Do you speak English?

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais recente para a mais antiga
 
Índice  
 
 
Não deixem de ir por conta de falar inglês...

 mensagem postada em 17/06/2007 - 01:06:51hs
 
 

Galera... alguns sabem que eu fui sozinho... e meu inglês hummm, em uma escala de 0 a 100 é 80... Cara, vão em frente, vai dar tudo certo, a maioria deles fazem um esforço para te entender, principalmente nos parques... caraaaaaaaaaa é muuuuuito bom!!!

 


 
Speak English - O Retorno

 mensagem postada em 17/06/2007 - 08:06:27hs
 
 

Sempre tive muita vontade de saber falar inglês fluentemente. Estudei em escolas, fiz cursos de banca de revistas, procurei estudar por conta própria, etc. Fiz das tripas coração. Acho meu inglês em uma escala de 1 a 10, nota 7. Quando chequei em Orlando não tive problema nenhum, até encontrar duas figuras bem sacanas: um garçon de um restaurante de carnes perto do Florida Mall que falava rápido demais e um vendedor da Sports Authority que não abria a boca para falar. Moral da história: resolvi voltar a estudar inglês e quando for a Orlando em janeiro/2008, adivinhem quem vou procurar para bater um papo? O garçon e o vendedor da loja de tênis. I'll be back.

 


 
Don´t worry, be happy!

 mensagem postada em 18/06/2007 - 01:06:39hs
 
 

Quando estive na Disney pela 1ªvez, aos 15 anos, eu já falava inglês, mas não tanto. Quando voltei lá, aos 17, já tinha terminado o curso e posso dizer que foi muito melhor, principalmente no Epcot e no Kennedy Space Center por causa de todas aquelas historinhas nas atrações. Mesmo assim acho que todo mundo se diverte sabendo inglês ou não, porque o visual vale mil palavras. Minha mãe já esteve lá outras vezes com amigas, carro alugado e um inglês macarrônico, e se deu muitíssimo bem. Não se preocupem e divirtam-se!

 


 
Yes, I do. It's not easy, but is possible.

 mensagem postada em 18/06/2007 - 10:06:08hs
 
 

É pessoal, falar inglês não é assim tão fácil para quem não aprendeu enquanto criança, mas como qualquer outra língua não é impossível aprender.

Eu aprendi depois dos 26 anos de idade, frequentando escolas de idiomas e lendo e ouvindo materiais diversos. Como qualquer outro objetivo em nossa vida, é preciso ter vontade e motivação. No meu caso a motivação era de cunho profissional, e funcionou. Não sou lá aquelas coisas, mas hoje me viro muito bem. E um fato que aconteceu comigo que me ajudou foi justamente no trabalho, quando um chefe me mandou ligar para um gringo e esclarecer alguns assuntos. Lembro muito bem daquele dia... Eu disse pra ele que não conseguiria e ele me falou: tranque-se numa sala e ligue. Ninguém vai te ver e o cara do outro lado, que vai te ouvir, sabe que você não é americano, portanto, estará aberto a te entender... Bom, deu até dor de barriga mas lá fui eu e, depois de uns 30 minutos suando frio saí da sala com o assunto resolvido. Lembro que naquele dia cheguei em casa igual bobo.. contando o que havia acontecido. Depois disso destravei e aí foi só alegrias. Vira e mexe eu chegava em casa e fala: "hoje falei com um gringo".

Claro que ainda pago micos... e são muitos. Mas eu pago mico em português também, como qualquer outro ser humano mortal. Portanto, não tô nem aí para os micos. Hoje em dia eu não deixo de perguntar, fazer, comer ou beber qualquer coisa que eu tenha curiosidade. Simplesmente "meto as caras". É o ditado quem não arrisca, não petisca.

UMA DICA: leia e ouça tudo o que puder em inglês, mesmo que AINDA não entenda nada. Insista. Com o tempo você "pega o jeito". E é como já disseram aqui, lembre-se de quando você era criança: você não sabia falar nada, muito menos ler e escrever, mas aprendeu depois, não foi!

Ah, e a título de curiosidade, sobre um estudo de inglês que lí há algum tempo (não me lembro a fonte):

- As crianças são favorecidas no aprendizado de línguas pois, até os 9-10 anos de idade, o "centro da fala" ainda está em formação no cérebro. Crianças que conviveram num ambiente de dois idiomas (pais e mães de línguas diferentes, ou que mudaram-se de países ou que frequentam escolas de idiomas desde muito cedo) têm facilidade para aprender qualquer língua no futuro pois o cérebro formou um "centro poliglota". Essas crianças raramente esquecem as línguas que aprenderam, ao passo que crianças que não tiveram essa condição desenvolveram apenas um "centro de fala" monolingue. Desta forma, é necessário que o cérebro dessas pessoas encontre outra área capaz de absorver o novo aprendizado e essa área vai ser a área da memória. Isso ajuda a explicar o porquê de, ao aprendermos uma língua depois de "velhos" rapidamente a esqueceremos se não a utilizarmos constantemente.

