Voltei - Relato da minha viagem!

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
Dia 17/10 - Magic Kingdom

 mensagem postada em 02/11/2007 - 11:11:38hs
 
 

Chegamos no Magic Kingdom às 8h45 e pra nossa surpresa, a cerimônia de abertura já havia acontecido. Fiquei triste.
Andamos pela Main Street, tiramos várias fotos e fomos aos brinquedos. O Phillarmagic é meu preferido. Fico até emocionada.

Resolvemos pegar um lugar pra assistir o desfile das 15h. Mas que calor infernal. Eu pingava. Ano passado, nessa mesma época eu estava de casaco.

O parque não estava vazio, mas deu pra fazer todos os brinquedos e ainda repetir alguns, antes de comer o cachorro quente do Casey Corner e esperar o spectromagic o o wishes. Lindo.

E cansadíssimos, fomos embora. A fila do monorail era gigante.

Obs. Achei o castelo diferente dessa vez. Pode ter sido impressão, mas acho que pintaram o castelo de bege.

 


 
Dia 16/10 - compras

 mensagem postada em 02/11/2007 - 11:11:17hs
 
 

Fomos direto para Nike Clearance da 192. Achei péssima. Tinha pouca variedade de tênis e poucos números. Fomos na Dollar tree outra vez.

Depois fomos ao paraíso (Super Target). Comprei coisas de bebê (ainda não tenho filhos, mas estou pensando na possibilidade), maquiagem, chocolate e outras quinquilharias. Pra quem está fazendo enxoval, lá tem toalhas e lençois maravilhosos.

Fomos na Marshalls, mas não tenho um piiingo de paciência de ficar caçando coisas nesse tipo de loja.

Fomos para o Premium. A loja da Disney estava fraca, mas deu pra fazer algumas comprinhas. Para homem, estava ótimo. Meu marido comprou blusas sociais por 13 e 19 dólares na Tommy. E um casaco lindo na Timberland por menos de 50. A Nike tinha algumas promoções de camisetas.
Fomos para Sports Authority, e lá sim, tinha tênis bons. Depois, jantar no Logans Roadhouse, o dos amendoins. Adorei. E a sobremesa... tão gostosinha. Vinha num mini baldinho, que eu trouxe pra casa.
Demos uma passadinha no Wallgreens, perto do hotel e direto pra cama.

 


 
Dia 15/10 - MGM

 mensagem postada em 02/11/2007 - 11:11:48hs
 
 

Acordamos e fomos tomar café (incluído) no hotel mesmo. Muito bom. Já escrevi sobre o café no tópico sobre hotéis. Achei bem superior a outros hotéis. Conhecemos outro funcionário brasileiro do hotel, o Carlos Carioca.

Rumo ao MGM, fomos na Rock roller coaster e na TOT duas vezes. Depois começamos a correr de um lado para o outro para encaixar horários de todos os shows possíveis. Adoro a Bela e a Fera, mas o Indiana Jones,... já estava de saco cheio. Como meus vizinhos nunca tinham ido, resolvi levá-los. Sentamos bem na frente e qdo a moça do show comecou a chamar voluntários, me ofereci... e não é que ela me chamou... morri de vergonha, mas achei divertidíssimo. Tive que assinar um papel e colocar uma roupa quente pra caramba. Na verdade só mandavam a gente pular de um lado pro outro, dar uns gritos... e no final, ganhamos... água filtrada gelada... hahaha, podia ao menos ser uma coca-cola.
Fizemos todos os brinquedos e fomos esperar o Fantasmic, que eu amo. Fico arrepiada e com olhos cheio d'agua sempre.
E voltamos ao hotel.

 


 
Vou começar meu relato

 mensagem postada em 02/11/2007 - 11:11:38hs
 
 

Dia 13/10 - Fomos para o Galeão por volta das 17h.
Nossos vizinhos, que foram com a gente, chegaram um pouco mais tarde e acabamos nem indo ao freeshop. O avião (velho) da American saiu pontualmente no horário e a viagem bem tranquila.

Dia 14/10 - Chegamos em Miami, fomos para imigração, e apesar de o cara ser simpático, ele fez perguntas que nunca me fizeram, como onde eu trabalho, qto dinheiro eu estava levando. No final, mandou eu dar um alô pro Mickey e fomos. Pegamos as malas e ficamos a espera do avião para Orlando, que também foi tranquilo. Chegando em Orlando, fomos para Alamo. Alugamos um standard suv e só fiz o seguro LDW mesmo. A moça da locadora tentou empurrar os outros seguros, eu disse que não queria e ela chegou ao ponto de me perguntar se eu não me importava com o fato de não ter seguros para proteger terceiros. Disse que me importava, mas que não queria. Ponto.
Pegamos uma Chevrolet Trailblazer ENORME e MARAVILHOSA. Bem diferente da blazer que tem no Brasil. Hoje tá até difícil entrar no meu Celtinha que está na garagem.

Fomos direto para o hotel Country Inn Lake Buena Vista para deixar as malas. Já encontramos um funcionário brasileiro, o Gustavo, muitíssimo simpático. Um quarto já estava liberado e ele nos deixou colocar as malas lá.
A primeira impressão do hotel já foi ótima.

