Voltei - Relato da minha viagem!

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais recente para a mais antiga
 
Índice  
 
 
17º dia: 05/02

 mensagem postada em 09/02/2007 - 05:02:35hs
 
 

Dia novamente dedicado ao MGM STUDIOS, porém fica,os nele até por volta das 15:00.
vale a repetição no elevador do Hotel, na Aerosmith (montanha russa fechada) e no show de carros.
Almoçamos por lá emsmo num restaurante do tipo Drive Inn. Mas fizemos a reserva logo na entrada do parque, porque a procura na hora do almoço é muito grande. Soubemos disso quando do primeiro dia nesse parque.
Depois da MGM seguimos para compras, primeiro uma nova passadinha no Walt Mart e depois repetição no Circuit City e no Best Buy.
Por fim, fomos jantar num ótimo restaurante brasileiro : o Show de BOla Restaurante, que fica na 5680, International Drive - do lado do Ponderosa. Lá o almoço é servido em pratos feitos, não é sistema self service. Mas é a melhor comida brasileira de Orlando. O preço é bom e gira em torno de $ 12.00 por pessoa.

 


 
18º dia: 06/02

 mensagem postada em 09/02/2007 - 05:02:28hs
 
 

O último dia em Orlando para visitas foi dedicado novamente aos dois parques da UNIVERSAL.
Porém, quanto a UNiversal Studuos repetimos somente a montanha russa da Múmia. Do ersto, fomos para a Universal Island of Adventure e como não podia deixar de ser repetir poor várias vezes a montanha russa da HULK, Duelo de Dragões, Elevador e, já ia me esquecendo, o impérdível sumilador do Homem Aranha.
Saimos por volta das 18:00 e fomos novamente jantar no restaurante tipo buffet "Golden Curral", pelo preço, pela qualidade e pela quantidade da comida servida. Não se esqueçam do cupom de desconto de 10%.
Para finalizar mais um mini golf: Congo River Adv. Golf, na 6312, International Drive. Com desconto do cupom fica em torno de $ 6.00 por pessoa.

 


 
19º dia: 07/02

 mensagem postada em 09/02/2007 - 05:02:11hs
 
 

Saimos do hotel, fazendo o Check-Out, as 05:15 da manhã, indo direto para o Aeroporto para entregar o carro na Dollar Rent a Car, que fica no próprio aeroporto na área de embarque.Existem placas de sinalização onde se tem o nome da locadora.
Fizemos o check-inn n Delta Air Lines para o nosso vôo com destino a Miami.

Em MIami havíamos reervado um city tour (Mariana Tours) com passeio por Miami Beach, Downtown e até o passeio de barco pela baia de Miami, onde conhecemos as mansões de famosos. Muito bom o city tour que ficou tudo $ 35.00 por pessoa. A empresa nos apanhou no portão de desembarque do aeroporto de Miami e nos deixou lá no portão de embarque da empresa TAM, ao final do City tour - por volta das 16:30.
E assim, fizemos nosso Check-Inn na TAM para o volto de regresso ao Brasil. O avião saiu na hora 19:30.


 


 
Resumo Geral da Viagem

 mensagem postada em 09/02/2007 - 05:02:16hs
 
 

Tempo- Em janeiro é capaz de fazer frio de até 5 graus centígrados. Alguns dias fizaram até calorzinho. mas no geral foi frio. Período entre 21 de janeiro a 07 de fevereiro.

Carro - Gostei do carro que aluguei pela Dollar. Uma Mini Van. Minha opção foi pelo preço e pela comodidade de ser no próprio aeroporto. Frz a reserva aqui mesmo no Brasil pelo site deles. Não fiz o seguro, muito embora eles insistam muito. O seguro do carro é coberto pela administradora de meu cartão de crédito que pagou o aluguel.

Hotel - o Rodeway Inn está no mesmo nível das instalações do Quality Inn, apenas acho que o Quality Inn tem melhor suporte no tópico lavanderia. Excelente em termos de localização.
Cupons de descontos - Não deixem de levar e pegar nas revistas e livretos de cupons existentes por todos lugares em Orlando.

Compras - De eletrônico nas lojas Cicuit City, Best Buy e Comput Usa. De roupas na Orlando Premium Outlet. De grife no Milenia Mall. De perfumes na -- palavra censurada -- nd.

