Voltei - Relato da minha viagem!

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
03 de janeiro de 2008 – MGM

 mensagem postada em 17/01/2008 - 12:01:39hs
 
 




Antes de recomeçar o relato, vou explicar como era composto nosso grupo.
Sim, eram só mulheres. O homem mais velho ali tinha 8 anos.
Eulina, minha mãe.
Ellen, minha irmã.
Márcia, com seus 2 filhos: Julia (8) e Tomaz (6)
Sylvia, com seus 2 filhos: Amanda (15) e Matheus (8)
Eu, com meus 2 filhos: Muriel (6) e Caetano (4).


Bem, nesse dia acordei determinada a seguir a risca o meu roteiro. Tava cansada de não ver quase nada dos parques. Tudo bem que o dia anterior quem atrapalhou foi o frio. Mas não tínhamos como entrar e sair do MGM sem conhecer nada como estava acontecendo até então. No Magic Kingdom e Epcot a gente não ligou muito pq iríamos voltar nesses parques. No Busch Gardens foi a mãe natureza que nos impediu de fazer o roteiro. Mas, a partir desse dia, do MGM, decidimos agilizar.

Chegamos no parque e fomos direto pro show da Bela e a Fera que estava começando. Enquanto eles entravam, corri na Aerosmith e na Tower of Terror e peguei fast passes.
Voltei, encontrei com a minha mãe, e assisti o show. Muito bonito! Aliás, o que era aquele Gaston? Eu bem que não me importaria de sair do meu roteiro pra gastar um bom tempo com ele. Ai, ai...

Como os fast passes eram pro final da tarde, rumamos para a Animation Courtyard. No caminho vimos de longe que tava rolando o show do High School Musical. Muriel, minha filha, é super fã deles e queria ficar pra assistir. Mas tinha tanta gente que não ia dar pra ver nada. Falei pra ela que esse show acontecia de 30 em 30 min., que veríamos um próximo. Fomos para Mickey Avenue e entramos na fila do show da Ariel, o Voyage of The Little Mermaid. Até que a fila não era das mais longas. O show é uma gracinha, as crianças adoraram. Muitos efeitos e muita música. De lá partimos para o The Magic of Disney Animation. Muito engraçado e muito bem feito. Tudo em inglês, mas mesmo quem não entendia dava umas risadas, porque é com aquele dragãozinho do filme Mulan, o Mushu. Só a voz dele já te faz rir. E é um sincronismo impressionante: o cara no palco, com 2 telas. Muito bem feito!

A saída dessa atração é num salão enorme onde ficam alguns personagens dando autógrafos. Não sei se muda sempre, mas qdo passamos por lá encontramos os personagens do Ratatouille, Emile e Remy, e o Sr. e a Sra. Incrível. Nós já havíamos comprado o livrinho de autógrafos que tem lugar pra colocar foto. Eu acho que vale super a pena, pq um autógrafo, na verdade, não diz muita coisa. Sim, a maioria é lindo, eles fazem desenhos e tudo mais, mas alguns são só um carimbo e outros uns garranchos. E tome de fila pra pegar autógrafo...

Saindo de lá, fomos almoçar no ABC Comissary. Lá tem um arroz com curry (atenção: bem picante!) que é uma delícia. E um sanduíche cubano muito gostoso também. É um alívio encontrar algo um pouco diferente e gostoso pra comer, além de cheesburger e macarrão com queijo.

Saindo de lá fomos pra Streets of América. Começou a “nevar”! Minha filha acha até hoje que nevou de verdade. Ali na rua ao lado estavam os personagens do filme Carros, o McQueen e o Mater. Mas a multidão era tão grande em volta que dava pra ver apenas um pneu aqui e um retrovisor ali. Seguimos em frente. E, então, no final da rua, pra desespero do meu filho, com quem demos de cara? Com os Power Rangers! Caetano não sabia pra onde olhava, se era pro carro deles, se era pro PR vermelho, pro PR preto... E na frente de cada um já tinha uma fila de respeito. Corri pra entrar em uma delas enquanto ele ficava igual barata tonta, sem saber pra onde ir ou olhar. E não é que logo depois os Power Rangers simplesmente, fazendo as poses características deles (muito engraçado!) subiram no carro pra ir embora, deixando a gente com cara de -- palavra censurada -- ? Tadinho do Caetano... Fazer o que, continuamos, pois nosso destino era o Star Tours. No caminho passamos pelo Buzz e pelo Woody, mas deixamos pra lá. Afinal podia acontecer de que qdo chegasse a nossa vez eles fossem embora.

