Califórnia

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
Res: Carla

 mensagem postada em 18/05/2015 - 09:05:06hs
 
 

Obrigado pelos relatos. Por favor, continue!!!

(mensagem de MARILENE)


Obrigada Marilene! Esse feedback é super importante! Estou fazendo os relatos pois foi a partir das experiências dos amigos do VPO e suas dicas incríveis, que montei meu roteiro dos sonhos.

 


 
DIA 11- 21/01/2015 - FERRY BUILDING MARKET PLACE

 mensagem postada em 17/05/2015 - 04:05:43hs
 
 

Dedicamos nosso último dia em San Francisco a conhecer o FERRY BUILDING MARKET PLACE, uma espécie de “mercado municipal” da cidade, localizado às margens da San Francisco Bay no distrito de Embarcadero.

O local é composto por uma grande variedade de lojas, pequenas e grandes, uma verdadeira celebração gastrônomica. Oferece de tudo um pouco: Desde queijos e frios artesanais, frutas e verduras que parecem ter sido colhidas na hora, passando por delis, açougues e lojas especializadas em frutos do mar. Tudo fresquinho e da melhor qualidade.



Lá comi ostras frescas, degustei chocolates artesanais e macarrons e me acabei em uma loja de utensílios domésticos.

Mas passamos a maior parte do tempo em uma loja de vinhos com preços ótimos. Essa loja tem um local para degustação das bebidas. O charme é comprar uns queijos e pães nas lojas vizinhas e ficar degustando um bom vinho californiano. Quem está com crianças esqueça esse brunch charmoso. Só aceitam no local, maiores de 21 anos. Snif, snif




Voltamos para o hotel e ficamos lá por Union Square flanando. Fiz até a manicure.

O jantar foi mais uma vez no lotadíssimo Cheese Cake Factory da Macy's com direito a 1h30 min de espera. Mas esperar dentro de uma Macy's não é sacrifício algum, rsrs...

Antes de dormir, arrumamos as malas, pois no dia seguinte zarparíamos para Lake Tahoe.

 


 
DIA 10- 20/01/2015 - ALCATRAZ/PIER 39/CHINATOWN

 mensagem postada em 17/05/2015 - 04:05:53hs
 
 

Acordamos às 7h, pois teríamos que chegar cedo ao pier 33 para pegar o FERRY para ALCATRAZ.

Fomos de cable car e andamos do pier 39 para o 33 por uns 15 minutos.

Chegamos em cima da hora para nosso passeio para a ilha de Alcatraz às 9h - os ingressos foram comprados com antecedência no Brasil.

Chegando em Alcatraz nos dirigimos para o ponto de partida do passeio teleguiado, onde pegamos o fone com áudio em português.


ILHA DE ALCATRAZ

Adoramos o tour pela famosa prisão de Alcatraz, que abrigou presos de alta periculosidade, como Alcapone.

Achei que seria meio sinistro para as crianças, mas não foi. O mais velho que acompanhou o áudio direitinho gostou e o caçula no carrinho, não reclamou, rsrs.

Quando encerramos o tour, entramos em uma lojinha de souvenirs e lá estava um velhinho que tinha sido prisioneiro de Alcatraz e contava sua estória em um livro, vendido no local. Bem interessante.

Para voltar para SF, é só aguardar o próximo ferry, sem hora marcada para o retorno.


A TCHURMA

Na volta, já era hora do almoço e optamos por um Hard Rock nas proximidades do pier 39. Lembrando que era a 1a vez da minha prima nos EUA e queríamos levá-la nos restaurantes que considerávamos tradicionais. Muita, muita gordice, e camisetinhas do Hard Rock SF de lembrança.


Gordice mode on





Depois do almoço continuamos no pier 39 (que deixamos de ir no dia do Fishermans Wharf) e fomos ver os simpáticos leões marinhos. Muitas fotos e pausa para um sorvetinho no Ben & Jerry's. Escolhi o de caramelo com sal. Pode parecer estranho, mas é uma delícia.

Ainda com fôlego, fomos para Chinatown sem rumo definido, apenas passeando pelas ruelas, vendo a movimentação dos chinesinhos saindo da escola.



