos muito pra ver, e pouco tempo para fazer tudo.... Não seria possível fazer Believe, BlueHorizons, ver os Golfinhos, ver os Pinguins os tubarões, as tartarugas o Urso Polar,o peixe-boi, voltar ao tanque das arraias,,, almoçar,,, e ainda sair 16:00 para o NBA..... Então tínhamos que tomar uma decisão...apesar de querer muito ir ao jogo do NBA, eu sabia que iria curtir sozinho,, e claro meu corpo também já estava bastante cansado.... então a decisão foi, relaxar, aproveitar ao máximo o SeaWorld e abrir mão do jogo NBA..... Claro que não foi uma decisão fácil, eu queria ir ao jogo,,, mas era o mais prudente naquele momento,, e não me arrependi, pois curtimos muiito SeaWorld....

Ok decisão tomada,,, vamos almoçar e programar o restante do dia com calma... Comemos Baby Back Ribs suculendo ao molho barbecue, batata frita... hehe.. muiito bom... adoro barbecue essas costelinhas... compramos uma promoção infantil para o Natan que vinha frango frito e batata frita dentro de uma Baleia de plástico... a comida não é de criança.. frango apimentado pra criança .. pode ??,,,, mass.. O Natan adorou a grande baleia de pástico que foi companheira em todos os banhos....

Depois do almoço, fomos até o Dolphins Cove ver os golfinhos, exploramos o UnderWater view antes,,, e lindo demais.. depois subimos,,, e fiquei no dilema de encarar a fila para gastar U$ 6,00 em peixes para os golfinhos... o problema nem era os 6 paus em si ( também claro ).. mas sim a grande fila, para comprar peixes, e a venda só abriria em meia hora.... bom decidi investir melhor os 6 paus e comprei uma BudWeiser pra mim ... haha... mto bom... trincando de gelada,,, e uma linda garrafa vermelha que guardei como souvenir...
Nem por isso deixamos de passar a mão nos golfinhos, ficamos ná área onde pode-se passar a mão neles mesmo sem comprar nada, e depois de um tempo, eles vêm,,, foi mágico... lindos demais... várias fotos,,, filmagem... a Raquel se emocionou, deitou no murinho e mais um pouco estava la dentro...
Saímos da área dos golfinhos felizes,,, e também bastante molhados porque deitamos no muro para ficar brincando por muito tempo.... de lá para Believe... sem pressa, uma hora antes do show começar, em direção ao estádio....
No caminho, as tartarugas,,, bommmm sem palavras... o local delas é bem feito, ambientação perfeita.... não é um tanque de tartarugas,, é um lugar bonitos para elas... como merecem....

BELIEVE: Mesmo chegando bem cedo, tipo uns 40 minutos antes do show, o estádio já estava bastante cheio... na verdade eu não mencionei ainda, mas o parque estava bastante cheio... abençoado Spring Break !!!....
Fomos entrando,, e como não tinha muitos lugares livres, nos separamos para procurar lugar... a Raquel viu um lugar lá embaixo na 3. fileira e foi correndo..... OK.. ela não sabia o siginificado de "SOAK AREA", eu mesmo sabendo que iria encharcar, não liguei.
Quando sentei ao lado da Raquel ela me disse,,,, "Estranho, tem um monte de gente sem sapatos, e de biquini por aqui.." hahaha..
Bom, estávamos ali para nos divertir, então quem está na SOAK AREA é pra se molhar.... tirei o tênis, a meia,,, guardamos na mala,... pegamos um saco ZIP que sempre temos na mala para guardar a câmera,,, toalha tinha também, porque quem sai com criança par parque sempre leva mesmo... então... tudo bemmm...
Bommm,,, Believe é emocionante, não vou tentar descrever as emoções aqui porque não tenho esse dom, mas posso dizer que fiquei tocado desde o começo de Believe, uma emoção tomou conta de mim mesmo....
E aih chegou a hora de chamar a Shamu.... da até um medo,,,, começa uma coreografia, com um som de batidas,,, e SHAMUUU,, SHAMUUUU.... o Natan entrou no clima e chamava a Baleia...misturando as palavras ( chamo,, Shamu....) hahah... e la vem a Shamu...
Imponente,,, enorme,, linda,,, deu um medo, porque vi várias pessoas correndo para parte de cima, então caiu a ficha que iria ensopar de verdade... A primeira batida de água não nos acertou, mas assutou,,, e aih veio a segunda,,, e UAUUU>>>> Muuiita água, gelada e salgada,,,,
A Raquel ao invés de proteger o Natan com a toalha, teve uma reação de medo e puxou a toalha na hora para se esconder... o resultado foi que o Natan abriu o berreiro.. hahaaha... subimos as escadas com ele,,, mas rindo,, ensopados,,, descalços, não enxergando nada com os óculos molhados,, e rindo muito, mesmo com o pequeno chorando.... logo o Natan entrou no clima e deu risadas também,,,
Ahhh... filmei tudo com a câmera dentro do saquinho ZIP, claro que tem o plástico na frente, mas transmite a emoção do momento, e é demais rever esse momento....
Assistimos o resto do Show da parte de cima, o que foi bom para a filmagem e para as fotos,,, lindas fotos, e uma filmagem de dar inveja... show que tenho orgulho de mostar pra todo mundo, dizendo eu estava lá....
No final do Show eu estava realizado... acho que Believe, assim como MainStreet com Castelo ao fundo fazem cair a ficha de sonho realizado,, talvez a água gelada na cabeça ( haha... )..