A fila do Star Tours até que não estava grande. Graças às forças galácticas que nos protegem! É um simulador muito bem feito. Todos gostaram muito! Caetano saiu perguntando se a gente tinha ido mesmo até o espaço. Claro que eu disse que sim.

Saindo de lá, faltava ainda um tempinho pro horário do nosso fast pass na Aerosmith. O que tinha ali no caminho, sem fila? O Sounds Dangerous. Eu já sabia que o grupo ia entender pouca coisa, mas como estávamos ali na porta... Fomos! Não deu outra, saiu todo mundo reclamando. Eu, como sou meio do contra, gostei.

Chegamos enfim na Rock’n’Roller Coaster . Faltava ainda uns 5 min. pro horário do fast pass, mas a funcionária da entrada era brasileira e nos deixou entrar. Nessa atração minha mãe ficou com as crianças que não tinham altura ou que tinham medo. Muito, muito, muito bom! Eu só acho rápida demais. Não, não quero dizer que corre muito, é que acaba muito rápido. Dá vontade de dar mais umas voltinhas, ouvindo aquela música. Mas tudo bem, tínhamos ainda a Torre do Terror! Parada para um pipizinho (e é sempre aquela coisa: um vai ao banheiro, depois que ele sai é que o outro descobre que também quer ir. Aí ele sai e é outro que descobre que também tá com vontade... haja paciência).

Na Torre só foi a Ellen, a Márcia, a Sylvia, a Amanda e eu. Quando chegamos na porta do elevador a Sylvia deu o 1º sinal de que não tinha certeza se era uma boa idéia ir. Quando o elevador se abriu e a gente entrou naquela salinha, olhamos prum lado, olhamos pro outro e “cadê a Sylvia?” Tava lá fora sendo convencida de voltar pelo funcionário. Corremos lá e a trouxemos de volta. Ora, faça-me o favor, tinha até criança de 7 anos de idade indo. A Sylvia foi. E não se arrependeu. Dessa atração compramos a foto, porque saiu hilária.

Depois dessa atração, só dava tempo de ir pro Fantasmic!. E lá fomos nó. Já era noite, o frio tinha apertado. Quando chegamos lá, tinha lugar pra escolher (acho que o frio fez o povo dar uma debandada). Claro, que com toda essa disponibilidade de lugar, fomos sentar bem lá na frente. Ah! Enquanto isso a Ellen foi levar minha mãe na Torre do Terror. Eu fiquei meio receosa dela ir, mas como ela tava cheia de coragem, foi. Voltou exultante!

Bem, não sei se alguém algum dia chegou a perceber, mas os bancos do Fantasmic! são de metal. Ou seja, gelados! No calor deve ser uma benção, mas pra gente foi uma tortura. Catamos o que tínhamos na mochila (quase nada, porque já estava tudo no corpo) pra sentar em cima. Não demorou muito e o show começou. Alguém já teve o prazer de sentar na frente? Tipo na 4ª ou 5ª fileira? Pois é, sai daquela parede de água uma nuvem que com o vento vem pra cima da gente. O que mais nos faltava acontecer? De ruim nada, mas de bom aconteceu! Surgiu um imenso dragão querendo pegar o Mickey. Ok, ok, todos nós gostamos, amamos o Mickey. Mas, tenho que confessar, naquela hora estávamos todos torcendo pelo dragão. Pois ele, como todo dragão, cuspia fogo! Fogo = calor. E ainda colocou fogo na água! Que maravilha, aquela fogueira ali, na nossa frente. Mas o Mickey (sim, o safadinho do Mickey) apagou nossa fogueira. E com o que? Claro, mais água! Nunca aplaudi tanto o fim do Fantasmic!. (pra que não fique nenhuma dúvida: o Fantasmic! é lindo e imperdível, faça chuva ou faça sol).

Bem, mais um parque em que deixamos de ver várias atrações. E o pior, minha filha não viu o High School Musical nem meu filho pegou autógrafo dos seus personagens favoritos.

Depois desse dia, combinei com a Márcia que tem filhos pequenos também: vamos esquecer os brinquedos radicais e nos dedicar às crianças, ok? Vamos parar para pegar autógrafo, vamos nos brinquedos dedicados a eles etc. Porque, depois desse dia de MGM, vi que não daria pra fazer tudo. Então, se alguém tem que ser prejudicado, que sejamos nós.