A Chinatown de SF é maior do mundo. Lá é um verdadeiro pedacinho da China!

Como tínhamos almoçado a pouco, apenas compramos uns souvenirs e seguimos para o hotel.

Acho que nesse dia nós jantamos pizza nas proximidades do hotel.

 


 
DIA 9- 19/01/2015 - CIVIC CENTER/ALAMO SQUARE/ GOLDEN GATE PARK

 mensagem postada em 17/05/2015 - 03:05:04hs
 
 

Depois de acordamos um pouco mais tarde por conta da recuperação do meu caçula, nossa primeira parada do dia foi o Civic Center.

Nós pegamos um ônibus na Market Street.

Para localizar o transporte público mais adequado, meu marido (que é mais orientado que eu) pesquisava as rotas no google maps e no aplicativo hopstop, dica do VPO.

Meus filhos adoravam andar de ônibus por SF, uma experiência de viagem diferente do que estão acostumados.



A Praça do Centro Cívico não é muuito bem frequentada, e confesso que nem demoramos muito por lá, pois rolou um medinho. Mas lá encontramos a -- palavra censurada -- pula maravilhosa da prefeitura de São Francisco que é uma das paisagens mais marcantes da cidade.



Nos arredores da praça estão a biblioteca pública de San Francisco, que merece uma visitinha rápida e o Museu de Arte Asiática (super legal para quem curte esculturas orientais, mas que não fazia parte do nosso roteiro), e do outro lado, a Ópera e a Sinfonia de São Francisco. Pena que, por termos saído mais tarde que o normal, pulamos essa programação.

Também nao deu tempo de entrar no prédio da prefeitura de San Francisco que é aberto para visitas e a entrada é gratuita.

Saindo do Civic Center pegamos um ônibus (usando hopstop) para Alamo Square que é uma das praças mais fofas e aconchegantes de São Francisco.

Quando ficávamos em dúvida sobre o caminho, perguntávamos dos motoristas de ônibus, sempre solícitos (que povo receptivo e educado o de SF) em nos orientar.

A Alamo Square é conhecida por abrigar as 7 casinhas vitorianas mais fotografadas das cidade, As Painted Ladies. São 6 casas gêmeas e uma diferente na ponta.


Mamis na frente das Painted Ladies...

Construídas entre 1892 e 1896, essa casas sobreviveram a dois terremotos e a avassaladora modernização da cidade, que destruiu muitas casas nesses estilo. Pra quem curte arquitetura vitoriana, vale a pena dar uma volta nos quarteirões em volta a praça para encontrar outros exemplos bonitos e coloridos.

Para quem está com crianças vai uma dica: Pertinho das Painted Ladies tem um playground bem legal para a meninada brincar.

As crianças ficaram uns 40 minutos no playground, depois tiramos fotos das Painted Ladies e seguimos para Haight & Ashbury de ônibus (dá para ir a pé, mas estava frio e as crianças reclamavam se precisavam andar muito).

Haight & Ashbury é uma verdadeira festa estranha com gente esquisita. Se vc estiver com criança pule esse passeio. O povo que frequenta acha que o “summer of love” de 1967 (75 mil jovens foram para San Francisco em busca de paz, amor) é hoje. Todo o clima de 1967, com todo o pessoal “paz e amor” vindo pra cá a procura de drogas, amor livre e música, continua no ar, se é que vocês me entendem. Meu marido quis sair dali o mais rápido possível.

Assim passamos rapidamente pela frente da Casa do Jimi Hendrix (Haight St. Número 1524) no topo da loja de tabaco e na loja Amoeba, que vende tudo sobre música, com muitos LP's.



Da Amoeba, andamos para o incrível Golden Gate parque.

O Golden Gate é enorme e tem mil coisas para ver e fazer. Escolhemos ficar no playground com os meninos e depois no Carrosel - sabe como é viajar com crianças - temos que ter a consiência de priorizá-los nas escolhas e passeios.
Tínhamos a opção de ir para o museu De Young e para o Califórnia Academy of Science, que dizem ser ótimo para os pequenos, mas a essa altura, o cansaço e o bolso já estavam falando mais alto...