Saímos do Believe encharcados, e tinha BlueHorizons começando em 40 minutos,,, então.... lá vamos nós...

BlueHorizons é imperdível, os golfinhos legal demais a habilidade dos treinadores com os golfinhos... e o bicho é mto inteligente... mto lindo,,, um show de encher os olhos,,, e as aves no meio do show ??... razante na cabeça do público, se não me abaixo acho que tinha acertado uma... mas legal ver como são bem treinadas.... gostamos muito do show, e acho que valeu a correria....

Depois de BlueHorizons tinhamos terminado os shows que queriamos ver, então faltavam as outras atrações do parque que não tinham hora marcada..... SeaWorld tem que fazer com calma por causa disso,, tem muitos shows com hora marcada, tem que chegar com 30 minutos de antecedencia, o show dura 30 minutos, e você não sai do estádio em menos de 10 minutos do final do show,,, então fica corrido pra fazer tudo...

Aproveitamos o final da tarde e do dia visitando todas as atrações de bichos que queríamos: SharkEncounter ( legal demais ), Pinguim Encounter onde ficamos um tempão indo e voltando na esteira pra ver denovo.... e ver o Natan imitar o Happy Feet dançar... Wild Artic que é bem legal e rende ótimas fotos... peixe-boi que é lindo e parece que se expressa colocando as tapando os olhos.. enfim.. nos esbaldamos com os animais....
Não ficamos para o Mistify, queríamos descançar para o dia seguinte que seria Epcot, e sabia que seria cansativo...

Saímos do parque, com gosto de quero mais claro, mas tendo passado talvez o melhor dia em Orlando... todos foram bons, mas SeaWorld foi excepcional...

Peguei lanche no Burger King e fomos para o Hotel, pois queríamos lavar algumas roupas....Pra variar o Natan desmaiou no caminho...

No Hotel fui perguntar de como funcionava para lavar roupas... bom, sei que não entendi direito o que o cara que me atendeu falava, ele disse que eu precisava de "tokens" e falou rápido não entendi quanto custava ,e ele meio sem vontade de explicar e atender,,, saquei U$5,00 e pedi em tokens,,,, bom ele veio com a mão cheia de moedinhas amarelas e me deu... A Raquel caiu na risada, e tirou o maior barato de mim,, achei q tinha feito errado, que tinha comprado muitos tokens.. haha.. ela ficou tirando o maior barato, e eu com cara de bobo com mão cheia de moedas...... Fomos para o quarto comer os lanches, separar as roupas para lavar,,, mas depois de tirar os tênis,, e dar uma relaxada não deu coragem de descer pra lavar roupas, então foi banho,, e desmaiamos !!!

PS: Só antecipando, as moedinhas deu certinho para lavar e secar uma máquina de roupas, e uma mini-caixa de sabão... então o mico foi só de achar que tinha comprado muito,,,,

Afff... pra variar escrevi muito.. estou precisando de poder de sintese...

Dia Seguinte: Epcot

Abraços,

 


 
3º DIA – 07/04/2007 – UNIVERSAL e IOA.

 mensagem postada em 20/04/2007 - 11:04:50hs
 
 

Acordamos relativamente cedo e partimos para a Universal com a intenção de fazer os dois parques em um só dia.

Antes uma paradinha no Walgreens para mais umas comprinhas de suporte. Walgreens tem por todo lado, mas na I-D tem um bem pertinho do Quality Inn Plaza. Para quem não conhece, vale a pena parar. Uns dizem que é uma farmácia, mas para mim é como um mercado/mercearia/conveniência. Você acha de tudo lá (e remédio é o que menos tem) e tem uns preços bons, com algumas marcas famosas e outras desconhecidas. Tem uns potes de castanhas de cajú e uns mistos que são vendidos a 2 por US$ 5. É uma delícia com cerveja! E as sopas Campbell... hummm... a New England, pra esquentar no microondas do hotel, baratinho $3. Pringles, shampoo, etc. etc... O Felipe comprou uma lanterna (não sei pra que, mas ele adora lanternas) parecida com aquelas que polícia usa nas viaturas. Pagou US$ 8 e vem com bateria, carregador de tomada e de carro. Pronto morremos com mais US$ 55 doletas.

Fomos dalí para a Universal e no estacionamento notamos um movimento um tanto alto de carros mas ficamos na esperança de que era só na guarita para pagar. Foi só esperança mesmo. Os parques estavam lotados.

Caminhada do estacionamento para a entrada dos parques já é uma aventura. Looongeeeee. E é uma novidade também. As crianças ainda não tinham visto aquelas esteiras horizontais que são comuns nos grandes aeroportos dos EUA e outros lugares (aquilo é o cumulo do comodismo americano, mas que é bom, é). Acharam o máximo, fizeram a festa.

Estava um pouco frio, avistei um Cinnabon e a boca encheu de água, mas eles queriam algo quente. Passamos na Starbucks da parte superior (que só depois percebemos que na verdade o lugar era o City Walk). Hot Chocolate, Vanila Frapuccino... humm e, não resisti... Cinnabon... aqueles Cinamon Rolls deliciosos. Comprei um para as crianças e a Silene experimentarem. Não preciso dizer que tive que comprar outro. Aonde tem igual aqueles aqui no Brasil?? Não existe né.