Afinal, isso sim é que é padecer no paraíso. Com todo prazer!

 


 
Gwazi

 mensagem postada em 16/01/2008 - 06:01:34hs
 
 

Lendo tantos relatos sobre a montanha-russa Gwazi, vem à minha mente a peça que eu preguei na minha esposa, em nossa última viagem para Orlando.

Apesar de muito insistir para que ela fosse às montanhas-russas mais radicais da Flórida (em suma, ida em montanhas-russas que ao menos tivessem uma inversão), ela se manteve arredia a esse meu convite.

Talvez porque não poderia ela ir na minha companhia, pois nossa filha não tinha altura suficiente para ir nestas atrações. Desta forma, sempre um de nós tinha que ficar cuidado da nossa filha na ausência do outro. E isso pode tê-la desestimulado.

Até porque eu sou da seguinte teoria: não existe sensação pior do que estar num avião rumo a Orlando, enfrentando turbulências de diversas gradações. Se você consegue ir até Orlando por meio de um avião, pode também ter a coragem necessária para enfrentar as montanhas-russas de lá.

Mas, enfim, não tinha jeito: ela não quis ir a nenhuma dessas montanhas-russas, nem as mais fraquinhas como a Scorpion do Busch Gardens.

Então, logo após "sofrer" os revezes da Gwazi, perguntei a ela se ela não queria ir nessa montanha-russa. Afinal de contas, ela não tinha nenhuma inversão. Vendi a idéia de que era uma montanha-russa supimpa!!! E não é que ela aceitou na hora o meu convite?

Tive que segurar (e muito) o riso, pois sabia que ela ODIARIA essa montanha-russa. Mas não menti quanto à completa ausência de inversão(ões), menti?!

Dito e feito: ela ODIOU essa montanha-russa, que parece querer expelir a todos nós durante o seu trajeto. Ela é muito nervosinha...

Moral da estória: não é porque a montanha-russa tenha inversão(ões), ou aparente ser cascuda, que ela necessariamente seja pauleira, causando as piores sensações (principalmente as físicas) no seu usuário. Até porque você estará tão bem protegido que aproveitará intensamente o seu passeio, numa gostosa sensação de liberdade.

Apesar de adorar montanhas-russas de todo gênero, posso asseverar que a Gwazi é a pior delas.

 


 
Capítulo 4: Busch Gardens e Cirque du Soleil

 mensagem postada em 16/01/2008 - 05:01:38hs
 
 

Como de costume, 6h30 da manhã o despertador tocou. Café da manhã tomado e I-4 sentido Tampa. Não preciso nem dizer que é uma reta até lá. Um tapete. Chegando em Tampa é tudo muito bem sinalizado, mas até chegar no parque existem alguns momentos em que a sinalização é falha, e se não fosse o GPS eu acredito que teríamos errado alguma entrada (até porque está tendo uma obra no caminho para Busch Gardens e a sinalização nesse ponto foi prejudicada).

O parque abria às 9h e às 9h01 estávamos passando pelo portão do estacionamento. Já tínhamos comprado os ingressos com o Ronaldo, então entramos direto. Não dá para comparar Busch Gardens com algum parque da Disney ou até mesmo da Universal, mas digo que o parque está lindo. Muito bem cuidado. Não lembrava muito bem do parque e fiquei impressionado. Muito organizado também.

Fomos direto para a Sheikra. É uma boa caminhada até ela, e quando chegamos perto da fera percebemos que é realmente enorme. Chega a intimidar até aqueles fanáticos por montanhas russas (nós). Deixamos nossas coisas no locker e entramos direto, sem fila e na segunda fileira. É a melhor montanha russa de Orlando, sem dúvida alguma (não fomos ao Sea World, então a Kraken não entrou na votação). Saímos e entramos direto mais uma vez (sem fila), dessa vez na primeira fileira (a Sheikra na primeira fileira é uma das melhores montanhas russas que já fui na minha vida, só perdendo para algumas do Six Flags).

Depois, Kumba: um clássico. Muito boa também. Entramos sem fila.
Aí pegamos o Skyride (teleférico) até o Egypt, onde tomamos o nosso rumo até a Montu. Deixamos nossas coisas no locker e fomos. O parque estava enchendo: Fila de uns 25 minutos. Uma das melhores de Orlando também. Bem agressiva. Já conhecíamos de viagens anteriores.