Restaurantes - Nos parques (almoço) é aconselhável mesmo o Fast Food, infelizmente é assim mesmo, para se ganhar tempo. a não ser nos restaurantes destacados por mim aqui, como por exemplo o "Crystal Palace" no Magic Kingdon.

Café da Manhã - A opção pode ser comprar coisas no Waçlt Mart para deixar no frigobar. Porém, optamos fazer o café da manhã no Poiderosa (que já era conhecido por mim) pelas opções existentes do tipo Buffet e preço. Sem dúvida não dá para acreditar nos cafés da manhã dos hotéis de lá, mesmo aqueles que indicam "Continental de Luxe".

Ingressos - Comprem tranquilamente com o Ronaldo. Pessoa de extrema confiança. Lá além dos preços com descontos dos ingressos dos parques você poderá pedir para ele fazer reservas para restaurantes, NBA, Cirque du Soleil, Medieval Times, etc., além de poder utilizar o computador dele para entrar na Internet.

Internet - Uma outra opção, além do escritório do Ronaldo, é ir na loja da Aplle no Milenia Mall, lá se tem internet gratuita.

Bem, no mais qualquer outra informação necessária que alguém queira saber, estarei a disposição; afinal, lembrar de tudo de forma geral é quase impossível, apesar de termos na nossa cabeça toda a viagem efetuada.

Acho que já vou colocar meu nome novamente na "Contagem Regressiva" pois espero retornar em 2009, se Deus quiser e permitir que eu faça esse sonho de novo.

 


 
Tico - relato parte 6/6

 mensagem postada em 13/02/2007 - 09:02:07hs
 
 

Antes de ir ao Animal Kingdom, fomos ao Outdoor World.
É um shopping na Idrive dedicado à vida ao ar livre. É uma imensidão de material de pesca, caça, camping, trekking, hiking. Comprei algumas iscas artificiais e algumas lembrancinhas.
Os americanos comprar armas e munição com fazemos compras em supermercados. Saem pegando e colocando no carrinho...

O Animal Kingdom é um parque muito bem ambientado, como se realmente estivesse na África. Mas achei um pouco mais complicado para andar. A montanha russa Everest é linda. Apesar de ficar várias vezes fechada durante o dia, conseguimos andar no final da tarde. Mas a fila estava muito grande.
No final da tarde, nosso maior mico. Ninguém se lembrou de tirar foto do estacionamento, nem de anotar o nome e número do local, nada.
Ficamos 40 minutos procurando o carro, que encontramos com a ajuda de um segurança do parque.
Depois ainda levamos mais 20 minutos para reunir o grupo, que tinha se dispersado para procurar o carro.

Não tivemos tempo de ir a Winter Park, nem em Old Town e outras atrações, mas ninguém ligou.
O checkout no hotel foi super rápido, só apresentei os cartões, nem foram aos quartos.
Fomos tomar nosso último café no Great Western.
Estamos programando para fazer um café da manhã igual na minha casa no próximo domingo, para relembrarmos Orlando. Só vou dispensar o feijão doce e o fígado com batata.

Nosso vôo de volta era por Miami. Então acordamos bem cedo e rumamos para o Kennedy Space Center. É bem perto, aproximadamente 1 hora de Orlando.
Mas minha turma não se interessou muito em entrar. Então só tiramos algumas fotos na entrada mesmo e partimos para Cocoa Beach, depois Vero Beach, West Palm Beach e fomos passando pelas praias da Flórida, até chegar em Miami.
A viagem foi muito legal, fomos parando para ver as praias, os canais, o povo. Apesar de frio, tinha gente na praia passeando com animais, jogando futebol americano, e até nadando.
Em Miami, paramos numa das pontes para ficar admirando a cidade, e vendo os pescadores e as gaivotas pegando peixes.
Ficamos rodando sem rumo pela cidade, até que entramos num Shopping ao lado da marina. Jantamos lá e depois fomos ao aeroporto.
Adoramos a viagem, e espero em breve voltar.

Sites úteis:
www.frommers.com (dicas úteis sobre Orlando)
maps.yahoo.com (traçados de roteiros e mapas)
www.seaworld.com (informações sobre Seaworld e Busch Gardens)
www.disney.com.br
www.universalorlando.com

 


 
Tico - relato parte 5/6

 mensagem postada em 13/02/2007 - 10:02:35hs
 
 

Abasteci o carro e fomos para Busch Gardens.
O abastecimento, apesar de já saber antecipadamente como era, foi outra expectativa pra mim, que nunca tinha abastecido um carro. É preciso passar o cartão, retirar o cano da bomba, escolher a gasolina, e digitar o valor que se vai abastecer. Não tinha noção de quanto cabia no tanque, então foi um pouco complicado. No abastecimento seguinte, fui até o caixa, deixei o cartão com ele, que me liberou a bomba até eu encher o tanque.

