Voltei - Relato da minha viagem!

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
19/10 - Animal Kingdom

 mensagem postada em 12/12/2007 - 07:12:59hs
 
 


Oi Pessu! Tô demorando, né? É que você tem que entender que isso não é uma novela, mas sim uma odisséia, um épico, que vai ficar para a história! Rsrsrsrs
Bom, o dia amanheceu lindo e lá fomo nós para o Animal Kingdom. Lá chegando, ficamos em uma fila perto do Guest Relations, afinal em se tratando dos nossos tickets era bem possível que tivéssemos problemas novamente, mas enfim, deu tudo certo desta vez. Cara, vou te falar que americano é muito desesperado! O povo sai correndo parecendo que as atrações vão fugir dos parques, querem passar na frente de todo mundo e não se importam se estão ou não pisando no seu pé ou te empurrando. Isto porque logo que você entra e vai para próximo da Tree of Life e logo cedo a Minnie, o Pateta e o Pluto vêem dar as boas vindas em cima do carro. Se você conseguir vê-los: PONTO PARA VOCÊ! É uma muvuca tão grande que parece que a Ivete Sangalo tá chegando com o trio elétrico na Bahia. Por fim, mal consegui tirar umas fotos meio tortas, tipo só o nariz do Pluto, um pedaço da orelha da Minnie, mas tá valendo.
Aí depois disso meu filho, segura a criança que começa a correria. Metade vai para o lado direito, a outra para o esquerdo, quer dizer, um pouco mais vai para o lado esquerdo, pois tem o Kilimanjaro Safáris e todo mundo quer ir pela manhã, pois dizem que os animais estão mais acordados nesta hora do dia (pelo menos no Brasil, todas as revistas especializadas em Disney falam a mesma coisa). É claro que fui para o Kilimanjaro, me debatendo com a galera. Quando cheguei na fila, ainda tive que esperar uns bons 15 minutos, mas lá fomos nós. Olha, deu para ver a girafa, dois elefantes, um par de olhos de hipopótamo, três pares de chifres de gazela, dois tufos de pêlos do leão, dois fios de bigode da leoa e... é acho que foi isso. Deu para entender né?! Se alguém viu coisa melhor, por favor me conte como é... Ainda sim, é melhor que ir no zôo de Sampa que só dá pra ver urubu! Tem urubu de todas as espécies possíveis...
Saindo de lá resolvemos fazer as trilhas do Pangani que, aliás, é muito legal. Deu para tirar ótimas fotos dos gorilas, bem de perto. Não perca, pois te dá uma sensação de paz, andar nestas “minis” florestas. Depois fomos em direção à Ásia, pois queríamos ir na Expedition Everest. O caminho para lá é fantástico e ver a montanha de longe é incrível, pois ela parece muito de verdade. Lá chegando, fila de trinta minutos, mas não se importe com o tamanho, pois o cenário e a ambientação é nota mil. Muito bom, mesmo. Fomos quatro vezes nela, porque o Yeti é ótimo e a montanha russa, apesar de não ser a maior e cheia de voltas, te surpreende muito! Esse foi o segundo melhor brinquedo da Disney que eu fui. Lá na frente conto qual foi o primeiro na minha opinião.
Não fomos no Kali River Rapids, aliás meu marido sequer ficou sabendo que existia (lembra do truque “eu tenho o mapa então sou eu quem mando”?), e eu não queria sair de lá encharcada, como o resto do povo que parecia um bando de pinto molhado!
Saindo da Expedition, continuamos até o Finding Nemo, super, super, super lindo! Coisa de primeiro mundo! Não perca que é de encher os olhos!
Depois, fomos para a Dinoland e encaramos o Dinosaur, que não achei nada demais. Putz fila e vale mais pela ambientação do que pela atração em si. Valeu à pena porque na hora em que sai, o Pateta e o Pluto estavam tirando fotos com a galera e aí eu tirei uma foto super linda dos dois (sem ninguém abraçado neles, é claro!).
De lá fomos para o It´s Tough to be a Bug. Genten, é super, ultra, puxa legal! Só tem um problema: as crianças se assustam muito. Pra gente é engraçado, mas para os pequenos... Eles choram durante o filme, então é bom ficar esperto.
Aí a gente já tava com fome e resolvemos ir no Rainforest. Colocamos o nome na lista, e enquanto eles não chamaram fizemos ótimas compras na loja deles, que aliás é cheia de promoções, tipo duas camisetas por U$ 15,00 (sabe o cunhado e a cunhada, então, taí um ótimo souvenir sem gastar seu suado dinheirinho!). Kákákáka
A loja é linda e o restaurante é demais, a criançada vai adorar! Até chove lá dentro (Er...)! A comida é para mamutes, porque, sinceramente, dá fácil para dividir um prato para duas pessoas. Dá dó porque sobra muita comida, na realidade o prato é uma travessa funda. Pra quem ta acostumado a comer em prato que mais parecem pires, a comida dá e sobra. Fiquei tão cheia do famoso macarrão com camarões que sequer tive espaço na barriga para pedir o tal do Volcano. Quem sabe na próxima, né?
Saindo de lá, chuva torrencial, então corremos até o Festival do Rei Leão que iria começar em poucos minutos e te digo, me emocionei! Chorei até, porque as músicas do filme são lindas e o pessoal canta de verdade, cada garganta de dar medo. É lindo, é show, é fantástico!
Como a gente tinha o Cirque du Soleil à noite, resolvemos voltar na Expedition, It´s Tough to be a Bug e fazer a Mahajarah Jungle Trek e depois fomos embora, eram quase 17hs.
Chegamos no hotel, banho tomado e busão pro Downtown. Chegamos lá e já fomos para o teatro, compramos uma pipoca com refrigerante (U$ 18,00) e você fica com o copão de refrigerante e o pote de pipocas, que são lembranças do Cirque du Soleil, o problema é achar espaço na mala pra tanto bagulho! Chega cedo, porque tem um pré-show com os palhaços, que, aliás, é super engraçado pra quem assiste, porque para com quem eles brincam.... Isto porque teve uma moça que os palhaços pegaram a bolsa dela, abriram, tiraram as coisas e depois deixaram a bolsa com outra pessoa. Então toma cuidado!
Aí começa o espetáculo! Não há o que dizer, porque é simplesmente único e inacreditável. Vale todo e qualquer dinheiro que você pagar para ver e na saída você ainda vai querer comprar, no mínimo, o CD com as músicas no show, como eu. Hoje fico ouvindo no carro e lembro do show, até choro de emoção. Não preciso dizer mais nada, né? Bjs.

 


 
 
Observe enquanto você assiste o vídeo que antecede a atração Soarin (Epcot) o número do vôo 5505. Trata-se de uma homenagem a data da sua inauguração oficial que ocorreu em 05 de maio de 2005.