Ainda meio “bêbados” com a beleza do local fomos caminhando com a multidão sem perceber que estávamos entrando no IOA. Nem observamos aquela torre enorme na entrada. E eu me perguntando como chegava nos parques... hahaha. Iniciamos pela direita (acho que erramos aí). Entramos na atração do Cat in the Hat, mas quando a Si leu a descrição do guia da Folha a Camila surtou. Disse que não ia ali de jeito nenhum. Tivemos que sair da fila. Começamos a caminhar em direção à parte final do parque, tentar pegar as atrações mais vazias. Foi a nossa sorte. Conseguimos fazer algumas. A atração Fúria de Poseidon foi a primeira. Gostamos. Já deu pra ter a noção dos “shows tecnológicos” que nos aguardavam. Apesar de a atração ter um inglês um tanto difícil (uma linguagem que não é do dia-a-dia), deu para entender. Saímos dalí e avistamos a Dueling Dragoons. A Silene foi comigo. Adorou! As crianças não quiseram ir e o Felipe ficou com a Camila, cuidando dela. Usamos os radinhos pela primeira vez e já percebemos que eles eram indispensáveis. Depois consegui convencer a Camila a ir a uma montanha russa (a Flying Unicorn). Ela amou. Queria repetir, mas havíamos combinado de não repetirmos atrações enquanto não terminássemos os parques.

DICA: Comprem um walk-talk. Eu paguei US$ 26 num modelo da Uniden (GMR1038-2CK 22 Channel 10 Mile range GMR radio) que vem com base carregadora e dois rádios. Foi de enorme valia em toda a viagem e agora está servindo de brinquedo para as crianças.

Continuamos dando a volta no parque e paramos para lanchar na atração do Popeye (na Toon Lagoon). Sanduíches de novo. Percebemos que essa seria realmente a nossa comida nos próximos dias. Aquela área do Popeye nos fez recordar ótimos momentos de infância. Não fomos na atração do barco porque não queríamos nos molhar. Estávamos traumatizados do SeaWorld e fazia um certo frio.

Chegamos na área dos super-heróis e vimos o primeiro (que eu não lembro o nome) mas a Camila correu pegar autógrafo e tirar fotos. Logo em seguida, Capitão América. Caramba!!! Igualzinho. Depoi seguiu o Pica-Pau e outros. Nessa hora eu e a Si tb já estávamos totalmente no clima, pedindo fotos junto com os personagens. Pareciamos crianças. Quatro crianças. Vimos a atração do Homem-Aranha. Fila de mais de uma hora! No way... Combinamos que não iríamos ficar em filas maiores que uma hora. E que ninguém ia “emburrar” se não desse para ir em algum brinquedo. A gente queria era andar, curtir tudo que pudéssemos ver. Se desse para entrar numa atração, ótimo. Se não desse, tudo bem. Estar alí já era a diversão em si. E nada da montanha do Hulk, Doctor Doom’s Fearfall... todos com mais de uma hora de fila.

Maldito Spring Break. Parque lotado (eu acho né... não tínhamos referência do que era um parque lotado lá). Decidimos ir para a Universal. Só aí que percebi como era a entrada dos parques.... hahaha. E onde era o CityWalk e o Hard Rock... Eu estava bêbado mesmo. Caramba, quando vi aquele globo da Universal... corremos pra tirar fotos.

Estava um pouco mais vazio. Entramos direto na atração do Shrek 4-D. Incrível. Amazing! E adivinha quem estava na saída do brinquedo? O próprio, com a Fiona. E dá-lhe fotos e autógrafos (linda a Fiona). Conseguimos fazer várias atrações na Universal (Twister, Earthquake, Jaws, E.T.). Adorei o parque, o clima. É imperdível. Saímos da Universal na intenção de voltar para o Islands e tentei entrar no Hard Rock para ver, mas era impossível. LOTADO.

Comecei a ler os Map Guides com mais atenção e percebi que, além do maldito Spring Break, estava acontecendo, até 14/04, o festival “Mardi Gras – Let the Music Move You” e naquele dia havia um show do Daughtry. Ou seja, parte do público com certeza estava alí para assistir ao show, que rolaria no CityWalk.

No Islands, as filas estavam ainda maiores. Decidimos ir embora e repetir os parques em outro dia. Saindo do IOA avistamos uma Turkey Wagon e finalmente a Si pode experimentar aquelas Turkey Leg. Compramos uma só para experimentar e dividimos em quatro. Faltou. Comeríamos mais depois. Passamos pelo CityWalk um conjunto fazia cover do U2. Muito legal, mas decidimos ir ao WalMart relaxar um pouco. :-)

No caminho de volta para o estacionamento nos divertimos muito andando nas esteiras na contra-mão e dançando feito bobos. Todo mundo olhando e não entendendo nada.

Na estrada percebemos que até o som do carro era automático. Ele aumentava e diminuia conforme a velocidade. O Felipe achava o máximo. E eu também. Nunca tive um som assim nos meus carros. Hehehe.

No WalMart já começamos a encher as malas que foram daqui vazias.... Compramos mais duas mochilas para levar aos parques, pois uma só que tínhamos era insuficiente, pequena. E ainda outras porcariadas (inclusive catchup Heinz), abridor de latas, carregador de pilhas, e por aí vai. Adoro fazer supermercado nos EUA. Eles têm umas coisas que a gente não vê no Brasil mesmo, ou que são muito, mas muito mais baratos.

Jantamos MC Donald’s e planejamos ir ao Animal Kingdom e MGM no dia seguinte, o domingo . Chegamos no hotel depois das 23h, daquele jeito de novo. Desmaiamos.

