Voltei - Relato da minha viagem!

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
Inicio da viagem

 mensagem postada em 10/12/2007 - 09:12:29hs
 
 

Esse site é nota 10. Eu peguei várias dicas que foram importantes para uma boa viagem.
Saí de Florianópolis com a minha esposa dia 14/11, fiquei em Orlando até o dia 23/11 e depois fui para Washington e NY.
A saída de Floripa foi o único stress da viagem toda. O horário do vôo era às 16h20min, porém às 17h30min o avião, que vinha de Chapecó nem tinha decolado de lá. Ai comecei a ficar preocupado, o rapaz da Gol disse que o avião tinha um problema mecânico mas que ia -- palavra censurada -- . Nessa dúvida, pedi para o rapaz trocar minha passagem para o vôo que estava indo pra Congonhas (pensei comigo: “pelo menos to em SP, lá eu me viro”). Ledo engano, o vôo para Congonhas atrasou pra cacete e as 20h00min estava na saída de Congonhas e tinha que cruzar toda a cidade. SP, véspera de feriado, a fila para pegar o táxi demorava 40 minutos. Tinha uma outra moça de floripa que fez essa mesma besteira que eu, com uma pequena diferença, ela tinha um vôo às 21h00min para Paris. Voltei para o desembarque e encontrei um taxista que fica se oferecendo. Resolvi arriscar, a essas alturas do campeonato, acertamos um valor com o cara e em 1h15 ele estava em Guarulhos (quando o cara começou a pegar umas quebradas na Penha eu pensei: agora dançamos).
Fizemos o check in tudo na paz (depois do susto, a gente até dava risada na fila), o vôo estava marcado para as 23:50, porém ficamos uma hora parado dentro do avião. As 05:45 pousamos em Miami. O avião é bem apertado, mas nada desesperador (gente muito grande deve sofrer bastante) e por incrível que pareça a janta estava muito boa, não sobrou nada. Muita gente fala mal da AA. De minha parte só tenho elogios, pode ser que eu tive muita sorte: o atraso não foi culpa deles, filminhos a noite toda, rango bom (para o nível aéreo), as aeromoças não foram grossas e ainda consegui dormir uma boa parte do vôo.
Tudo tranqüilo na Imigração, sem nenhum problema. Pegamos a conexão e às 10 horas chegamos em Orlando. Mais uma hora para pegar a bagagem, fila na Álamo (era a única cia que estava lotada) e escolher o carro. Pesquisei um monte, com várias empresas e contratei o plano EP com o Ronaldo (fiz as contas e como pode devolver com o tanque vazio a locação ficou apenas US$100 mais cara, com seguro total, vale a pena) e podia escolher um midsize. Peguei um Pontiac, novinho e muito confortável. Tem que amarrar o pé esquerdo para não pisar no freio por engano (heheheh, fiz isso apenas 2 vezes).
Na saída, fui seguindo as placas e me lembrei do tal do pedágio. Quando passei, pensei comigo mesmo: “pelo menos to no caminho certo”. Acho que em menos de 20 minutos estava no escritório do Ronaldo pegando os ingressos e trocando umas idéias. O cara é gente boa mesmo, vale a pena. Demos uma passada no Prime, aproveitamos para comer o nosso primeiro sanduba e fomos para o Comfort Inn da Sand Lake fazer o check in e tirar um cochilo. Depois com o mapa na mão (não quis pegar GPS) arrisquei chegar nas lojas da Nike da 192. A Factory é bem longe, tem que andar um monte, até pensei que tinha fechado Os preços e as opções são menores, eu acho que vale a pena. Voltando pela I-4, vc vê o Premium e acha que dá para entrar, só que não da não. Peguei a primeira saída, perguntei para um cara num posto e rapidinho estava no outlet.
Orlando é uma cidade fácil para dirigir, com um mapa na mão vc consegue se virar. Uma ou outra errada é normal e falando um pouco de inglês não tem problema. Estive lá em 1997 e 1996, ou seja, muito tempo e não me lembrava de quase nada.
A noite estava gelada. Entrei na Sand Lake e fui até o Walmart comprar comida, água, cerveja e outras bobagens e quando percebemos já era 10:30 da noite. Jantamos um prato congelado no quarto do hotel (bem meia boca). Estávamos num bagaço e capotamos.

 


 
 
Todo o lixo do parque Magic Kingdom é transportado por um sistema denominado "AVAC" que locomove os detritos até a central de processamento utilizando gás comprimido a uma velocidade de quase 100 km/h. Posteriormente todo o lixo é processado e reciclado.