Alfândega - Relatos

 
Tópico Aberto

 
 
ORDENAR MENSAGENS: da mais antiga para a mais recente
 

O objetivo do presente tópico é o de servir de espaço para que possamos postar - relatos - sobre as nossas experiências com a alfândega (exclusivamente). Peço que questionamentos sobre a "cota de isenção" sejam reservados para o seu tópico específico - Alfândega - Cota de Isenção.

leia essas informações
 
Índice  
 
 
Res: Alfandega de Belem

 mensagem postada em 26/01/2017 - 01:01:46hs
 
 

Ola

Alguem passou pela Alfandega de Belem ultimamente ?

obrigado
carlos
(mensagem de Carlos Brito)


Olá Carlos!
Passei por lá dia 22.01.2017 e foi muito tranquilo.
O rapaz me perguntou o nome, quantas pessoas éramos, olhou para nossas malas e mandou seguir.
Estávamos com 4 malas médias/grandes e éramos 4 pessoas, dois adultos e duas crianças.
Minha prima que mora em Belém disse que tem um rapaz, bem cabeludo, que é danado. Para todo mundo e olha tudo nos mínimos detalhes..
Minha sorte que no meu dia o rapaz era carequinha, carequinha!

Boa sorte!

Sheyla

 


 
GRU 22.01

 mensagem postada em 25/01/2017 - 07:01:51hs
 
 

Oi pessoal bom dia!

Chegamos no Brasil dia 22.01 às 6 horas da manhã no Terminal 3. Ao mesmo tempo tinham 2 vôos de Miami , um voo de Paris e outro de Londres então muita gente várias esteiras.

Achei o free shop maravilhoso e tem lugar para deixar as malas mas fui voto vencido e não passei. Estava bem lotado.

Resultado: tanta gente, aliado eu acho à troca de plantão dos fiscais passou todo mundo direto de todos os vôos problema nenhum super tranquilo.

Abçs,

Alessandra

 


 
Res: Relato Alfândega de Porto Alegre

 mensagem postada em 03/11/2016 - 07:11:04hs
 
 

Fábio e Dani,
Só lembrando que cada viajante tem direito de trazer um celular, uma máquina fotográfica e um relógio fora da cota dos 500 dólares para uso próprio ! Por isso nem pediram pra ver os celulares de vocês !

 


 
Relato Alfândega de Porto Alegre

 mensagem postada em 03/11/2016 - 01:11:40hs
 
 

Olá pessoal! Voltamos no dia 31, vôo COPA, chegada em Porto Alegre a 01:30.
Um auditor estava filtrando quem iria para o RX. Perguntava se estava sozinho ou acompanhado e decidia se mandava para o RX. Nós fomos selecionados para passar para o RX. O Dani estava carregando um carrinho com uma mala grande, uma mala pequena (bagagem de mão), uma caixa com video-game e mochila nas costas. Eu estava carregando um carrinho com uma mala grande, uma mala média, uma mala pequena (bagagem de mão) e minha bolsa. Entreguei nas mãos do fiscal o notebook que adquiri na best buy, com a respectiva nota fiscal (ficou abaixo de U$500). Meu marido fez o mesmo com o X-box. O Fiscal me perguntou se eu havia comprado mais alguma coisa e eu disse que não. Passaram as malas no RX e deu tudo certo (não pediram para abrir nada).
Realmente não havíamos trazido mais nada de eletrônicos... não olharam meu celular, passou batido (eu não adquiri nos EUA, mas eles nem olharam). Tinha um conjunto de talheres, achei que iria acusar no RX, mas não pediram para abrir nenhuma mala após passar no RX. Compramos muito suplemento, roupas e cosméticos (tudo para uso pessoal, sem lacres, etiquetas ou caixas). Achamos bem tranquilo no geral. Eles buscavam eletrônicos mesmo, não ficaram atrás de coisinhas. Muito justo.