O parque é bastante agradável, em especial gostamos da montanha russa de madeira Gwazi e da Sheikra. O Serengeti Safári foi muito divertido. Não estava esperando muita coisa deste passeio e me surpreendeu. A motorista era muito espirituosa e fez a diferença no safári, principalmente durante as surpresinhas do passeio.

Eu tinha programado ir ao Medieval Times, um jantar com show. Mas depois de ver tantos shows nos parques, achamos que já tínhamos tido uma overdose, e que ia acabar entediando minha turma.
Na volta, já de noite, entrei em Celebration.

Celebration é uma comunidade idealizada por Walt Disney, para ser um modelo de boa convivência, alto padrão de qualidade de vida, na década de 50.
Nessa época estava se repensando o modelo de urbanização americana, e foram apresentados dois projetos semelhantes: Seaside e Celebration. Eles planejaram casas mais próximas uma da outra, ruas mais próximas e estreitas, zoneamento flexível com serviços e comércio, tudo isso para aumentar a interação entre os moradores e diminuir o uso do automóvel.
Curiosidade: em Seaside foi filmado o filme “Show de Truman”. Então não é de se espantar que eu tenha me sentido num cenário do filme.
Segundo uma matéria que li sobre Celebration (que começou a ser construida em 97), como em qualquer outro empreendimento Disney, tudo foi meticulosamente planejado, projetado e executado para a satisfação dos habitantes. Veja link falando mais sobre Celebration.
Não se tem muito o que fazer lá, tem poucas lojas (caras), restaurantes (caros).
Mas o bairro é lindo, e no dia seguinte, depois do Animal Kingdom, deixei meus filhos no Disney Quest e voltei para Celebration.
Uma moça de uma livraria me incentivou a voltar no Natal, disse que fica lindo. Todas as casas, sem exceção, ficam enfeitadas para a data festiva.
Tirei muitas fotos. Motivo: estou construindo uma casa nova e fiquei apaixonado pelas fachadas.
Tive que comprar uma memória adicional para a câmera, pois tirei fotos bem acima da média que costumo tirar.

 


 
Tico - relato parte 4/6

 mensagem postada em 13/02/2007 - 10:02:31hs
 
 

O dia em que fui no Magic Kingdom foi o de mais expectativa, pois minha esposa já morou nos EUA e estava ansiosa para rever o castelo da Cinderela, os fogos no final do dia...
A visão de quem entra é impressionante, com aquele castelo lindo e maravilhoso ao fundo.
O parque é muito bonito, mas não gostamos muito das atrações, que achamos muito infantis demais.
Assistimos ao show Illuminations ali mesmo da praça. Eu queria ter assistido do Rose & Crown Pub (peça por uma “patio table or best place to watch fireworks”), mas assistimos a parada de carros alegóricos às 19hs e o show começou às 20hs e não quisemos voltar lá no Pub.

No dia em que eu havia programado o Disney MGM, fomos até Downtown Orlando de manhã, e depois até um bairro chamado College Park (na loja Orange Cycle). Adorei me embrenhar pelos bairros, alguns chiques, outros até barra pesada.
No mercado Publix, pegamos várias revistas com preços de casas e carros. Ficamos babando nos carros e casas. Até sonhamos em morar alguns meses por lá, para aprimorarmos nosso inglês...
Na volta, passamos numa revenda de veículos especiais, aquelas pickups gigantes. Meus 2 filhos menores não conseguiram nem subir no estribo para tirar fotos!!
Pegamos um pouco de chuva no Disney MGM, mas não prejudicou o show Fantasmic, que vale a pena assistir, é realmente um show.
Nesse dia fomos jantar no Camila´s, um restaurante brasileiro comandada por um português. A comida é razoável, acho que pagamos US$8.90 por pessoa. Conseguimos matar a saudade do nosso feijãozinho.