Saímos e fomos para o Walmart, para comprinhas básicas, Dollar tree, Best buy, Circuit City e Comp USA. Deixamos as compras no hotel e fomos para Downtown Disney. Estava bem cheio e quente.
Fomos na Ghirardelli e tomei o tão famoso sorvete. Que delícia. Demos uma voltinha até o West side e voltamos mortos para o hotel.

 


 
11/10 Magic Kingdom

 mensagem postada em 27/10/2007 - 11:10:02hs
 
 

Dia de MK é dia de acordar muito cedo. Eu adoro a paradinha da abertura. Acho que nos prepara para a mágica do dia. Mas estávamos tão cansados da véspera por termos ido dormir muito tarde que não consegui tirar meu menino da cama tão cedo quanto queria. Quando chegamos ao parque a parada estava terminando. Mas ver o parque “vazio”, sentir o cheiro de pão assado, o ar ainda meio úmido da véspera, tudo enfim, me faz sorrir e sentir que ainda há uma menina dentro de mim.
Começamos pelas fotos, claro! Meu filho doido procurando “Mickeys escondidos”. E todos nós nos sentindo meio crianças, todos alvoroçados com a espectativa do dia pela frente.
Resolvemos começar pela Splash Moutain. Ela ainda estava vazia e não precisamos usar o FastPass. Aliás não tinha nenhuma fila. Ninguém. Meu filho sempre quer andar na frente então, lá fomos nós! A descida final, quando sabemos que vamos cair na água é antecipada por muito frio na barriga. Não é uma montanha-russa muito grande, mas é uma boa forma de começar o dia. Fomos duas vezes e ficamos bem molhados! Exceto meu marido que por conta da dor, não estava se arriscando a ir mais de uma vez em nenhuma montanha-russa. Ele aproveitou para fotografar nossa queda.
Saímos dali e fomos a Big Thunder Mountain Railroad. O legal dela é a velocidade. Mas tivemos alguns problemas pois ficamos presos logo na subida, mas nada que demorasse muito, mas acaba tirando um pouco o brilho.
Nesse ponto nos separamos, pois o outro casal queria dar mais uma volta, enquanto meu filho estava louco para ir na do Buzz. Afinal ele é totalmente apaixonado por este personagem desde que tinha 3 anos. Quando chegamos lá já havia uma filinha, nada que desanimasse ou que nos fizesse querer um Fastpass – ainda bem pois eles não abriram FastPass para esse brinquedo esse dia. Lá fomos nós. Confesso que sou um zero à esquerda em termos de jogos eletrônicos, e esse brinquedo nada mais é do que um grande videogame. Normalmente, até por que sei das minhas limitações, me ofereço para ir de “navegadora”. Mas dessa vez meu filho quis que eu fosse atirando. Resumo da ópera: levei uma bronca homérica do meu filho porque não estava conseguindo acertar NADA.rsrsrs Eu avisei...Fomos outra vez, dessa vez fui como navegadora, ele e o pai atirando em tudo...saíram felizes e exultantes pois tinham feito quase o máximo de pontos. E eu sendo literalmente avacalhada pela minha péssima pontaria.
Nos encontramos na lanchonete em frente ao brinquedo do Buzz. Aproveitei para comer um pretzel, só para não perder a viagem.
O dia estava MUITO quente e o outro menino não se sentiu bem. Demos uma parada, fomos para uma lojinha aproveitar o ar condicionada e olhar as coisas.
Assim que o menino estava se sentindo melhor, fomos comer alguma coisa. O difícil nessas horas é achar algo que fosse fresco e apetitoso, pois com calor, nada apetece muito. Meu filho que não é fã de sorvete quis comer um do Mickey, mas, quem acabou comendo fui eu...Acho que ele queria mesmo algo gelado.
Depois dessa odisséia para comermos, resolvemos que já era hora de retomarmos aos brinquedos.
Os meninos foram mais umas duas vezes no Buzz. E depois aproveitando que estávamos em Tomorrowland fomos no Stitch´s. Antes dele ser o brinquedo do Stitch, quando era só um alien qualquer que havia fugido, até achava mais legal. Mas agora, já não vejo tanta graça. Talvez porque eu não goste do personagem.
Saímos de lá e fomos na Indy Speedwawy, onde meu filho ganhou uma “carteira de motorista do Mickey”. Esse brinquedo é legal, mas...ô pedal duro! Não sei se ele é duro ou eu que sou mole. Mas sempre (como se eu fosse lá toda semana!!!) saio de lá com dor na perna.
Na sequência fomos para a montanha-russa que mais gosto no MK – Space Moutain. Hoje em dia, ela é até pequena comparada outras de outros parques, mas tenho um carinho especial por esta. Não me perguntem. O coração tem razões que a própriamrazão desconhece!
Esse ano meu filho pode entrar. Era tudo o que ele queria, pois ano passado ele ficou na vontade. Logo na primeira vez ele já queria ir na frente, não deixei pois não sabia se ele iria ou não gosar. Mas a partir da segunda volta, ele todo exibido já pedia com ingles macarronico dele: First the first. Nas voltas seguintes fomos apenas eu e as crianças. Acho que demos umasquantro voltas, aproveitando que o parque estava vazio. Na saída a lojinha ainda tem uma área de jogos eletrônicos. Imaginem a luta que foi tirar os homens e meninos ali de dentro.
Para sair dali, prometi ao meu filho que iríamos para a ToomTown, onde fica uma montanha-russa para crianças muito legal, que é do Pateta.
Nessa meu marido nem foi. Eu e os meninos demos umas boas 5voltas e a partir daí eles andaram mais umas duas voltas sozinhos.
Quando finalmente eles se cansaram dela e estávamos indo em direção ao Piratas do Caribe, no caminho nos deparamos com um show que acontece em frente ao castelo – Dream Along with Mickey. Nos posicionamos como deu para vermos o show. Quando acabou acreditem já era quase 18hs. Achamos por bem tentar achar um lugar para comer com as crianças já que o almoço não tinha sido grandes coisas e iríamos ficar para a queima de fogos.
Para nossa sorte, conseguimos uma reserva para jantar no Tony's Town Square. Quando íamos chegando, vi aquela estátua linda do Pateta na porta. Não resisti e apesar da chuva fina que cmeçava a cair tirei um retrato com ele. Nisso meu marido já estava nervoso lá dentro pois o Maitre ameaçava tirar a reserva se não chegássemos imediatamente. Ainda bem que tirei essa foto, pois nos outros dias ele não estava lá. Valeu a bronca!
Depois do jantar o desafia foi achar um lugar não muito na chuva para ver a queima de fogos. Ficamos numa esquina, mas na hora dos fogos mesmo fomos para a chuva. Wishes é um espetáculo maravilhoso. Já vi várias vezes e não me canso. Para mim ele é o resumo da magia Disney. Nada contra os outros, mas esse, talvez porque tenha sido o primeiro que vi, tem um significado todo especial para mim. Mas dessa vez, talvez pela chuva o espetáculo não foi nem tão longo nem tão bonito, mas é sempre bonito.
Saímos de lá felizes e cansados. Direto para o hotel, banho e cama.

