Voltei - Relato da minha viagem!

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
Res: Trio em Orlando - DAY 1 #Chegando, Dirigindo e dormindo (p2)

 mensagem postada em 23/10/2015 - 06:10:46hs
 
 

Alessandra,
Estamos adorando seus relatos ... por favor continue !!
Quanto a sua pergunta sobre o Hotel, alguns hotéis fazem convênio com operadoras brasileiras, e como elas tem interesse financeiro, passam a indicar somente aquela rede (como foi o caso do hotel citado).
Ele de fato é muito bom, mas se vc quiser, posso te indicar outros 15 que também ficam na região da ID, com faixa de preço parecida.
O Super 8 é bom, já fiquei nele, mas é bem simples e antigo né ?
Tem vários brasileiros trabalhando lá, não só na recepção, como também na manutenção !
Entretanto é bem localizado, oferece um café da manhã razoável (apesar do local ser pequeno) e tem TV a cabo até com canal do Brasil ! Viu lá ?
SDS,
Roberval.

 


 
Trio em Orlando - DAY 1 #Chegando, Dirigindo e dormindo (p2)

 mensagem postada em 23/10/2015 - 06:10:11hs
 
 

Nosso voô foi GRU-MIA, direto e sem escalas.Chegamos um pouquinho antes do previsto e corre para a imigração. Gente, que fila, DEOS! Nunca peguei uma fila tão grande, nem em New York. Acho que esperamos uns bons minutos (acho que deu mais de 1 hora). O policial nem perguntou nada, só carimbou o passaporte, pediu a digital e já era.

Pegamos nossas malas (já fora da esteira, só esperando) e 'bora maratona. Gente, sério. Eu fico pensando como era esse aeroporto antes do MiamiMover. Se com este trenzinho você já anda como um condenado, sem ele as pessoas faziam como? Será uma estratégia do aeroporto para que a circulação das suas pernas voltem com sucesso? Porque, olha. Nem as esteiras rolantes ajudaram (principalmente por que estávamos sem carrinho, já que custava 5 dólares e 20 reais não está dando para jogar fora assim, e tivemos que puxar a mala no muque mesmo).

Enfim, chegamos a área de locadoras de carro. Esperamos um pouco, tentamos entrar no WIFI do aeroporto (que, achei um absurdo, só dura 30m) e tudo mais para falar com meu boy, mas ele logo apareceu, já todo trabalhado no pique praia.

Tentei usar o totem da Hertz para pegar o carro, PORÉM, ele não é um totem, ele é um atendimento telefônico. E este atendimento é só para quem NÃO TEM reserva. Logo, se já estiver com tudo fechado, espere na fila mesmo. Não gaste tempo como eu! Reservei o carro pela -- palavra censurada -- e não tive problemas. Tudo o que está prometido na hora da contratação foi cumprido. Não me forçaram nenhuma contratação.

A hora que descemos para o estacionamento estava uma chuva RUDE. Com raios, trovões e aquela sensação de que o tio Vitor (assistidores de Castelo Ra-tim-Bum lembrarão) estava bravo. Enfiamos as malinhas no porta malas e fizemos aquilo que todos dizem para não fazer: partimos para Orlando.

Como nosso voo foi diurno, achamos melhor partir logo para Orlando e já estar devidamente instalados no dia seguinte. Eu tinha contado um tempo para todo o procedimento até o carro, mas lógico que demorou mais. Acho que só por volta das 20horas estávamos saindo. E aquela chuva tensa.

A viagem foi bem tranquila. Isso depois de uma sofrência básica descobrindo onde ficava o farol, onde ficava o limpador de para-brisas e de quase começar a usar o GPS do carro por que a internet não pegava no Waze. Mas tudo deu certo no fim. Minha mãe aprendeu a setar a velocidade automática do carro e depois de uma paradinha em uma das plazas pelo caminho nosso pique melhorou, ficamos mais dispostos e nem deu vontade de dormir (citando apenas mamãe e eu, por que o boy coitado, estava acordado desde o voo do dia anterior!).

Achei o sistema de plaza bem bacana. A Ju já havia comentado no relato dela, mas eu não tinha compreendido. É realmente bastante prático ela ficar no meio da estrada e evitar que você tenha que realizar retornos e afins. Nossa estréia alimentícia foi um lanche do Wendy's. Gostei bastante do sabor, só me arrependi de ter pedido um lanche de frango apimentado (demais!) ao invés de um Baconator. Mas depois a gente come esse quilo de bacon. O mocinho do caixa entendia mais ou menos português e saiu elogiando meu inglês, o que foi ótimo para tirar aquela barreira inicial de "DEOS, vou falar tudo errado neste país!". HAHAHAH... Eu falo inglês bem, mas sempre rola aquela tensão, né?

Enfim chegamos em nosso lar provisório pelos próximos dias.

Ficamos no SUPER 8 da American Way. Falarei mais do hotel em uma "resenhinha" só dele, mas já antecipo que olhando as fotinhos dele eu não ficaria lá. Todavia, uma amiga do trabalho havia visitado Orlando em Novembro e disse que o hotel era digno e justo e seguro. Dada a situação do dólar e o cenário inexplicável onde TODOS os Rosen Inn estão sempre esgotados em todos os lugares (gente, por que isso, me expliquem!), resolvi reservar lá mesmo. Tinha uma indicação de confiança e sabia que eles não cobraram nada de taxa de resort.

Fizemos o check-in rapidamente (recepção funcionando mesmo de madrugada), tomamos banho e capotamos lindamente. Ansiosos para o nosso primeiro dia de verdade ((:

 


 
 
Num único dia aproximadamente 210 pares de óculos são perdidos em Walt Disney World. Estima-se que desde a sua inauguração em 1971 mais de 1.65 milhões de pares de óculos já foram enviados para o departamento de achados e perdidos ("Walt Disney World Lost and Found "). Outros itens que os convidados costumam perder são os seguintes: telefones celulares (+ 6.000/ano), câmeras digitais (+ 3.500/ano), bonés (+ 18.000/ano) e caderninhos de autógrafos (+ 7.500/ano).