 


 
Res: GIG - 24 SET 2016

 mensagem postada em 28/09/2016 - 08:09:26hs
 
 

Esse assunto foi parar na revista veja desta semana. A auditora em questão foi afastada de suas funções e passa por inquérito administrativo, segundo a revista.
Eu também já tinha conhecimento de reclamações contra esta servidora que foram postadas aqui no Vpo, tópico alfândega - relatos.
Sds
Roberval

 


 
Res: GIG - 24 SET 2016

 mensagem postada em 27/09/2016 - 06:09:33hs
 
 

Bruno,

Lamentamos muito o que ocorreu com sua amiga.
Infelizmente no nosso país existe muito abuso de autoridade.
O fato é que, a receita federal dá autonomia para alguns servidores agirem desta forma, inclusive com gratificações por valores extras arrecadados.
Pagamos os maiores impostos do mundo, e, quando temos oportunidade de ir ao exterior comprar alguns produtos por um preço mais justo, ainda temos que sofrer essas humilhações.
Nos EUA o valor dos produtos é justo, pena que é para poucos...
Obrigado por compartilhar conosco o relato de sua amiga e estamos torcendo por ela.

 


 
Res: GIG - 24 SET 2016

 mensagem postada em 27/09/2016 - 03:09:38hs
 
 

O que eu sei é que a maior parte das pessoas gasta muito dinheiro com compras em viagem e ninguem quer pagar 1 real de imposto.
Como eu sou um bobão eu compro pouco e divido entre os meus familiares de modo que não ultrapasse MUITO os limites legais.

Engraçado que no texto expoe de forma bem negativa a servidora publica e coloca a viajante como vítima.

Eu acho que essa " vitima" perdeu a razão quando disse que ia falar com " amigos juizes, advogados e procuradores"...

Se fosse filha do Governador capaz de ligar pro papai liberar.

Enfim, falou-se em mutos direitos mas em poucos deveres....

Ah se fosse nos EUA...

 


 
GIG - 24 SET 2016

 mensagem postada em 27/09/2016 - 12:09:04hs
 
 

Retirei o depoimento retirado do Facebook. a postagem original pode ser vista em: Link Post Facebook

Ela teve problemas com uma fiscal. tem muitas pessoas nos comentários relatando o mesmo problema.