 


 
10/10 – Compras

 mensagem postada em 25/10/2007 - 10:10:01hs
 
 

Nesse dia acordamos um pouco mais tarde. Mas só um pouco pois quando estou lá me sinto ligada em tomada 220V.
Mas pelo menos começamos o dia mais preguiçosamente. Depois do café-da-manha, enquanto os homens iam buscar os tickets para o Cirque du Soleil, os meninos foram para a piscina. Fizeram a farra enquanto só estavam eles dentro d’água. Apesar do hotel estar vazio, logo depois chegaram alguns casais mais idosos e a brincadeira de dar saltos bomba acabou-se. E com isso a graça de se estar ali. Logo depois que eles saíram da piscina, já de banho tomado e outro lanche feito – como menino come! – fomos em direção ao paraíso, quero dizer Florida Mall. Sem querer escolhemos muito certo entrar pela Sacks. Pois os preços assustaram meu marido e Eduardo, com isso tudo o mais que vimos no shopping ficou “barato”. Para nossa alegria varias lojas em liquidação. Mas eu mesma comprei pouca coisa nesse dia, pois havia combinado com o maridão que deixaríamos as compras para quando voltassemos de Washington. Fizemos compras no Florida Mall até as 16h, dalí saímos e fomos para Toy´s R Us, onde os meninos surtaram. Seguimos até a Best Buy onde nos dividimos. E eu depois de dar uma voltinha ali fui passear na Barnes and Nobles ao lado. Aproveitei para tomar um capuccino e comer uma torta da Cheese Cake Factory. São todas ótimas. Adoro essa livraria. Nos encontramos e fomos ao hotel tomar um banho para sair para jantar.
Fomos jantar no Contemporary - Jantar com Chef Mickey. Não conhecia o hotel, gente um luxo só! TEm um mini shopping lá dentro! O nosso era o último grupo do dia. Pegamos o pager e ficamos esperando sermos chamados. Os meninos na maior animação e ansiedade pelo programa. Como tinha esquecido de comprar um livro de autógrafos, lá foi meu marido correndo na loja do hotel comprar. Quando ele voltou fizemos a "foto" oficial do jantar que depois você acaba comprando mesmo. E finalmente nossa pager tocou. A comida é boa - normal - mas nada de mais. Antes mesmo de jantarmos alguns personagens já estavam passando pela nossa mesa. Tiramos varias fotos, e finalmente fomos atacar o buffe. Quando eles percebem que vc está jantando eles dão uma parada, e não aparecem na mesa. Mas foi só a gente parar de comer, que lá estavam eles de novo. Antes de trazerem a conta o garçon responsável pela mesa pergunta se queríamos que algum personagem voltasse, se já havias tirado todas as fotos que queríamos e se as criancas tinham pego todos os autógrafos que desejavam. Isso é que é ser pró-cliente! Por isso a gente fica mal acostumado e fica pensando que em todo lugar é assim....Enfim, saciados e cansados fomos para o hotel descansar, pois no dia seguinte MK nos esperava!