 


 
Sergio

 mensagem postada em 20/04/2007 - 08:04:49hs
 
 


mais uma vez parabéns, seus relatos tem uma riqueza de detalhes que nos fazem viajar junto com vc! realmente a florida tem uma atmosfera mágica que nos deixa reflexivo, é um verdadeiro encontro com nossa infância! (ñ é a toa que saímos de lá nos organizando para retornarmos o mais breve heim!?)

 


 
2º. DIA – 06/04/2007 – A CHEGADA e SEA WORLD.

 mensagem postada em 19/04/2007 - 11:04:35hs
 
 

O vôo foi tranquilo, salvo uma turbulência já na chegada a Miami, após o café-da-manhã. Assim que o avião toca o solo, a Camila passa mal e vomita. Tudo bem, sem stress. Chegamos no horário (05:30h de Miami). As crianças ainda não acreditando que estávamos lá, entramos pelo finger e fomos indo para a imigração, eles olhando tudo atentamente, com aquela curiosidade infantil. Eu já havia estado nos Estados Unidos, a trabalho, com tudo pago pela empresa, e lá mesmo eu havia sonhado com o dia em que eu poderia levar a minha família. Senão toda ela (pais, irmãos, sobrinhos, esposa e filhos), pelo menos parte dela. As vezes esse tipo de sonho é um sonho que sonha só. Mas como dizia o Poeta: sonho que se sonha junto, é realidade! E lá estávamos nós.

Filas pequenas na imigração, fomos atendidos por uma policial feminina no balcão de US Residents já que praticamente não havia cidadãos americanos por ali. Super tranquilo, ela apenas perguntou para onde estávamos indo e o quanto eu trazia em dinheiro. Mostrei o voucher do Hotel e disse que estava com mil dólares em travelers. Ela perguntou para as crianças as idades deles e eu traduzindo. Digitais colhidas, passaportes carimbados e admissão até Outubro (já deu aquela vontade de ficar por lá e não voltar... hehe).

Pronto, lá estávamos nós em solo americano, rumando para a conexão a Orlando... Sinais de progresso do primeiro mundo já aparecendo. Eu havia estado em Miami em Setembro de 2006 e lá está o aeroporto passando por reformas para crescer. O que já é grande, vai ficar ainda maior! Pegamos as malas e saímos em direção à conexão com facilidade e relativa rapidez.

Despachamos as malas para Orlando e como o vôo só saia as 07:45h fomos dar umas voltas pelo aeroporto de Miami. Começou o consumo: Starbucks... humm, como é bom aquilo né. Para meus filhos experimentarem um Muffin de verdade já pedi um e mais um hot chocolate. O Felipe disse que nunca mais iria comer os muffins do Brasil... haha. Andamos um pouco pelo aeroporto e tive que voltar na Starbucks para comprar mais um muffin.

Embarcamos para Orlando exatamente no horário e uma horinha depois lá estávamos nós chegando à terra da magia. Detalhe: desta vez os quatro dormiram no avião praticamente durante o vôo todo. Nem vimos se eles serviram alguma coisa. Acordamos com o avião quase tocando o solo. Pega o trenzinho para ir retirar as bagagens, as crianças achando tudo o máximo. Imagina, andar de trem dentro do aeroporto? Aqui no Brasil nem passa perto. E isso que eles não viram Dalas, Nova Iorque...

Balcão da Álamo, aquela conversa de upgrade (que eu mesmo inicei para parecer mais simpático e na sequência declinei). Como eu tinha o voucher da agência aqui do Brasil, a atendente só pediu a carteira de habilitação e um cartão de crédito como garantia (não sei do que!). Indicou onde estavam os carros e fomos lá escolher. Depois de as crianças ficarem pulando de carro em carro para escolher o mais novinho, pegamos um Pontiac Grand Prix com pouco mais de 5.000 milhas rodadas. Saímos do aeroporto e eu já vi a placa para a I-Drive e pensei: “Ok. Estamos em casa”.

Paradinha no caminho, quase 11h da manhã (já meio-dia no Brasil), praticamente hora da fome. Burger King! Imperdível, lógico. Começaram a se maravilhar com a comida. Segundo o Felipe, a melhor batata-frita que ele já havia comido na vida. E aquelas Onion Rings? Não chegam nem perto das que têm no BK de Campinas. Valor da conta: US$ 15.53. E os quatro comeram bem!

Estrada de novo e outra parada estratégica, o Target. Gastamos US$ 57 com comprinhas básica de água, leite, coca-cola, cereais, salgadinhos Elma Chips, balas, etc. Essencial fazer uma compra dessas logo na chegada. Você pega alguns ítens que vão direto pro frigobar do Hotel e você economiza uma bela grana.

Como o check-in no hotel era a partir das 15h, nada mal fazermos mais uma parada: Flórida Mall. Entramos pela Macy’s mas depois saímos para entrar pela loja dos M&Ms... muito legal aquela loja. E lá se vão 5 doletas pra comprar os M&Ms naqueles tubos coloridos – lindo! E em qualquer supermercado você compra o dobro de M&Ms pelo mesmo valor, mas não sai com a sacolinha deles.
Andando um pouquinho pelos corredores do mall, a Silene dá de cara com o que? Victoria’s Secret. Pronto. Ficou radiante. Felipe olhou pra mim e disse, agora já era. E lá ficaram US$ 76 em creminhos para ela, cunhada, amiga, sogra... a lista né!

