Nevada - Las Vegas

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
Relato da viagem

 mensagem postada em 16/09/2008 - 02:09:07hs
 
 

Nossa, acho que me empolguei...saiu longo esse relato do primeiro dia

5 de setembro (sexta-feira)

Partimos de Porto Alegre às 13h30 rumo ao aeroporto de Guarulhos. Minhas companheiras de viagem eram minha prima, Carla, e uma amiga dela, a Letícia. Em SP, comemos no Balloon Café um beirute bem gostoso, passeamos um pouco e depois fomos para a fila do embarque internacional. Tive a impressão de que dessa vez os funcionários da United estavam mais simpáticos que de costume... No vôo, como sempre, comissários atenciosos e outros com o rei na barriga. Na janta, entre a opção ‘chicken or beef’, fiquei com a galinha, mas me arrependi, pois o arroz que acompanhava o prato estava muuuito duro. O vôo foi tranqüilo, mas não dormi quase nada durante as 10h até Chicago, então fiquei ligada no rádio e nos filmes disponíveis.

6 de setembro (sábado)

Chegamos pelas 6h00 e nosso vôo para Las Vegas só sairia ao meio-dia. Como eu e a Carla conhecíamos Chicago, decidimos levar a Letícia para conhecer Downtown Chicago, já que teríamos várias horas para esperar o próximo vôo. Pegamos um táxi no aeroporto e fomos em alguns dos pontos turísticos da cidade, próximos à Magnificent Mile, avenida bem chique lá no centro. Aliás, para o pessoal que tem dúvidas sobre conhecer Chicago ou não... não tem erro... é uma cidade linda, imperdível! Caminhamos pela Mile, observando as lojas estilosas que ainda estavam fechadas por ser muito cedo.... nessa parte de Chicago podemos encontrar marcas mais sofisticadas, como Gucci e Tiffany’s, por exemplo, e também lojas bem completas da Nike (Niketown com vários andares) e da Apple. Além disso, na redondeza também achamos altas pechinchas, como na Marshalls.
Passamos no gigante John Hancock Center, que ainda estava fechado, tomamos café em uma Starbucks (plain croissant e hot chocolate) e seguimos pela Mile até o Rio Chicago, que cruza a cidade com suas pontes levadiças – local que rende lindas fotos.
Seguimos pela Mile e depois fomos em direção à beira do Lago Michigan. Neste meio tempo, vimos várias pessoas correndo na avenida devido ao tempo ensolarado e quente – situação não tão comum na cidade. Conforme seguíamos pelas ruas a fim de chegar ao Navy Pier, lindo píer que conecta a cidade ao lago (complexo de atrações, lojas e restaurantes legais como o Bubba Gump), começamos a ver bandos (mas galera mesmo, com guia e tudo!) de pessoas correndo. Perto do Pier também estava ocorrendo um encontro de donos de Harley-Davidson . Era uma imagem muito diferente da primeira que tive daquela área de Chicago, pois quando fui em outubro do ano passado estava muito frio e o vento... nossa! Bem se vê que só pode ser conhecida como a ‘windy city’ mesmo. Foi incrível ter esse retrato de Chicago no verão – o povo nos parques se exercitando, lindos jardins, um sol maravilhoso.... Caminhamos bastante e terminamos nosso passeio na Marshalls fazendo as primeiras comprinhas de nossa viagem. Logo pegamos um táxi de volta ao aeroporto, almoçamos (panini de frango e a primeira de muitas Caesar salads da viagem), já que nos vôos domésticos de lá só dão bebida mesmo (a snack box é paga à parte... e a gente reclamando do amendoim aqui no Brasil!) e embarcamos no vôo da Ted/United pra LV.
Chegamos em Vegas em torno das 15h, pegamos o carro e seguimos ao Planet Hollywood pra fazer o check-in. Na entrada de cada hotel/cassino, você tem a opção ‘valet parking’ (manobrista) ou ‘self-parking’ (para você mesmo estacionar onde quiser). Como o tempo lá é muito seco e quente, antes de passar ao lobby passamos por um mecanismo parecido com um ventilador que solta aguinha pra dar uma refrescada no povo que chega. Foi só o tempo de tomar um banho e trocar de roupa... partimos para andar pela Strip – a Boulevard Las Vegas, onde encontramos os maiores cassinos na cidade. Minha primeira visão de LV foi de dentro do avião, antes de aterrissarmos, e quando vi de perto fiquei ainda mais embasbacada com a grandeza de tudo.
