Planejamento - Dinheiro - Limite - e-DPV

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 

Este tópico se presta para que possamos trocar informações relacionadas ao limite de numerário que podemos levar na viagem sem a necessidade de fazer competente declaração. A Declaração Eletrônica de Porte de Valores (e-DPV) deverá ser apresentada pelo viajante, por meio da internet, no endereço eletrônico - link. Não para a troca de informações relacionadas a cotação do dólar, nem para declinar o nome de empresas.

leia essas informações
 
Índice  
 
 
Duvida

 mensagem postada em 14/05/2012 - 10:05:23hs
 
 

No site da Receita diz :
1 - comprovante de aquisição da moeda estrangeira em banco autorizado ou instituição financeira credenciada a operar em câmbio no País, em valor igual ou superior ao declarado;

Só que quando eu coloco o valor em dólares ele puxa a cotação de hoje e não da data de minha compra, logo dá diferença no valor em reais, o deles fica mais alto, será que terei problema ?

 


 
Objetivo do tópico!

 mensagem postada em 14/05/2012 - 10:05:59hs
 
 

O presente tópico se presta para a troca de informações a respeito da Declaração Eletrônica de Porte de Valores (e-DPV) - link.

Com relação a dúvidas sobre a utilização de dinheiro, cartão de crédito, travel check e Cartão Pré-Pago Internacional (VTM), peço encarecidamente que se utilizem do tópico - Planejamento - Dinheiro, Cartão, Travel Check e Cartão Pré-Pago Internacional.

Valendo lembrar que em nenhum dos tópicos é admitida a troca de informações com relação a cotação do dólar.

Conto com a colaboração de todos,
Luiz Carlos ºoº

 


 
e DPV

 mensagem postada em 09/05/2012 - 10:05:03hs
 
 

No meu caso terei de fazer a declaração. Pelo site da Receita diz que devo apenas apresentar o boleto de compra dos travellers ou dólares e mais a e DPV, mas a gerente de câmbio do meu banco me disse que devo levar documentos comprobatórios de capacidade de pagamento de tal valor.
Não quero levar um monte de papelada a toa.
Alguém que já fez, sabe me dizer o que realmente eles pedem lá na hora de bens a declarar ?
Obrigada

 


 
oras...

 mensagem postada em 09/05/2012 - 08:05:51hs
 
 

É totalmente absurdo que isso seja calculado por família sem que seja levado em conta o tamanho e as características de cada família! Ora...aqui em casa somos 4 adultos, todos trabalhamos e temos dinheiro pra levar. Cada um de nós só pode levar 2500 reais? Ou seja, 1250 dólares? E se a família fosse de 6 adultos? E meu noivo que vai "sem família", ele sozinho pode levar 10 mil? Oras...na minha cabeça não faz sentido! A menos que eu tenha entendido errado e esteja falando uma grande besteira...o que seria ótimo! rs

Deveriam fazer o contrário! Na saída do país, calcular os dólares de cada um individualmente e na entrada, somarem os valores declarados por família (digo, 500 dólares x o número de integrantes da família)! hahahha...aí sim daria pra fazer uma festinha...

 


 
Juliano

 mensagem postada em 09/05/2012 - 05:05:24hs
 
 

Então, Juliano, pelo que se vê, a concorrência não é saudável, ela é imposta, por um governo que não abaixa impostos, nem estimula desenvolvimento tecnológico, por empresários que não diminuem seus lucros. Nem atual governo, nem anteriores querem saber de fazer a coisa corretamente. Quem viaja se dane. E quem não viaja também porque perde a concorrência saudável que deveria ser dos importados.

 


 
Solange

 mensagem postada em 09/05/2012 - 03:05:48hs
 
 

Pois é Solange.
De acordo com a legislação, só é considerado, para efeito de dinheiro em especie, o dólar em papel (cash) e os travelers cheques e cheques preenchidos em moeda estrangeira.
A legislação ainda não se atualizou em termos de cartão de credito pré-carregado (VTM e outros) nem mesmo em limite pré-estabelecido de cartão de credito internacional, até porque gastar todo ou parte do limite é uma prerrogativa do portador ou usuário.
Assim, só vc só estará obrigada a declarar se estiver levando valores em espécie ou cheques de viagem cuja soma atinja ou ultrapasse US$ 10 mil. É esse o meu entendimento.
SDS.

 


 
Entendendo um pouco do Dólar.

 mensagem postada em 09/05/2012 - 02:05:02hs
 
 

Prezados, vou tentar explicar de forma simples com base em minhas experiências.
Já trabalhei em diversos Bancos, inclusive nas àreas de Moeda Local (R$) e Moeda Estrangeira (USD, DEM, JPY e afins).

Dólar Alto.
Para os Exportadores quando o preço do Dólar esta muito baixo em relação ao Real, isso encarece nosso produto para o cliente no exterior.

Suponha que uma caixa de balas custe R$ 11,00.
Para o dólar na cotação de R$1,55. O custo para o comprador lá fora seria de US$7,10.
Para o dólar na cotação de R$2,50. O custo para o comprador lá fora seria de US$4,40.

