Alfândega - Relatos

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 

O objetivo do presente tópico é o de servir de espaço para que possamos postar - relatos - sobre as nossas experiências com a alfândega (exclusivamente). Peço que questionamentos sobre a "cota de isenção" sejam reservados para o seu tópico específico - Alfândega - Cota de Isenção.

leia essas informações
 
Índice  
 
 
MIAMI-ATLANTA-RIO

 mensagem postada em 07/07/2014 - 03:07:28hs
 
 

Olá a todos! Depois de muito ler o fórum, decidi me inscrever e dar o meu relato. A quem interessar, leia-o com atenção.

Depois de 30 dias fora entre Miami-Orlando-Miami-NY-Miami, voltamos pro Rio dia 05/07 com uma conexão rápida entre Atlanta e 4 malas grandes (29') + uma sacola que serviu pra ajudar a esvaziar as malas e não pagar excesso. Já imaginam o meu desespero ao perceber que tinha comprado demais. Envelopamos tudo pra não sermos roubados e muita fé na sorte. Apenas eu e meu marido.

É obvio que com tantos dias fora extrapolamos a cota, porém trouxemos roupas dos dois (usadas na viagem + muitas camisas sociais), 16 sapatos meus, 9 do meu marido, uma mala só de roupa para os 4 filhos + sapatos, um aparelho de laser facial, um laser de depilação, cremes e shampoos que custam 20 dólares o litro e aqui quase 100 reais, algumas maquiagens, uma bolsa MK para uma amiga e uma pra mim, 5 relógios do meu marido, 3 meus. Na bolsa de mão eu trouxe 3 óculos que fiquei com medo de quebrarem na mala (e que não custaram caro), meu marido trouxe os fones de ouvido e tablets do Brasil e um DS3D pro meu filho. De caro, caro mesmo? Uma caixa de som B&W no valor de U$790 que meu marido trouxe na mão afim de declarar.

Pois bem, depois de descermos e pegarmos as malas, fizemos serão no DutyFree pra comprar um cacareco qualquer e levar uma sacolinha na mão e fomos pra fila de declarar. A regra está clara aqui no RJ: todo mundo, declarando ou não, passa no Raio X. O fiscal perguntou o que íamos declarar e fez cara de desconfiado perguntando se era só aquilo, pois estávamos cheios de malas. Colocamos tudo no raio x, eles comentaram alguma coisa na tela, conversaram um pouco e perguntaram se tinha algum notebook na mochila do meu marido. Quando ela conferiu que eram tablets com o símbolo da ANATEL atrás, deu a guia e pagamos no caixa ali mesmo, em débito.

Acredito que eles foram beeem maleáveis pois entramos na fila para declarar. Quem estava com duas malas e não declarava, tinha a mala aberta. DICA: se você passou algo de valor da cota, declare. Uma mulher foi taxada em 150 dólares mais a multa de 150 pois não declarou. O fiscal comentou comigo que ela trazia muita roupa baratinha e se ela tivesse declarado pegaria super leve, como estava sendo; mas como ela tentou ser esperta, abriu as malas e taxou tudo.

Resumo da ópera: 150 dólares de taxa e todo mundo feliz. Se tivéssemos ido sem declarar com certeza tirariam o envelopamento e olhariam TUDO. Não se apavorem com eu estava. Não sou defensora pois sei que nossas taxas são absurdas, existem muitos fiscais abusados, tudo muito caro ao ponto de termos que comprar fora do país além essa cota atual que é ridícula, mas pelo menos no RJ eles estão sendo muito justos com quem não tenta passar a perna. Funcionou comigo e com vários que vi declarando pouca coisa.

Boa sorte a todos e boa viagem!!!

 


 
 
Na atração Piratas do Caribe, o Pirtata que fica sentado na ponte, possui pêlos verdadeiros em suas pernas e sujeira no seu pé porque ele é o único pirata que os visitantes podem ver bem de perto e os Imagineiros o fizeram de forma bem realística.