O parque da Universal Studios é pequeno, fácil de andar. Foi um dos parques de que mais gostei, mas não sei definir exatamente porque. Achei que foi por causa do excelente visual, o som ambiente, sei lá.
A tarde fomos ao Florida Mall, gostamos muito, mas ninguém comprou nada. O shopping é um luxo, com corredores largos, excelentes grifes.
Uma parte do grupo não jantou, outra jantou no Chili´s (comida mexicana boa, $9 em média) e outra jantou no Red Lobster (comida boa, quantidade boa, em torno de $13). No Chili´s pedi uma cerveja, eles me mandaram outra grátis. E eu nem queria beber naquele dia.
À noite fomos no Cirque do Soleil, sentamos num local previlegiado (acho que era setor D), mas não achei tudo aquilo que falam. Para não entrar em polêmicas, sem mais comentários.
No sábado de manhã voltamos ao Orlando Premium, onde compramos tênis para meus filhos, pois ninguém mais aguentava o chulé... haja tênis para suportar tanta caminhada. Aqui fica uma dica preciosa: leve talco ou spray para pés, pois vai precisar.
Comprei uns molhos de pimenta na Le Gourmet Chef que são os mais fortes que provei até hoje. Tenho um tio que nunca está satisfeito com o ardor dos molhos. Lá comprei o Spontaneus Explosion e o Ass in Hell (não preciso traduzir, né). Dei para ele nesse domingo, ele foi usando e, durão, não queria admitir que o molho era realmente forte. Mas no final foi até hilárico, quase trágico, vendo ele verter lágrimas e ficar todo suado e vermelho por causa da pimenta.

 


 
Tico - relato parte 3/6

 mensagem postada em 13/02/2007 - 10:02:55hs
 
 

No 3º. Dia programamos para ir ao Islands of Adventure (IOA).
Coloquei “Universal Studios” no GPS e escolhi a primeira opção.
Foi meu segundo mico. A Maria (GPS) me levou para uma lojinha da Universal dentro do aeroporto de Orlando.
Depois que me refiz desta roubada, cheguei fácil no IOA. Também foi tranquilo apresentar o voucher e um documento para pegar os ingressos.

Como tem brasileiro trabalhando nos parques da Universal!! Conversando com alguns, em média estão gastando R$8.000 para trabalhar 3 meses por lá.
Este parque é muito legal, gostei mais que dos parques da Disney.
Meus filhos quiseram andar no Popeye, achando que não iam se molhar, visto que viram várias pessoas saindo enxutas de lá. Mas foi um problemão para nós, pois eles sairam encharcados e não tínhamos levado roupas extras. Para o maior, conseguimos comprar uma calça de moleton (difícil de encontrar em qualquer parque) e para os menores tivemos que ficar quase 40 minutos secando no banheiro. Tiveram que continuar com os tênis úmidos, pois não se encontra nos parques.
Em todos os passeios aquáticos, tem uns esguichos de água, onde as pessoas pagam US$0,25 para molhar as pessoas. Tem americano que adora gastar seu dinheiro ali. E justamente quando meus filhos foram, tinham uns 4 americanos que ficaram molhando todos que passavam.

Como o IOA é fácil de andar (em círculo) e tinha pouca gente, mesmo repetindo várias atrações, acabamos saindo cedo. Assim, fomos atrás de uma loja de bikes para meu filho, que é ligado em bicicross. Maria nos levou a uma pequena bicicletaria numa cidadezinha linda chamada Winter Garden. Infelizmente a loja estava fechada por motivo de luto. Mas acabamos entrando num bar para usar o banheiro, e era exatamente igual aos bares que vemos nos filmes americanos, com aquele balcão logo na entrada, com americanos de bonés, bigodudos, barrigudos, tomando uma Budweiser.
Fizemos um giro pelo local, que é muito lindo e organizado.
Dali fomos nos embrenhando pelos bairros, andando a esmo, até que encontramos um K-mart e ficamos lá até bem tarde, comprando desde roupas, enlatados, miojo, até bolas, lembrancinhas, utensílios para casa, etc.

Voltamos à Idrive e fomos jantar no Mc Donalds encostado do hotel (Idrive com Sand Lake). Ele faz propaganda dizendo que é o maior Mc Donalds do mundo. Com certeza é o mais estranho e brega. Lá tem pizza, tacos, etc, além dos sanduiches.
Aliás, encontrei muitas lojas e negócios do tipo: o maior do mundo, o mais bem localizado da Flórida, a maior loja de presentes do mundo, e por aí vai... mania de grandeza dos americanos.
Falando em americanos, passei a gostar e admirar este povo. Lá é tudo muito bem organizado, grande, espaçoso... as pessoas são amáveis, todas dizem “sorry” ou “excuse me” pelo menor motivo, respeitam o pedestre, não tem sujeira nas ruas, o trânsito é organizado, com várias placas indicativas, não vi pichação (pelo menos nos locais onde fui).
Sujeira eu vi indo para Miami. Encontrei uns 4 lixões enormes a céu aberto (não tinha placa informando, mas um deles devia ser o maior da Flórida). Aquilo estava forrado de urubus, me deu até uma aflição ver tanto urubu daquele jeito.