A Carla já conhecia LV e disse que a cidade havia crescido muito desde sua última visita. Naquela época (no início dos anos 90) ela falou que uma das pontas da Strip ia até (aproximadamente) o cassino Bally’s e o resto havia sido construído depois.
Seguimos a pé pela avenida conhecendo um pouco de cada hotel. Ao sairmos do Planet Hollywood passamos pela frente do Paris e fiquei procurando o Aladdin... só agora na chegada descobri que o Aladdin era o Planet de agora (que foi inaugurado ano passado). Foram feitas modificações, alterado um shopping (que agora é o legal Miracle Mile Shops) e realmente o hotel está bem novinho... quartos e banheiros amplos e limpos, restaurantes legais e um cassino bem atraente. Depois de passar pelo Paris e pelo Bally’s, sem ter entrado neles ainda, seguimos pela Strip tirando muitas fotos e ficamos impressionadas com o movimento. Era um vai-e-vem frenético e víamos todos os tipos de figuras na rua... famílias, excursões de idosos, beberrões com gigantescos copos pelas ruas,vários recém-casados e muitos latinos entregando aos homens folhetos que ofereciam garotas. Aliás, algo que me chamou atenção foi o fato de alguns cassinos serem bem ‘família’ durante o dia, mas à noite.... meninas faziam aquela dancinha do poste e os crupiês velhinhos e cheios de roupa eram substituídos por garotas com altos decotes (em especial sexta-feira e sábado à noite notei isso). Além disso, quando você fica jogando, te oferecem bebida de graça (não sei se alcoólica também), e as garçonetes também vestem roupas curtíssimas. Por isso que se vêem muitas turmas de rapazes sozinhos... apesar que também vi muitas turmas só de mulheres – especialmente comemorando aniversários e utilizando um mesmo chapéu ou faixa para representar seu grupo lá... cada mania doida desse povo.
Continuando a caminhada, paramos num shoppinzinho ao ar livre com algumas lojas e uns ‘camelôs’. Ouvimos um super som vindo de uma tenda e fomos conferir o que se tratava... era um tiozinho muito brega dublando ‘Sexy Back’ do Justin Timberlake... nossa, como a gente riu. Seguimos pela Strip e entramos no lindo Venetian (e me arrependo de não ter insistido para termos entrado no Madame Tussauds naquela hora, pois não conseguimos voltar depois). Vimos o pessoal andando de gôndola e senti saudade do meu namor, pois a maioria dos passageiros era formada por casais... que curtiam uma performance vocal ao vivo (e em italiano) dos gondoleiros.
Depois fomos no Caesars Palace e passeamos pelo ‘The Forum Shops’, que é lindo, chique e tem impressionantes escadas rolantes em espiral! Aliás, algo que nos impressionou na Strip foi o fato de haver escadas rolantes na rua... isso nunca tinha visto antes.. só assim também pra agüentar aquele sobe-e-desce do pessoal (nas passarelas entre os cassinos, na avenida). No Caesars fomos na lojinha do Elton John (sim, até isso tem lá, já que ele faz show nesse cassino) e continuamos no passeio - observando tudo, tirando muitas fotos e fazendo comprinhas também. Finalizamos nossa noite no restaurante que é tudo-de-bom, Maggiano’s, no Fashion Show Mall (na Strip, na frente do Wynn) comendo um spaghetti com meat balls... costumo dizer que não gostava de almôndegas até provar esse prato no Maggiano’s. Conhecemos o restaurante na última viagem a Chicago e quem vai uma vez sempre volta... local maravilhoso (com estilo italiano meio a la ‘Poderoso Chefão’, além de música do Sinatra), pratos saborosos e preço ótimo também.
Na volta para o hotel passamos pela frente do Bellagio e vimos o show das fontes... incrível para fechar a noite!

 


 
 
O Marrocos foi o primeiro país a reconhecer os Estados Unidos como país independente. No seu pavilhão no Epcot, mais especificamente no restaurante Marrakesh você encontra numa parede (área de espera) uma réplica de uma carta trocada entre o sultão Mohammed III e o presidente George Washington.