De volta para a estrada, 13h, resolvemos ir para o hotel tentar a sorte. Tranquilo, pedi early check-in e lá estávamos nós, no Quality Inn Plaza, bloco C, apto. 2406. Mas não sem antes iniciar uma barganha na recepção. Antes de sair daqui comprei algumas coisinhas pela internet (rádios walk-talk, memória de 1GB para o micro de casa e roteador wireless para uma amiga) que mandei entregar no hotel. Meu irmão mais novo fez o mesmo. Aconteceu que o hotel queria cobrar US$ 10 por cada caixa recebida (seis ao todo). Imagina se eu iria pagar. Em menos de 5 minutos resolvi a situação e não me cobraram nada. Ah, tinha também o envelope com os tickets que eu havia comprado através de um site que tem convênio com a empresa em que trabalho e lá estava ele nos aguardando.

No quarto, desfizemos as malas rapidamente, preparamos uma mochila, coloquei os radinhos para carregar as baterias e saímos em direção ao Sea World.

Praticamente ao lado do hotel, chegamos rapidinho no Sea World e fomos direto para uma atração qualquer. Nossa expectativa era assistir ao Believe – o show das orcas. Brincamos em algumas atrações, dentre elas o simulador do Ártico. Ficamos impressionado com a sensação de realismo provocada quando se sai do simulador. Parece que você está no Ártico (se bem que nunca estivemos lá né), mas o teto, o ar-condicionado hiper frio, tudo em volta dá uma sensação única.Tiramos fotos dos animais marinhos e a Silene parecia criança fotografando o peixei-boi ou sei lá o que era aquilo. Eu fui sozinho na montanha-russa Kraken. Adorei! A Silene e as crianças não quiseram ir... Fomos na Journey to Atlantis e nos molhamos inteirinhos. -- palavra censurada -- frio!!! Voltamos pro estacionamento pra trocar de roupas e aí já percebemos que mochila era mesmo fundamental. De volta no parque, outras atrações mais tranquilas, deixamos para ir na última sessão do Believe, o show das “orcas assassinas”.

Eu não sei descrever muito bem o que senti quando comecei a assistir ao show da Shamu. Na minha cabeça começou a passar um turbilhão de coisas e emoções, intimamente ligadas ao texto da atração. CHOREI!!!
As crianças queriam que eu traduzisse o que era dito, mas não dava. A emoção era grande. Pedi só que eles assistissem, atentos.

Nessa hora eu só lembrava dos sonhos e do quanto é importante acreditar neles. Lembrei da minha infância simples, dos meus pais que tanto sacrifício fizeram para dar estudo pra nós (e estudo público, já que o estudo particular era algo muito distante da nossa realidade), dos meus estudos de inglês que custeei, lembrei da Silene que, desde quando casamos, falava que seu sonho era viajar para fora, especialmente para a Disney.

Venho de família bastante humilde. Nessa hora a ficha cai!!! E a gente tem a exata dimensão do que é vencer! Do que é ACREDITAR. BELIEVE!! Eu estava alí, nos Estados Unidos, em Orlando, na Terra da Magia e dos Sonhos, realizando alguns.

Preciso aqui dizer uma grande verdade. Nunca sonhei especificamente com a “Disney”. Tenho vontade de conhecer a Europa e outros lugares, mas a “Disney” nunca foi, pra mim, uma prioridade. Há algum tempo passei a sonhar o sonho da Silene e das crianças. A sonhar junto.

Pronto, o sonho estava realizado. Saímos do show e eu era só alegria. Ainda paramos para assistir ao Mistify, o show de luzes, música, água e fogos do Sea World. Simplesmente lindo.

Fomos para o hotel. Exaustos. Mas com uma sensação de alegria, de família, de festa, indescritível! Desmaiamos.

 


 
3. Dia - Animal Kingdom

 mensagem postada em 19/04/2007 - 11:04:58hs
 
 