Da Montu, para a Gwazi. Já estávamos com fome, mas preferimos esperar e fazer logo a última montanha russa decente do parque antes de almoçar. Não conhecíamos a Gwazi, e chegando lá, uma fila enorme. Pegamos o caminho do Tigre, e surpresa!! Quebrou depois de estarmos há 30 minutos na fila!! Tivemos que voltar para a divisão onde você escolhe o caminho que quer seguir, e fomos para o Leão. Mais uns 30 minutos, a fome matando e chegou a nossa vez. Devo dizer que é muito agressiva, e realmente dá para sair dela com dor de cabeça. Pri e eu saímos, até porque não tínhamos comido nada. Acho que pela agressividade do ride, o assento deveria te prender mais, com aquele sistema que não deixa o pescoço tão livre e prende pelo ombro, característico das montanhas russas que têm inversões.

Bom, aí chegou a hora de almoçar. Ainda tivemos que voltar no locker da Montu para buscar nossas coisas e mais uma longa caminhada até a Zambia Smokehouse, uma dica de um amigo aqui do site que fica agora como a minha dica também. Comida muita gostosa (mas uma fila enorme para pegar o prato). Comemos as costelinhas defumadas com molho BBQ, batatas assadas e outra coisa que não me lembro agora. Depois vou enviar a foto do prato para o Luiz. Ah! E o preço também é justo. Vale conferir! Fica perto da Sheikra, e você ainda pode almoçar vendo o pessoal se encharcar com a água que o carrinho da Sheikra levanta (inclusive alguns desavisados, o que é mais engraçado ainda).

Depois do almoço, fomos dar uma passeada, observar alguns animais e assistir ao Pirates-4D. Sem fila. LegalZINHO...

Ainda fomos ao Congo River Rapids, que parece estar molhando mais do que o usual. A maior diversão é ver os outros se ferrando. Estávamos preparados com as nossas capas, mas ainda assim nos molhamos um pouco. Aqui a fila foi um pouco mais longa: 25 a 30 minutos.

Já eram umas 16h30 e estava da hora de partir. Passamos em uma loja que tinha umas sobremesas maravilhosas (Sultan´s Sweets) e comemos um bolo de chocolate maltado com calda de chocolate. Muito bom! Aliás, recomendo esse local. Fica muito difícil de escolher o que comer. Tiramos até fotos das vitrines de doces.

Saímos do parque às 17h e às 18h chegamos em Orlando. Tomamos um banho e fomos para Downtown Disney assistir ao Cirque, que começava às 21h. Simplesmente imperdível! As chinesinhas do início do espetáculo são de verdade? Quero comprar uma para deixar na estante do meu quarto! La Nouba está no Top 2 dos espetáculos apresentados pelo Cirque em todo o mundo. Momentos assim é que “pagam” a viagem.

Após o espetáculo, uma voltinha por Downtown Disney e acabamos indo jantar no Planet Hollywood. Em nossa opinião, como dizem em inglês “It´s not worth your money”, ou seja, não vale o dinheiro que você paga. Já conhecíamos, mas não tínhamos muita opção naquela noite, pois já estava muito tarde. Enfim, a comida não estava ruim, mas também não estava boa. O atendimento, fraco. Porém, entorpecidos pela experiência maravilhosa do Cirque du Soleil nem ligamos. Jantamos, hotel e cama. O dia seguinte seria de COMPRAS!

Até lá!

 


 
Acabei de chegar...

 mensagem postada em 15/01/2008 - 11:01:41hs
 
 

Acabei de chegar, depois de ficar um dia a mais em maimi e outra em Buenos Aires devido a greve na Aerolineas Argentinas. Muita coisa pra contar... vou tentar lembrar de tudo...

Mas dando uma ajuda ao pessoal das compras: Apesar de ter acabado o grande período das clearance ainda dá pra pegar muita coisa, principalmente na Adidas do Orlando Premium Outlet, pois quando a gente achou que acabou a festa, ai no penúltimo dia lá a gente viu que eles começaram a desovar mais coisas. Quem tá indo agora, então não deixe de passar pra fazer compra nos shoppings, mesmo estando cansado da volta do parque.

Só para ter uma idéia. Somos três aqui, fomos somente com uma mala de roupa e voltamos com 5 cheias, abarrotadas, estufadas e usando a técnica de enrolar as roupas, roupa dentro de sapato etc.