Pegamos o ônibus de volta para Union Square na Haight.

Meu marido foi para o hotel com as crianças e eu fui para a lavanderia em uma rua próxima ao hotel, já que como estávamos com pouca bagagem, foi necessário lavar o que já tínhamos usado.

Fui jantar um sushi com minha prima nas redondezas, e levei pizza para os garotos no hotel.

 


 
DIA 8- 18/01/2015 - CABLE CAR/LOMBARD STREET E FISHERMAN'S WHARF

 mensagem postada em 17/05/2015 - 02:05:42hs
 
 

Acordamos cedo e tomamos café no hotel que estava incluso na diária. Café do Hilton muito bom!

Estava bem frio em SF, em torno de 5 graus de dia e temperaturas negativas de noite.

Seguimos para um Walgreens na rua Powell para comprar o MUNI (uma espécie de passe) de cinco dias que dá direito ao cable car e ônibus ilimitado.

Na própria rua Powell pegamos o bonde da linha POWELL HYDE. Ali em Union Square é fácil de se localizar, mas eu já tinha visto no google maps as direções que deveríamos seguir após deixar o hotel.

Pegamos o cable car no ponto de partida - no cruzamento das ruas Powell e Market, que supostamente era o ponto mais vazio, mas pegamos uma super fila de mais ou menos 40 minutos.

Andar de cable car já um barato e um passeio turístico obrigatório. As crianças se divertiram nas ladeiras e meu filho mais velho foi até "pendurado"do lado de fora, sob a minha supervisão, claro.






Nossa descida foi na LOMBARD STREET que leva a fama de “rua mais tortuosa do mundo”.

A melhor forma de visitar a Lombard Street é caminhando, de preferência, na descida.

Dizem que é possível tirar fotos incríveis das belíssimas paisagens de São Francisco, ocorre que no dia em que fizemos esse passeio tinha muita neblina e não dava para ver nada lá embaixo.



Descemos a pirambeira observando o fluxo aparentemente interminável de automóveis e scooters que descem a ladeira, com seus passageiros “gritando de medo” no trecho de 400 metros e oito curvas fechadas. O percurso é de mão única para os automóveis, que descem a ladeira a uma velocidade máxima permitida de 10 quilômetros por hora.

Depois, descemos a pé procurando a Ghirardelli Square que é um shopping fundado na antiga fábrica de chocolates, com lojas de souvenirs, mas não sei o que aconteceu, nos perdemos e decidimos seguir logo até Fisherman's Wharf - apreciando um pouco a região, dessa vez com a vista da baía e da ponte Golden Gate.

Fisherman’s Wharf, é um antigo mercado de peixes e porto usado pelos pescadores da cidade. O lugar foi reformado e tem várias lojas e restaurantes, além de muita gente.





É uma região bem turística e muitos optam por se hospedar lá.

Como meu caçula estava começando a dar sinais de cansaço e uma leve febre o rondava, seguimos direto para a a famosíssima padaria Boudin Bakery, onde é obrigatório comer um pão soudorgh e a sopa de mariscos clam chowder Uma delícia. Lá têm uns pãezinhos em forma de bichinho bem fofos.




Clam Chowder

Depois da Boudin Bakery, voltamos para o hotel, pois o Henrique estava com febre alta.

Ele foi medicado e melhorou, então meu marido ficou com as crianças no hotel e eu fui fazer umas comprinhas por Union Square com a minha mãe e minha prima.
Forever 21, Victoria Secrets, H&M, Ross, Kipling...

De noite, fomos todos jantar no Cheese Cake Factory que fica no última andar da Macy's de Union Square, não sem antes esperar mais de 1h por uma mesa (esse restaurante está sempre lotaaado).

Voltamos para o hotel para o descanso merecido.

 


 
DIA 7 - 17/01/2015 - MONTEREY BAY AQUARIUM/CHEGADA EM SAN FRANCISCO/GOLDEN GATE BRIDGE

 mensagem postada em 17/05/2015 - 12:05:37hs
 
 

Tomamos café da manhã que tinha sido devidamente comprado no Walmart na noite anterior, no nosso hotel em Monterey.