Segue depoimento retirado

"Queridos amigos,
Essa senhora da foto se chama Maria Lucia Lima Barros.
Ela é auditora fiscal e atua na alfândega do aeroporto Galeão, no Rio de Janeiro.
Neste último sábado, dia 24 de setembro, retornei de uma viagem de 2 semanas para a Índia com a minha avó, de 86 anos, que chegou de cadeiras de rodas e passando muito mal depois de 14 horas de vôo.
Fomos paradas na alfândega e pediram para abrir as nossas bagagens. Abrimos, sem qualquer hesitação. Ocorre que, durante quase 4 horas, sofremos um verdadeiro terror psicológico por parte desta senhora, Maria Lucia.
Em total desrespeito a mim e à minha avó, idosa, ouvimos todos os tipos de deboches, grosserias e sarcasmos. A servidora passeava de um lado para o outro, conversando com várias pessoas, muitas vezes rindo e tudo parecia fazer parte do seu "show".
E, o que é pior: passadas 4 horas de evidente assédio moral – que pareceram uma eternidade –, a auditora fiscal sequer conseguiu concluir o seu trabalho, alegando que ainda precisaria de muito tempo para firmar a sua convicção e apontar os valores eventualmente devidos.
Foi, então, que, com o intuito de dar um basta à situação, resolvi ir embora, deixando os objetos que tinha comprado. Maria Lúcia lavrou um termo de retenção (nulo, sob o ponto de vista jurídico, já que sequer elencava quantidade e qualidade dos itens). Se recusou a me informar o seu sobrenome, limitando-se a apor o número de sua matrícula. E disse que voltasse no plantão dela para recuperar os meus pertences! Mais um absurdo porque não se trata de um ato personalíssimo...
Minha avó, senhora de idade, não queria ir embora sem suas coisas. E, mais uma vez, Maria Lucia veio com um tom irônico alegando que, para tanto, levaria ainda muito mais tempo... Cinco minutos depois, apareceu com um DARF no valor de 1500 reais, sem nenhuma fundamentação! Minha avó ficou indignada, mas, mesmo assim, preferiu pagar, acabando com aquele sofrimento e levando as coisas dela para casa.
Mas, o que mais me impressionou durante toda essa saga foi que todos os servidores públicos presentes na ocasião me pediam para permanecer calma e me falavam que essa conduta dela era recorrente. E que, a cada vôo, um passageiro era eleito e assediado por ela.
Hoje, retornei ao aeroporto, falei com uma Supervisora da Receita Federal e recuperei minha bagagem.
E, mais uma vez, todos os servidores, incluindo os guardas, reconheceram a minha situação e me afirmaram que eu e minha avó fomos apenas mais uma vítima dessa servidora, que, a pretexto de exercer a sua função, constrange, humilha e desrespeita passageiros.
Conversando informalmente com alguns amigos, muitos já conheciam esta senhora e tinham uma história de terror para contar.
Mas, dessa vez, Maria Lucia se deparou com a pessoa errada. Já contactei meus colegas advogados, procuradores, juízes (sou advogada) e estou preparando um representação administrativa contra ela. Na esfera cível, pleitearei uma indenização por danos morais e ainda estamos avaliando se apresentaremos uma denúncia criminal.
Estou escrevendo esse post para pedir que vocês o compartilhem e que, caso já tenham sofrido nas mãos dessa senhora, colaborem com as suas experiências pessoais, a fim de demostrar que o que ocorreu comigo e minha avó não se trata de uma conduta isolada, sendo necessário pôr fim ao abuso de autoridade desta servidora.
Vamos dar um basta a essa "síndrome do pequeno poder" que tanto afeta os brasileiros. Falando por mim e pela minha avó, não temos nada a dever. Pagamos nossos impostos em dia. Somos pessoas instruídas e não vamos deixar passar.
Estou fazendo isso por mim, pela minha avó, pelas pessoas que também já passaram por esse terrível constrangimento e por aquelas que podem vir a passar.
Obrigada, Mariana Cavalcante"

 


 
Res: Belém

 mensagem postada em 31/07/2016 - 10:07:00hs
 
 

Oi Priscilla,

Retornei por Belém uma vez e acredito que por ser um aeroporto que recebe poucos voos internacionais, os fiscais devem ficar sempre por ali. Na ocasião, tinham dois fiscais na porta do "nada a declarar" e estavam pedindo para olhar o passaporte de todos que entravam na fila, após isso eles decidiam quem encaminhar pro Raio X, apenas um homem com 3 malas médias foi encaminhado enquanto eu estava na fila, não me perguntaram sobre eletrônicos, gastos, nada, olharam meu passaporte e fui liberado.
Abs.

 


 
Paralisação de auditores da Receita Federal teve início nesta quinta-feira

 mensagem postada em 14/07/2016 - 11:07:32hs
 
 

Atualizado em 14/07/2016 _ 17h17

Paralisação de auditores da Receita Federal tem início nesta quinta-feira

Serviços foram suspensos em 25 estados e DF.
Operação Padrão nas fronteiras, portos e aeroportos provoca filas.

Normalmente, a fiscalização de cargas e bagagens é feita por amostragem. No entanto, durante a operação padrão, os auditores fiscalizam todas as bagagens dos passageiros – e isso faz com que se intensifiquem as filas nos aeroportos, portos e fronteiras para a liberação de mercadorias.

Essa ação deve ser repetir sempre às terças e quintas-feiras, até que os servidores tenham as suas solicitações atendidas.

Fonte

Link

Link

Link

Link

Link

 


 
 
Quantas pedras foram utilizadas para a construção do Cinderella Castle no Magic Kingdom? Nenhuma. Toda a sua estrutura é feita de fibra de vidro ("Fiberglass").