Começo o relato amanhã.

Ah... as dicas desse fórum foram EXCELENTES !!!

Vou tentar postar as dicas nos respectivos tópicos.

Abração a todos.

 


 
02 de janeiro de 2008 – Busch Gardens

 mensagem postada em 15/01/2008 - 03:01:31hs
 
 



Acordamos nesse dia já sabendo que a previsão era de temperaturas baixas. No Weather Channel indicava que o dia seria frio, com uns 30º F. Mas quem é que sabe converter pra ºC? Ninguém sabia. Ok, vamos então botar casacos.

Quando colocamos o nariz pra fora de casa, já deu pra perceber que 30ºF era algo em torno de "mais-frio-do-que-eu-pensavaºC".

Mas vamos lá que Tampa fica longe. Chegando ao parque, já no estacionamento, percebemos que aquele sol não tava ajudando quase nada. Sim, porque o dia estava lindo! Tive que voltar pro carro e colocar uma calça em baixo da que eu estava vestindo. Meus filhos já estavam de meia calça de lã grossa por baixo. Só tava faltando as luvas. Entramos no parque e fomos direto pra 1ª lojinha que avistamos. Todas as luvas já tinham sido vendidas. Enquanto o povo se entretinha com outros itens da loja, rumei pra loja em frente atrás das luvas. Avisei pra todo mundo pra onde eu tava indo. Mas só uma parte ouviu.

Compramos as luvas e saímos da loja pra procurar pelo resto do grupo. Nada. Tava faltando minha mãe, minha irmã e a Amanda, que tem 15 anos. As 3 simplesmente evaporaram. Perdemos uns 30 minutos nessa procura qdo, enfim, decidimos seguir em frente.

Eu, preocupada com elas, deixei todo mundo na área Land of Dragons e voltei pra entrada pra procurá-las. Afinal nosso ponto de encontro nos parques era sempre o Guest Relations. Perguntei no Guest Relations, carimbei a mão pra sair do parque e ir procurar lá fora, entrei novamente em todas as lojas (inclusive achei o boné do meu filho que ele tinha esquecido na loja), mas não achei as 3.

Voltei, encontrei com o grupo e continuamos o passeio. Foi qdo dei de cara com a Sheikra (da Gwazi eu já tinha passado, mas essa eu dispenso, pq qdo fui da outra vez fiquei com uma baita dor de cabeça de tanto que ela balança e sacode). Éramos só 3 adultos pra olhar 5 crianças. Mas uma amiga nossa não queria ir na Sheikra e se prontificou a ficar tomando conta da molecada. Então lá fomos nós, eu e minha amiga Márcia. A palavra que define essa montanha-russa é: imperdível! Até aceito que um ou outro não vá. Se vc tem receio de montanha-russa, não é muito fã de grandes quedas e muita adrenalina, não vá. Mas se vc está com uma pontinha de vontade de ir, por favor, não deixe a oportunidade passar! É chocante!!! Agora, o frio era tanto que chegou a doer meu dente. Sim, porque eu não paro de rir o tempo todo. Alguns dizem que é o vento que abre a boca da gente. O certo é que me deu sensibilidade nos dentes, pode?

De lá fomos dar uma voltinha na Stanley Falls, que tava do lado e não tinha fila alguma. Também, quem era o maluco que ia quere ir num brinquedo que molha com aquele frio? Nós! Devidamente embalados nas capas que havíamos comprado no Epcot, embarcamos no barquinho.

Na saída desse brinquedo, com quem demos de cara? As 3 desgarradas do grupo. Uma festa! Êêêê!!! Mas pensam que elas tinham ficado lá procurando por nós? Que nada, deram linha na pipa e foram curtir o parque. Desaforo!

Enfim, grupo recomposto, rumamos para Timbuktu. Demos umas voltas naqueles brinquedinhos de criança e fomos para o Pirates 4D. Um tanto fraquinho. Eu dei uma cochilada. Pior foi que quando saí descobri que não fui a única.

De lá seguimos para Nairobi. Como todo mundo estava com fome paramos pra comer uns hot-dogs. Aí o bicho pegou. O frio apertou e começou a ficar difícil andar, mexer as mãos, controlar os músculos, falar, respirar. A gente só conseguia pensar em sair dali o mais rápido possível. O pior era que a gente queria sair mas não sabia pra onde. Onde poderia estar quente? Avistamos uma lojinha! Nos arrastamos pra lá, da forma que conseguimos. Pra todo mundo o parque já tinha dado o que tinha que dar. Tirando a Ellen e a Amanda que foram pra Montu.