Depois seguimos para Monterey Bay Aquarium que só abria às 9h30 (eu sempre coloco nos meus roteiros a distância entre o hotel e a atração que será visitada, o horário de abertura e o preço do ingresso).

O Monterey Bay Aquarium é considerado um dos aquários mais legais do mundo! Lá tem umas águas vivas no escuro, que são lindas.



Ocorre que eu, particularmente, não sou muito fã de aquários, mas incluimos no roteiro por conta das crianças que nem gostaram tanto assim...mas para quem gosta, é imperdível.

Depois do aquário, fomos para o Cannery Row que fica ali do lado mesmo do aquário e demos uma volta pra ver as lojinhas. Não compramos nada, exceto um brinquedinho baratex para o caçula que queria, porque queria um peixinho de brinquedo.

A palavra Cannery se refere as Fábricas de latas de sardinha que se espalhavam pelo lugar e eram a principal fonte de renda da cidade até os anos 50. Nessa época houve escassez do peixe e a maioria delas faliu. Alguns prédios ainda estão conservados e ajudam a contar um pouco da história, pena que não tínhamos tempo para explorar mais a região, pois ainda seguríamos para SF.
Almoçamos em um Bubba Gamp, que adoramos. Pedimos um monte de camarão para os adultos e mac and cheese para as crianças. Minha prima comprou umas camisetas na loja do restaurante (primeira vez dela lá).



Pegamos a estrada para San Francisco por volta das 13h30. Deixamos a estrada pela costa (CA 1 - caminho mais bonito) para acelerar a viagem,e fomos pela US 101 N.

Chegamos em SF por volta de 15H ao som de San Francisco de The Mamas & The Papas (esqueci de falar que fiz uma playlist só com músicas sobre a Califórnia ).

Eu estava ansiosa para chegar em San Francisco, cidade que me apaixonei ainda nas pesquisas para montar o roteiro.

Nesse momento, mudamos o roteiro e fomos direto para a Golden Gate Bridge, pois a previsão do tempo dizia que aquele era o único dia (dos que estaríamos lá), sem fog (neblina) e com boa visibilidade da ponte.

A imponente Golden Gate, que não é Gold, é vermelha, rsrs, é maravilhosa.

Eu tinha indicação de parar em dois mirantes antes e depois da ponte e no pouco conhecido mirante de Marin Headlands que dizem ter uma bela vista, mas por conta do horário e cansaço da estrada, seguimos apenas para o mirante depois da ponte.

Óbvio que eu não fui a única a checar a previsão do tempo, e o vista point estava lo-ta-do. Difícil tirar uma foto com menos de 100 cabeças ao redor, rsrs. Mas mesmo assim, o passeio é imperdível, parada obrigatória em SF.



Uma dica que peguei e repasso aqui: O pedágio da Golden Gate é automático e não dá para pagar na hora. Cheque com sua locadora de carros se seu carro tem Fast Track habilitado (versão Gringa do “Sem Parar”) ou se você precisa pagar o pedágio online. Não se esqueça de pagar pedágio ou você vai levar uma multa.

Quando o sol estava indo embora, entre 17h30 e 18h, decidimos ir embora junto com todos os outros turistas e como resultado, passamos mais de 1h e 30m para cruzar a Golden Gate de volta. Queria muuuito cruzar a Golden Gate, mas não por tanto tempo assim...Muito bom humor, músicas animadas e petiscos no carro para animar a galera.

Seguimos para Union Square, onde devolvemos o carro na Alamo que fica na O'Farrel Street, quase em frente ao hotel escolhido (Hilton Union Square, ótimo). A partir dali, utilizaríamos o eficiente trasnporte público de SF.

Combinamos antes de viajar de levar pouca bagagem, pois nesses deslocamentos, cada um carregava sua mala (trocamos de hotel 8 vezes).

Check in no hotel, banho e descemos para jantar.

Union Square é uma loucura, muitas lojas, restaurantes, bares, hotéis e turistas. Está sempre movimentada de dia e de noite.

