Voltei - Relato da minha viagem!

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 
Índice  
 
 
7º. DIA – 11/04/2007 – MAGIC KINGDOM.

 mensagem postada em 24/04/2007 - 10:04:51hs
 
 

Este relato vai ficar gigante! Não tem como ser menor. E também não anotei toda a sequência que fizemos o parque, portanto a cronologia vai ficar prejudicada, mas vamos lá....

Conseguimos acordar bem cedo e com muita expectativa para irmos ao Magic Kingdom. Corremos abrir a porta do quarto. Parecia que o dia estava lindo!
Lavamos roupas. Duas máquinas cheias. Gastamos US$ 10 para lavar e secar, com sabão incluído. Gastamos ainda mais US$ 2 para tentar secar os pares de tênis mas acho que é proibido. Por duas vezes que voltei para acompanhar a secadora ela estava parada e aberta. Acho que alguém passava alí e para ela quando escutava o barulho. Insisti mas os tênis não secaram. As crianças continuaram dormindo enquanto arrumávamos o quarto e esperávamos as roupas lavarem e secarem. Em pouco mais de uma hora é possível lavar e secar uma máquina cheia de roupas. Muito prático.

De novo tomamos café no quarto. Vestimos camisetas do Brasil que tínhamos comprado especialmente para esse dia. Eu com uma verde, o Felipe com uma amarela, a Si com uma azul – todas escrito “Brasil” na frente e a Camila com uma branca, com a bandeira do nosso país, sem nada escrito. Ficou lindo!!! Verde, Amarelo, Azul e Branco. Tem bandeira mais bonita que a nossa??? É ruim de ter hein.

Saímos relativamente cedo em direção ao MK e super-empolgados. Não havia uma nuvem no céu. Passamos de novo naquele arco da Disney – “Where Dreams Come True”. Aquilo fica na cabeça! Foi a mesma emoção do primeiro dia que passamos e acho que ainda com um gostinho maior de expectativa, ansiedade. E o portal do estacionamento do MK também é lindo. Nem perguntei como o parque estava. Desencanamos. Íamos finalmente ficar em apenas um parque até ele fechar. Era o único no nosso roteiro que tinha um dia só para ele. Levamos, roupas, sapatos, comida, etc. etc.. Três mochilas e uma sacola grande. Somos exagerados mesmo.. família buscapé.

Paramos na rua 11-15 do Pluto. Tiramos foto da placa só por precaução (e por recordação). Não havíamos nos perdido em nenhum estacionamento anterior. Bom, não preciso dizer de novo sobre o Spring Break. Quanta criança sem aula!!! Fila para pegar o “traim” do estacionamento. E aí uma surpresa. O “traim” não te deixa na entrada do parque, como os outros, mas sim no acesso para o ferryboat ou para o monorail. Não tem como ir a pé até a entrada do MK!. Optamos por ir de ferryboat uma vez que havia mais gente no monorail. E também já tínhamos andado no monorail do Epcot só por curiosidade (aqui cabe um PS.: eu esqueci de relatar no dia do Epcot... que pegamos o monorail só para andar mesmo. Fomos e voltamos... igual bobos).

Voltando para o MK.... O ferryboat é legal. Acho que muita gente não vai nele por medo da água. Havia uma névoa forte e praticamente não víamos à frente.

Finalmente chegamos. A gente vai descendo e sendo levado pela multidão. Não dá muito tempo de parar e ir apreciando. Parece que é uma loucura, uma histeria coletiva. Poucas vezes na minha vida caminhei no meio de tanta gente com o mesmo objetivo. Em Nova Iorque você caminha ao lado de multidões, mas sabe-se lá o que passa nas cabeças daquelas pessoas. Só que alí, no MK, dá quase para ler o pensamento. Todo mundo vai lá pra fazer a mesma coisa.

E então a gente chega na entrada do parque em sí. Passamos antes nos lockers para deixar parte da carga e no guest relations para pegar um Disney Pin de Happy Birthday para a Si (o aniversário dela foi em 19/03 e a viagem foi presente para ela também – ela também não sabia que eu havia comprado a viagem). No guest relations eu ainda disse que era nossa segunda lua-de-mel e ganhamos um Disney Pin de Happy Anniversary.

