Índice  
 
 
Res: Preparem-se para 2015, as novas taticas para vistoriar os que chegam do exterior

 mensagem postada em 25/09/2014 - 02:09:18hs
 
 

Na reportagem cita:
"Dados como local de origem, volume de bagagem, poltrona que o viajante ocupou no avião, duração da viagem e frequência com que faz o percurso serão considerados pela Receita, que cruzará as informações passadas pelas companhias aéreas com seu banco de dados próprio."
Alvo: Muambeiro de Luxo! hehehehehe

Outro:
"O grande objetivo dessas medidas é dar tratamento ágil para o passageiro comum, à medida que a Receita tem como atuar com fiscalização precisa, em cima de quem realmente apresenta indício de irregularidade. O cidadão comum que não incorre em nenhuma irregularidade vai ter uma passagem mais célere"
Ou seja, o turista comum.

Concordo com Astrid em relação ao aumento da cota. Já deveria ser de, no mínimo, U$ 2.000,00 por pessoa.
(mensagem de José Sales)


Li sobre o fato da companhia aérea passar informações sobre o peso das bagagens, o que já é algo meio intromissivo, além do resto citado. Mas não duvido nada que a receita peça o peso das bagagens ao embarcar e ao chegar! Do jeito que estamos nada me surpreende mais, segundo a reportagem até nossas informações bancárias eles já tem, isso está ficando mesmo como falaram um big brother, bem macabro por sinal!

 


 
 
Na atração Haunted Mansion - mais especificamente no salão de baile - o órgão lá existente trata-se de uma réplica daquele utilizado no filme 20.000 Léguas Submarinas.