 


 
Tico - relato parte 2/6

 mensagem postada em 13/02/2007 - 10:02:55hs
 
 

No dia seguinte, acordamos e fomos tomar café no Ponderosa (ainda bem que não inclui o café continental do hotel, que é muito fraco e caro), US$4.99 por pessoa. Francamente falando, a comida americana é bastante diferente da nossa. Comer salada, feijão doce, bacon, lingüiça, fígado com batata, sorvete, junto com torradas, frutas e aquele café aguado logo de manhã é uma experiência muito exótica.

Nos demais dias, fomos tomar café da manhã no Great Western (recomendo) e no Sizzle, também na Idrive, onde além de mais barato, o atendimento é mais atencioso. No Great Western, as garçonetes são todas balzaquianas (não sei o motivo), e muito gente boa. Gostam de ficar batendo papo com os clientes. Lá pagamos US$3.99 o adulto e US$2.99 a criança. Para quem pediu café, leite e chocolate, pudemos repetir à vontade. Então só pedíamos um copo para cada 2 pessoas.

Meu roteiro de parques eu fiz usando o Frommers e também pesquisando pela internet quais dias teriam os shows nos parques.

No dia seguinte fomos no Seaworld, apresentei os vouchers impressos pela internet, foi tudo muito tranquilo.
O estacionamento é muito bem organizado em todos os parques. Paguei US$11 nos da Universal e US$10 nos demais. Em Downtown Disney o estacionamento é gratuito.
Tinha lido sobre a dica aqui no ViajandoparaOrlando, de tirar fotos das referências do estacionamento, e não tive problemas em encontrar o carro no final da tarde.
Não sei se tinha no Seaworld, mas nos parques da Disney pegamos os fones de ouvido para tradução para o português, logo nas entradas dos parques, no Guest Relations. Precisei pagar US$100 por fone, que foram reembolsados na devolução do fone.
Nas atrações da Disney, tem vários shows e tours onde este fone é útil.
Nos parques, fomos vivendo de fastfood, pipoca, batata. Tinha comprado água e batata Pringles no supermercado, então não tive que ficar gastando muito nos parques.
Na volta do Seaworld, fomos comer crispy tacos e burritos no Taco Bells da Idrive. É baratinho, o refri pode ser reabastecido quantas vezes quiser.
No Epcot também foi tranquilo apresentar os vouchers e pegar os ingressos.
Cada ingresso foi personalizado com as nossas digitais, no primeiro uso. Como estávamos num grupo, cada um escreveu seu nome no cartão, para evitar trocas e perda de tempo, como vimos em alguns casos onde a família chegou com vários cartões juntos e teve que ficar tentando passar um-por-um e colocando o dedo no leitor.

 


 
Tico - relato parte 1/6

 mensagem postada em 13/02/2007 - 10:02:37hs
 
 

Vou tentar relatar minha experiência em Orlando (uma das melhores até hoje na minha curta vida) e ao mesmo tempo dando dicas.
Também vou escrever de trás para frente no fórum, para facilitar a leitura (posso estar enganado e estar dificultando... mas vou tentar)

Chegamos em Orlando, foi tudo muito tranquilo.
Eu e minha esposa, meus 3 filhos, de 17, 12 e 10 anos, mais meus pais e meu sogro, todos os 3 com mais de 70 anos.
Uma dica: antes de passar pelo esquema de segurança, procure tirar tudo do corpo e colocar numa mochila. Perdemos algum tempo, pois 3 dos nossos ficaram apitando no detector de metais... e os seguranças são muito desconfiados, depois te revistam e perguntam um monte...