Aqui cabe outro PS: em todos os parques eu pedi pins de birthday. Um para a Si no AK, um para a Camila no Epcot e um para o Fe no MGM. O do MGM foi o mais legal. Além do Disney Pin a pessoa do guest relations digitou em um telefone viva-voz os números 335473 (correspondentes às letras do nome dele) e uma gravação de um cantor - que não sabemos quem era – cantou aquela musiquinha famosa “Happy birthday to you... happy birthday Felipe...”. Foi muito legal. Aí é aquela sucessão de Happy Birthday o dia todo nos parques. Até no dia que fomos ao mall e a Si esqueceu de tirar o Disney Pin na blusa e foi cumprimentada numa loja... que mico.

Bem, voltando à vaca fria. Após pegarmos os pins e guardarmos as coisas nos lockers demos de cara com o Tico e Teco de um lado e o Pluto de outro. Até eu parecia um besta que não sabia para que lado correr. Tiramos várias fotos com Tico e Teco primeiro (tem uma linda de nós 4, de camisetas do Brasil, com eles – foi postada na galeria do site). Pena que quando fomos até o Pluto ele já havia saído.

Ainda antes de entrar no parque propriamente dito, de novo a placa “Where Dreams Come True” no tunel que dá acesso à Main Street USA. Caramba, é isso pra todo lado! E isso não saia mais da minha cabeca... where dreams come true, where dreams come true.... Eles sabem mesmo vender a magia, fantasia e ilusão. Olhávamos cada detalhe das construções, roupas, etc. Parece irreal.

Finalmente pisamos na Main Street USA. Olhamos aquilo tudo e o dia ficava ainda mais lindo. Nenhuma nuvem no céu. Decidimos pegar o trem e irmos para o final do parque e fazermos a main street mais a tarde ou a noite. Foi uma ótima decisão.

Paramos na Fantasyland e corremos para a Big Thunder Mountain Railroad. Não líamos mais nenhuma descrição dos brinquedos para a Camila não surtar. Fomos os quatro. Adoramos. Foi o primeiro brinquedo que decidimos repetir, quebrando o que já havíamos combinado. Só que pegamos fast pass para voltar mais tarde. Por alí fizemos várias atrações... o Piratas do Caribe, a árvore da família Robinson... puxa vida... quando era criança eu assistia. E quem nunca quis ter uma casa na árvore??

Resolvemos ir na splash mountain, afinal é clássica né, mas ninguém queria se molhar.. hehe. Então antes voltamos de trem para os lockers para trocarmos de roupa. E aí uma constatação óbvia: a gente realmente perde tempo porque não segue várias dicas. Todas aquelas dicas de chegar no parque, pegar os mapas e horários das atrações e se planejar antes de entrar e etc., vão por água abaixo assim que a gente vê as catracas. Você não quer ficar parado um minuto lendo mapas. Já pega e vai andando. Vai lendo e tropeçando pelo caminho e entrando no primeiro lugar que der. Quer saber??? Tudo é válido! Regras são pra ser quebradas e dicas são iguais a presentes – você você usa se quiser, não é?

Saímos dos lockers e estava tendo uma parada na main street. E dá-lhe muuuuittas fotos. Acabou a bateria da câmera.... corre pra comprar pilhas. Fomos seguindo a parada, que no final dava na splash mountain. E finalmente fomos no brinquedo, não molhamos nada (também usamos as capas de chuva que estavam nas mochilas).

À medida que a gente ia nos brinquedos íamos ficando em êxtase com o lugar. Antes do almoço já tínhamos decretado: é realmente o melhor parque. É o espírito Disney, é uma sensação de ser criança. Eu não lembrava de nada... de trabalho, de dinheiro, de idade... nada! Parecíamos 4 crianças super amigas que compartilhavam tudo. Foi assim durante o dia todo. Brincamos no carrossel e rimos muito. Brincamos no “scared” aventuras da Branca de Neve que não assusta nem gatos... No Peter Pan, no Pooh, no Stitch... Enfim, todos. Eu diria que brincamos em exatamente todos os brinquedos do MK. Usamos bastante fast pass e até ganhamos fast pass de gringo que havia desistido. O dia era nosso e ninguém tirava!!!

Passamos pela Mickey’s Toontown Fair e a Si e as crianças entraram na casa e na tenda do Mickey, da Minie, tiraram fotos. Aquela fantasia!