3. Dia - Animal Kingdom

Nesse dia acordamos mais cedo, ainda com as imagens do MK muito vivas na mente, lembrando e comentando tudo que tínhamos visto no dia anterior, inclusive com a música ( There's a Great Big Beautiful Tomorrow ) impregnada no ouvido. No segundo dia o café da manhã do Hotel já começa a perder a graça, não consegui pegar nada da parte quente, mas adoramos os cereais e o leite com chocolate bem gelado que tem em uma máquina... Vi frutas no buffet e fui empolgado,,, masss tudo em caldas, cheio de doce.... Usamos a internet durante o café da manhã para falar com parentes ( internet wireless livre no lobby e restaurante do Quality Inn Plaza ).
Como ainda não tinhamos comprado o carrinho nem a cadeirinha do Natan, fomos ao Wal-Mart primeiro, compramos carrinho ( U$25,00 e cadeirinha U$30,00 ), os carrinhos baratos não são tão confortáveis, os de U$ 15 não dá pra usar... o que compramos quebrou bem o galho e trouxemos para o Brasil, alias é fácil embarcar com um carrinho, é só ir com o carrinho até a porta do avião e deixa-lo lá, quando sair do voo o carrinho vai estar te esperando, então ajuda até no aeroporto... DICA: Se você tem um bom carrinho aqui no Brasil, leve-o.
Depois do Wal-mart, fomos ao Animal Kingdom. Fiquei fascinado com esse parque, adorei o clima desde a entrada do parque, os animais, os sons e até o cheiro desse parque é diferente, é um clima diferente... aquela árvore enorme no meio do parque nos faz olhar para ela o tempo todo... Eu adorei...
Entramos e formos direto para pegar fast-pass para o Kilimanjaro Safari, as filas estavam todas muito grandes,,,, maldito Spring Break.... passeando pela rua e curtindo os ambientes muuuito bem produzidos, com sons típicos da África, pessoas caracterizadas, árvores típicas ... que lugar lindo... no caminho tiramos fotos com a Formiginha e pegamos autografo no caderno do Natan, ele adorou e ficou o tempo todo dizendo que a formiga tinha escrito no caderno dele.
Entramos no Rafiki's Planet Watch na África,, muito legal caracterização da estação de trem, o trem cheio de coisas em cima...mas o passeio de trem em si decepciona, ele simplesmente te leva ao outro lado para explorar as estações de conservação... O Natan adorou o Affection Section para passar a mão nos bichos...
Voltamos para África e já era hora do nosso fastpass para o Kilimanjaro Safari,,, nós gostamos muito de animais e adoramos o passeio, muito bem ambientado, com os animais soltos,,, o Natan gritando os nomes de cada bicho que via... e o lugar é muito bonito mesmo..
Quando saímos do Safari, fomos para o It's Tough to be a bug, com a intenção de pegar um fast-pass, mas não precisava,, não entendi mas a fila estava vazia.... entramos, e já na entrada ficamos tirando fotos da árvore, apreciando as esculturas na árvore...
It's Tough o be a Bug é cheio de surpresas, não convém contar para não estragar a de ninguém,,, o Natan curtiu bastante no começo,, mas ficou com medo e repulsa no final do filme e saiu chorando... com tudo isso,, eu amei esse brinquedo,,,ahhh onde fiquei espirrou água pra valer, acho que estava desregulado o negócio,,, sai molhado,, minha esposa só umas gotas de água.... a finalização do brinquedo também diverte, mas se contar os detalhes vai estragar pra quem ainda não foi..
Do It's tough to be a bug para Asia, não entramos no Expedition to Everest nem no Kali River Rapids, as filas estavam enormes, e mesmo tendo a opção do Baby Swap, um dos dois tem que encarar a fila uma vez, cheguei até a pegar o papel para o Bay Swap ( é como se fosse um fast-pass sem horário ), mas desistimos... passeamos na Ásia, tiramos muitas fotos,,,
A idéia era almoçar no RainForest, mas queríamos aproveitar mais o parque e praticamente nem comemos no almoço, só alimentamos o Natan com comida que levamos na fila para tirar fotos com o Mickey.... ficamos um tempão e tiramos fotos com o Mickey... o Natan vibrou e a mãe dele mais ainda haha... autografos e etc.. ficava besta em olhar os dois todos felizes ao lado do Mickey para as fotos.... vale a pena a fila...
Depois das fotos, curtimos bastante a área infantil do Animal Kingdom que é bem legal no Dinoland, andamos num dinossauro que gira tipo o Dumbo do MK, escorragadores etc onde o Natan se esbaldou....
Saímos correndo quando percebemos que perderíamos o SHOW "Festival of Lion King".... bom.. esse espetáculo é fascinante... música cantada ao vivo, produção emocionante com acrobacias... muito epolgante.. vibramos muito com esse show... esse não pode perder....
Quando saímos do Lion King estava para começar o "Pocahontas and her forest friends", eu a príncipio nem queria ver e achei que seria chato... mas posso dizer que me surpreendeu positivamente... É um lindo espetáculo em uma espécie de tenda a céu aberto, mas no meio de muitas árvores... Com música cantada ao vivo de muitissima qualidade... ta bom que minha esposa brigou comigo quando fiquei elogiando a Pocahontas,, é muito bonito os bichos entrando sincronizados com a história... o pequeno Natan também adorou, e mesmo sem entender inglês, parece que ele entendeu a história e ficava falando dos bichinhos.... ahhhh...tem umas aves que entram no meio do show.... passando por cima do público e param na mão da atriz... muito perfeito.... vale a pena esse show...
Depois passeamos mais pelo parque, vimos mais um monte de bichos e como já era tarde ir embora para o Downtown Disney e jantar por lá...
Claro que não fizemos todos os brinquedos que queríamos nesse parque também, mas sabíamos que seria assim quando saímos do Brasil, fomos com o Natan de apenas 2 anos e a idéia era curtir ao máximo tudo com ele, e não me decepcionei nem me arrependi por isso.. curitmos muito...
O Natan dormiu no camiho para o Downtown Disney, e foi um erro tentar Downtown em pleno Sábado em SpringBreak,,, não tinha onde estacionar... rodei por mais de uma hora e desisti... A essa hora já cansado de dirigir, e com o pequeno dormindo... passei no Wendy's na IDRIVE para comer... Bom eu tinha ótimas lembraças do Wendy's de Phoenix, AZ e achei que seria parecido,,, mas o Wendy's da IDRIVE é horrível... atendimento péssimo, não tem todos os lanches,,,, e bom, comemos mesmo assim e fomos dormir, pra variar mortos de cansados.... ahh nenhum problema pra estacionar no Quality Inn Plaza como já li em por aki... algumas vezes estacionamos mais longe do bloco... mas sempre tinha um lugar,, e segurança...