De cara, vi que americano realmente sabe ganhar dinheiro. Para usar o carrinho no aeroporto, precisa pagar 3 doletas... mas este meu dinheiro eles não pegaram...
No balcão da Alamo, eles tentaram me oferecer mais serviços, mas como eu já tinha pego um carro para 8 pessoas all inclusive, só aceitei mesmo o GPS, que foi muito valioso.
Primeiro mico: a atendente me falou para pegar o carro no 2º. Andar. Subi a escada de acesso ao 1º. Piso, entramos no elevador e ficamos tentando apertar o botão do 2º. Andar... e a porta ficava abrindo. Constatação: lá nos EUA eles consideram o térreo como 1º. Andar, e nós já estávamos no 2º. Andar.
No hotel, no elevador tb não tinha botão Térreo, já começa contando como 1º. Andar.
Fiquei de queixo caido. O carro, um Toyota Siena LE 8 passageiros, era ZERO Km. Com tudo que tinha direito, inclusive ABS e airbag por todos os lados do carro.
O carro aqui no Brasil é muito caro. Lá este carro custa aprox. US$24.000 e um usado 2006 ainda na garantia custa US$15.000.
O GPS me levou diretinho para o hotel Quality Inn Idrive. Pelo sotaque português de Portugal da “co-piloto”, apelidei-a de Maria.
Eu nem tinha pensado em locar o GPS, então através do maps.yahoo.com eu já tinha impresso o roteiro pelo menos do primeiro dia, do aeroporto até o hotel e do hotel para Downtown Disney.
O que me deixou um pouco apreensivo foi meu primeiro pedágio. Tinha fila para o Sunpass (um cartão pré-pago ou pós pago), para troco exato (fila azul) e para ser atendido por atendente (fila verde). Na fila azul vc joga moedas dentro de um funil, e automaticamente libera a chancela depois de pago o valor. Ande sempre com moedas, pois me deparei com um pedágio onde não havia atendimento humano, e foi complicado ficar juntando moedas para dar o valor certo.
Deixamos as malas no hotel e fomos almoçar e fazer compras, pois nosso check-in era somente após as 15 horas.
Almoçamos no Cici´s Pizza, em frente ao hotel, US$4.89 por pessoa, com pizza, pasta e salada à vontade. Vc pede um refri e pode encher à vontade, de gelo, refri, chá, suco, o que tiver nas máquinas.
Fizemos umas compras ali por perto, de lembrancinhas e algumas camisetas.
Depois fui até Downtown Disney, para pegar os ingressos do Cirque du Soleil, que eu tinha comprado pela internet. O site onde adquiri os ingressos é meio bagunçado, não envia email de confirmação, então fiquei meio sem saber se tinha dado certo mesmo. Mas lá tem o mapa das cadeiras, então pude escolher um excelente lugar.
Adorei Downtown Disney, mas os preços dos produtos lá são bem salgados, assim como nos parques. Então não compramos nada.
No Orlando Premium Outlet tem uma loja da Disney, mas também é tudo muito caro. Acabei fazendo minhas compras de lembrancinhas e roupas da Disney nas lojas da Idrive mesmo.
Estava querendo ir no Official Visitors Bureau para pegar cupons de descontos, mas tinha tantos nos hotéis e nos restaurantes, que achei que seria redundante pegar mais.
Voltamos ao hotel, fiz o check-in bem rapidinho e fomos desfazer as malas.
O hotel é bom, o único problema era o cheiro de mofo num dos quartos. Tem frigobar, microondas, ferro de passar, secador de cabelo, TV, relógio-despertador, ar-condicionado. Achei caro a internet, US$9.90 por cada 24 horas, acessando pela TV do quarto.
Fomos jantar no China Jade Mongolian Grill, ali mesmo na Idrive. Achei barato, levando em conta a qualidade da comida, que é muito boa. Tem carne, frango, camarão, peixe, ostra, marisco à vontade, por US$13 por pessoa.
Depois levei meus meninos no Magical Midway, onde ficamos andando nos Karts que tem lá. Este MM é fácil de encontrar, ele tem umas torres altíssimas. Uma delas é um “chapéu mexicano” nas alturas. O outro par de torres é um estilingue humano. Ninguém teve coragem de ir.
Mas os karts são emocionantes, vale a pena disputar mais de uma vez. Acho que custa US$6 por pessoa.

 


 
 
Num único dia aproximadamente 210 pares de óculos são perdidos em Walt Disney World. Estima-se que desde a sua inauguração em 1971 mais de 1.65 milhões de pares de óculos já foram enviados para o departamento de achados e perdidos ("Walt Disney World Lost and Found "). Outros itens que os convidados costumam perder são os seguintes: telefones celulares (+ 6.000/ano), câmeras digitais (+ 3.500/ano), bonés (+ 18.000/ano) e caderninhos de autógrafos (+ 7.500/ano).