 


 
09/09 Universal – Orlando

 mensagem postada em 25/10/2007 - 09:10:39hs
 
 



Acordei animadíssima – aliás lá em Orlando, todo dia a gente acorda animado! Estar de férias é muito bom. Estar em Orlando é ótimo.
Desde a noite anterior meu marido estava reclamando de uma dor costal, na área do trauma. Neste dia a dor o acordou e para sair do hotel ele precisou de uma dose maior de anti-inflamatório e de analgésico comum.
Por volta das 10:00 nos colocamos a caminho da Universal. A partir deste dia comecei a usar o GPS do carro. Esse é muito bom. Infinitamente melhor do que os portáteis. A tela é grande e mostra ao mesmo tempo dois mapas o que ajuda muito na localização e naqueles momentos de dúvidas do tipo: “É nessa agulha ou na próxima?”
Enfim chegamos a Universal e fomos trocar nossos ingressos comprados na Internet e “ganhar” nosso livrinho de descontos. Ninguém pediu meu cartão de crédito. Só o passaporte. Minha amiga usou todo o tempo a nossa carteira de motorista que tem foto e assinatura. Ninguém encrencou ou pediu outro documento. Não estavam vendendo Express. Nesse momento me dei conta de que seria um dia com muitas filas pelo caminho.
Começamos pelo Jimmy Neutron´s, e apesar do Eduardo ter ficado meio tonto com todo o balanço, fomos duas vezes. Menos o meu marido, que por conta da dor, resolveu não se expor demais. Na saída fomos fazer as moedinhas. Aliás, essa história de moedinha é um saco sem fundo. Várias vezes precisei trocar dinheiro para que ele tivesse moedas. Até que tivemos a boa idéia de restringir a quantidade de moedas por dia.
Saímos dali e fomos direto para o Shrek 4D. Na saída as crianças firam tirar retrato e pegar autógrafo do Shrek e do Burro. O Burro é muito engraçado, mas as crianças por não dominarem o inglês, não entenderam muito. Na saída mais moedinhas.
A atração seguinte foi Twister. Lembro-me muito bem que a primeira vez que vi achei o máximo. Hoje acho meio chatinha. Mas como estava meio de guia...
Antes de seguir resolvemos parar para o almoço. Paramos bem em frente a Revenge of the Mummy – que meu marido chama de mamaezinha. E ficamos só namorando a fila. Resolvemos que nessa, como os meninos não tem altura, nós fariamos o swap child. Primeiro foram Eduardo e Simone, depois eu e meu marido. É a minha atração favorita na Universal. Sem sombra de dúvida. Ano passado também fomos, mas fomos um de cada vez. Ir com o marido do lado é muito legal, pena que ele continuava com dor. Por isso fomos só uma vez.
Seguimos e fomos ao Earthquake – mesma impressão do Twister. E logo depois Jaws. As crianças se assustaram um pouco, mas nós adultos, achamos que os tubarões de animatronic, estão precisando urgente de manutenção e até mesmo reformulação.
Saímos dali e fomos ao Men in Black. Lógico que os meninos pequenos e grandes adoram esse brinquedo. Na saída compramos além das benditas moedinhas, achamos um chaveiro com o nome do meu filho – Gabriel.
Tomamos o rumo do Woody Woodpecker´s Kidzone, mas para nossa tristeza estava fechado. Essa área é muito legal para as crianças, em especial as menores. Mas tem uma “montanha-russa” se é que se pode chamar aquilo de “montanha-russa” que cai na água. E o melhor é que eles podem ir sozinhos. Meu filho ficou muito decepcionado por estar fechado. Ele estava louco para mostrar essa parte do parque ao amigo.
Já que não dava para ficar nessa área, até perguntamos aos meninos se queriam ver o Barney. Nossa parecia que os tínhamos ofendido. Afinal Barney é coisa de bebês.
Fomos ao E.T. Adventure, que vale muito a pena pela ambientação, mas também está muito ultrapassado. Vale como referência a um filme que marcou minha infância. Mas esse brinquedo estava com a fila MUITO grande. E quando finalmente saímos de lá não conseguimos chegar a tempo de ver Terminator2:3D.A última sessão era às 17:30, chegamos 17:35! Snif, snif, snif...
Nessa hora o céu estava negro. Ia cair o maior pé d’água. Aproveitamos para tentar nos abrigar em algum lugar com comida pois as crianças já estavam com fome. Fizemos um lanchinho e nada da chuva cair. Resolvemos ir. Mas parece que bastou a gente decidir sair, quando estávamos chegando no City Walk a chuva caiu com tudo! Foi o maior corre-corre. Conclusão não conseguimos olhar as lojas dali! Fica pra próxima. Fomos jantar só não lembro onde. Depois do jantar, no caminho para o hotel, paramos no WalMart para algumas comprinhas. Mas nunca é tão rápido como planejamos. Chegamos tarde no hotel, banho e cama.