Não fizemos nenhuma reserva de jantares/almoços. Comíamos quando dava fome – ou coisas da mochila ou lanches em qualquer restaurante que víamos. Assistimos todas as paradas, incluindo a Spectro Magic. Linda! Vimos o wishes das 22:00h bem pertinho do Castle. O parque nesse dia fechava à meia-noite! Decidimos ficar até o finalzinho. No Wishes aquela emoção de novo... Os olhos cheios... e ouvindo o coro: “oh, uh, ah”. Eu e o Felipe repetindo o chavão: “é eles sabem mesmo fazer isso. São muito bons!!”.

O dia havia sido incrível. Céu limpo, sol, temperatura muito agradável. Era Orlando se despedindo de nós. Lembro que em diversas vezes durante o dia, silenciosamente agradeci a Deus por tudo aquilo que estavamos vivendo. Olhava para meus filhos e para a Silene e pensava como era bom estar com eles! Eles são especiais!

Depois do Wishes o tempo mudou e caiu uma chuva torrencial. Daquelas que lavam a alma. Andamos na chuva mesmo, com as capas. Foi delicioso. Com tanto cansaço parece que deu uma dose extra de energia. A Camila pulava sem parar. Ah... isso foi engraçado, em vários parques ela ficava pulando igual macaca e a gente falava: “Camila, pára! Você não cansa não”. Ela respondia lindamente, do alto dos seus 9 anos de idade: “Eu não consigo! Preciso pular, gastar minha energia, não consigo ficar parada aqui.. tô muito feliz”.. ou algo assim... Hilário para nós.

Ah, fizemos o Carossel do Progresso também. Tava vazio, e eu falei vamos entrar aqui também. Hummm, duvidoso. O Felipe dormiu. A Si e a Camila, coitadas, não entendiam nada do inglês. Eu até que gostei um pouquinho, mas o brinquedo deu defeito e uma das sequências teve que ser repetida. Nossa, foi dose. Depois que você entra, já era, não tem como sair. O propósito da atração até é válido, mas é muito “lerdo”.

Lá pelas 23h ainda tínhamos um fast pass para a Space Mountain, que ainda não tínhamos feito. Só que antes corremos para o “It’s a Small World”. Eu queria muito fazer pois todo mundo comenta. Putz.. é imperdível mesmo. Em princípio pode parecer bobinho (a Camila e o Felipe acharam meio sonso), mas para quem viveu “Domingo no Parque” do Silvio Santos e ia na Montanha Encantada do Playcenter em Sampa.... noosssaa.... eu e a Si cantávamos a versão em português bem alto. O pessoal ficava olhando. Saímos do brinquedo cantando o “Para ser feliz é preciso ter, esse céu azul, a imensidão...”. Em português a música fala exatamente o que acontecia com a gente naquele dia. Eu ria, mas queria chorar de emoção.
Dalí fomos correndo pelas ruas do parque, atravessando-o naquela chuva até chegar à Space Mountain. Era a última atração. O porque ia fechar. Fomos diretão com o fast pass. Adoramos o brinquedo. Perfeito para fechar a noite com a adrenalina a mil.

Passamos nos lockers e no pick up para pegarmos as compras. A Camila havia comprado um Stitch, e nós tínhamos comprado 4 pantufas que pensávamos que era do Pluto mas decidimos devolver porque não tinha nenhum sinal do Pluto e era US$ 22 cada uma. E lá nos EUA esse negócio de devolver as compras é coisa séria. Nada igual ao Brasil né. Mas vixe, que mico eu paguei!!! Depois de ter devolvido e ter o cartão estornado eu quis ser simpático resolvi dizer o motivo da devolução (que eles nem perguntam). Quando falei para a vendedora ela respondeu: é que são os pés do Mickey e não do Pluto... hahaha.

Saímos do parque... já passava da meia-noite. Aquela multidão. Fomos de monorail desta vez. Filas. Mais de 30 minutos até chegar no estacionamento. Nosso carro já estava praticamente sozinho lá. O único na fila que paramos. Looooonge. Mas estávamos felizes, tão felizes!

Chegamos no hotel a 01:30h. Eu ainda cantando o “it’s a small world”. Vc chega no quarto, olhas as camas.... Que banho que nada...

DESMAIAMOS!

 


 
 
Walt Disney World Resort tem o tamanho da cidade de São Francisco ou o dobro do tamanho de Manhattan.