Jantamos em um restaurante bem turistão e baratex onde tinha carne grelhada, pois os meninos queriam um bifinho. Não lembro o nome do local.

Voltamos para o hotel exaustos, na expectativa de conhecer melhor SF pela manhã.

 


 
Res: Califórnia em Setembro/15.

 mensagem postada em 17/05/2015 - 08:05:48hs
 
 

Olá, estamos com viagem em início de planejamento para a Califórnia. O período será de 27/08 a 15/09 e a única certeza que tenho é que dia 14/09 temos que estar em San Diego para um show. Poderiam mandar dicas de roteiros que caibam nessa quantidade de dias? Queremos fazer o máximo de coisas e experiências possíveis e que fiquem dentro de um orçamento razoável. Nossa chegada e saída serão por LAX. Agradecemos pelos envios dos roteiros.

Junior e Bruna.
(mensagem de Ivair Junior)


Junior e Bruna,

Sejam muito bem vindos ao VPO (como carinhosamente chamamos o Viajando Para Orlando) !
Tem bastante coisa para fazer e conhecer na California, inclusive uma esticada até Las Vegas (5 horas de viagem, de carro).
Vou listar apenas algumas que me lembro agora:
a) Conhecer San Francisco e a Golden Gate Bridge, Lombard Street;
b) Hollywood;
c) Anaheim (Disney da California, a primeira);
d) Sea World em San Diego;
e) Os parques da Universal e MGM perto de Los Angeles;
f) Knotts Barry Farm;
g) O parque das Sequóias; (conhecer a General Sherman);
h) Passar pela Big Sur Coastline; ...
i)Venice Beach;
j) Lake Tahoe;
k)Yosemite National Park;
l) Palm Springs;
m) Catalina Island;
n) Santa Barbara;
o) Napa Valley;
p) Huntington Beach (para quem gosta de Surf) !!


E com certeza esta lista será enriquecida pelos amigos e colegas do VPO que já passaram por este belíssimo estado.

SDS,
Roberval.

 


 
Califórnia em Setembro/15.

 mensagem postada em 16/05/2015 - 10:05:52hs
 
 

Olá, estamos com viagem em início de planejamento para a Califórnia. O período será de 27/08 a 15/09 e a única certeza que tenho é que dia 14/09 temos que estar em San Diego para um show. Poderiam mandar dicas de roteiros que caibam nessa quantidade de dias? Queremos fazer o máximo de coisas e experiências possíveis e que fiquem dentro de um orçamento razoável. Nossa chegada e saída serão por LAX. Agradecemos pelos envios dos roteiros.

Junior e Bruna.

 


 
DIA 6 - 16/01/2015 - BIG SUR E CARMEL

 mensagem postada em 13/05/2015 - 09:05:11hs
 
 

Acordamos cedo para aproveitar bem o dia pela Fabulosa Big Sur.

Tomamos café no hotel, que estava muito bom e logo zarpamos, pois sem dúvida estávamos ansiosos para conhecer a famosa costa do Pacífico

Penhascos entalhados recortados pelo oceano, a rodovia da costa do Pacífico ao longo da Big Sur, cria alguma das vistas oceânicas mais memoráveis da Califórnia entre Cambria e Carmel. Não chega a ser uma cidade. Está mais para uma reserva florestal na fabulosa costa do Pacífico na Califórnia.

Nessa rota têm muitas paradas e vistas points, mas escolhi apenas duas principais, pois estávamos em seis pessoas, incluindo duas crianças que não têm muita paciência para curtir paisagem...

Primeira parada: ELEPHANT SEAL VISTA POINT. Colocamos esse nome no GPS e deu super certo, chegamos lá direitinho, uns 20 minutos depois de deixar o hotel. É só ficar de olho, pois sempre têm outros carros parados nesses vistas points.
Vimos vários leões marinhos no maior dolce far niente e mais uma vez pausa para muitas fotos. Acho que ficamos no máximo meia hora por lá.



Entre um vista point e outro, eu, mamãe e meu marido ficávamos em êxtase com as paisagens...as crianças não ligaram muito confesso, mas quando estiverem mais rapazes, vão curtir, com toda a certeza.