Dia Seguinte: SeaWorld com direito a SOAK AREA no Believe

 


 
1º. DIA – 05/04/2007 – A IDA.

 mensagem postada em 18/04/2007 - 10:04:20hs
 
 

:-))

Bom, pessoal, decidi mesmo postar em doses homeopáticas. Acho que fica melhor pra ler. Aí vai então o primeiro dia.

--------------------------------------------

É fato que nossa viagem havia começado muito antes do dia real, através de tantas coisas que andamos lendo, fotos que vimos, imagens de satélite, enfim, toda a preparação é sem dúvida parte da viagem em si. Mas finalmente chegou o dia D.

Nosso vôo saia de Guarulhos somente as 21:25h, mas acordamos cedo com a ansiedade daquele jeito, a mil né!!! Nesse dia eu trabalhei de casa, até o meio-dia apenas, e depois fomos almoçar na casa da minha mãe. As crianças haviam ido para lá (a casa da avó) no dia anterior e por lá dormiram para que pudessemos arrumar as malas. Elas não podiam ainda saber que a viagem não era para Fortaleza como lhes havíamos dito. Queríamos que descobrissem no aeroporto, por elas mesmas.

Bom, praticamente terminamos de arrumar as malas na noite anterior mesmo, pois a Silene, minha esposa, assim que deixou as crianças já voltou pra casa e foi direto cuidar disso. Levamos três malas grandes (com mais três dentro para trazermos as comprinhas, e mais quatro bolsas de mão vazias).

Durante o almoço na casa da vó, aqueles comentários com as crianças, de aproveitar a praia, e etc. O dia passou devagar até a hora do almoço, mas depois voou. Como somos de Campinas, decidimos ir para Guarulhos com um ônibus da Caprioli que faz esse trajeto. Usamos o ônibus das 16h crentes que chegaríamos ao aeroporto com folga. Bom, rolou um certo nervosismo, pois uma viagem que deveria durar não mais que duas horas, durou mais de três. Trânsito caótico de Sampa, véspera de feriado, já imaginaram né?

Chegamos em Guarulhos, no balcão da AA, já era 19:30h. Eu um pouco nervoso, mas tentando não transparecer. Fila do check-in tranquila. Entreguei o e-ticket e os passaportes no pré-checking. Começou a desconfiança das crianças e nossa filha, a Camila, de apenas 9 anos, mandou: “Ué, pai, para mudarmos de cidade no Brasil precisa do passaporte?”. Eu não sabia o que responder... fiquei com cara de “ué” olhando para a Silene. Ai só respondi que não era necessário. Passamos então para o check-in propriamente dito e alí eles ficaram curiosos com as informações que eu fui dando à atendente, quando começaram a fazer algumas perguntas para a mãe. Olhamos então pra eles e dissemos: “é que estamos indo pra Orlando, pra Disney, e não pra Fortaleza”. Não preciso dizer que eles não acreditaram. Então eu pedi à atendente para dizer a eles para onde o vôo ia.

Vocês precisavam ver as carinhas deles, os olhinhos brilhando... e os nossos também... E aí a gente se abraçando alí mesmo no balcão do check-in na frente da atendente. Foi demais!!! A Silene com a máquina pronta e manda-lhe fotos.

Pronto, recuperamos todo o investimento naquele exato momento. Se vocês têm crianças e estão indo pela primeira vez, façam uma surpresa dessas. Gravou na mente deles para o resto da vida (e nas nossas também). Foi um momento único.

Terminado o check-in, fomos direto para a fila do embarque internacional que já estava um tanto grande e o Felipe, nosso filho de 14 anos, ligou para o tio pra contar a novidade (que o tio já sabia)... Foi ótimo ver a cara dele... e dá-lhe fotos! Com tanta empolgação, esqueci de declarar na Polícia Federal a saída do laptop e da máquina digital. Eu já estava com o formulário preenchido quando sai de casa, então saí da fila correndo como louco pelo saguão do aeroporto até a Polícia Federal, registrei e voltei. Ufa!!! Viagens têm que ter emoção a todo instante.

Finalmente entramos para os portões de embarque após toda aquela chatice de passar pelo raio-x e etc, já com fome e a chamada do vôo iniciada. Engolimos um lanche que compramos naquelas lanchonetes dos portões de embarque onde eles furam os olhos da gente... Onde já se viu um sanduíche meia-boca custar quase R$ 15,00??

E eis que entramos no avião e as crianças ainda meio-bobas não acreditando que estavam num 777 com destino a Miami. Tínhamos os 4 assentos reservados em linha e quando a porta do avião foi fechada pegamos mais 4 assentos da frente que estavam vagos. Ou seja, viajamos em 8 assentos! Foi ótimo. Quase uma classe executiva... hahaha. Comida do avião, aquela coisa horrível de sempre, que as crianças até que gostaram, e lá fomos nós. Eu praticamente não dormi, mas as crianças desmaiaram. A Si também dormiu um pouco....

----------------------------------------------------

Amanhã conto a chegada.

 


 
2. Dia - Magic Kingdom

 mensagem postada em 18/04/2007 - 09:04:46hs
 
 

Bom pessoal, depois de um tempinho sem ter tempo para postar, estou de volta para terminar o relato da nossa viagem.