 


 
EPCOT - parte 1

 mensagem postada em 21/10/2007 - 03:10:04hs
 
 

08/09
Quando o despertador tocou, nem acreditei que já era hora de levantar! Mas no segundo seguinte me dei acordo de que estava em Orlando e que era HORA DE COMEÇAR A DIVERSÃO!
Tomamos café da manhã no quarto, ligamos para os meus pais via Skype.
Arrumei meu filho (garanti o banho do dia) – seguindo a dica quente da Claudia já havia deixado a roupa dele separada de véspera.
Enquanto me arrumava ele fez a leitura do dia.
Empurrei meu marido para o Target para comprar um carrinho – meu filho é bem comodista e além disso, no carrinho posso leva-lo mais rápido e a qualquer lugar!
Dividimos os radinhos com a outra família.
E enfim estávamos prontos para partir. Combinamos que pela manhã as mulheres dirigiriam e a noite os homens. Afinal todos querem dirigir aqueles carros maravilhosos naquelas estradas igualmente maravilhosas. Liguei o carro e tentei usar o GPS do carro, mas com pressa e sem paciencia de esperar, optei por usar o do meu marido, que a gente já conhece as manhas e sabe como programar.
Por volta das 10:15 estávamos chegando em EPCOT.
Logo na entrada pegamos nosso PhotoPass e tiramos fotos legais em grupo e em familias. Tiramos aquela da sininho na mão. Muito legal! Todo mundo saca a sua máquina e começa a tirar outras fotos.
Mas nessa história, comecei a ficar tensa. A hora ia passando, eu vendo um bando de gente entrar e a gente tirando foto. Meu marido me cutuca. - Relaxa! Estamos de férias. Dou um sorriso amarelo e falo entre dentes: - Mas temos que ver um monte de coisa. Se ficarmos parados aqui não vai dar tempo. Ele insite: - A gente vê o que der, o que não der não deu...não esquenta. Mas eu, com a mania de cumprir o programado, me sentindo meio guia do grupo, não relaxei.
A primeira decepção foi encontrar a Esfera Geosésica ainda fechada. Fazer o quê ? Nada. Só lamentar a chance perdida...
Mas, vamos em frente. Ao passar dela, demos de cara com aquele placar que mostra os tempos de espera dos brinquedos. Para minha total surpresa, estavam todos com no máximo 20minutos!
Surtei!
Optamos então em começar pelos brinquedos mesmo e não pelo Innovetion que era o combinado.
Fomos para o Mission: Space. Fomos na mais light, pois por causa das crianças ficamos com medo de arriscar. Quando começa a decolagem, a força G me fez chorar! Não, não estava triste, mas a força fez sair lágrimas dos meus olhos. Saímos todos animados. O Eduardo (marido da Simone) é supermedroso, mas acabou confessando que gostou. Na saída tem um brinquedão para as crianças e alguns joguinhos eletrônicos. Ficamos ali com as crianças e meu marido e Eduardo foram fazer a versão mais hard. Fomos naquele jogo de grupo que não lembro o nome no qual precisamos pegar uns cubos da cor correspondente a sua mão. Não sou fã de jogos eletrônicos, mas pelas crianças a gente faz coisas que até Deus duvida. Dez minutos depois voltam eles animadíssimos. Olhei para a Simone e ela na hora concordou com a cabeça. Lá fomos nós. As crianças continaram a onde estavam, brincando. Adorei a versão mais hard. Chorei de novo, fazer o que?!
Finalmente saímos de lá, não impunemente, passamos na bendita loginha e compramos uns cacarecos.
Próxima parada: Test Track. Lá as filas estavam um pouco maiores, mas não levamos mais do que 10minutos. O menino do outro casal, que como o pai não gosta(não gostava) muito de adrenalina, ameçou não querer ir, mas depois de algum papo, ele topou. Este teste é bem legal. A velocidade me alucina. Quando saímos, advinhem? O menino queria voltar! Enfim, seguimos por aquela parte que é bem masculina onde há um monte de carros de todos os modelos e tamanhos. Dessa vez conseguimos tirar fotos e entrar nos carros. Ano passado estava tão cheio que não deu. Depois caímos em mais uma lojinha e lá se foram mais algumas verdinhas.
Decidimos que era hora de comer. Haviamos levado nosso lanchinho básico. Paramos num banco com sombra entre o Showcase e Future Word. Depois de comer, meu filho ficou animado a ir brincar naquelas águas dançantes. Estava um calorão. Concordei, só pedi que tirasse o tênis. Mas ele não quis ir só. Não me fiz de rogada. Fui junto! Dali a pouco o outro menino que é amigo dele na escola resolveu se juntar a nós e logo tinha mais crianças. Saí de fininho e deixe-os se divertindo. Quando olho de novo eles dois, mais um outro menino que não faço ideia de quem seja, “mergulhando”, se é que isso é possível, naquela água!
Comprei uma daquelas toalhinhas minúsculas para dar uma secada no meu filho e de brinde dentro dela veio um também minúsculo Mickey. Como não havia levado outra muda de roupa – afinal EPCOT não tem brinquedos que molham - ele ficou sem camisa.
Decidimos olhar um pouco do Showcase. Começamos pelo Canadá e lá já procuramos e fotografamos alguns “Mickeys escondidos”. Não quis ir ao “Ó Canadá” pois ano passado meu filho dormiu, e o show não tem mais aquele encanto depois dos IMAX. Seguimos para a Inglaterra e lá percebemos o tempo mudando. Resolvemos apressar o passo para ir assistir ao show Voice of Liberty – um coro que canta à capela. Muito legal, já havia visto outras vezes, mas desta vez quem regia era uma Maestrina. É muito tocante perceber as diferenças sutis na forma de reger. Nesse momento a chuva desabou lá fora. Já que estávamos ali, resolvemos assistir um outro show nos EUA – The American Adventure. Esse show é bem patriótico, bem feitinho, mas acho que não voltaria. Quando acabou o show ainda chovia, mas enquanto decidíamos o que fazer, compramos capas de chuva e a chuva foi diminuindo aos poucos. Fomos caminhando e vimos um pedaço do show do Japão – Matsuriza – tocadores de tambor. É bem legal, pena que não deu para ve-lo todo.
Perto dali pegamos aquela balsa que fica atravessando de um lado para o outro. Quando chegamos do outro lado já não chovia.
Resolvemos ir ao Soarin. Lógico, que por conta da chuva, muita gente estava ali. Mas mesmo assim a espera era de 20minutos. Ano passado não havia aqueles jogos de imagens para distrair a gente enquanto esperamos o vôo. O passeio naquela asa delta pela Califórnia é sensacional. Os cheiros são fantásticos. Como estávamos na primeira fila, ficamos mais no alto. Fiquei descalça pois estava de sandália e tive receio que ela caísse e machucasse alguém. Realmente é uma delicia, a gente se sentir lá em cima e balançar os pés. Os meninos quiseram repetir e fomos de novo. E de novo na primeira fila.
Decidimos não ficar para o Illumination pois estávamos todos cansados depois de um dia cheio de fortes emoções. Saímos dalí e fomos jantar. Fomos em direção a Downtown. No caminho para os restaurantes passamos na frente da loja Lego imagination Center que é sem dúvida o brinquedo favorito do meu filho. Então, enquanto os homens foram tentar uma reserva no Rainforest Café, ficamos eu e Simone com os meninos na loja da Lego. Meu filho fez vários daqueles bonequinhos e queria levar todos, mas por U$9 3bonequinhos, não dá para levar muitos. Ainda assim ele me enrolou e levou 9, ainda comprou umas outras miudezas.
Conseguimos uma reserva para o Rainforest e lá fomos nós. O lugar em si, já é um barato. Vale a visita. A loja tem umas coisas bem legais, com uns preços bacanas. Lógico que terminamos o jantar com um Volcano, e apesar do restaurante nesse momento já estar vazio, com palmas e tudo! Saímos de lá rolando de tanto que comemos!
Fomos para o hotel, banho e cama que amanhã será Universal.
Continua no próximo capítulo...