Nosso produto custaria US$2,70 a menos, isso com certeza incentiva o consumo de produtos brasileiros no Exterior.

Como a cotação do dólar mais elevada influência a Economia interna do Brasil?
Com nosso produto mais barato no mercado Exterior, as indústrias exportadoras passam a ter que produzir mais e contratar mais trabalhadores no mercado interno. O salário ganho por estar famílias é gasto dentro da economia do nosso país, consequentemente a um aumento no consumo que ativa o mecanismo interno ativando novas indústrias a produzir mais para atenderem as novas demandas.

XXXXX

Da mesma forma a condição do dólar mais barato, aumenta a demanda por produtos importados por brasileiros, a quantidade de reais necessárias para a compra de outras mercadorias em dólar diminuí. Nesse momento para nossa economia essa condição é torna-se interessante pois com aumento na demanda de importados obriga ao produtor interno a reduzir ou manter preços, reduzindo ou mantendo estável a inflação do país.

Portanto para o consumidor brasileiro num primeiro momento é interessante, enquanto ele estiver empregado. Agora para a indústria essa condição é muito prejudicial, se o Governo reduzir a carga de tributos sobre a indústria como vem falando, isso poderá auxiliar na recuperação da indústria Exportadora.

XXXXX
Onze entre dez analistas econômicos sabem que essa valorização da moeda brasileira não é sustentável. Nenhum de nossos “similares” dos BRICs – Rússia, India e China – deixa seu câmbio flutuar (para baixo) tão livremente assim. A China, então, faz há anos cara de chinês frente às pressões dos EUA para que “desamarre” sua moeda, o yuan.

Nós nos deixamos emparedar num dilema: o nível de internacionalização da economia faz com que forçar uma elevação do dólar tenha efeitos inflacionários. E como a inflação, na cartilha do “mercado” se combate com elevação de juros e como juros elevados atraem mais capital de um mundo com juros quase “zerados” , aí está a arapuca.

O dólar baixo, a tal “paridade cambial” do Plano Real nos deu meses de euforia e anos de desastre. Novamente, agora, o câmbio é a ameaça invisível ao ciclo de expansão econômica do Brasil. Embora tenhamos um momento privilegiado para romper esta ameaça, hesitamos pelo efeito no curto prazo: inflação.

Óbvio que não se propõe loucuras, nem se quer um câmbio regulado apenas por normas e portarias. E, aliás, parece bem claro que os novos dirigentes do Banco Central, indicados por Dilma Rousseff, compreendem esse impasse, tanto que o presidente do BC, Alexandre Tombini, declarou que está “disposto a tomar novas medidas” para conter a volatilidade do câmbio.

Que isso aconteça. A exagerada desvalorização do dólar, saudada pelos tolos do Governo FHC como prova de seu sucesso, é a maior ameaça que vive nossa economia.

XXXXX

Em resumo, dólar baixo é uma dádiva para nós meros mickeyros de plantão, mas uma verdadeira armadilha para o Brasil.

Entenda que se o Governo tem lutado para baixar os juros, automaticamente vai lutar para manter a alta do dólar!
Senão a inflação irá subir nas alturas.

Essa é minha humilde opinião.
Espero ter ajudado!
Abraços!

 


 
Camila Nunes

 mensagem postada em 09/05/2012 - 01:05:02hs
 
 

Como a legislação ainda não prevê saldo em VTM, creio que estes cartões também são tratados como cartão de credito normal (não se inclui o limite do cartão de crédito, concedido pelo Banco, no limite total de ingresso dos US$ 10 mil).
Assim, você deverá considerar para efeito desse limite apenas os valores que portar em espécie ou travelers cheques ou ainda cheques normais em dolar.
Boa viagem. SDS.

 


 
Gabriela - limite

 mensagem postada em 09/05/2012 - 01:05:09hs
 
 

Gabriela,
Para efeito de entrada, nos EUA, o limite de US$ 10 mil é considerado por família, e não por pessoa.
Já na saída do Brasil, o limite é de R$ 10 mil por pessoa !!

Nos EUA, é considerado crime federal omitir ingresso de valores acima deste limite.
Se for este o caso, te aconselho a preencher corretamente o formulário da alfandega, eles apenas registram isso em um computador lá e te deixam entrar, sem nenhuma cobrança.
SDS.
R.Taylor.

 


 
Luiz Carlos ou quem puder me ajudar

 mensagem postada em 05/05/2012 - 02:05:37hs
 
 

Luiz Carlos, a legislação não menciona os VTM, mas sabe me informar se os valores que estão nestes cartões são "contados" dentro dos R$10.000,00?
Por exemplo: levo U$2500 e espécie + U$8.000 no VTM. Devo declarar ? Obrigada

 


 
 
A atração Expedition Everest do parque Disney’s Animal Kingdom (61 metros de altura) é a mais alta do Walt Disney World Resort, seguida pelo The Twilight Zone Tower of Terror do Disney’s Hollywood Studios (60 metros de altura), Cinderella Castle do Magic Kingdom (57 metros de altura), Spaceship Earth do Epcot (55 metros), Space Mountain do Magic Kingdom (54 metros de altura) e The Tree of Life do Disney’s Animal Kingdom (44 metros de altura).