Como meu filho é louco por cavalos, achei injusto ele ir ao Busch Gardens e não visitar a estrebaria dos Clydesdales. Tomei fôlego, coragem e determinação, o coloquei no colo, abracei o máximo que pude pra esquentá-lo e fui. No caminho eu só pensava "espero que eles tenham compaixão dos cavalos e a estrebaria seja aquecida". Era. Ufa! Valeu a pena o esforço. Caetano ficou maravilhado com aqueles cavalos enormes e de patas peludas. Gostou até do burrinho que estava na última baia (vcs já viram no You Tube o comercial da Buddweiser com o burrinho e os Clydesdales? É uma graça!) Tirei fotos, filmei e voltamos.

Quando saímos do parque e entramos no carro tudo que queríamos saber era quantos graus estava fazendo naquele dia. Um chutava 5ºC, outros 3ºC. Os mais assustados com o frio da moléstia que pegamos diziam "está fazendo 0ºC, com certeza!".

Quando chegamos em casa, ligamos a TV e o Weather Channel dizia que estava fazendo 28ºF. Ficamos meio que na mesma. Mas aí veio a notícia: não fazia frio assim na Flórida desde 1979. Vai ter sorte assim lá no Pólo Norte, né não?

Apesar de a casa estar aquecida, fomos dormir metidos em baixo de todas as colchas que havia na casa.

Ah! 28ºF = -2ºC.
Nem o mais exagerado havia acertado.

 


 
Denise

 mensagem postada em 15/01/2008 - 03:01:27hs
 
 



Oi querida!

Acho que a Nike Outlet da 192 vale a pena sim. É certo que não tem os modelos mais novos e é difícil achar o número que se quer. Mas conseguimos comprar bastante coisa.

Eu por exemplo comprei duas calças lindas e um casaco maravilhoso. Muito barato! Comprei também um tênis pra cada filho.

Mas a Nike que fomos no Lake Buena Vista estava muito melhor. Muito mais coisas!

Lá eu comprei um Nike Shox lindíssimo por $69. Além de conjuntos de calça e casaco pras crianças e mochilas por $19.

Obrigada pelo elogio. Vou me esforçar pra contar o máximo que der, mas até amanhã não vai dar tempo mesmo de contar tudo.

Envia um e-mail pra mim com o que vc está pensando em comprar que eu te digo se vi por lá e qto estava. Vc tem criança pequena pra presentear? Não digo seu filho, que já é grande, mas até uns 6, 7 anos. Se tiver, vá na Carter do Lake Buena Vista que estava com umas promoções alucinantes. E as roupas de lá são lindas. E os brinquedos da Toys'R Us são de deixar qq um doido. Caixa c/4 pistas do Hot Whells por $39? Fala sério!

Beijão!

 


 
Gente !!!! Gente !!!!

 mensagem postada em 15/01/2008 - 12:01:15hs
 
 

Voltei dia 05 ... mas até agora não consegui organizar minhas coisas e nem colocar as dicas e relatos aqui no site ... parece que o ano novo começou com tudo ... só digo pra vcs que já estou com saudades !!!! E fazendo planos de voltar daqui uns 03 anos ... Ficamos lá do dia 13 de dezembro a 01 de janeiro. De lá, fomos para California e voltamos ao Brasil ... Vou postar algumas dicas que acho interessante e que me fizeram falta, por não saber ... um beijo enorme a todos e espero conseguir relatar em breve !!!!!!!

 


 
1º de janeiro de 2008 – Compras

 mensagem postada em 15/01/2008 - 12:01:07hs
 
 



Já prevendo o cansaço que todos estariam nesse dia, programamos um dia de compras. Não que bater perna de loja em loja seria menos cansativo, mas pelo menos não teríamos a obrigação de acordar cedo. Mas acabou que nos arrependemos de termos perdido a manhã molengando em casa.

O fato é que estávamos no meio da 2ª liquidação anual de Orlando. Os preços estavam maravilhosos. Promoções imperdíveis! Mas, como a liqueidação não tinha começado exatamente naquele dia, o que tinha de prateleira vazia não tava no gibi. Compramos muito! Mas teve um monte de coisa que simplesmente não achamos. Tipo: PSP (playstation portátil), não tinha em loja alguma, tudo vendido. DVD para o carro, tudo vendido. Filmadora (uma amiga do nosso grupo estava querendo), não tinha nenhuma das opções que ela queria.