 


 
Finalmente consegui escrever alguma coisa...

 mensagem postada em 16/10/2007 - 02:10:00hs
 
 

Bem, depois de ter voltado ha' quase tres semanas, finalmente estou conseguindo parar para escrever. Nao sou boa nisso como meus antecessores, mas vamos la' ...Por favor tenham paciencia, pois sera' em capitulos.

06/09 Dia da viagem.

Depois de tantas nuvens no céu nos dias que antecederam a vigem, hoje o dia amanheceu lindo. Lindo mesmo. Um sol maravilhoso brilha lá fora. Todos nós em casa com aquele sorriso pregado no rosto. Mas é um dia de correrias.
Despacho meu menino para escola. “Quero ir de mãe!” diz meu menino. “Mãe não é meio de transporte. Vai de Van” respondo correndo, pela casa, para buscar a lancheira.
Corro para fazer a ultima sessão de fisioterapia antes da viagem. Uiii. Na descida da maca machuco meu joelho. Penso “como será que vou dar conta de andar com essa dor?” Chego em casa tomo um antiinflamatório, claro!!!
Resolvo o almoço pois meus pais vão almoçar conosco para em seguida nos levarem ao aeroporto.
Encaixo o “belezol” no meio.
Vou buscar o menino na escola. Ultimas orientações da professora para o período longe da escola...Tenho que lembrar de colocar todos esses livros de historia na mala dele. E alguns exercícios.
Ufa!!! Já estou ficando cansada e o dia ainda não esta nem no meio.
Chego em casa, confiro o almoço, dou uma das ultimas checadas na mala, meu marido me informa que pegaremos frio em Washington. Penso: “Ótimo, não coloquei nada para frio. Por que ele não disse isso ontem???”
Almoço mas as borboletas já estão muito alvoroçadas para que eu consiga comer direito. Alias estamos todos assim.
Meus pais alternam contentamento pela viagem com a tristeza de quem vai ficar quase um mês sem a filha mais velha, o genro, mas principalmente sem o único neto!
Peço para minha mãe arrumar meu filho para a viagem.
Meu marido e eu conferimos mais uma vez os travelcheques, os dólares, os passaportes, os e-tickets da passagem, as reservas do carro, hotel, o xerox dos documentos, a listinha da Wal, os documentos de declaração da minha maquina e da dele, do note que vai conosco, das palms...nossa quanto papel. Às vezes acho que esse pessoal se alimenta de papel!
Antes de sair faço meu filho comer alguma coisa, afinal não sei ao certo como será a viagem. Nunca voei pela Continental.
Hora de irmos para o aeroporto. Quando saímos de casa percebo que viajar na véspera do feriadão não foi mesmo uma boa idéia. Engarrafamento. Mas como saímos com antecedência, não houve maiores problemas.
Nos despedimos dos meus pais mais cedo pois eles terão que enfrentar o maior engarrafamento no sentido contrario ao aeroporto.
Entramos na fila da companhia aérea e encontramos o outro casal com um filho da idade do meu que ira’ viajar conosco. Para nós é a segunda ida em família mas será a primeira deles. E eles estão se fiando na gente! Nossa que medo! E se não der certo? Que maluquice essa idéia de viajar com outra família! Onde eu estava com a cabeça quando topei? Porque o Pedro (meu marido), sempre tão racional não disse não!
Agora é tarde. Vamos nessa que é bom à beça. Vamos rezar para que tudo de certo.
Fila da imigração enorme!!! E para complicar toda hora vinha alguém perguntando na fila se alguém seria dos vôos XPTO, KZY,... que sairiam a qualquer momento. Com isso um monte de gente passa na nossa frente. Vou ficando chateada, afinal fiz meu dever de casa. Sai cedo de casa, e o pessoal atrasildo esta passando na minha frente. Nesse nosso país ser atrasildo atrasado é vantajoso!!! Aí que raiva! Juro que de uma próxima vez vou chegar em cima da hora!
Entramos no avião, todos são muito cordiais. Um comissário de bordo passa distribuindo asinhas de plástico como as de comandante para as crianças. Os meninos adoram. Meu marido aproveita que eles acabaram de disser que o vôo vai atrasar por causa da imigração e pede ao comissário para que os meninos conheçam a cabine de comando. E eles permitem. Eles vão até lá, tiram varias fotos e voltam sorridentes.
Finalmente depois de quase uma hora de espera decolamos. Os meninos querem brincar juntos. Trocamos de lugares. Antes mesmo que o jantar seja servido, os meninos já estão dormindo. Afinal foi um dia agitado para todos.