E lembre-se: não é fácil, mas é possível!!

 


 

 mensagem postada em 21/06/2007 - 02:06:11hs
 
 

Para quem quiser dar uma olhadinha na pronuncia de algumas palavras, um site legal é o Bussola Escolar na parte Linguas Estrangeiras. Ali tem a pronuncia de um monte de palavras em várias línguas. site: www.bussolaescolar.com.br/linguas_estrangeiras.htm

 


 
Questões culturais.

 mensagem postada em 04/07/2007 - 11:07:31hs
 
 

Vanessa, legal você ter trazido essa dica cultural. Eu realmente observei isso lá nos parques (aliás gosto de observar os diferentes comportamentos culturais quando viajo). Os Americanos falam "excuse-me" o tempo todo em lojas, supermercados, parques, mesmo quando passam a uma certa distância e se chegam muito perto (até mesmo sem esbarrar) já soltam logo um "I'm sorry".

Tem outra coisa que é muito comum. Todos os vendedores e caixas falam: "Hi, how are you" ou "Hey, what's up" ou "Hey Guys, how're you doing". São expressões equivalentes ao que fazemos aqui também, tipo: "oi, e aí tudo bem?"... "como você está?"... mas já observei que muitas pessoas não respondem. Isso para eles é uma grosseria. Já aqui no Brasil é bastante comum um vendedor chegar perto e perguntar algo semelhante e praticamente "ignorarmos" ele, o que não deixa de ser uma grosseria também. O ideal é responder um "Hi, I'm fine and you?"... Normalmente não estendem a conversa porém isso já abre a porta da simpatia para um bom atendimento.

 


 
A gente aprende ate quando erra

 mensagem postada em 04/07/2007 - 01:07:01hs
 
 

Nunca deixei de arriscar.As vezes pago mico mas sempre acabo me fazendo entender.Sempre encontrei pessoas gentis e atenciosas.Ja tive dificuldades em pedir canudinhos,mas o garcon foi educado e gentil.Ate me ensinou a dizer straws, e uma senhora balconista de uma loja que vendia filmes de video, sofreu pra entender que eu procurava filmes com legenda porque eu pedia films with legends, que na realidade sao lendas.Depois de muita mimica, ela me ensinou que deveria procurar por closed caption.Procurei por bathrooms em pleno supermercado, mas depois de muito aperto, encontrei o que procurava sob o nome restroom.Tanto tempo depois eu ainda dou gargalhadas qdo me lembro do que ja aprontei,mas na hora foi complicado.Mesmo assim, nunca deixo de arriscar.

 


 
Sérgio,

 mensagem postada em 04/07/2007 - 07:07:12hs
 
 

É verdade, nos supermercados percebi isso... os caixas sempre falam algo cordial... na entrada dos parques também.

Percebi também que muitos não respondem... mas claaaaaro como um camarada que sou, fazia questão de responder por 2 motivos:

- Ser gentil...
- Treinar o inglês... alguns puxavam um pequeno diálogo... ( he he he )

 


 
You are welcome

 mensagem postada em 04/07/2007 - 09:07:49hs
 
 

Já paguei e ainda pago muito mico!!! Um inesquecível foi quando estive em NY e estranhava os vários "you are welcome" (seja bem vindo) que recebia, já estava lá a uns 10 dias e ouvia sempre a mesma coisa.
Depois é que fui saber que é o equivalente ao nosso "de nada"!!!! E eu achando que eles estavam me dando boas vindas, dã!!!!

 


 
Não precisa falar a frase inteira...

 mensagem postada em 05/07/2007 - 10:07:00hs
 
 

Mais ou menos como na nossa língua, em inglês também se "come" muitas palavras. Falar palavra por palavra durante conversas informais pode soar um tanto "basic" demaaais... Depois de uma conversa informal iniciada, muitas palavras podem ser "comidas" sim... Por exemplo:

Ao invés de: use:
What's your name? => your name?
How are you doing? => you doing OK?
I am fine and you? => fine, you?
How much is it? => how much?
See you later => later
You are welcome => you welcome ou apenas welcome

Para falar obrigado você pode incrementar usando "thank you so much", "thank you Sir", "thanks a lot", "you're so kind"... e para falar "de nada", além do "you are welcome" você pode usar "OK", "no problem", "not at all", "my pleasure".

 


 
 
Todas as vitrines das lojas existentes em Main Street U.S.A. foram construídas - mais baixo que o normal - pois Walt queria que as crianças também pudessem vê-las facilmente.