Mas nesse primeiro dia, ou melhor, nessa primeira tarde, só deu mesmo pra gente ficar na Nike Factory Outlet que fica na 192, no Lake Buena Vista, que fica perto, na Vineland, e na Super Target, da 192 também.

Quando saímos do Lake Buena Vista nos demos conta de que só faltavam 15 minutos pro nosso jantar no Denny’s com os amigos do VPO. Nem que a gente corresse muito chegaríamos a tempo. E o resto do grupo ainda queria comprar muita coisa. Resultado: demos um bolo no pessoal. Fiquei tão triste com isso... Eu é que tinha agitado tudo. Naquele momento fiquei torcendo pra ninguém ter ido. Feio isso, né? Ah, mas pelo menos estou sendo sincera.

Bem, admitido o erro de não ter controlado o horário com mais rigor e engolida a frustração, decidimos ir pra Target, porque tínhamos que comprar comida também. Então vamos pra Super Target!!!
Loucura aquela loja! Compramos toalhas, lençóis, brinquedos e mais um monte de coisa. Ah, e comida! Já estávamos nos esquecendo da comida.

Quase fomos chutados lá de dentro. Sim, porque qdo fecha, fecha mesmo. Lá não tem esse negócio de esperar o último cliente sair. Eles vão apagando as luzes e não te deixam dar nem mais um passo. Impressionante! Eu falava pro sujeito: "water, I need water", e ele "the store is closed" e se colocava na minha frente e não me deixava andar. Que sujeitinho! Só porque eu fiquei passeando na loja 1 hora e esqueci que não tínhamos água em casa pra beber ele me trata desse jeito? Humpf!

Quando saímos... Que frio! Que vento gelado! Saiu todo mundo correndo carregando sacola pra se enfiar o mais rápido possível no carro. "Liga o ar quente!!!"

Ainda não tínhamos visto nada...

 


 
Dedé

 mensagem postada em 15/01/2008 - 11:01:03hs
 
 

Pois é, eu gostei do Fairfield, novo, limpo, café razoável. Recomendo, mas tem que alugar carro, porque fica meio longe do agito da Int. drv. Também fiz poucas compras e me decepcionei um pouco porque achava que ia encontrar bastante variedade de roupas pra minha filha de 11 anos e só encontramos coisas legais na Puma, Adidas e Nike. Jeans pra ela só no WallMart. Já pros meus sobrinhos gêmeos que vão nascer, comprei uma mala de roupinhas na Carter's e na Osh Kosh e um super carrinho. Victoria Secret's totalmente depenada no dia em que fui, mas ganhei uma super bolsa rosa. A Guess estava muito boa e a Timberland também. Comprei bons lençois de 200 fios no Target e aermações de óculos de grau no Wallmart.


 


 
Orlando - melhor época

 mensagem postada em 15/01/2008 - 10:01:23hs
 
 

Estive em Orlando de 07-12 a 14-12. Foi a segunda vez que estivemos nesse período e vale muito a pena. Parques quase vazios, filas praticamente inexistentes e com a vantagem de que já está tudo decorado para o Natal. O único parque um pouco mais cheio foi o Epcot, onde pegamos uma fila de 40 minutos no Soarin, porém fila nenhuma em qualquer outra atração. Vimos a queima de fogos dos fundos da lanchonete mexicana, sentados numa mesa. Sea World e Universal bem vazios, fomos em todas as atrações e deu pra sair as 17:00h. e ir para as compras. Melhor refeição, sem dúvida TGI perto do Mall at Milenia. Dennys também estava bom e o CheeseCake Factory desta vez decepcionou. Também não recomendo o Cici's, é barato mas a comida é bem ruim.
Desta vez, a temperatura estava bem quente, levamos roupas de frio que ficaram encostadas e minha filha chegou a ir na piscina do hotel. Ficamos no Fairfield Inn e é bastante satisfatório, o café bem melhor que o do Ramada, que ficamos na vez anterior.

 


 
 
No cemitério localizado ao lado da Mansão Mal-Assombrada você encontra várias lápides, sendo que aquela que pertece Madame Leota tem a sua face entalhada e de tempos em tempos ela acorda e olha fixamente para você.