Acordamos cedo era o aniversário da minha esposa, e fomos experimentar o café da manhã do Quality Inn Plaza, estava incluso na nossa diária o buffet, no primeiro dia é muito legal, muitas comidas diferentes,,, provei de tudo.. ( bom depois vou contar,, mas no 3. dia eu não aguentava nem passar perto do buffet, como comem mau nossos amigos americanos )
Saímos rumo ao Magic Kingdom, mas ainda não tinhamos comprado a câmera filmadora, nem carrino de bebê, nem cadeirinha para o carro ( a programação nem sempre da certo, é dificil seguir o roteiro ).. então passamos na Best Buy para comprar a câmera ( JVC com HD 30 GB ) resolvemos alugar o carrinho no MK para não perder tempo.
Chegamos no MK por volta das 11 e pouco da manhã ( bom, acabamos saindo tarde do Hotel, e ainda me perdi um pouco pra chegar na best Buy,, um tempão pra escolher e comprar a câmera )....
O passeio pro MK ja começa no Monorail neh,,, meu filho adorou, quando passamos por dentro de um dos Hoteis, meu filho viu um Mickey pela janela e gritou bem alto e empolgado ( MIIIICCKKKEEYYY ), super espontâneo, o pessoal no mesmo vagão vibrou e e gritou de volta . mto legal esse momento...
A entrada na Main Street, o clima, o Castelo ao fundo,realmente emociona, não vou ficar descrevendo porque seria repetir,, mas é indescritivel tbm....
Parque lotado... Spring Break !!!...
Curtimos um desfile que rolava de bandas de colegios americanos, os caras estavam tocando Pump It com uma banda de fanfarra,, mto legal...
Como tinhamos almoço reservado no Crystal Palace, fomos direto para o restaurante. Comemoramos o aniversário da minha esposa no restaurante, com a presença da turma do Pooh e ótima comida... a mesa estava toda decorada com serpetinas e confetes com a cara do Mickey,,, tivemos um minusculo bolinho para cantar parabéns, e ela ainda ganhou um cartão assinado pela turma do Pooh...
Ahh.. sobre aniversário,,, falamos no Guest Relations que era aniversário dela, e ela ganhou um Disney Pin de Feliz Aniversário... um monte de Happy Birthday o dia todo....
Depois do almoço, fomos aos brinquedos, e pra começar, "It's a Small World", com com criança tinha que ir neh... achei bem bobinho,, mas o Natan gostou.
Fizemos tbm o brinquedo do Pooh ( razoável ), Peter's Pan Flight ( razoável ), eee começou a chover...
Com a chuva, o parque esvaziou, foi muita gente embora, ganhamos até Fast Pass de um pessoal que estava indo embora....
Aí fomos no Phillarmagic quase sem fila, excelente, muito bom... gostei demais,,, o primeiro 3D que vimos e não decepciona,,, mto bom mesmo...
depois passeamos pelo parque, encaramos um montanha russa pra criança que não lembro o nome, visitamos a casa do Mickey, da Miney... etc...
Nos divertimos no Carrossel,,, e depois fomos para o Buzz Lightyear Space Ranger Spin,,, bem bobinho o brinquedo,, legal a entrada com aquele Buzz projetado e se mexendo.. mas o brinquedo em si.... na saída fotos como Buzz... meu filho delirou
Aihh caí na besteira de entrar no Carousel of Progress .. bom agente estava na frente fomos entrando,,, bom perdemos um tempão na dentro, não da pra sair.... é até interessante mas minha esposa não entende inglês ficou boiando,,, e eu saí com a musica ( There's a great big beautiful tomorrow ) na cabeça, e me perseguiu o resto da viagem....
Aih achamos o Pirates of Caribbean,,,, mtttooo bom... excelente produção,,, diferente de outros brinquedos do tipo ( barquinho que passeia por cenários )... os cenários são mto reais, e até o céu e bem produzido... vale a pena....
Acho que durante o dia foi isso,,, ahh.. assistimos um show na frente do castelo com as princesas e os personagens,,, mto bonito... a Minnie com vergonha de dançar..... bonito..
Não fizemos mtos brinquedos, com criança é difícil, mas aproveitamos bastante com o Natan,,,, comemoramos o aniversário da Raquel mto bem... e pra fechar a noite.... Wishes... emocionante,, pena que o Natan já estivesse dormindo...
Depois do show de fogos esperamos para entrar no Castelo, era o sonho da minha esposa,,,, e maior decepção dela tbm ao saber que não tinha nada de mais la dentro... umas lojas e um restaurante concorrido no andar de cima... Estavamos mortos de cansados e resolvemos ir embora,
massss na hora de ir embora.. quase na saída do parque, eu resolvi ir ao banheiro... e foi a sorte,, qd saí do banheiro estava começando a parada SpectroMagic,,, imperdível.. muito bonita essa parada...
E foi isso o dia,,, fomos para o Hotel, felizes e muito muito cansados..... comemos um dos congelados que tinhamos comprado,, banho e capotamos,,,,
Aff... acho que escrevi demais...
Dia seguinte: Animal Kingdom,,,

Abraços,

 


 
Sergio e fa'mília...

 mensagem postada em 18/04/2007 - 09:04:45hs
 
 

Oi Sérgio e família, ainda não consegui postar os outros dias mesmo... fiz uma viagem pra praia para descançar ( hehe Orlando cansa ),, e tarefas profissionais me ocuparam demais,,,, mas agora estou de férias denovo e vou continuar meu relato !!!.... Estou esperando o de vcs tbm...
Enviei um email pra vc...

Abraços,

 


 
 
O lustre central do restaurante Be Our Guest mede aproximadamente 3,5 metros de altura e de largura. Ele possui mais de 84 velas e mais de 100 joias que pendem para fazê-lo brilhar.