07/09
Chegamos em Houston na hora prevista. A imigração lá é bem menos carrancuda do que foi em Miami ano passado. Passamos tranqüilos. O tempo foi o justo para fazermos as trocas de malas irmos ao banheiro e lá vamos nós ao encontro do nosso objetivo.
O vôo até Orlando também foi tranqüilo. O dia lá também estava lindo. Chegamos no horário, pegamos nossas malas e fomos à locadora pegar os carros.
Meu marido acabou pegando um carro enorme, mas foi ótimo.
Nesse momento nos demos conta de que já era hora de almoçarmos e mesmo com as malas no carro antes de fazermos o check-in nos hotel resolvemos almoçar.
Comemos no Ponderosa. Não é ótimo, mas para quem esta viajando a mais de 12horas e cansados pareceu maravilhoso.
Na saída passamos na loja bugigangas ao lado e já começamos a “pesquisa” de preços.
Direto ao hotel. Pegamos quartos um ao lado do outro como havíamos solicitado. Afinal um banho. Trocamos de roupa e fomos buscar nossos tickets. Voltamos ao hotel para não ficarmos passeando com um monte de tickets e descobrimos que eu havia deixado a porta do nosso quarto totalmente aberta!!! Ainda bem que voltamos. Tickets no cofre, decidimos,
para não perdermos o dia, ir ao “Believe it or not”. Nós já havíamos ido, mas para a outra família era a primeira vez. É um lugar legal de se ir logo no primeiro dia, pois é pequeno, cheio de maluquices e coisas esquisitas mas bem divertido. Quadros feitos de pennys, carro de palito de fosforo em tamanho natural, pertences de umcara gigantesco...e o ponto alto e' aquele túnel na saída, que e´ bem psicodélico. Meu marido fez tantas idas e vindas ali que acabou tendo um trauma costal que iria ter impacto nos próximos dias. Na lojinha de saída (por lá todas as atrações acabam em lojinhas...) compramos um imã de geladeira para marcar a nossa terceira ida. Saímos dali e fomos jantar no Uno Pizza. É um bom lugar para se comer em geral. Mas cuidado ao pedir iced tea. Não só lá, pois para eles, iced tea é a mesma coisa que mate. Adoro Iced tea e odeio mate. Como tinha esquecido...dei-me mal. Mal o jantar acabou os meninos despencaram. Fomos em direção ao hotel, mas combinamos de parar para as comprinhas básicas no Wal Mart. Já na porta do supermercado decidimos que ficaríamos eu e Simone (minha amiga de aventura) e os homens voltariam para o hotel com as crianças.
Fizemos as compras básicas para café da manha e material feminino de primeira necessidade (shampoos, sabonetes, hidratante, protetor solar, toalhinhas de higiene das mãos que substituem o álcool gel que meu filho tanto odeia, etc ) e só. Fomos embora afinal já era quase meia noite e os próximos dias não seriam menos intensos.
Continuo em breve...
Bjkas

 


 
13º e 14º dia

 mensagem postada em 15/10/2007 - 07:10:04hs
 
 