Sério, chorei de emoção em determinado momento de tão lindo que é.

Segunda Parada (depois de 1 hora e 20 minutos de carro): JULIA PFEIFFER BURNS STATE PARK. Aqui também tem outro ponto para parar e observar a magnitude do Big Sur. Estacionamos o carro no Parque (U$ 10,00), no mesmo sentido da rodovia. Seguimos por uma trilha que passa por um túnel até dar de cara com uma das praias mais lindas do lugar. Mais uma vez coloquei o endreço no GPS e deu certo.

Lindo, lindo lindo! Que visu! O JULIA PFEIFFER BURNS STATE PARK é parada obrigatória. Cuidado para não confundir com uma praia de mesmo nome (JULIA PFEIFFER beach, acho)



Voltando da praia pelo túnel, no local onde o carro fica estacionado, tem uma reserva florestal com cachoeiras e sequoias, que rende belas fotos.

Saímos de lá maravilhados.

Em certo momento da road trip, coloquei a música beautiful day do U2 (pois estava um belíssimo dia - que sorte) e gravei vários trechos da paisagem.

Íamos almoçar no Nephente, restaurante encrustado na Big Sur, mas ainda não estávamos com fome, então seguimos para a charmosa Carmel.

Pequena, com bonitas casas, restaurantes gostosos, lojas de rua, inúmeras galerias de arte e uma praia de areia branquinha, é um lugar de descanso, onde os próprios americanos vão para curtir suas casas de final de semana, passear com seus cachorros e se divertir com a família. O lugar é tão bacana que sempre figura na Revista Condé Nast como um dos top 10 destinos dos Estados Unidos. E uma curiosidade é que Clint Eastwood já foi prefeito da cidade, motivo pelo qual há várias menções a ele na cidade.

Tentamos almoçar no Cantineta de Luca, por indicação de sites especializados, mas lá descobrimos que só abre para o jantar, então optamos pelo Littlle Napoli, na mesma rua, sem indicação, no olhômetro mesmo.

Restaurante italiano muito bom. Lasanha, ravioli de vitela, pizza para as crianças e vinho californiano de quebra. Aprovadíssimo.

Depois do almoço demos umas voltas pelo comércio da cidade, comprei uns souvenirs e partimos para ver o por do sol em 17 mile drive - pebble beach, 16 minutos de Carmel - paga a entrada de carro de 10 dólares em uma guarita (lá é um condomínio de luxo, mas deixam os turistas entrar) e depois é só seguir a linha vermelha pintada nas ruas que elas te levam aos principais pontos turísticos, que basicamente são lugares a beira mar com vistas lindas (principalmente o Lone Cypress), mansões e campos de golfe a beira-mar.



Fotos e muitas fotos e depois seguimos para Monterey, onde os hotéis são mais baratos, para pernoite.

Eu, meu marido e as crianças ainda fomos para um Walmart a 20 minutos de carro de Monterey, pois rola um certo vício em Walmart na gente.

Chegamos do Walmart que-bra-dos e naninha, pois ainda tinham muitas aventuras pela frente.

PS. Desculpem a overdose de posts, mas aproveitei que cheguei mas cedo do trabalho hoje.

 


 
Res: Carla P S Nobre - preço ingressos

 mensagem postada em 13/05/2015 - 09:05:06hs
 
 

Oi Carla,
Estou curtindo seus relatos.
Estou planejando minha viagem pra California p/ 2016, se Deus quiser.
Vc disse que comprou o ingresso da Disneyland na bilheteria...quanto pagou?
Vc comprou com validade para o California adventure?
Obrigada,
Viviane
(mensagem de Viviane Mansim)


Desculpe Vivian, estive ausente da cidade uns dias...

Paguei U$ 104,00 por ingresso de adulto e U$ 94,00 (acho) por criança.

Bjs.

 


 
 
No pavilhão americano (Epcot) você também encontra os famosos "utilidors" - consagrados no Magic Kingdom - e a sua construção deu-se em virtude da necessidade de espaço para armanezar as cenas áudio-animatrônicas da atração "The American Adventure" quando não estão sendo exibidas no palco.