Décimo terceiro dia - segunda-feira
Acordamos mais tarde e voltamos ao Epcot. Pegamos fastpass para o Soarin e fomos ao Mission space, a versão mais radical. Pegamos fastpass para o Test track.
Este parque estava mais cheio que os demais. Era dia do 25º aniversário do Epcot. Estavam vendendo pins comemorativos. Como havíamos ganho o colar de pins, quisemos comprar estes para acrescentar nele. Uma fila para comprar os tais pins. Além de ser aniversário, estava acontecendo o Food & Wine Festival (que havia inaugurado na sexta-feira e vai até o dia 11 de novembro). Há vários jantares caríssimos com cozinheiros famosos de todo o mundo, cujas reservas se esgotam rápido. Mas não era essa nossa intenção. Fomos numa degustação de vinho gratuita. Vai um enólogo explicar sobre os vinhos que vamos degustar e falar dos vinhos em geral. Foram 3 vinhos (doses pequenas), um vinho branco e dois tintos, sendo um cabernet sauvignon. Eu não tomo bebidas, então provava e meu marido tomava o restante. Ele tomou vinho... Já li em sites americanos que tem gente que abusa. Havia outras degustações, mas fomos somente nesta para ver como era. Se alguém for até 11 de novembro dê uma olhadinha no roteiro do festival, as degustações mudam dia a dia. Há degustação de comida também (mais raro) e os vinhos são de regiões diferente do mundo. Os nossos eram dos EUA mesmo, da Califórnia.
Fomos visitar os marketplaces (barraquinhas de países diferentes com comida e vinho típicos). Tem-se que pagar para comer e beber nestas barraquinhas, como tínhamos o Dinning Plan, guardamos os Snacks para comprarmos as comidinhas, degustamos e não pagamos nada, usamos os Snacks. Visitamos Canadá, Peru, Argentina, Alemanhã, EUA, Austrália, Oklahoma e França.
Fomos almoçar no México e jantamos no restaurante Irlandês de onde vimos os fogos. Neste dia lá pelas 19:30hs começou uma chuva fenomenal, ficamos encharcados com capa e tudo. Chegamos a querer ir embora do parque e nem jantarmos, mas no final demos meia-volta e voltamos. Às 21:00hs ainda chovia um pouco, estávamos no restaurante Rose and Crown jantando (é o lugar que tem boa visibilidade dos fogos). Perguntei para a garçonete se haveria os fogos por causa da chuva. Ela respondeu que eles fariam de qualquer jeito, pois era a comemoração do aniversário do parque. Não deu outra, avisaram que iria atrasar um pouco, mas por milagre a chuva passou e os fogos aconteceram.
Os fogos foram algo a parte. Como era 25 anos do parque, além dos fogos normais, eles prolongaram mais tempo em comemoração, foi lindo o final, de ter que tampar os ouvidos de tantos fogos ao mesmo tempo e de tremer o chão. Valeu a pena. M A R A V I L H O S O ! ! ! ! ! ! Experiência única.
Saímos do parque e fomos dar a última passadinha no Wal Mart.
Fomos para o hotel, arrumamos um pouco as malas e cama.


Décimo quarto dia - terça-feira e último
Bom, para fechar com chave de ouro, reservei um café da manhã no restaurante 1900 Park Fare, no hotel Grand Floridian. Este restaurante estava fechado e este dia ele reinaugurava. Nele há os personagens da Alice, Chapeleiro, Mari Poppins, Pooh e Tigrão.
Achei o melhor café, não sei se porque estávamos mais sossegados e com tristeza por ter que deixar tudo aquilo e retornar ao Brasil. Tomamos uma sopa gelada de morangos D E L I C I O S A. Eu havia lido a respeito dela em fóruns americanos, mas só experimentando para saber o quão saborosa é. Fotos com os personagens e regressamos ao hotel para terminarmos de arrumar as malas.
Ah, esqueci... neste dia o tempo fechou, choveu bastante.
Malas arrumadas, fomos até o restaurante e loja do hotel gastar nosso Dinning Plan.
Fomos para o aeroporto, devolvemos o carro e fomos para o check-in na Copa Airlines. Apresentei as reservas e minha surpresa foi quando a funcionária disse que nosso vôo Pánama/SP havia sido cancelado. Fiquei com cara de ué. O que iríamos fazer? Ela disse que poderíamos ficar num hotel e partir no dia seguinte para o Brasil, cujo vôo estava confirmado, ou irmos embora no mesmo dia por outra companhia aérea, a Continental Airlines. Por mim ficaria mais uma noite, mas meu marido queria trabalhar (pode?) e optamos pela Continental que partiria uma hora depois do nosso vôo pela Copa.
No check-in da Continental uma senhora que controlava a fila já olhou para nossas malas e disse "muito pesadas". Eu disse que nosso vôo era para o Brasil e que tínhamos direito a mais bagagem. Ela duvidou, foi até a funcionária que emitia bilhetes e a mesma confirmou minha versão, por sinal, esta funcionária que emitia bilhetes era muito simpática e falava portunhol, queriam aprender mais português.
Bilhetes OK. Fomos até Houston e de lá para SP chegando no dia seguinte.

Bom pessoal, essa foi nossa viagem. Foi ótimo contá-la a vcs, fui relembrando cada momento e já estamos pensando em regressar logo, mas meu visto vence agora em dezembro, primeiro tenho que renová-lo, se tudo der certo conto para vcs. Êta saudades daquele lugar. Mais eu volto, com certeza... Afinal, tenho que manter este tópico atualizado hehehehe...

Raquelzinha ºoº

 


 
 
Num único dia aproximadamente 210 pares de óculos são perdidos em Walt Disney World. Estima-se que desde a sua inauguração em 1971 mais de 1.65 milhões de pares de óculos já foram enviados para o departamento de achados e perdidos ("Walt Disney World Lost and Found "). Outros itens que os convidados costumam perder são os seguintes: telefones celulares (+ 6.000/ano), câmeras digitais (+ 3.500/ano), bonés (+ 18.000/ano) e caderninhos de autógrafos (+ 7.500/ano).